1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Mecanismos Internos - Ensaios sobre literatura (2000-2005) (J.M. Coetzee)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 9 Abr 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Já se tornou um lugar-comum falar da escrita depurada, seca, direta do escritor sul-africano J. M. Coetzee, prêmio Nobel de Literatura 2003 (Cristovão Tezza propagou essa lista até a exaustão, mas não só ele). Ainda que tais afirmações precisem ser matizadas ((Há um certo de um impulso “romântico” em muitos de seus livros e personagens, que quase sempre leva a um momento de estranho desconforto e mesmo de uma “pieguice” – basta lembrar do jovem escritor de Juventude, querendo fazer poemas de amor ou, num caso mais radical, as inspirações byronianas de David Lurie, em Desonra, inspirações que estão sempre lá para justificar suas piores ações.)), podemos dizer que o fundo de verdade contido nessa classificação corriqueira se mantém na mais recente compilação de textos críticos de sua autoria, intitulada Mecanismos Internos: Ensaios sobre Literatura (2000-2005). A busca pela palavra justa e rigorosa – não tanto no sentido da palavra “correta”, mas no sentido do termo que faz justiça ao que está sendo dito – é lançada em novas águas aqui, e em direção a outros autores, a outros textos, ao textos dos outros. Apesar do “ensaios” no subtítulo, o certo é que esse volume reúne, em sua maior parte, críticas escritas para a New York Review of Books. Mas “críticas” no sentido forte: Coetzee realmente se esforça para compreender e analisar as mais diversas obras a partir do próprio projeto daquele autor específico. Dá, de fato, a sensação de ter lido tudo do e sobre o escritor em questão. E, se fossemos sublinhar uma fórmula que perpassa toda essa coleção seria essa: rigor para com o livro, generosidade para com o leitor.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar