1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Milk - A Voz da Igualdade

Tópico em 'Cinema' iniciado por Anica, 22 Jan 2009.

  1. Anica

    Anica Usuário

    Direção: Gus Van Sant
    Roteiro: Dustin Lance Black
    Elenco: Emile Hirsch (Cleve Jones), Sean Penn (Harvey Milk), Diego Luna (Jack Lira), Josh Brolin (Dan White), James Franco (Scott Smith)

    Sinopse: A vida de Harvey Milk, o primeiro político assumidamente homossexual na história dos Estados Unidos. Nos anos 70, ele foi supervisor da prefeitura de San Francisco, sendo assassinado em 1978 junto com o prefeito George Moscone.

    Estréia no Brasil dia 06/02/2009

    Trailer:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ***

    Acabei de assistir. Muito, muito bom mesmo. O Sean Penn está brilhante como Harvey Milk, e mesmo os coadjuvantes estão mandando muito bem também. Acho que o que mais gostei foi a forma como a história foi montada. Apesar de manter principalmente uma ordem cronológica, o filme tem alguns flash-forwards indicando a informação básica sobre o protagonista: ele foi assassinado. Acaba prendendo sua atenção para a história, para saber pq diabos isso aconteceu.

    O mais assustador é pensar que bem, é baseado em fatos reais e utiliza algumas imagens reais. E algumas pessoas falam absurdos tão grandes ali, tipo a mulher dizendo que depois dos gays querendo direitos os próximos seriam os ladrões e as prostitutas.

    Muito bom mesmo.
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
  2. clandestini

    clandestini Cylon ou

    Gostei bastante. Sean Penn fez, mais uma vez, um ótimo trabalho. E não tem como não se emocionar com o final.
     
  3. Shaytan

    Shaytan Usuário

    Estou tentando baixar esse filme para assistir no fim de semana, tem cara de filmaço.
     
  4. Daniel Cowman

    Daniel Cowman Usuário

    Esse vou esperar até o dia 20 para assistir! Quero muito ver no cinema!
     
  5. Anica

    Anica Usuário

  6. Liv

    Liv Visitante

    O filme não será dublado então? Consigo ver uma coisa boa aí.
     
  7. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Cara, quando ouvi falar do filme pensei na hora: mais um filme mostrando "minorias" lutando por um espaço, que tédio. Mas conforme fui lendo e vendo que a coisa não é bem, botei na cabeça que tenho que ver o filme. Final de semana vou correndo ver e depois digo o que achei no final das contas.
     
  8. Anica

    Anica Usuário

    Carol, leia a notícia inteira se for comentar, né? :oops:

    ""Não é que [Ribeiro] tenha algo contra homossexuais, é que as pessoas ao seu redor confundem sua profissão de ator com o lado religioso", afirmou Marlene Costa, 55, diretora de dublagem de "Milk", que substituiu Ribeiro pelo ator Alexandre Moreno. "

    Dublagem sempre tem, por causa do dvd. Chegar aos cinemas com dublagem é raro em caso de filmes (o mais comum são as animações ou filmes infanto-juvenis ao estilo Harry Potter e Twilight), então não é bem essa a questão.

    A questão é ter um fulano se recusando a dublar o Milk pela personagem ser gay. É muita ignorância.
     
  9. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Agora que eu li a reportagem, percebi o quão idiota pode ser uma pessoa. Sem querer interferir nem julgar a profissão alheia: é babacagem, para não falar outro nome, esse tipo de comportamento. A meu ver mostra a falta de profissionalismo do dublador. Fica aqui registrada a minha indignação quanto a palhaçada. E falar que ele não tem algo contra homossexuais foi pura hipocrisia, era melhor chegar e falar que o cara é pastor e isso infere a ele a posição de homofóbico (sei que nem todos são).
     
  10. Anica

    Anica Usuário

    Bem por aí, Breno. No final das contas ele quis tirar o dele da reta e aí quis dizer que os fieis dele é que são os homofóbicos, para mim isso soa ainda pior (do tipo "Olha, eu sou legal, o pessoal que vai na minha igreja que não é e eles não entenderão, etc.").
     
  11. Shaytan

    Shaytan Usuário

    Simplesmente ridícula a atitude do sujeito, senso de profissionalismo zero. Realmente foi pior ele se esquivar com a desculpa esfarrapada de que as pessoas ao seu redor é que poderiam confundir as coisas. Preconceito por si só é uma coisa escrota, Preconceito irrustido é pior ainda.
     
