1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[Mini-conto] Pobre garota

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Jorge Guerra, 18 Set 2011.

  1. Jorge Guerra

    Jorge Guerra Usuário

    Bem, esse é meu primeiro post aqui. Não escrevo há muito tempo mas percebi nesse curto período que amo fazer isso então venho aqui disponibizar um mini-conto que escrevi há algumas horas. Ponho-o aqui para que vocês possam avaliá-lo, critícá-lo, enfim, expor sua opinião a cerca dele.

    Pobre Garota​


    Caminho pelas ruas de meu bairro enquanto fumo meu cigarro. Não sei para onde ir, qual caminho seguir, mas sei exatamente para onde vou. Gosto de acreditar que estou perdido. Não sei... Acho que é algo poético. Termino meu cigarro e entro no bar, o mesmo bar que sempre entro e o ponto final de todas as minhas caminhadas. Peço uma garrafa de cerveja e, enquanto entorno a garrafa, olho para o lado de fora do bar. Na rua, uma menina, de não mais que 13 anos, vestindo somente uma saia curta e uma camisa que mais parece um sutiã, pede dinheiro pelas ruas. Seu cabelo é crespo, feio e maltratado. Sua pele é parda e está inteiramente suja. Tudo em sua aparência me faz parecer que ela é feia. Mas assim que olho seus olhos percebo o quão equivocado estou. Seus olhos são intensos, brilhantes, vivos, enquanto tudo ao seu redor está morto. Amo aquela menina, sinto pena dela. Sem ninguém, sem dinheiro, andando por aí com o pouco que tem e lutando diariamente para não pensar em enfiar uma arma em sua cabeça e desistir de tudo. Pobre garota. Se ela tivesse um pai, se eu fosse responsável o suficiente ou corajoso o suficiente para abraçá-la, beijá-la e dizer que posso dar-lhe comida e abrigo, tudo seria diferente. Realmente estou emocionado. Pobre garota. Se ela tivesse a sorte de nascer em um lugar justo ou tivesse a sorte de nascer em uma família bem estruturada, tudo seria diferente. Pobre garota. Levanto-me da cadeira do bar, indo em direção à menina, com alguns trocados na mão. Antes que eu possa chegar perto o suficiente dela para entregar-lhe as moedas, um homem de mau caráter passa de carro e a leva de carro. A menina não tem nada para oferecer em troca do dinheiro, somente seu corpo, e é exatamente isso que ela acaba oferecendo aos outros. E os outros, os adultos, os "exemplos" da sociedade, aceitam e entregam seu dinheiro. Peço mais uma garrafa de cerveja e vou andando de volta para minha casa.
     
  2. alefemartins

    alefemartins Usuário

    Vi que ninguém comentou o teu texto, o que é uma pena pois está muito bom. Talvez o pessoal pudesse ser mais gentil e começar a ler e comentar os textos dos outros (ler e comentar sempre os textos das mesmas pessoas, ignorando os dos demais, é uma atitude bem infeliz). Enfim, gostei muito das imagens. Podes adequar algumas construções frasais e cuidar o uso de pronomes possessivos. Ademais, conseguistes dar vida ao teu personagem. Lembrou-me um pouco de Lolita enquanto lia.
     
  3. Vinnie

    Vinnie Usuário

    Não se trata disso, Alef. Talvez o povo veja que o Jorge só tem um post e que esse post é o seu conto. Daí que podem concluir que o Jorge simplesmente "jogou" o texto dele aqui e deu o fora, ou que a proposta dele não é a de trocar ideias, mas simplesmente divulgar material.... do tipo Spam, saca?

    Eu não penso assim...

    Só uma especulação.. não creio que haja panelinha nem que a galera seja infeliz.

    Mas quanto ao texto:

    Jorge.... Charles Bukowski com duas doses de sentimentalismo e quatro colheres de consciência social.... curti o conto, Jorge... talvez vc pudesse aumentá-lo... algumas repetições poderiam ser removidas "olho", olhos"..... "carro", "carro"... "garrafa...garrafa". Dê uma revisada em outros aspectos tb.... tipo... será que uma garota de 13 anos, que pensa em se matar, iria escolher dar um tiro na cabeça? Talvez fosse se jogar em baixo de um carro.. ela mora na rua, certo? é mais fácil.

    Tente reescrever e aumentar.

    Forte abraço, garoto.
     
  4. alefemartins

    alefemartins Usuário

    É, talvez.
     
  5. JLM

    JLM mata o branquelo detta walker

    só pq vc tá chegando agora vou dar a dik: eu sou 1 dos + antigos aqui na seção prosa e teve época d'eu comentar todos os textos postados, desde os quilométricos até os simples aforismas. lia tudo com gosto, mas comecei a perceber q uns espertinhos ou egocêntricos ñ retribuíam nunk os comentários. só postavam + textos deles e se ngm comentava reclamavam ou sumiam. dae resolvi mudar, agora comento só os q gosto ou os dos q comentam nos meus textos. e vc pode chamar isso d panelinha se quiser, ñ ligo. mas penso q todo aquele q escreve gosta d receber feedback dos seus textos e ñ apenas gerar nos dos outros. afinal, uma mãe lava a outra né.

    capiche?
     

Compartilhar