1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Maconha pode preservar memória na velhice, sugere estudo

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Eów Dernhelm, 21 Nov 2008.

  1. Eów Dernhelm

    Eów Dernhelm Amigável mesmo sendo um...



    Droga reduz inflamação no cérebro e induz a formação de novos neurônios.
    Cientistas americanos dizem que substâncias presentes na maconha podem ser benéficas para o cérebro à medida que as pessoas envelhecem, reduzindo índices de inflamação e estimulando a formação de novos neurônios.
    A equipe, da Ohio State University, em Ohio, nos Estados Unidos, apresentou seu estudo durante uma reunião da Society for Neuroscience na capital americana, Washington.
    O trabalho indica que a criação de uma droga legal que contenha certas propriedades similares às da maconha poderia ajudar a prevenir ou retardar a chegada de doenças como o Mal de Alzheimer.
    Embora a causa exata desta doença seja desconhecida, acredita-se que uma inflamação crônica no cérebro contribua para a perda da memória.
    A intenção dos cientistas é criar uma nova droga cujas propriedades seriam semelhantes às da tetrahidrocanabinol, ou THC, a principal substância psicoativa da planta da maconha - mas sem o efeito inebriante da droga.
    Ao lado de nicotina, álcool e cafeína, a THC, quando consumida em moderação, tem demonstrado uma certa eficácia em proteger o cérebro contra inflamações, o que pode se traduzir em uma melhor memória na velhice.
    "Não é que tudo o que é imoral seja bom para o cérebro", disse o responsável pela pesquisa, Gary Wenk, da Ohio State University. "Simplesmente, existem algumas substâncias que milhões de pessoas, durante milhares de anos, vêm usando em bilhões de doses, e você está notando que existe um pouco de sinal no meio de todo o ruído".
    As pesquisas de Wenk e seus colaboradores já demonstraram que uma droga sintética semelhante ao THC pode melhorar a memória de ratos.
    Sua equipe está agora tentando entender como a substância funciona no cérebro.
    Um dos co-autores do estudo, Yannick Marchalant, fez testes com ratos idosos usando a droga sintética WIN-55212-2. Ela não é usada em humanos por que pode produzir fortes efeitos inebriantes.
    Os especialistas colocaram uma sonda sob a pele dos animais para injetar nos ratos uma dose constate de WIN durante três semanas - a dose era baixa, de forma a não inebriar os ratos.
    Um outro grupo de ratos não recebeu a droga.
    Depois, os dois grupos foram submetidos a testes de memória em que eram colocados dentro de uma pequena piscina para determinar quão capazes eles eram de usar pistas visuais para encontrar uma plataforma escondida sob a superfície da água.
    Os ratos que tomaram a droga tiveram desempenho melhor em aprender e lembrar como encontrar a plataforma escondida.
    "Ratos velhos não são muito bons nessa atividade. Eles podem aprender, mas demora mais tempo para acharem a plataforma", disse Marchalant. "Quando demos a eles a droga, tiveram um desempenho um pouco melhor".
    "Quando somos jovens, reproduzimos nossos neurônios e nossa memória funciona bem. À medida em que envelhecemos, o processo fica mais lento e temos uma diminuição na formação de novos neurônios. Você precisa que essas células retornem e ajudem a formar novas memórias, e verificamos que este agente, semelhante ao THC, pode influenciar a criação dessas células".
    As pesquisas com ratos sugerem que pelo menos três receptores no cérebro são ativados pela droga sintética. Esses receptores são proteínas do sistema endocabinóide, que controla a memória e processos psicológicos associados ao apetite, humor e resposta à dor.
    Entender em detalhe a ação da THC é fundamental para que os criadores de uma nova droga possam dirigir a ação do remédio para sistemas específicos, maximizando seu efeito positivo.
    "Será que as pessoas poderiam fumar maconha para evitar o Mal de Alzheimer se a doença estiver na família?", pergunta Wenk. "Não é isso o que estamos dizendo, mas poderia funcionar. O que estamos dizendo, o que nos parece, é que uma substância legal, segura, que imite essas propriedades importantes da maconha pode trabalhar nos receptores do cérebro para evitar a perda da memória na velhice".
    Uma coisa já está clara para os cientistas: o tratamento não é eficaz se já existe perda da memória - é preciso reduzir a inflamação, preservar os neurônios existentes e gerar novos neurônios antes que a perda de memória seja óbvia.
    Também está claro, segundo os pesquisadores, que a THC sozinha não é a resposta.
    Eles esperam encontrar um composto de substâncias que possam especificamente agir na inflamação do cérebro e ativar a formação de novos neurônios.



    BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC
     
  2. Lyvio

    Lyvio Usuário

    esses cientistas gostam de tragar uma coisinha me parece..., Maconha e cigarro são duas desgraças, mas o cigarro tem muito mais venenos que maconha...
     
  3. Indily

    Indily Balrog de Pantufas Fofas

    mas ainda assim há uns 3 anos saiu um estudo que maconha demais mata neurônios fazendo a pssoa ter raciocínios mais lentos e coisa e tal.... que coisa mais controversa!!!!!
     
  4. servo de Eru

    servo de Eru Chuck Norris passa vergonha

    senpre foi a favor da legalização das drogas,o alcool e cigarro que são drogas que prejudicam muito são legais ainda mais o álcool que alem de prejudicar o usuario que é alcolatra prejudica também que está próximo como a família sendo que isto não acontece com a CANNABIS além disso o mercado poderia ganhar dinheiro vendendo droga em vez dos traficantes
     
  5. Eów Dernhelm

    Eów Dernhelm Amigável mesmo sendo um...

    Eu pensei na mesma coisa Ly!:think:
     
  6. Indily

    Indily Balrog de Pantufas Fofas

    Pois é lindinha... é cada absurdo que aparece e agora isso... se antes fazia mal pq agora faz bem??? Cada hora estranho mais sabia?

    Nada contra Servo... mas sou um ser que num acha mto certo liberar não... nosso país não tem estrutura... se libera vira mais anarquia que já é... se fosse um povo que tivesse dissernimento, mas não... é abusivo o treco aqui!
     
  7. Eów Dernhelm

    Eów Dernhelm Amigável mesmo sendo um...

    Então, o Alzheimer ta virando uma coisa constante na minha vida, tinha mandado meu projeto pra professora pra ela avaliar e ver se ela toparia me orientar nele né ^^, ai hj abri e ela tinha mandado essa reportagem pra mim.

    Eu achei uma coisa muito louca, a ciência nunca de fato é concreta, ela esta smepre mudando e acaba mudando a gente junto dela.

    Quanto a liberação não ia adiantar muita coisa...ia continuar do jeito qeu tá ou pior eu acho.
     
  8. x= ANinha =x

    x= ANinha =x Usuário



    Oo
    eu sou nova akii, so estou testando kk
     

Compartilhar