1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Mappin, Antarctica, Matarazzo: reveja prédios antigos de grandes empresas

Tópico em 'Nostalgia' iniciado por Fúria da cidade, 6 Jan 2016.

  1. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    A loja do Mappin da praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo, foi inaugurada em 1939 e se tornou ponto de encontro da elite da cidade. Os departamentos eram divididos nos vários andares do prédio, interligados por elevadores
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Paulo Giandália/Folhapress

    O prédio do Mappin (São Paulo), a fábrica da Antarctica (Ribeirão Preto), a torre da Telepar (Curitiba). Prédios que abrigaram lojas e sedes de grandes empresas se tornaram ponto de referência em suas cidades no passado.

    Muitos deles, hoje, estão abandonados; alguns pertencem a outras companhias. Isso não impede que permaneçam na memória dos mais saudosistas.

    O Mappin da praça Ramos, no centro de São Paulo, ainda é reconhecido por muitos paulistanos. Ele reuniu a elite da cidade a partir de 1939 e atraiu milhares de consumidores para as famosas liquidações.

    Comprado pelo empresário Ricardo Mansur nos anos 1990, o Mappin foi à falência. Seu famoso prédio chegou a sediar uma unidade do Extra. Hoje, funciona ali uma loja das Casas Bahia.

    A Mesbla foi outro grande magazine do país. Uma das lojas da rede ocupava seis andares de um prédio da rua Curitiba, no centro de Belo Horizonte (MG).

    Assim como o Mappin, a empresa faliu nas mãos de Mansur. Em 1998, a loja do centro da capital mineira fechou as portas. Hoje, funcionam ali alguns escritórios e uma agência do banco Itaú.

    As Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo também marcaram época nos locais em que operaram.
    Em São Paulo, uma parte de um parque industrial instalado no bairro da Água Branca no começo dos anos 1920 permanece em pé e sedia um espaço de eventos chamado Casa das Caldeiras.

    Em Ribeirão Preto, no interior paulista, as indústrias Matarazzo instalaram uma tecelagem em 1945. Depois da falência da empresa, o prédio chegou a ser ocupado pela Companhia Nacional de Estamparia (Ciane); hoje está abandonado e serve de abrigo para viciados em crack.

    ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

    Pra mim Mappin e Mesbla são os prédios comerciais mais nostálgicos. Grandes marcas que deixaram saudade.
     
    • Gostei! Gostei! x 4
  2. Neithan

    Neithan Ele não sabe brincar. Ele é Mito

    Shopping Light lindo demais por fora.
     

Compartilhar