1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Livro "Encontrando Deus em O Senhor dos Anéis".

Tópico em 'J.R.R. Tolkien e suas Obras (Diga Amigo e Entre!)' iniciado por Pandatur, 24 Jun 2003.

  1. Pandatur

    Pandatur Usuário

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    "Encontrando Deus em O Senhor dos Anéis" é o nome do livro escrito por Kurt Bruner e Tim Ware. Bem, pelo nome da editora (Bom Pastor) dá pra ver que a coisa é Religiosa mesmo (ou parece). Mas deve ser no mesmo estilo de "SdA e Bíblia" (que é até interessante). creio ninguém comprou (ou sequer viu) esse exemplar ainda né? Se alguém comprar, poste aqui!
    O pessoal não perde chnace mesmo... neste ano vão publicar tudo que ainda for possível sobre o assunto.
    No link que passei não tem resenha, por isso não postei nada. Vou ver se acho algo e depois posto aqui.
     
  2. Pandatur

    Pandatur Usuário

    Procurando pelo Google eu achei isso aqui...
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    É um site evangélico, com uma crítica ferrenha de um evangélico metendo o pau no livro que eu citei acima. Bem, o que eu coloquei em negrito foram as babozeiras (na minha opinião) sobre Tolkien, que o crítico fez. Sabem como é... crente é crente e discutir com esses caras não leva à nada. Mas, em todo caso, aqui lá vai. O cara fal sobre uns lances do livro também é claro, sobre Abraão, Apóstolos e tal, que até eu achei meio maluco dos autores! Mas, sei lá né... leiam e vejam!

    Deus e o Senhor dos Anéis

    Jehozadak A. Pereira

    Kurt Bruner e Jim Ware - os Contorcionistas
    João 8:44

    Incrível como algumas pessoas tendem a colocar Deus nas suas paixões. Um dos maiores problemas do cristão hoje em dia, é espiritualizar as coisas ou mesmo seus gostos pessoais.

    Um exemplo disto é o livro Encontrando Deus em o Senhor dos Anéis - Bompastor - 2002 - Vida espiritual/Inspiração. Este é um daqueles livrinhos irritantes e pretensiosos, cuja única finalidade é dar um lustro espiritual ao gosto deturpado dos seus autores.

    O livrinho causa asco e é um exercício de contorcionismo explícito, são daqueles arrazoados que buscam atrair outros para as predileções dos escritores. Não creio que um cristão comprometido com o reino de Deus se submeta aos argumentos (fracos) de Bruner e Ware.

    Os autores começam discorrendo sobre a fé cristã de Tolkien para justificar o injustificável. Mas que trajetória cristã é esta?

    Recentemente foi lançada no Brasil Tolkien uma biografia de Michael White, e é lá que vamos ver juntos qual era a fé cristã de Tolkien. "Na velhice, Tolkien afirmou que fora inspirado pelo catolicismo pouco antes da morte da mãe". "Eu me apaixonei pelo Santíssimo Sacramento desde o início - e pela misericórdia divina jamais tornei a me afastar". "... dessa época em diante, ele passou a ser um católico devoto,...". "... mas não perdeu a fé na Igreja Católica...".

    Para quem não entendeu, Tolkien era um católico apostólico romano convicto, convicção que permaneceu até a sua morte.

    Tolkien é chamado de cristão, pelos autores. Ao que eu saiba, cristão é o seguidor de Jesus Cristo. É o que se parece com Cristo, é o que não se curva diante de imagens e nem de ídolos. É isto ou não? Ao que parece o cristianismo de Tolkien era deste último, se é que se pode chamar de cristão quem se curva diante de imagens e ídolos.

    *Nota do Panda* Aqui nosso "amigo" esquece do livro e vai pra velha merda de briga religiosa que nunca vai acabar (e por isso que o mundo vai continuar na merda, por causa da intolerância religiosa)

    Mas, indo ao que realmente interessa, vamos encontrar autores preocupados em buscar na palavra de Deus razões que justifiquem suas predileções pelo mundo místico de J. R. R. Tolkien. Começam agredindo, quando citam que "Na verdade, muitos cristãos irredutíveis em sua linha de pensamento hesitam em aceitar uma obra criativa que inclui figuras míticas, anéis mágicos e temas sobrenaturais.

