1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Morre Fay Wray, estrela de King Kong !!!!

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Gondorian Blade, 11 Ago 2004.

  1. Gondorian Blade

    Gondorian Blade Usuário

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Inevitavelmente ligada ao gorila mais famoso do cinema, a atriz Fay Wray faleceu no último domingo, 8. A causa ainda não foi divulgada, mas o amigo Rick McKay tem sua versão: “Ela apenas se deixou levar, como se estivesse indo dormir”, afirma. Ela tinha 96 anos.

    Nascida Vina Fay Wray em 15 de setembro de 1907, a canadense se mudou com os pais e os cinco irmãos para os Estados Unidos quando tinha três anos. Ainda na adolescência, em 1923, começou a participar como figurante de diversas produções. Cinco anos depois, ganhou seu primeiro papel de destaque, em The Wedding March. Na década seguinte, a já experiente Fay estrelou vários filmes de terror, como The Vampire Bat e Doctor X, e ganhou o título “Rainha do Grito de Hollywood” (décadas antes de Jamie Lee Curtis).

    Em 1933, veio o papel que marcou sua carreira: Fay foi parar no topo do Empire State Building nas mãos de King Kong. Ela era Ann Darrow, uma atriz desempregada que acompanhava uma expedição à ilha da Caveira, onde o enorme gorila Kong é encontrado e capturado. O animal desenvolve uma afeição pela jovem, o que leva ao triste final, quando ele é abatido.



    Apesar de ter vivido diversos personagens e contracenado com ícones do cinema, como Gary Cooper e Spencer Tracy, a atriz ficou marcada como a eterna mocinha em perigo. “Costumava me ressentir de King Kong”, disse, em uma entrevista de 1963. “Mas não luto mais contra ele. Eu entendi que é um clássico e fico feliz de estar associada a ele”. Em sua autobiografia, ela confessa que, sempre quando chega em Nova York e vê a beleza imponente do Empire State, algo agradável acontece: “Meu coração bate um pouco mais rápido”.



    Depois de seu segundo casamento, em 1942, Fay deixou a carreira artística, retomando-a em 1953. Pouco depois, ela passou a trabalhar apenas na televisão, fazendo participações em seriados. Em 1980, ela atuou ao lado de Henry Fonda em As Trombetas de Gideão, longa televisivo que oficializou o fim de sua carreira.

    Em paz, no seu apartamento em Manhattan, Fay Wray deixou três filhos, uma longa obra no cinema e a inesquecível imagem da frágil dama nas mãos de Kong, o gorila apaixonado. Não só ele, mas milhões de espectadores.

    Pessoal, essa mulher, mesmo no alto de seus quase 100 anos, continuava trabalhando no teatro, e até cogitava-se a possibilidade de ela fazer uma participação especial no novo King Kong.

    Depois de Marlon Brando, o cinema perde mais uma de suas grandes estrelas !!! :(

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    P.S: Não sei se esse tópico fica melhor aqui ou no cinema, mas resolvi postar aqui.
     
  2. Deriel

    Deriel Administrador

    Código:
    Whatever happened to Fay Wray
    That delicate satin draped frame
    As it clung to her thigh
    How I started to cry
    Be in peace, Fay.
     
  3. Tisf

    Tisf Delivery Boy

    Ela participou da cerimônia do Oscar em 1998. Inclusive chamou apresentadores...
     
  4. eu lembro!! :)

    poxa, legal vocês terem mencionado a morte dela aqui. Eu adoro cinema antigo, especialmente os filmes mudos... e essa versão do King Kong foi um dos primeiros clássicos que eu assisti!
     

Compartilhar