1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Misto-quente

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Pips, 2 Jun 2009.

  1. Pips

    Pips Old School.

    É fácil imaginar-se numa América pós-crise de 29, descendente de alemão, com pai autoritário e espancador, espinhas na cara, uma personalidade impassível e o fatídico destino de servir de mão-de-obra barata? Apesar de se achar durão, as garotas do colégio não te olham e apenas os fracassados se juntam para serem seus amigos. Essa parece uma vida dura, mas é exatamente o que acontece com Henry Chinaski, personagem principal de Misto-Quente, romance com toques autobiográficos de Charles Bukowski publicado em 1982.

    Acompanhamos Henry numa narrativa cronológica desde o primário até o começo da vida adulta. Logo no inicio mostra seu desprezo pelos colegas da turma, o ódio por ser seguido até em casa, a vontade de se aproximar das garotas e o anseio de conseguir fazer o que gosta. Aliás, essa grande busca por fazer o que gosta, reflete apenas a vontade de ser livre do personagem (liberdade essa que deveria ser fácil na América). A princípio o imenso desejo de ter a casa dos pais só para ele, para desfrutar da solidão. Depois, de forma efêmera, com momentos de rebeldia escondida como fumar ou beber.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     

Compartilhar