    Isto é lamentável porque as verdades transcendentes do Cristianismo fervilham por toda esta história,...". Posso pensar e não me envergonho disto de que segundo os autores faço parte dos muitos cristãos irredutíveis que não se deixam levar pelos encantos dos anéis de Tolkien.

    Típica frase de quem não leu o livro e mal sabe do que se trata... mas deixa pra lá.

    Os autores afirmam que "Os Evangelhos contêm um conto de fadas, ou uma história de uma classe maior que abarca toda a essência dos contos de fada. Contêm muitas maravilhas, principalmente artísticas, belas e comoventes: 'míticas' em seu significado perfeito e completo (...). Deus é o Senhor dos anjos, dos homens - e dos elfos". Quanto a primeira parte, concordamos que Deus é realmente o Senhor, mas de elfos?

    O que são elfos?

    "Divindades aéreas de origem nórdica, amantes de danças noturnas nos prados, e que parecem convidar os humanos para unirem-se a elas, mas que na realidade trazem-lhe a morte. São os espíritos do ar, porém saídos da terra e das águas, deslumbrantes, caprichosos, pequeninos, flutuantes, vaporosos, temíveis. Simbolizam as forças etonianas e noturnas, que provocam pavores mortais, sobretudo nos adolescentes.

    Pois ao contrário dos adultos, menos perspicazes menos sensíveis ao imaginário, ao imperceptível e que por isso nada percebem, os adolescentes conseguem discernir o elfos na bruma. Estes entes são como as emanações confusas das paixões nascentes e dos primeiros sonhos de amor. Fascinam e enfeitiçam os jovens corações e as imaginações ingênuas. De noite que os elfos saem com suas vestes úmidas na fimbria e sobre os nenúfares arrastam seus pares mortos de fadiga'. A dama branca é a rainha dos elfos.

    Certos intérpretes consideram as rondas dos elfos como condensados energéticos, que imergem do universo: daí seu poder de fascínio e seu poder de fazer atravessar as portas que separam os três níveis do universo principalmente o mundo dos vivos do mundo dos mortos.

    Eles agem sobre a imaginação exaltando-a através dos sonhos e aparições, e arrasta em sua dança o ser seduzido por sua beleza. Simbolizam as forças inconscientes do desejo, e metamorfoseada em cativantes imagens, cuja poderosa atração tende inibir o autocontrole e a capacidade de discernimento".

    Na sua ânsia de corroborar os escritos de Tolkien, e buscando dar o viso eles inserem versículos bíblicos fora de contexto. Para tentar alcançar o seu objetivo - de mostrar que Deus se faz presente em O Senhor dos Anéis - os autores contam uma lorota.

    No seu anseio de tornar uma história mundana em verdade divina os autores do livrinho se saem com mais esta pérola - "Compare o exemplo de Frodo Bolseiro com o que se tornou o mantra de nossa geração. Desde gurus da Nova Era e psicólogos famosos a músicas que estão na parada de sucessos e filmes que fazem sucesso, as mensagens que recebemos acompanham a mesma melodia básica:

    Dê ouvidos aos seus sentimentos. Olhe para dentro de si para encontrar as respostas. Siga o seu coração. Converse com a sua própria consciência superior".


    Isso foi dito pelos autores do livro. Aqui eu concordo que os caras viajaram...

    Não posso me furtar de perguntar de qual geração os autores estão falando? Que geração de crentes em Cristo Jesus é que recitam um mantra? Para quem não sabe mantra no tantrismo, é a fórmula encantatória que tem o poder de materializar a divindade invocada.

    Você, amigo ministro do Evangelho já recitou o seu "mantra" hoje?

    Certamente a sua resposta será a mesma minha - arreda satanás com os seus mantras daqui!


    Hahahahahaha :lol:

    Na minha Bíblia, eu encontro acerca de uma esperança inaudita - Tito 2:12-14, no livrinho de Bruner e Ware, a esperança é um duende chamado Tom Bombadil - senhor das águas, da floresta e das colinas. E tome versículo em cima. O mesmo Bombadil que demonstra amor e graça em forma de pão, carne, cerveja e camas macias.

