1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Melhor Filme de Drama [4º Combate]

Tópico em 'Cinema' iniciado por Vëon, 12 Mai 2012.

?

Qual é o melhor?

Enquete fechada 17 Mai 2012.
  1. Fale com ela (Hable con ella, 2002)

    58,8%
  2. O Sétimo Selo (Det Sjunde Inseglet, 1957)

    41,2%
  1. Vëon

    Vëon Do you know what time it is?

    QUAL É O MELHOR?

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    - Melian
    ou
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    - Éomer

     

    Arquivos Anexados:

  2. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    Almodóvar :amor:
     
  3. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Bergman :obiggraz:
     
  4. Ivo Basay®

    Ivo Basay® Banned

    Hable con ella
     
  5. adrieldantas

    adrieldantas Relax and have some winey

    Eu, AMOdóvar.
    :sacou:
     
    • LOL LOL x 2
  6. Quickbeam

    Quickbeam Rock & Roll

    Assisti Fale com Ela apenas uma vez, há quase 10 anos, mas o filme me marcou demais. Tinha gostado bastante de Tudo Sobre Minha Mãe (o primeiro filme que assisti do diretor), mas foi depois de ver Fale com Ela que virei realmente fã de Almodóvar. A forma como os temas aparecem e vão se entrelaçando, os paralelismos, aquele momento surreal e divertido do Amante Minguante.

    Enfim, por mais que tenha gostado de O Sétimo Selo, vou ter de votar em Fale com Ela. Dos poucos que conheço do Bergman, apenas A Fonte da Donzela mudaria meu voto.
     
  7. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Eu fiquei na dúvida.

    Assim como disse o Quickbeam, Fale com Ela é um filme top de um grandíssimo diretor autoral como o Almodovar (apesar de ainda preferir Tudo sobre a minha mãe). Lembro que quando assisti, quase pensei num conto de fadas na vida real, com a história da bela adormecida, mas que não vai acordar apenas porcausa do principe encantado, a gravidez durante o sono (a versão sombria), etc.

    E o Sétimo Selo me decepcionou um pouquinho quando assisti, dado o hype com que fui assistir. As cenas são belamente dirigidas e captadas, mas o envolvimento que ele causa não é tão profundo quanto eu achei de Persona, por exemplo.


    Dificil.
    Depois voto.
     
  8. Excluído046

    Excluído046 Banned

    O meu post terá alguns spoilers. Se não viu Fale com ela, recomendo que deixe para ler isso aqui depois, ok? Não tem como eu colocar tudo na tag spoiler porque "quebra" o ritmo do texto. Mas sou legal e tô avisando.

    Gosto de O sétimo selo. É um bom filme. Jogar xadrez com a morte é algo que fazemos todos os dias das nossas vidas. A dança com a morte é algo que ficou marcado para sempre em quem quer que tenha visto o filme, etc. Bergman fez um ótimo trabalho. E quando se fala em filme da década de 50, dou a Bergman o que é de Bergman. Até coloquei O sétimo selo na minha listinha do Consenso. Mas, quando se trata de uma disputa baseada na pergunta "qual é o melhor filme de drama?", acho Fale com ela infinitamente superior.

    Tudo sobre minha mãe era o meu Almodóvar preferido. Acho o filme de bom tom, não comedido, mas vívido. Sinto a presença do desespero, e da denúncia, em cada take do filme. Quando o Agrado explica o porquê da escolha desse nome, sinto um nó na garganta. E acho belíssima a inserção de Um Bonde Chamado Desejo no filme. Peça foda (não vou falar do filme foda, porque me recuso a falar o nome do filme em Português XD)

    Mas, como eu disse, Tudo sobre minha mãe ERA o meu Almodóvar preferido, até que veio Fale com ela e ocupou o lugar. Gosto do roteiro, gosto da direção (oh! really, putinha do Almodóvar?), gosto da montagem, gosto da fotografia, piro nos enquadramentos MÁGICOS, adoro os atores, etc. O filme é de uma sensibilidade ímpar. Vi no Cinema, e chorei, chorei, chorei mais do que todas as personagens que choram no filme juntas. Chorei porque era preciso, chorei porque foi o meu jeito de falar com o filme como ele falou comigo. Não vou falar do clássico curta que abrilhanta o filme com contornos surrealistas. Não vou falar sobre como a metalinguagem é algo fascinante se usada devidamente (a clara influência de Fritz Lang, D.W, Griffith e F. W.Murnau, no curta, de sete [?] minutos, feito pelo Almodóvar, é algo digno de palmas. Aliás, palmas, também, para essa linda homenagem ao cinema mudo, que foi Amante Minguante, né? E sobre como o curta se encaixa perfeitamente ao propósito do filme, não é? Ele não se trata apenas do desejo do homem de entrar no corpo da mulher, de estar todo dentro dela, mas aborda, sutil e perversamente, o momento em que Benigno "estupra" Alice OPA! Eu disse que não falaria sobre o curta!).