  12. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    “You Commie Homo-Loving Sons of Guns!”

    Homofobia é sempre cretina. No entanto, o caso do dublador é um pouco diferente. Por ser pastor, ele seria incoerente se dublasse o personagem. Na verdade, qualquer um que se diz cristão ou judeu (ou seja, leve seu livro sagrado a sério) estaria sendo contraditório em endossar um papel assim, uma vez que intolerância quanto ao homossexualismo é uma condição explícita de sua própria crença:

     
  13. Anica

    Anica Usuário

    Esse tipo de coisa só me faz ainda mais feliz e satisfeita com minha opção de credo :D
     
  14. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Cara, não sou cristão e nem conheço a bíblia de trás para frente, mas não tem nenhum testo nela que diga que um homem deve saber dividir trabalho e religião? Se tiver endosso o coro de quem sita a bíblia...

    E outra coisa, o texto ai deixa claro sobre a condição do "homem" cometer um ato homossexual, não ele interpretar um homossexual... em fim... prevejo um tópico de apedrejamento em praça publica (ou não)
     
  15. Shaytan

    Shaytan Usuário

    Sei que religião, política e times de futebol tendem a gerar polêmica quando dicutidos ^^, mas na minha opinião o mundo estaria melhor se não existissem religiões, com a religião vem o preconceito, fanatismo, dicordância entre umas e outras e os lados bons sempre são deixados de lado.
     
  16. .Penny Lane.

    .Penny Lane. Usuário

    Ah, mas nada a ver alguém seguir cegamente tudo o que a religião diz, assim como interpretar a bíblia ao pé da letra. No caso do cara ser pastor tudo bem,(o que seria da igreja católica se o papa defendesse o uso de camisinha e estudo com células tronco afinal?) mas no caso das outras pessoas é perfeitamente aceitável que não sigam.(apesar de ser incoerente)

    E concordo com o Breno, ele podia ser menos radical, já que só iria dublar o personagem...
     
  17. Devotchka

    Devotchka Usuário

    Como diria Marx (e tantos outros), "A religião é o ópio do povo".
    Sinceramente, continuo achando que o pastor está sendo descaradamente homofóbico.

    Quanto ao assunto principal do tópico, ao menos nos cinemas fuleiros daqui, não chegou.
     
  18. imported_Raphael

    imported_Raphael Usuário

    Realmente, ninguém segue à risca tudo o que a religião diz. Na verdade, a maioria dos teístas desconhece o livro e a doutrina que pautam suas crenças. Você encontra auto-declarados católicos que estão no segundo casamento, usam camisinha ou até mesmo são homossexuais. É o caso de algumas pessoas que criam sua "religião particular" e continuam empregando a denominação genérica. Curiosamente, se você interpelar algum crente a respeito da convicção de que a bíblia é a palavra de deus inspirada pelo espírito santo aos homens, ele provavelmente dirá que acredita em tal afirmação. Se, baseando-se nisso, você perguntar se ele acredita então que alguém pego trabalhando no sétimo dia da semana deve ser morto (como disciplina essa mesma bíblia) ele responderá que não se pode acatar essas coisas cegamente. Ora, por que não? Penso que apóstata é aquele que pretende entender e se expressar melhor que deus (sempre lembrando que o Livro Sagrado, nesse caso, teria sido escrito sob sua inspiração).

    De qualquer forma, não poderíamos mesmo encontrar na bíblia algum trecho exigindo algo como "Qualquer pastor que, além de seu trabalho habitual, deseje dublar a voz de um ator cinematográfico estrangeiro, deverá fazê-lo respeitando devidamente os preceitos de seu próprio credo". Milk apóia direitos dos homossexuais, logo, o pastor em questão estaria indiretamente contribuindo com isso. O verdadeiro teísta, principalmente se líder religioso, deve introduzir o que entende por moral na sua vida quotidiana e profissional. Essas coisas são (ou deveriam ser) simbióticas, não podem ser independentes. Escrevo tudo isso apenas para concluir que a religião é o verdadeiro problema nessa história da dublagem. Os moderados, como já dizia gente feito o Dawkins, Harris e creio que o Hitchens, criam o espaço necessário para atitudes assim (nós comentamos algo sobre eles naquele tópico do Gene Egoísta, Aline). O pastor Marco Ribeiro, tenho de admitir, só foi coerente e idôneo.

    P.S. Marx tinha razão sobre isso, N. O problema é que o velho foi lá e criou outra religião ainda pior. Fazer o quê?
     

Compartilhar