1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Melhores livros do século XXI (até agora)

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por DiegoMP, 30 Jan 2015.

  1. DiegoMP

    DiegoMP Usuário

    Só porque eu sei que vocês curtem discutir uma listinha.

    Um grupo de críticos americanos escolheu o livro "A Fantástica Vida Breve de Oscar Wao" (Record), de Junot Díaz, o melhor romance publicado até o momento neste início de século 21.
    Os críticos, de veículos como o "New York Times", "Time Magazine", "Newsday", "Kirkus Review" e "Booklist", foram questionados pela seção de cultura do site internacional BBC, citando no total 156 romances.
    O primeiro romance do escritor dominicano radicado nos Estados Unidos, que aborda a vida de um gordo nerd americano de origem dominicana –obra que rendeu a Díaz um prêmio Pulitzer–, ficou no topo da lista da maior parte dos críticos, segundo a BBC.
    Um dos especialistas, Gregg Barrios, comparou o livro a "O Complexo de Portnoy", de Philip Roth, e a série "Coelho", de John Updike, ambas as obras expoentes do século 20.
    O livro foi definido por Barrios um "hábil mash-up da história dominicana, quadrinhos, ficção científica e realismo mágico com notas de pé de página", enquanto o crítico Rigoberto Gonzalez disse que o romance de estreia "re-energizou essas perguntas: quem é americano? Qual a experiência americana?"
    Publicado em 2007 nos EUA, o livro foi editado no Brasil pela Record, que programa edição com nova capa para este ano.
    A lista é quase toda centrada em autores que escrevem em inglês –caso inclusive de Junot Díaz, que vive nos EUA desde a infância. W.G. Sebald, Elena Ferrante e Roberto Bolaño são as exceções.
    Em segundo lugar, na avaliação dos críticos, foi escolhido o romance "O Mundo Conhecido", de Edward Jones, cuja trama se passa no século 19 e conta a história de um ex-escravo que se torna dono de escravos. Em terceiro, veio "Wolf Hall", premiado primeiro romance de Hilary Mantel sobre a vida de Thomas Cromwell.
    Entre as ausências notáveis da lista, estão romances aclamados como "Liberdade", de Jonathan Franzen, e "O Pintassilgo", de Donna Tartt. Dos livros selecionados, apenas um, "Billy Lynn's Long Halftime Walk", de Ben Fountain, não tem editora no Brasil.

    1. "A Fantástica Vida Breve de Oscar Wao" (Record), de Junot Díaz
    2. "O Mundo Conhecido" (José Olympio), de Edward P. Jones
    3. "Wolf Hall" (Record), de Hilary Mantel
    4. "Gilead" (Nova Fronteira), de Marilynne Robinson
    5. "As Correções" (Companhia das Letras), de Jonathan Franzen
    6. "As Incríveis Aventuras de Kavalier & Clay" (Companhia das Letras), de Michael Chabon
    7. "A Visita Cruel do Tempo" (Intrínseca), de Jennifer Egan
    8. "Billy Lynn's Long Halftime Walk", de Ben Fountain
    9. "Reparação" (Companhia das Letras), de Ian McEwan
    10. "Meio Sol Amarelo" (Companhia das Letras), de Chimamanda Ngozi Adichie
    11. "Dentes Brancos" (Companhia das Letras), de Zadie Smith
    12. "Middlesex" (Companhia das Letras), de Jeffrey Eugenides
    13. "Americanah" (Companhia das Letras), de Chimamanda Ngozi Adichie
    14. "Austerlitz" (Companhia das Letras), de W.G. Sebald
    15. "L'Amica Geniale" (no prelo pela Biblioteca Azul), de Elena Ferrante
    16. "A Linha da Beleza" (Nova Fronteira), de Alan Hollinghurst
    17. "A Estrada" (Alfaguara), de Cormac McCarthy
    18. "NW" (Companhia das Letras), de Zadie Smith
    19. "2666" (Companhia das Letras), de Roberto Bolaño
    20. "O Grande Incêndio" (Companhia das Letras), de Shirley Hazzard

    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Putz, não li nenhum até agora. :lol:
     
