1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Morre aos 91 anos na Alemanha o redator da lista de Schindler

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 9 Jun 2011.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Ele forneceu a Oscar Schindler nomes de 1.200 pessoas que seriam salvas.
    Mietek Pemper só revelou atuação em 1993, quando o caso virou filme.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Mietek Pemper em 24 de outubro de 2006 na cidade alemã de Augsburgo (Foto: AP)

    Mieczyslaw (Mietek) Pemper, o homem que redigiu a lista de Schindler -que ajudou a salvar a vida de mais de mil judeus durante a Segunda Guerra Mundial-, morreu na terça-feira aos 91 anos, anunciou nesta quinta-feira (9) a prefeitura da cidade alemã de Augsburgo, onde vivia.

    Pemper, nascido de uma família judia da Cracóvia em 1920, vivia desde 1958 nesta cidade da Baviera, na qual era cidadão honorário.

    Ali foi consultor empresarial e só revelou seu passado durante o período nazista em 1993, quando saiu no cinema o filme "A Lista de Schindler", de Steven Spielberg.

    Em março de 1943, prisioneiro, ficou subordinado a Amon Goth, comandante do campo de trabalho forçado de Plaszow, na Cracóvia.

    Aí se relacionou com o empresário Oskar Schindler, a quem forneceu uma lista com os nomes de 1.200 judeus internados no campo e que Schindler empregou nas fábricas de esmalte e munições, salvando-los de morte certa.

    Foi a principal testemunha de acusação no julgamento de Amon Goth, em 1946.

    Oskar Schindler morreu em 1974, no anonimato, e recebeu como honraria póstuma o título de Justo entre as Nações.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Esse é o tipo de caso que merece um bosque daqueles judaicos.
     

Compartilhar