1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Loucuras que fiz por livros

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Breno C., 17 Abr 2009.

  1. Breno C.

    Breno C. Usuário

    Sabe quando você quer tanto um livro que acaba topando qualquer negócio para pode ter o objeto de desejo?
    Então conte para nós suas histórias loucas envolvendo os livros.

    Minha história:
    Eu devia ter uns 14 anos e queria muito ler um livro do Nelson Rodrigues que tinha na biblioteca do colégio. Como estudava numa escola de freiras, ler um livro do Nelson Rodrigues era uma coisa meio que "proibida", então comecei a tramar para roubar o livro numa tarde de quarta, que era o dia em que a irmã responsável pela biblioteca saia para as obras de caridade e deixava uma estagiária por lá.
    Foram duas semanas tramando com amigos uma forma de sair de dentro da biblioteca com o livro sem ser visto no corredor dos livros só para professores. Bem... numa quarta de sol escaldante quebramos o ar condicionado da sala e esperamos até a estagiária sair de lá deixando a porta aberta, mas a filha da mãe trancou antes de sair frustrando nossos planos e acabamos sentados no corredor enfrente a porta matando aula. Quando ela voltou com o auxiliar de manutenção do colégio, perguntou o que a gente tava fazendo fora da sala de aula, eu disse que queríamos um livro, então ela abriu a porta e disse: "vai lá e pega menino, mas volta logo para a aula!" '
     
  2. Lana Lane

    Lana Lane Usuário

    Bom, no meu caso não foi exatamente uma loucura.
    Foi o seguinte, eu queria porque queria o Entrevista com o Vampiro, da Anne Rice. Mas na época, minha situação financeira era péssima. Para minha imensa felicidade, uma boa alma viu a minha angústia e resolveu me dar de presente. Isso foi no início do ano de mil setecentos e cinquenta e ... hehehe. Sei lá, faz muito tempo. Aí eu não li, eu engoli o livro, mas no fim fiquei com uma sensação meio estranha, porque queria taaaaanto e no fim não achei tão maravilhoso assim, só bonzinho. Óbvio que a pessoa não ficou sabendo disso, eu não sou mal agradecida. Todavia, fiquei sabendo que depois desse tinha mais outros. Como eu gosto muito de histórias de vampiros fiquei querendo saber como seriam os próximos, mas só pude comprar o seguinte no final daquele mesmo ano quando finalmente arrumei um emprego! Foi uma longa espera, ufa! E foi aí que veio a doideira. Era o segundo da série, O Vampiro Lestat. Achei simplesmente M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O! E quem já leu, deve saber o que acontece quando ele termina. Me deu uma vontade de chorar, porque eu precisava saber o que iria acontecer na continuação e não tinha um "pilinha" que fosse para comprar o próximo. Bom, resumo da ópera, fiz, aconteci, e arrumei crédito numa livraria porque a vendedora ficou com pena de mim e .....tive que esperar mais três meses para conseguir A Rainha dos Condenados porque a edição estava esgotada! Que dor! :wall:
    Mas valeu muito a pena! Esses três livros são os meus xodós. Esses eu não consigo nem emprestar. :)
     
  3. imported_Rafaela

    imported_Rafaela Usuário

    Quando lançou Harry Potter e as Insígnias da Morte em inglês eu queria pagar por pagina lida p/ minha amiga pq eu achava que iria morrer antes de ler o último livro (ela ñ aceitou pq odeia HP - uma coisa que acho inadmissivel) e quando ele foi lançado, no dia 10 de nov de 2007,as 9h da manhã estava na porta do shopping (detalhe, o shop só abre as 10h) e quando entrei na loja fui correndo na pilha de livros. Essa foi a maior loucura que fiz da qual me lembro.
     

Compartilhar