1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Magnólia (Magnolia, 1999)

Tópico em 'Cinema' iniciado por .Penny Lane., 7 Jan 2011.

  1. .Penny Lane.

    .Penny Lane. Usuário

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    |
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    |
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Acho que todo mundo já conhece isso: histórias de pessoas que não tem nada em comum, mas cujas vidas acabam se cruzando por um motivo ou outro. Magnólia tem muitos personagens, e fala sobre a vida deles em um curto período de tempo:

    - Um apresentador de um programa de televisão de perguntas e respostas, e sua filha
    - Um antigo vencedor desse programa
    - Uma criança participante do programa
    - Um policial
    - Um homem com câncer à beira da morte, sua esposa e seu enfermeiro
    - Um guru sexual

    Ufa, acho que listei todos!
    O filme é longuíssimo(mais de 3 horas de duração), mas sinceramente, com esse número de personagens, se tirassem alguma coisa acredito eu que algum deles não seria mostrado adequadamente.

    É engraçado, da primeira vez que assisti Magnólia(e tem poucos anos) eu não achei tudo aquilo o que as pessoas falavam. Não acredito que tendo revisto o filme agora eu o tenha entendido por completo - é o tipo de filme que deve-se assistir várias vezes para compreendê-lo, acho... mas na segunda vez que vi, parecia outro filme. Me envolvi muito mais com os dramas dos personagens e seus problemas... a direção do filme é ótima, as atuações também. A do Tom Cruise inclusive, é bem divertida!

    Voltando aos dramas das personagens... o que é o Phil comovido quando o Frank está com o pai? Aquilo foi lindo...
    Também tenho muita pena do personagem do Donnie, imagina a coragem que ele precisou pra dizer aquilo no bar... e o Stanley no programa também!


    Muito bom :sim:
     
  2. Phantom Lord

    Phantom Lord London Calling

    Preciso ver este.
    Os outros três que assisi do Paul Thomas Anderson são excelentes(Sangue Negro e Boogie Nights) e principalmente o Punch-Drunk Love :grinlove:
     
  3. .Penny Lane.

    .Penny Lane. Usuário

    Do PT Anderson eu assisti, além de Magnólia, apenas Sangue Negro.(com Daniel Day-Lewis destruindo o universo com sua atuação fodástica) Foi por isso que fiquei com vontade de rever Magnólia, e estou com Embriagado de Amor aqui. Se ele e o Boogie Nights forem tão bons quanto os outros dois, certo que crio um tópico pro cara. :mrpurple:
     
  4. Liico

    Liico Usuário

    Paul Thomas Anderson entrou pra minha lista de preferidos com Magnólia, mas foi com Sangue negro que ele se consolidou lá, mas vamos falar de magnólia. O filme é fantástico, outro dia fiz questão de comprar na culutra pois só o tinha no meu computador e já aproveitei pra re-assistí-lo, as metáforas com os horários e citações bíblicas e toda a riqueza do roteiro são maravilhosos. gosto da premissa do "clímax extraordinário para mudar o ordinário" que o filme carrega e para mim, a melhor atuação do Cruise, mas confesso que não sou muito fã dele.
     
  5. Anica

    Anica Usuário

    eu acho magnólia lindo. o engraçado é que da primeira vez q comecei a assistir, dormi no meio hehe. aí peguei para ver de novo e me apaixonei. e me apaixonei pela trilha sonora, cheia de aimee mann
     
  6. Pips

    Pips Old School.

    Magnólia trata tão bem a teoria do caos X a religiosidade, personagens amarrados, dramas pessoais bem desenvolvidos, ele cria uma tensão tão forte que a chuva de sapos surge como um alívio e uma maldição. Incrível.
     
  7. _Paulinha

    _Paulinha Usuário

    Puxa, eu adoro esse filme, tudo, incluindo a trilha - adoro o meninho que canta - acho que ele é realmente o Profeta...
    Tb gosto muito do Phil, acho só ele é centrado no filme e o o único que se manifesta sobre a chuva - é o único que não tem seus termos feridos com rãs
    Kss.
     
  8. imported_Shiryu

    imported_Shiryu Yippie-ki-yay...

    Sinceramente, assisti do PTA Punch Drunk Love, que odiei, e There Will Be Blood, esse eu gostei (especialmente a atuação do Daniel Day-Lewis), mas não achei lá essas coisas na época, mas acho que foi porque assisti No Country For Old Men depois, então meio que eclipsou. Eu até queria assistir Magnólia, mas não muito vou com a cara do Tom Cruise muito (à excessão de Top Gun XD), talvez eu dê uma chance para ele depois de assistir os "oscarizáveis".
     
  9. aces4r

    aces4r Usuário

    Eu gosto da chuva de sapos.
     
  10. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Já fiquei pensando bastante sobre como entender Magnólia ou que tipo de "classificação" dar para esse filme, e confesso que é difícil. Gosto de encará-lo como um painel da confusão pós-moderna, um pouco da teoria do caos que o Pips falou sim, mas não consigo relacionar tanto com religiosidade, embora ela exista no filme e não faz sentido eu querer negá-la.

    O emaranhado de situações que se cruzam e descruzam, que tomam rumos diferentes, que se assemelham e depois se tornam díspares, enfim, o filme mostra essa tentativa desesperada de pôr sentido nas coisas, nas nossas próprias vidas. No filme você encontra pessoas desacreditadas, desesperançadas, pseudo-sábias, ingênuas, moribundas, em crise etc., de modo que, no fim das contas, parece que a recorrência fica pela disparidade, pela riqueza marcada pela busca de um sentido, de uma transcendência, de uma explicação.

    As relações descartáveis, o machismo como uma espécie de culto, a depressão como um horizonte sempre próximo e ameaçador, a consciência tendo duas facetas: o abismo para a desesperança ou o caminho para seguir em frente; a complexidade de um mundo que parece movido a tensão e prestes a se desfazer, deixando a mente das pessoas a mil em todos os momentos, vigilantes, temerosas, buscando uma saída. A tranquilidade inocente aparece como uma possibilidade aparentemnte acalentadora, mas tão fugaz e frágil que não é uma boa opção.

    Não sei, espero não ter sido tão prolixo, mas é que acho esse filme um barato para compreender esse mal-estar pós-moderno, parece que o autor (conscientemente ou não, não sei dizer) acertou a mão construindo essas histórias.[/align]
     
  11. denivas

    denivas Usuário

    Eu ainda nem assisti o filme mas ja tenho grandes perspectivas sobre a atuação do Tom Cruise, isso pq nem sou fã dele.

    Acaber de ler e comprovar que esses gurus da sedução existem e ja tem alguns no Brasil tbm, bom tomara que me envolva com os outros personagens tbm.

    Depois que assistir volto a postar aqui.
     
  12. raqtoledo

    raqtoledo Usuário

    Adoro Magnólia! "It´s nooot goooing to stooop", a trilha é incrível. O filme é lindo e muito muito profundo, cheio de significações. E adoro Boogie Nights também. É bem oura pegada, mas é ótimo!
     

Compartilhar