1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Menino Perplexo (Israel Mendes)

Tópico em 'Literatura Brasileira' iniciado por Izze., 4 Nov 2010.

  1. Izze.

    Izze. What? o.O

    O que menos gosto na poesia geralmente é a rima. Considero que às vezes o poeta se preocupa mais em fazer as palavras combinarem do que fazer a poesia ter algum sentido. Odeio não entender o que está escrito, ou então tirar do texto tão pouca coisa que não me incentiva a tentar pensar sobre ela. Menino Perplexo, de Israel Mendes, reúne poemas que geralmente trabalham a rima. Mas felizmente, seus poemas não só possuem sentido claro como contam de forma simples curtas histórias. Nele, o poeta brinca com a língua portuguesa e com o próprio espaço físico do livro.

    Publicado pela editora Dublinense, Menino Perplexo traz assuntos adultos com a simplicidade infantil. Sem intitular seus poemas, Israel Mendes trabalha com poucas palavras, às vezes com mais versos, e com a diagramação do próprio livro, fazendo poemas invadirem páginas a procurarem por um desfecho.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Pips

    Pips Old School.

    Analisar poesias é possível? Com conhecimento de escolas, métrica e de autores provavelmente é uma tarefa mais fácil para comparar, encontrar referências ou homenagens. Como toda obra que se analisa, crítica ou resenha, a poesia é de fato uma das mais intrigantes, pois não requer somente a leitura silenciosa como a em voz alta para dar uma melhor entonação em estrofes, versos, rimas e fonética – essa última é essencial para não ficar com cara de interrogação (ainda mais se tratanto de haikais).

    O gaucho Israel Mendes em seu primeiro livro, Menino Perplexo, lançado pela editora porto-alegrense Dublinense, consegue tratar a poesia em suas facetas mais variadas. Trabalhando não apenas com a rima ou fonética, mas também com a estética das estrofes e suas posições em cada página dando um charme maior para quem folhear em uma livraria.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar