1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Medicina (UFRJ) diz não às cotas

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Ecthelion, 19 Ago 2004.

  1. Ecthelion

    Ecthelion Mad

    Medicina diz não às cotas

    Ruben Berta

    Depois de o Conselho de Ensino de Graduação ter vetado a implementação de um sistema de cotas na UFRJ para o vestibular deste ano, uma deliberação divulgada no fim da semana passada no site da Faculdade de Medicina mostra o tamanho da resistência que o tema encontra na maior universidade federal do Brasil. Pela primeira vez no país, a congregação de um curso se manifestou publicamente contra qualquer tipo de reserva de vagas. A alegação é que a medida pode afetar diretamente a qualidade do ensino, que em cinco edições do Provão só obteve o conceito A.

    — Com as cotas, só aumenta o risco de a precariedade do ensino básico se refletir no ensino superior. No curso de medicina, especificamente, os alunos precisam se dedicar por seis anos em tempo integral à faculdade, o que implica muitos gastos com livros, alimentação. Hoje, praticamente não temos evasão, uma realidade que mudaria muito com a reserva de vagas. Já nos dois primeiros períodos, a falta de preparo dos alunos seria um baque — afirmou o diretor da Faculdade de Medicina da UFRJ, Almir Valladares.

    A votação da deliberação foi feita no fim do mês de julho e reuniu 32 membros da congregação, entre professores titulares, chefes dos dez departamentos, representantes de funcionários e alunos. Todos os presentes foram contra qualquer proposta de reserva de vagas na Faculdade de Medicina.

    Apesar de não ter poder direto na decisão final da universidade, a sugestão dada pela congregação seria que a UFRJ oferecesse cursos preparatórios para que alunos carentes pudessem ingressar por mérito no ensino superior.

    — Sempre trabalhamos com o mérito para o ingresso na universidade e mudar isso vai ser muito difícil. Nosso padrão vai deixar de existir. O foco precisaria ser a qualidade do ensino básico — comenta o diretor-geral do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, Amâncio Paulino de Carvalho.

    Representante do MEC pedirá reunião

    No início do ano, a Reitoria da UFRJ chegou a apresentar uma proposta de reserva de 20% das vagas do vestibular para alunos de escolas públicas, que ainda não vingou internamente. Entusiasta da democratização do acesso à universidade, o reitor Aloísio Teixeira disse, através de sua assessoria de imprensa, que “respeita a decisão da congregação e que cada colegiado tem o direito de se manifestar”.

    A atitude tomada pela congregação também vai na contramão do pensamento do governo federal, que encaminhou este ano ao Congresso um projeto de lei prevendo cotas raciais e para estudantes que tenham cursado o ensino médio na rede pública, com uma reserva de 50% das vagas nas universidades federais. Representante do Ministério da Educação (MEC) no Rio de Janeiro, William Campos disse que pretende convocar uma reunião com o colegiado da medicina:

    — Uma decisão como esta me parece precipitada e preconceituosa. O próprio projeto do governo federal prevê que cada universidade terá 240 dias para implantar o sistema de cotas após a aprovação no Congresso. Ou seja, a discussão do tema é muito importante. Pretendo me reunir com representantes da faculdade para expor a nossa visão.

    Na Uerj, rendimento de cotistas foi pior

    Na Uerj, o sistema de cotas já vem sendo implantado há dois vestibulares e um estudo divulgado recentemente pela universidade mostrou que a maior diferença no índice de reprovação por notas tem sido exatamente no Centro Biomédico. Entre os cotistas, a média foi de 8,21%, enquanto entre os não-cotistas foi de 1,84%.

    Mas para o frei David dos Santos, coordenador da ONG Educafro, que reúne cursos pré-vestibulares para alunos carentes, tanto a decisão da UFRJ de não adotar as cotas este ano quanto a deliberação da congregação da medicina representam um grande retrocesso:

    — A UFRJ sofre atualmente com uma grande falta de coesão. Cada um puxa para um lado e a implantação das cotas não anda. Acho que a universidade deve ter toda a autonomia para decidir seu conteúdo acadêmico, mas não deveria ter autonomia para excluir alunos.

    Negro e morador de Bangu, na Zona Oeste, enquanto cursava a Faculdade de Medicina da UFRJ na década de 70, o hoje médico da Fiocruz Hermano Albuquerque de Castro, de 46 anos, não tem dúvidas ao criticar a decisão da congregação. Segundo ele, a atitude só representa a intenção de a faculdade se manter restrita a uma elite:

    — É claro que precisamos melhorar o ensino básico, mas é preciso uma medida imediata. Se houvesse uma política de apoio, com cursos extras, o sistema iria vingar.

    Formado pelo Colégio Estadual Souza Aguiar, no Centro, Hermano ainda se lembra bem dos tempos em que trabalhava, estudava e ainda fazia aulas de reforço num pré-vestibular em que conseguiu bolsa integral para chegar à tão sonhada Faculdade de Medicina da UFRJ:

    — Durante todos os anos de faculdade, só conheci um ou dois colegas com um perfil igual ao meu. Foi um esforço tremendo para chegar lá, mas meu pai sempre dizia que tinha duas opções: ou estudava muito e virava médico ou ia ser peão de obra.

    Criada em 5 de novembro de 1808, com o nome de Escola de Anatomia, Medicina e Cirurgia, a Faculdade de Medicina da UFRJ é hoje uma das maiores do país. Pela unidade no campus do Fundão passam 1.500 alunos por período, que utilizam o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho em suas aulas práticas.

    Fonte: O GLOBO
     
  2. Dragus

    Dragus Usuário

    Aplausos para a Congregação da UFRJ.

    :obiggraz: :obiggraz: :obiggraz: :obiggraz: :obiggraz:

    Indo na contramão do eleitorado e da política populista que reina nesse país.

    Sou contra o sistema de cotas nos mesmos termos defendidos pela congregação.
     
  3. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Finalmente uma instituição desse porte toma uma atitude lúcida. :clap:
     
  4. K''

    K'' Usuário

    Palmas pra UFRJ pq? Pq vetou a entrada de negros e gente com ensino deficiente na "pomposa" faculdade de medicina? Não resolveu , nem vai resolver nada.Tão mais é preocupados com nota de provão pelo visto.

    O ensino básico continua deficiente, cada vez mais gente chegando, cada vez menos oportunidade, cada vez mais essa segregação de "vc pra lá e eu pra cá", um dia essa porra toda cai de podre.

    Peito é o governo colocar um cara desses na escola ou universidade e ter condições de mantê-lo lá se o mesmo não puder continuar.E não uma instituição federal querendo bancar a parruda e ir contra uma decisão dessas.

    Inclusive a nossa constituição garante direitos iguais pra todo mundo...coisa que não acontece.O cara pobre e fudido teria,em teoria, direito a mesma educação e saúde que o resto.Mas as leis , pelo visto,servem pra nego em Brasília assoar o nariz.Se o estado não tá conseguindo colocar o ensino médio num patamar descente eles tentam solucionar abrindo a faculdade....o que não resolve nada....mas já é uma ajuda pra esse pessoal que tb tem sonhos de ser alguém um dia e, por ser um fudido, não pode.

    É mta burocracia envolvida nessa história.Isso ainda vai cair de podre, anotem.
     
  5. Metz

    Metz ...

    :clap: isso aí :clap:


    Eles não devem dar lugares de graça, devem melhorar o ensino publico, mesmo q demore um pouco.
     
  6. K''

    K'' Usuário

    Acho que vc não acompanhou o raciocínio , camaradinha.

    Como que um cara que não tem acesso a mesma educação que vc vai entrar numa universidade?

    Falar que merece entrar quem tem mérito é papo de filho bem alimentado de papai.Até pq vestibular não avalia porra nenhuma.Só tá lá pra encher linguiça.
     
  7. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    De vez em quando surge alguém com bom senso para falar acerca desse assunto... :obiggraz:

    As Cotas são o maior fantasma da Classe Média.... que coisa... :dente:

    "Melhorem o ensino público!"

    Claro, claro... :roll:
     
  8. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Bom senso porque concorda com você, Ka Bral?

    Olha, sem querer ser chato o problema não se limita a questão de vagas. O problema é a qualidade do aluno que entra na faculdade. Me desculpa, já discuti isso com você antes, não é na faculdade de medicina que um cara que não sabe o que é o aparelho respiratório vai aprender isso e tudo o que tem que aprender no curso que já é integral pra pessoas bem preparadas.

    Pesadelo pra mim não é. Já estou acabando minha segunda faculdade. Mas com certeza, se estivesse começando uma, acabaria por evitar fazer trabalho com os alunos em função do processo de ingresso deles na faculdade. Preconceito? Não, apenas ia querer me assegurar de que não iria ter que ajudar ninguém a recuperar anos perdidos e poder me dedicar ao curso.

    E, sinceramente, achar que o nível do curso não ia cair é tolice.

    A decisão foi dos professores. Eles não se preocupam com o vestibular em si, mas com o tipo de aluno que entra. :wink:
     
  9. K''

    K'' Usuário

    Deixa de ser cego que pro governo sai muito mais barato abrir cotas na universidade do que reformular o ensino fundamental e médio inteiro...é de graça!! Abrir cota não custa absolutamente nada pra união!!!

    NUNCA que vão melhorar o ensino médio.....DUVIDO.Isso aqui é Brasil, não é Suíça.Vamo falar francamente po....pq saber do que o país precisa ou não até um pirralho pré-adolescente sabe.....mas tb sabemos o que NUNCA vai acontecer, por motivos óbvios.

    Que qualidade do aluno meu ovo....vestibular avalia alguém pra ser médico?? desde qndo?? Onde que aquela decoreba fdp avalia alguém?? Se fosse assim que se criasse uma prova de aptidão pra ver quem merece ou não ser médico.Entra na faculdade de medicina os mais nerds....e não necessariamente os que tem melhor desenvoltura pra serem médicos.

    F*da-se a UFRJ tb pq nunca gostei de lá....só nego se achando Deus naquela reitoria.
     
  10. Omykron

    Omykron far above

    não é atoa q Ciencias da Computação é um dos cursos com maior numero de vagas ociosas na UnB
    nego axa q CC é chegar, aprender a mexer com isso, aquilo, e fazer jogos tipo CS e virar milhonario. na hora q ve que tem 80% do curso de matemática, 65% do de fisica, e mais teoria de programação, do be a ba, nego desiste, entram 40 alunos por semestre, apenas 3 se formam.
    já vi nego que aprendeu C, C++ Java, tudo lendo livro na net, fuçando pc, e não consegue passar na prova do vestibular normalmente por causa de outras provas.
     
  11. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Avalia, de forma errada mas avalia. Ajuda, mesmo que não da forma ideal, a filtrar pessoas com um mínimo grau de instrução, sobretudo para cursos como medicina. Quem entra tem, na pior das hipóteses, um português razoável, e conhecimentos básicos de química e biologia. Vestibular pode não ser a décima maravilha, mas a cota é oba oba.


    Como falei, aptidão o cara descobre na faculdade. Mas fundamentos ele tem que ter. Ou então que tal jogar o ensino fundamental e médio pela janela e começar a admitir na faculdade crianças de 5 anos?


    Você é beneficiário de cotas?
     
  12. Dante Aqueronte

    Dante Aqueronte Usuário

    Não, assim como o vestibular não me avaliou pra ser advogado. Mas se eu não tivesse estudado pra ele e não tivesse os conhecimentos mínimos de português, redação e estrutura de texto que isso me deu, teria me fufu faz muito tempo. Cê acha que eles ensinam divisão silábica ou o básico sobre as mitocondrias na faculdade? Isso é pré-requisito, se você não sabe não consegue nem entender do que o professor tá falando.

    Nego se achando Deus tem em qualquer lugar, principalmente em universidade, filho. Aliás, até aqui no Mackenzie, uma entidade supostamente filantrópica, tem mais professores e diretores fdps por metro quadrado do que em muitos lugares de São Paulo.
     
  13. K''

    K'' Usuário

    1- O alunos que tão sendo beneficiários de cotas não são uns imbecis como pelo visto vcs tão achando que eles são.Tão ai falando que os caras não sabem o que é uma célula ou aparelho respiratório como se a maioria deles fossem uns semi-mongos...vcs acham o que....que os caras são umas mulas? Eles só não tem capacidade de disputar um vestibular no mesmo nível que alguém que tem papai pra bancar cursinho, colégios particulares bons e etc.

    Eu me tomo de exemplo , pois estudei 4 anos pra fazer vestibular de medicina que nem um cachorro.Fazia cursinho de noite, estudava de tarde e de manhã ia pro colégio.Sempre frequentei colégios particulares minha vida toda.E nem assim consegui ingressar devido a média alta que o curso requer.Isso quer dizer o que? Que eu sou um burro incapacitado pra ser médico? Num f*de né..?


    2- Se vc pegar a média de ingresso do curso de Medicina e comparar com a de outro curso menos disputado, vai ver uma diferença brutal.O que significa isso? Que pra outras carreiras vc pode ser mais burro que pra medicina? Não....pq pra medicina é mais alta pq todo mundo quer ser médico.


    3- Como eu disse....esse sistema de cotas é ilusão.Ainda que eu seja à favor da entrada do pessoal que se f*de, não por culpa deles mas por culpa do governo, nas universidades a fim de serem alguém na vida também, direitos iguais garantidos na constituição, eu sei que tudo é enrolação.Pra união sai mto mais barato dizer que abriu cotas pro pessoal menos favorecido do que reformular o ensino médio e fundamental inteiro desse país......isso NUNCA vai acontecer.O que acontece é que a maioria das pessoas pelo visto caga pra isso." Ahh...eu entrei na minha faculzinha..eba....se fode ae quem não entrou...hehe ", enqto a bola de neve só cresce.Ficar falando que o Brasil precisa de ensino, saúde e educação todo mundo fala....é que nem em véspera de Copa do Mundo, todos na rua, técnicos da seleção, que gostam de ficar escalando seu próprio time.Infelizmente o brasileiro é mal informado políticamente sobre seus direitos e como cobrá-los....e pelo visto não se importa muito_Ou pq tá contente com o que tem e tem medo de perder.....ou pq tá passando um futebolzinho na TV.
     
  14. Nob

    Nob Usuário

    O aluno não precisa ter grandes noções (supostamente necessárias) de algumas matérias para ingressar no curso superior. A maioria do vestibular é "ser esperto", não "ser inteligente".

    Dizer que qualquer um pode entrar na faculdade por mérito é quase o mesmo que dizer que toda a população tem oportunidades de emprego.

    Mas, é claro, esse sistema de cotas é ilusório. Já cansei de repetir nesse fórum que devem pensar um pouco mais (isto é, muito mais) para implementar algo mais justo. E isso é possível com cotas, sim!

    Se eles não se preocupam com o vestibular, não se preocupam com o tipo de aluno que entra.
     