    Os caras chamaram o Tom de duende mesmo ou o pastor aqui é quem deturpou a bagaça???

    Os autores dizem que Pedro era confuso e não sabia o que estava fazendo, que o nosso Pedro "sofria da falta de visão que confunde a glória, o milagre, a alegria, a inspiração, o prazer ou o simples bem-estar de uma parada ao longo do caminho com o fim da jornada". Talvez se Pedro tivesse na companhia de Frodo Bolseiro e Sam Gamgi, ele não ficasse confuso.

    Engraçadinho esse pastor... ha---ha---ha
    :puke:

    Mas eles conseguem se superar no festival de bobagens que escrevem sobre diversos personagens bíblicos:

    Que Abraão era um velho nômade sem esperança de ter filhos. Ao afirmar que Abraão era um velho nômade, os autores querem fazer pensar que Abraão era um andarilho errante e sem destino, não é o que nos diz a Bíblia - Gênesis 12:1-2 "Ora, disse o SENHOR a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que eu te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção!".

    Não há nada de nômade em Abrão. Ele estava estabelecido e era um cidadão respeitado no seu lugar. Mas ao sair atendendo uma ordem do Senhor, o fez com a promessa de que seria pai de uma grande nação.

    Tem mais. Para Bruner e Ware, José era um menino detestável e mimado. A Bíblia, diz que Jacó amava José e que isto despertou ciúmes e ódio dos seus irmãos - Gênesis 37:4.

    Moisés gaguejava quando ficava nervoso. Davi era uma criança, e finalmente eles se superaram ao afirmar que os doze discípulos de Jesus faziam parte da escória da sociedade. Leram direito? Isto mesmo escória da sociedade.

    Não é possível aceitar tal afirmação de Bruner e Ware. Basta uma rápida leitura em qualquer dos Evangelhos - Mateus, Marcos, Lucas e João, para ver que os discípulos jamais foram escória. Talvez o parâmetro moral que os autores do livrinho adotem seja o da Terra Média, cuja descrição é feita pelo cristão Tolkien. Mas os autores do livrinho encerram com chave de ouro as baboseiras sobre alguns personagens bíblicos ao dizer que a trajetória cristã de Paulo foi uma aventura.

    Querem mais acintes e baboseiras? Então leiam esta: "Muitos cristãos no início do terceiro milênio se sentem como se tivessem muita coisa em comum com os Elfos no final da Terceira Era da Terra-média. Nosso mundo está mudando para pior. Muitas coisas que são boas estão desaparecendo; na verdade, muitas há muito já se foram.

    O manto do mal está se espalhando, se erguendo e engolindo tudo. A era pós-cristã chegou e estabeleceu um lugar permanente. Sem dúvida, restam poucos gestos de sanidade e bondade, uma Valfenda aqui, uma Lothlórien ali, mas logo esses também serão banidos".

    Quem são os cristãos a que se referem Bruner e Ware? Será que é gente da laia deles? Ou eles estão medindo todos pelo metro deles? Na sua busca insana de exaltar os demônios criados por Tolkien, Bruner e Ware jogam todos na vala comum da idolatria e do misticismo presente em O Senhor dos Anéis.

    Estes dois rufiões de Tolkien, que tentam convencer a todos que não conhecem o enredo dos livros com sua conversinha fiada, ainda se prestam ao papel de dizerem no final do livro que "Gostaram.

    Esta tentativa de compilar uma série de 'reflexões cristãs' sobre O Senhor dos Anéis, foi para nós, um exercício de pura alegria e enriquecimento espiritual e pessoal". "Kurt e eu escrevemos este livro de um ponto de vista distintivamente cristão. É possível que os leitores que não gostem desta perspectiva aleguem que simplesmente impusemos nossas próprias tendências e crenças no texto épico de Tolkien.

    É uma acusação grave que merece uma resposta cuidadosa. Por outro lado, é provável que haja aqueles que compartilhem de nossas convicções cristãs, mas achem impossível concordar que algo puro, santo e de valor espiritual verdadeiro possa ser encontrado em uma história repleta de elfos, anões, gnomos, hobbits, magos, demônios no fogo e todos os tipos de seres estranhos e mágicos. O que dizer a eles?".

