1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Lojas de Canela (Bruno Schulz)

Tópico em 'Literatura Estrangeira' iniciado por Meia Palavra, 26 Abr 2011.

  1. Meia Palavra

    Meia Palavra Usuário

    Bruno Schulz foi um artista, professor, tradutor, crítico e escritor polonês de ascendência judia nascido em Dohobycz- hoje parte da Ucrânia, mas que já pertenceu à Polônia, à URSS e ao Império Austro-Húngaro. Apesar da vida e carreira curtas- nasceu em 1892 e foi morto em 1942, no gueto judeu de sua cidade, vítima de uma rixa entre dois oficiais alemães, tendo publicado apenas dois volumes de contos (Lojas de Canela e O Sanatório Sob o Signo da Ampulheta), um volume de desenhos (O Livro da Idolatria) além de ter deixado o manuscrito inacabado e posteriormente desaparecido de um romance, O Messias- ele é considerado um dos grandes estetas da língua polonesa do século XX, ao lado de Witold Gombrowicz e de Witkatcy .

    Schulz era judeu, e a cultura judaica estava bastante presente em sua vida, mas ele não falava ídiche e não identificava-se nacionalmente como judeu: escrevia e falava em polonês, considerava-se polonês. Sabia também alemão, tendo ajudado sua noiva, Józefina Szeli?ska, a traduzir O Julgamento de Kafka em sua primeira versão polonesa.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     

Compartilhar