    Não vou falar sobre como o Caetano não fez merda no filme (e conseguiu me emocionar). Mas falarei sobre a necessidade de dizer algo e a impossibilidade de fazê-lo. Porque o filme, como bem disse o Almodóvar, é sobre a solidão e a comunicação. E bem no estilo Almodóvar de fazer filmes, percebemos a busca por um ponto em que os papéis femininos e masculinos sejam redefinidos. Engana-se quem pensa que há alguma estabilidade no filme. Nada fica parado no filme, tudo está, tal qual a câmera, em movimento. Uma das personagens é toureira (uma profissão tipicamente masculina). Um dos personagens é enfermeiro. E eu gosto bastante é que, geralmente, mulheres são descritas, apresentadas como pessoas que falam absurdamente. As mulheres, neste filme, não falam, são faladas, nas e pelas imagens. Os homens falam loucamente, mas falam para quem? Sobre quem? Sobre as mulheres inertes e em coma (Alicia e Lydia)? Sobre o amor que sentem por elas? Ou falam sobre eles próprios?

    Os espetáculos inseridos no filme não estão lá aleatoriamente. O belíssimo Café Müller, de Pina Bausch é como uma cortina que se abre para a exibição do filme sugere a própria condição das mulheres do filme, que se encontram em um estado de não vida (com os olhos fechados, e suas almas lacradas pelo sofrimento). E o fim do filme, com Musarca Fogo, é o fechar das cortinas depois do brilhante espetáculo. É como o fechar das cortinas da vida. Todos morremos sozinhos, mas não precisamos viver sozinhos. Quando você acorda, a vida está falando com você. Fale com ela. Quando você se levanta, a vida está falando com você. Fale com ela. Quando você lê um livro, a vida está falando com você. Fale com ela. Quando você vê um filme e gosta muito, a vida está falando com você, fale com ela. Quando você ouve uma música, e se lembra da clássica frase "sem a música, a vida seria um erro", a vida está falando com você. Fale com ela. Quando você tem pessoas as quais pode chamar de amigas, a vida está falando com você. Fale com ela. Se você tem pessoas pelas quais nutre um sentimento imenso, mas não tem coragem de dizer-lhes, FALE COM ELAS.
     
    Última edição: 14 Mai 2012
    • Ótimo Ótimo x 2
    • Gostei! Gostei! x 1
  9. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Fale com Ela é um belíssimo filme. Almodóvar realmente mandou muito bem, em vários sentidos. A atuação do Javier Cámara é digna de nota.

    Mas O Sétimo Selo é superior, IMHO. Assisti-lo foi uma experiência marcante, em vários aspectos.

    O que dizer desta cena, especialmente a partir dos 6 minutos?:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Poucas passagens na história do cinema conseguem ser tão tocantes, tão belas. As palavras do Antonius Block, a sua satisfação e a maneira como, diante de algo tão simples, a morte simplesmente deixa de lhe preocupar. Ele sorri para a morte, ri dela.

    Se eu estivesse com dúvidas, elas teriam desaparecido por completo agora.
     
    Última edição por um moderador: 6 Out 2013
    • Gostei! Gostei! x 2
  10. Excluído046

    Excluído046 Banned

    Que grata surpresa. Gostei, mesmo, de Fale com ela ter passado. Eu pensei que ele não conseguiria passar.
     
  11. Fëanor

    Fëanor Fnord Usuário Premium

    Pena O Sétimo Selo ter caído logo de cara =(
     
  12. Éomer

    Éomer Well-Known Member

    Ah, mas foi uma derrota para um filme foda. Poderia ter perdido para uma pereba qualquer aí.
     
  13. Excluído046

    Excluído046 Banned

    Isso aí, Éomer, perdeu para um filme FODAPRACARALHOAIMEUDEUSDOCÉU!

    P.S.: colocar foda, caralho e Deus na mesma frase... você está fazendo isso errado.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
    • LOL LOL x 1

Compartilhar