    Aí eles dizem que Tolkien já o disse, e disse que este - o mundo da Terra-Média - é o reino da fantasia.

    Fico deveras intrigado com pessoas como os autores deste livrinho, que se dizendo cristãos, se prestam a este papel ridículo e intolerante de tentar legitimar uma obra das trevas, repleta de elfos, gnomos e afins, como eles mesmo o dizem, comparando-a com a santa e gloriosa palavra de Deus.

    Fui eu quem aumentei as letras. Hehe... demorou pra falar sobre obra das trevas... agora... gnomos???

    É inconcebível que crentes se curvem diante de todo tipo de personagens das trevas. Mas o que fazer? Só resta orar por eles. Já me acostumei a ser taxado de louco por contestar estas coisas. Mas antes ser louco por Deus do que por Tolkien.

    Prefiro não ser louco por nenhum como você é, meu "amigo", pois fanatismo distancia as pessoas. Creiamos sem exageros e sem agredir ao próximo, que, idependente de sua crença, você encontrará paz e sabedoria. Tenha fé, mas saiba como tê-la. Fé em exagero não remove montanhas, mas cria barreiras.

    Na Bíblia eu encontro esperança, encontro consolo, encontro repreensão e ao mesmo tempo conforto. Em Tolkien não encontro nada disto, só escuridade e confusão.

    :zzz:

    Que Tolkien foi um literato prolífico, não há dúvida alguma disto, mas querer que isto se pareça e esteja no mesmo patamar que o Evangelho é o fim da picada. Felizmente como os autores do livrinho disseram há quem não concorde com o ponto de vista deles, e certamente somos muitos - uma multidão a não concordar com eles.

    É necessário que levantemos nossas vozes a lhes dizer que se sequer existisse a possibilidade de que Deus pudesse ser encontrado em O Senhor dos Anéis, este encontro deixou de ser realizado, apesar do exercício de contorcionismo explícito de Kurt Bruner e Jim Ware.

    Este barateamento da graça inaudita que os autores deste livrinho ruim, reles e ordinário fizeram tem de ser repudiado. A maravilhosa graça do Salvador não pode e não deve nunca ser jogada no mesmo chão imundo onde é o lugar dos demônios de O Senhor dos Anéis.

    Cansei de comentar as besteiras desse babaca. Sim, digo babaca pois o cara é um otário e um babaca fanático!!!

    Creio que o tom definitivo desta questão envolvendo as histórias de Tolkien e o cristianismo foi dado por Michael White, autor da biografia já citada acima, que disse o seguinte: "... a Terra-Média é um mundo imerso em magia e inteiramente intocado por qualquer forma de cristianismo".

    Pois é este mundo infestado de magia, de demônios e seres míticos, que alguns querem fazer parecer com o cristianismo.

    Aos adeptos de Tolkien, eles precisam se converter ao verdadeiro Senhor da história - Jesus Cristo!

    Que profundo...

    Procurando por "Finding God in The Lord of the Rings" surgem 11 páginas. Depois eu olho com calma. Se alguém quiser procurar algo por lá...
     
  3. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Eles nem pediram autorização pra divulgar meu endereço! :disgusti: :evil: :x
     
  4. Slicer

    Slicer Não estava vivo no Dilúvio, mas pisei na lama.

    Eu não vou perder meu tempo discutindo com quem não quer me ouvir. Eu já ouvi um senhor que estuou várias religiões diferentes e me falou "Tudo que tem dogma não presta." O engraçado é que ELE mesmo tinha dogmas (mas por respeito não vou expo-los aqui). Vou ser curto, então provavelmente algumas pessoas vão argumentar sobre as minhas afirmações, então se lembrem que não escrevi tudo o que seria necessário para deixar meu ponto claro.

    O livro, na minha opinião de uma pessoa que não leu é uma chuva... não, um temporal inteiro no molhado, desnecessário e pelo que pude ler parcial; quem leu o Letters of J. R. R. Tolkien pode saber o que o próprio Tolkien pensava sobre suas obras (assim como os próprios dogmas), embora não seja tudo tenho certeza, pois não é possível ser imparcial quando se trata de si mesmo. Eu ainda quero ler a bibliografia do Humphrey Carpenter antes disso.