  3. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    só li

    7. "A Visita Cruel do Tempo" (Intrínseca), de Jennifer Egan
    9. "Reparação" (Companhia das Letras), de Ian McEwan
    13. "Americanah" (Companhia das Letras), de Chimamanda Ngozi Adichie
    17. "A Estrada" (Alfaguara), de Cormac McCarthy

    e as três primeiras partes de
    19. "2666" (Companhia das Letras), de Roberto Bolaño

    e tenho wolf hall e middlesex no kindle tem mó tempo, vivo começando e largando :oops:
     
  4. matheuslol

    matheuslol Usuário

    também não li nenhum haha, mas só de ver isso "A lista é quase toda centrada em autores que escrevem em inglês –caso inclusive de Junot Díaz, que vive nos EUA desde a infância. W.G. Sebald, Elena Ferrante e Roberto Bolaño são as exceções." eu já sei que é uma lista muito limitada. Mas vou procurar o "Middlesex", "O Mundo Conhecido", "NW" e "A Fantástica Vida Breve de Oscar Wao" que já tinha ouvido falar antes. "2666" vou ler futuramente (depois de ler detetives selvagens pretendo ler quase tudo do Bolaño :lol:)
     
    Última edição: 30 Jan 2015
  5. Lindoriel

    Lindoriel Saurita Catita

    Não li nada também. Só ando lendo livro mais antigo...
     
  6. Haleth

    Haleth Call me Bolga #CdLXI

    Haha, que povo apressado! Ainda falta tanto para o século acabar! Vamos ver quantos desses conseguem se manter na lista até 2101... Quer dizer, não vamos ver :-(
     
    • LOL LOL x 1
  7. DiegoMP

    DiegoMP Usuário

    Só li Reparação que eu acho MUITO bom e A estrada que acho bacana mas nada de especial.

    Na lista a Zadie Smith aparece duas vezes, por Dentes Brancos até entendo mas o NW eu ouvi várias pessoas dizendo que não era lá essas coisas. O Michael Chabon com esse livro aí me surpreendeu, sabia da existência mas nunca tinha ouvido qualquer opinião sobre. A Hilary Mantel também foi outro nome que me pegou de surpresa, nunca prestei atenção na obra dela.
    Um detalhe que eu gostei dessa lista foi o Franzen figurando com o Correções e não com o Liberdade que é beeem mais badalado. Quem leu os dois parece ter gostado muito mais das Correções mesmo, tenho comigo que Liberdade seja um livro que fale mais aos americanos do que ao resto do mundo.
    A Chimamanda agora que tem feito barulho por aqui, o hibisco roxo até teve alguma repercussão mas creio que o mais chamou atenção foi o Americanah.
     
  8. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    essa coisa de aparecer duas vezes, eu normalmente imponho como regra em elaboração de lista não repetir autor justamente para dar uma variedade maior. :dente:

    sobre a hilary mantel, ela ganhou o man booker pelo wolf hall em 2010 e depois em 2012 pela continuação, bring up the bodies. aliás, wolf hall ganhou
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    recentemente. mas é isso que sei. só entrou no meu radar pelos prêmios, mas não é nada que tenha prendido minha atenção nas vezes que tentei começar a ler.

    a GQ publicou uma lista parecida. mas como é uma revista masculina, há uma notável falta de mulheres, há.
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  9. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Ué, sempre achei que fosse o contrário.
     
  10. matheus apc

    matheus apc Usuário

    mais alguns para a "listinha" de compras.
    to esperando isso virar moda em outros países.
     
    • Ótimo Ótimo x 1
  11. DiegoMP

    DiegoMP Usuário

    Mesmo? Liberdade chegou aqui como o melhor livro de 2011 ou 2012 (não lembro o ano agora) lá nos EUA. Deu até gringo falando que era o romance do século. Já o Correções começou a ser lido mesmo por aquela coisa de ser livro do mesmo autor, tanto que aquela capa do frango é raro de achar, mas se encontra fácil aquela edição com capa de bairro feliz que foi relançamento da Cia pós o Liberdade.
     
  12. Bruce Torres

    Bruce Torres Let's be alone together.

    Eu tenho essa capa. Comprei por uns R$ 10. :lol:
    Mas sim, eu tinha ouvido falar que o "As Correções" era o magnum opus dele, embora também tivesse ouvido grandes elogios a "Liberdade".
     
  13. Calib

    Calib Visitante

    "A linha da beleza" e "Gilead" eu já encontrei num bazar a R$ 2,00...
    Mas nunca tinha ouvido falar na época e achei que era bomba. :-?
     

Compartilhar