  15. Swanhild

    Swanhild Usuário

    Isso é falta de informação desse pessoal. Arquitetura por exemplo tem prova de aptidão para entrar, além do vestibular. Se o cara não souber desenhar nada, ele tá fora. Agora imagine se, para Computação, fora o vestibular tb tivesse uma prova de aptidão para saber quem tem condição de entender lógica de programação? Ia ter nego que num ia gostar. Por ser "elitista", "discriminatório" e estas coisas todas. Porque afinal de contas, todos os brasileiros são iguais perante a lei e todos têm o direito de entrar na faculdade para tentar aprender coisas para as quais eles não têm a menor inclinação ou não tiveram o menor preparo quando jovens. E claro, isso ao redor 18 anos, uma idade em que a maioria esmagadora das pessoas economicamente ativas tem todo o tempo do mundo para fazer experiências com suas vidas, já que nossa economia vai muito bem obrigada e permite que homens feitos empreguem seu vasto tempo ocioso dessa forma.

    Gente, faculdade é lugar para se capacitar pessoas, não um serviço social. Distorça-se ou mude-se isso (pode-se mudar isso, né, se a sociedade resolve que não quer bancar um ensino "elitista"...) e em vinte anos o ensino público de qualidade acaba -- exceto para quem puder pagar uma boa escola particular, onde o aspecto social do ensino só terá interesse pro departamento de marketing... :lol:
     
  16. K''

    K'' Usuário

  17. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Ah é? =)
    Dado curioso. Depois da implementação das cotas, teve aluno ingressando em curso disputadíssimo após acertar apenas, e eu enfatizo, apenas 4 questões em 120. Não que o cara seja um "imbecil", mas um chipanzé faria melhor.


    Então a questão é pessoal né? :think:


    Sim, todo mundo quer ser médico. A peneira é enorme.
    É como eu falei: O vestibular não é perfeito, mas algum tipo de peneira ele faz sim. Não digo que quem não passe em um vestibular disputado seja necessariamente burro, mas quem passa certamente não é. E a peneira vai pro espaço quando um sistema não meritório é implementado. Faculdade não é creche nem instituição de assistência social, nem se propõe a ser.


    Aí chegamos em um consenso.


    :think: Creio que o "se f*da o outro é compartilhado por todos, é cultural nosso sabe? Tanto da parte de quem entra quanto da de quem fica de fora. É só uma questão de oportunidades pra mandar os outros se f*derem. Triste, mas é?


    Sabe que isso até tem melhorado? Já foi bem pior. O papel de ópio coletivo do futebol ainda é uma praga, mas já não é mais tão efetivo. À passos de tartaruga pelo menos alguma coisa tem que melhorar nesse país. =/


    Tinha que ser... :roll:
    Eu vou ser mais claro pra você entender: o foco dos professores está em impedir que saia entrando qualquer um despreparado dentro da faculdade. Eles não estão tentando necessariamente defender o sistema do vestibular, e sim impedir que esse paliativo tolo seja implementado lá permitindo que qualquer zé entre. É mais pra impedir que a medida populista engana-trouxa ferre com a faculdade do que com o vestibular em si.

    PS: Medicina é um curso caro. :)
     
  18. K''

    K'' Usuário

    Isso é vago_Onde e qual curso? Medicina é que não foi.

    Não tem nada a ver com problema pessoal com a UFRJ ai em cima.Me coloquei de exemplo pra mostrar que tive oportunidades, estudei pra cacete e mesmo assim não consegui entrar.Isso não quer dizer que não poderia ter sido um excelente médico_Onde que o vestibular avalia isso em mim?
     
  19. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Desenho Industrial, UERJ, vestibular 2002. :wink:


    Vou repetir. O vestibular não separa os bons dos ruins, mas aqueles que separa com certeza tiveram boa formação acadêmica. Não é o ideal, pelo contrário, mas pelo menos assegura que os que entrarem tiveram um primeiro e um segundo graus de qualidade.
     
  20. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Só para lembrar que são necessárias as cotas (por enquanto) pois não somos iguais perante a lei.

    As cotas não são para mim, mas para o negro pobre.

    Segundo pesquisa feita na UERJ, a média dos cotistas foi maior do que a dos não-cotistas; não tenho agora aqui o link, mas posso disponiblizar para quem duvida.

    Branco pobre e negro pobre não são iguais.
     

Compartilhar