    O artigo é feito por alguém certamente desinformado em Tolkien, mas suficientemente familiarizado com o livro em questão para perceber que cascata ele é. Tomando o artigo como uma crítica ao livro "Deus e o Senhor dos Anéis", as acho justas até certo ponto, pois os autores forçaram demais ao tentar provar algo inútil, já dito pelo próprio Professor no Letters (aliás, temos uma tendenciazinha suicida de chama-lo de Mestre, né?). Mas o Pastor teria sido mais feliz se tivesse somente criticado aquela... viajada na maionese, que é de sua alçada; ou se visse isso como inevitável, que tivesse se informado de algumas coisas (ou aparentemente lido o SdA). Por exemplo, Tolkien só usou o nome "elfos" por pura falta de outro, e que a semelhança é quase nula. Mas já que não conseguiria, que pelo menos se poupasse do ridículo.

    A falha de "Deus e O Senhor dos Anéis" foi concentrar suas cartas em algo que obviamente não tem nada a ver com o ponto religioso principal do SdA. A falha do pastor Jehozadak A. Pereira foi concentrar suas cartas em um assunto obviamente muito grande para sua mente dogmática e, por isso, limitada. A parte mais triste de tudo isso foi provavelmente os comentários sobre o artigo na página. Um dos pobres leitores decidiu não comprar o SdA por causa das palavras infelizes deste... tolo.
     
  5. Glorwendel

    Glorwendel Usuário

    Só uma pequena nota ao autor do tópico. Entre tantas, esta frase me chamou a atenção:

    Meu caro, eu sou evangélica (ou "crente", como dizem) e não tenho a mente fechada que você preconceituosamente me credita. Tanto que o senhor autor do texto critica as obras de Tolkien, que eu leio e amo. Sabe o que quero dizer com isso? Há pessoas e pessoas.

    Seja mais prudente com as palavras, por favor.
     
  6. Riff

    Riff Usuário

    Já pensou se ele le o livro e chega na parte do balrog :roll:
    E esse livro aí Pàndatur, pelas passagem q o cara mostrou parece meio forçado :eek:
     
  7. Anor £

    Anor £ Usuário

    É um assunto muito delicado esse.
    O grande problema está na comparação, não podemos comparar nada uma vez que nada é igual certo?
    Olha uma das piores coisas do mundo é comparar o que não é equivalente. A Biblia e Deus é uma coisa as obras de Tolkien é outra. Chega a ser infantil tal discução.
    Porém eu senti uma certa agressividade nos comentários do nosso amigo Pandatur, que acabou por assumir o mesmo papel de Juíz usado pelo tal evangélico que criticou o livro encontrando Deus no Senhor dos Anéis.

    Não estou defendendo nada, mesmo por que não pertenço a nenhuma religião, na verdade nem batizado eu sou, só acho que julgar e criticar com agressividade o julgo e a critica agressiva de alguem é deixar claro aos que leem que os dois estão em um mesmo nivel de senso critico.

    Descordar e Argumentar é uma coisa, banalizar e ridicularizar é outra.
    Acima de tudo devemos respeitar as opniões de todos.
     
  8. Pandatur

    Pandatur Usuário

    Salve Glorwendel. Realmente eu confirmo ter "passado dos limites" em vários pontos das minhas afirmações. Confesso também que não tinha conhecimento algum de evangélicos que lêem Tolkien. Todos que conheço (e são vários, sejam colegas, familiares, etc.) possuem o esteriótipo "crente ferrenho". Como você mesmo disse, "há pessoas e pessoas", e sinto-me culpado pela minha afirmação no post anterior, e venho aqui pedir suas desculpas. Ao mesmo tempo, sinto-me feliz em saber que existem sim evangélicos que apreciam a obra do Professor.
    De certa forma eu senti agressão nas palavras do Pastor, e pior, rebati tais argumentos também com agressão e até mesmo baixo nível, como o Anor Morn percebeu:
    Da próxima vez vou me controlar para evitar tal fato lamentável. E mais uma vez, minhas desculpas a você, Glorwendel, a você Anor Morn, e a todos os outros que sentiram algum tipo de ofensa nas minhas palavras.
     
