1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

México Insurgente (John Reed)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Palazo, 2 Jun 2011.

  1. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    “Mas sei que lutar é o último recurso a que deve apelar qualquer pessoa. Só quando as coisas ficam ruins demais para suportar, não é? E se vamos matar nossos irmãos, algo de bom deve resultar disso, hein? (...) Vimos o nosso povo pobre, simples, ser roubado por 35 anos. Vimos os rurales e os soldados de Porfírio Díaz matar nossos irmãos e pais, e a justiça lhes ser negada. Vimos nossas poucas terras serem tiradas de nós, e todos nós sermos vendidos para a escravidão. Sonhávamos com nosso lar e com escolas para nos instruir e riram de nós. Tudo que queríamos era que nos deixassem viver e trabalhar e tornar nosso país grande; mas já estamos cansados e fartos de sermos enganados.”

    As palavras acima foram pronunciadas por um homem chamado Ortega, porém expressam a voz do povo mexicano diante dos 35 anos da ditadura do general Porfírio Díaz. A revolução era eminente e ganhou diversos nomes: Francisco Madero, Emiliano Zapata, Pascual Orozco, Victoriano Huerta, Venustiano Carranza, Francisco Villa entre muitos outros que se dividiam entre lutar pelo povo e assumir o poder no México.

    Os fatos da revolução são relatados pelo jornalista John Reed, que passou alguns meses na companhia dos exércitos revolucionários de Francisco Villa. Enviado pela revista Metropolitan, o jornalista norte-americano cobriu a revolução mexicana durante alguns meses de 1913, período suficiente para transpor para seus artigos todo seu olhar perante a revolução, e que deu origem ao livro México Insurgente publicado no Brasil pela Editora Boitempo.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Deve ser um ótimo livro mesmo, hein? John Reed escreveu também aquele Os dez dias que abalaram o mundo, que fala sobre a revolução russa de 17, né?

    Sobre a revolução mexicana, indico veementemente que assistam a dois filmes:

    -
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    (And Starring Pancho Villa as Himself, Bruce Beresford, 2003) - uma produção hollywoodiana com o Antonio Banderas como Pancho Villa. Tem sempre a questão de ser hollywoodiano e tudo o mais, mas é bem legal, conta a história do Pancho de forma bem original.

    -
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    (Elia Kazan e roteiro do Steinbeck!, 1952) - tem o Marlon Brando como Zapata, mostra outra visão sobre a revolução. As estratégias dos revoltosos, a questão da briga pelo mando no grupo, é bem legal.[/align]
     
  3. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Esse mesmo Lucas, e antes mesmo do término da leitura de México Insurgente eu já tinha encomendado o meu Os dez dias que abalaram o mundo. A narrativa é surpreendente e apaixonante.

    Além destes também tem o
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    que é considerado o primeiro filme mexicano sobre sua revolução.
     
  4. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Na faculdade, usamos como base para discutir a Revolução Mexicana, entre outros textos, o do Hector Hernan Bruit que está naquele livro da editora Atual de capa preta com uma pintura muralista na capa, As Revoluções na América Latina. É bem bom, acho que sintetiza bem e dialoga com outras bibliografias historiográficas.[/align]
     

Compartilhar