  9. Pandatur

    Pandatur Usuário

    Mais uma coisinha. Acho que o que me fez escrever isso foi o fato de que os evangélicos que conheço são todos desse nível, e discutir com eles só dá confusão. Preciso rever meus conceitos... e muito, pelo que parece...
     
  10. Anor £

    Anor £ Usuário

    Cara para mim vc não precisa pedir desculpas não :D eu não me senti ofendido, mesmo por que como já disse eu não sou de nenhuma religião eu só quis fazer uma boa critica sobre a questão que vc levantou. E como disse eu só achei que vc acabou se colocando no mesmo nivel critico do tal pastor pela forma que vc contestou as idéias dele..entende???

    :cheers:
     
  11. Hal

    Hal Usuário

    Senhor dos Anéis é um livro baseado em lendas e tem sim sua carga de filosofia, mas não quer dizer que Senhor dos Anéis é sobre Deus em si e nem que ler Senhor dos Anéis vai te levar a encontrar Deus. Se o livro é puxando pra esse lado eu não vou ler.
    Se alguem leu fala mais aí sobre ele.
     
  12. hahaha,os comentários no texto ... :lol:
    aiai... :lol: :lol: :lol:
    na minha humilde e honesta opiniao, eu acho ke se o cara acha ke SDA eh do demonio e naum sei mais o ke, eh soh ignorar, pq quando mais ele fala, mais ridicula a situacao fika. * :lol: *
     
  13. Gildor

    Gildor Usuário

    :lol: :lol: :lol: :lol: :lol:

    Ah, faz tempo que não ouvia falar no Jehozadak... taí um dos caras que eu queria ver na frente, juro que fico curioso pra saber qual é a entonação do rosto desse fulano quando ele fala essas coisas. :lol:

    Já tinha lido outros textos dele, um tempo atrás. Num, ele detona Harry Potter usando uns argumentos bem agressivos. No que ele atacou Tolkien, tive que retomar a leitura duas vezes, por não conseguir paciência pra continuar. :roll:

    Esse cara podia pelo menos ler os livros, pra saber do que está falando? :roll: :|
     
  14. Maglor

    Maglor Lacho calad! Drego morn!

    Que tal uma viagem no tempo até novembro de 2001?
    Toma:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    :lily:

    Esse é o clássico exemplo de fanático que ainda por cima fala sem conhecimento de causa. Ele abre o dcionário para saber o que é "elfo" sem nem sem importar com o fato de que Tolkien retomou (e ampliou bastante) o conceito mais antigo de elfo, muito diferente do de "elemental".

    E esse texto é chato mesmo, Gildor. Amanhã eu termino. :mrgreen:
     
  15. Gildor

    Gildor Usuário

  16. Glorwendel

    Glorwendel Usuário

    Pandatur, fico muito feliz que agora saiba que evangélicos também podem ler Senhor dos Anéis, ao contrário destes que você conhece =). Aqui no fórum temos vários, e já conheci pessoalmente alguns deles.

    Inclusive, também sou leitora da série Harry Potter, que foi duramente criticada, como o Gildor disse aí em cima.

    Em qualquer religião abrangente, é comum encontrar opiniões díspares sobre o mesmo assunto, como também diferentes formas de interpretação do que nos rodeia. É importante ter conhecimento igualmente abrangente antes de se rotular qualquer pessoa.
     
  17. Pandatur

    Pandatur Usuário

    Também espero poder conhecê-los. Minha opinião sobre evangélicos mudou muito agora... e para a melhor :wink: :cheers:
     
  18. Saranel Ishtar

    Saranel Ishtar Usuário

    Estou me sentindo a pagã...
    :roll:
    QUE TOSCO!
    Eu sou uma pessoa religiosa e nem por isso vou sair por aí dizendo que Sda é coisa do Demônio... :disgusti: :?
     
  19. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    É! Todos sabem que o Senhor da História é Chronos, Deus do tempo... :lol:
     
  20. Fake

    Fake Lord make me fast and accurate

    vo comprar esse livro pra minha vó, pra ve se ela ganha noção... :disgusti:
     

Compartilhar