1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Lista de 15 livros infilmáveis pela The Huffington Post

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Anica, 2 Dez 2010.

  1. Anica

    Anica Usuário

    lista aqui >> http://www.huffingtonpost.com/2010/11/17/unfilmable-books-15-great_n_779282.html#s174874

    (se alguém quiser listar os nomes em português dos livros, eu agradeço. :sim: )
     
  2. Mavericco

    Mavericco I am fire and air. Usuário Premium

    Finnicus Révem -- James Joyce:
    Por motivos óbvios que acho todos saberem já.

    Fogo Pálido -- Vladimir Nabokov:
    O livro é uma análise de um poema intitulado Fogo Pálido, feito de 999 decassílabos. O poema, bem como o analista e todos os fatos são fictícios -- e o poema, além de autobiográfico, possui um tom pseudonacional.

    As Ondas -- Virginia Woolf:
    O melhor livro dela, temos aqui basicamente um livro que é composto de 7 monólogos de 7 personagens que se cruzam, se completam, se antagonizam, como se fossem ondas numa praia -- tudo isso ao longo de um dia.

    (São os que eu conheço!)
     
  3. Anica

    Anica Usuário

    tem O Apanhador no Campo de Centeio. não entendi pq consideram infilmável. talvez pq muito se perderia na adaptação para o cinema, mas vá saber. Maus pq as personagens são animais, mas renderia uma boa animação se conseguisse manter o tom da história.
     
  4. Pescaldo

    Pescaldo Penso, logo hesito.

    Pêndulo de Foucault do Umberto Eco tá na lista. Se filmassem ia ficar igual ao que aconteceu com O Nome da Rosa: iam usar só metade do livro (a historinha) a outra metade (contextualização histórica, discussões acerca de diversos fatores, referências mil e afins) ficaria fora.

    São livros que perderiam muito se filmados. Como Vidas Secas.
     
  5. _Paulinha

    _Paulinha Usuário

    Vixe, não conheço todos...

    As Alegres Comadres de Windsor (The Merry Wives Of Windsor) - Shakespeare.
    A Rainha Isabel pediu que Shakespeare escrevesse sobre os romances de Falstaff, célebre personagem shakesperiano. Baseia-se nos costumes da classe média provinciana da época. (também chamado de Mulheres patuscas de Windsor - assim citado em Dom Casmurro).

    Meninas Crescidas (Lost Girls) é um romance gráfico erótico, alusivo às aventuras sexuais de Alice de Alice no País das Maravilhas, Dorothy Gale de O Maravilhoso Mágico de Oz, e Wendy Darling da série Peter Pan. As três reúnem-se quando adultas, em 1913, para descrever e partilhar algumas das suas aventuras eróticas. A história foi escrita por Alan Moore, e desenhada por Melinda Gebbie.

    O Conto do Tonel ou História de uma Barrica (A Tale Of A Tub)- Conta a história de três irmãos Peter, Martin, e Jacké e suas religiões - é uma sátira à Igreja e à fé.

    O Inominável (The Unnamable)- Samuel Beckett

    O Arco-Íris da Gravidade (Gravity’s Rainbow)- Thomas Pynchon (mas desse aqui já tem um filme...) - É um livro é para quem se interessa por literatura experimental. Pynchon muda o foco narrativo o tempo todo, tem capítulos em que não se sabe sob qual ponto de vista estão sendo contados, nem se o que está acontecendo é real ou alucinatório. Quem gosta de histórias bem explicadinhas, com começo, meio e fim claramente definidos, melhor manter distância – vai achar o livro chato. Mas quem não faz questão de tudo mastigado na hora de ler e se dispuser a enfrentar o calhamaço que é O Arco-Íris da Gravidade, vai estar lendo um dos livros mais interessantes e engraçados.

    "A história se passa durante a II Guerra Mundial: quando bebê, Slothropefoi submetido a experiências por um psicólogo que queria estudar o tesão infantil.
    Depois de adulto, Slothrop é um tenente servindo na Inglaterra e um Dom Juan, cujas conquistas ele assinala com um mapa.
    Acontece que, quando se superpõe esse mapa com o dos bombardeios alemães na Inglaterra, os aliados fazem uma descoberta perturbadora: cada local onde Slothrop teve uma ereção coincide exatamente com o local onde, dias depois, cairia uma bomba."

    Ah, não sei, acho que com jeitinho dá para filmar até monólogo...rss

    Beijos.
     
  6. Palazo

    Palazo Mafioso Literário

    Eu sempre achei que Dom Casmurro fosse infilmável, mas saiu... acho que tudo é possível, basta para isso deixar a imaginação fluir através da história!
     
  7. Gigio

    Gigio Usuário

    Curioso que ele usa motivos bem diferentes para excluir cada um dos livros do rol dos filmáveis... Vou traduzir a parte das "Reasons", são bem engraçadinhas:

    1. Fogo Pálido, Vladimir Nabokov
    "É um enigma que só pode ser resolvido nas páginas."

    2. As Alegres Comadres de Windsor, Shakespeare
    "Até Shakespeare pode perder a graça."

    3. As Ondas, Virginia Woolf
    "O livro é um grande monólogo."

    4. Absalão, Absalão, William Faulkner
    "É "Rashomon" contado por um esquizofrênico palavroso."

    5. O Arco-íris da Gravidade, Thomas Pychon
    "Thomas Pynchon."

    6. Meninas Crescidas, Alan Moore
    "Ninguém gostaria de ver Peter Pan como um garoto de programa arruinado."

    7. Maus, Art Spiegelman
    "Crianças pensariam que é "Ratatouille", mas tem nazistas."

    8. O Apanhador no Campo de Centeio, J.D. Salinger
    "O mundo explodiria."

    9. O Livro do Gênesis, Robert Crumb
    "Não possui um público-alvo."

    10. The Mezzanine, Nicholson Baker
    "O livro inteiro é um passeio pela escada rolante."

    11. Viagem ao Fim da Noite, Louis-Ferdinand Celine
    "Seria o equivalente cinemático de estar sozinho e irritado no dia do seu aniversário."

    12. O Inominável, Samuel Beckett
    "Todos os elementos mais básicos de um filme - enredo, personagens, cenário - não existem."

    13. O Pêndulo de Foucault, Umberto Eco
    "Umberto Eco sabe muito mais que você."

    14. O Conto do Tonel ou História de uma Barrica, Jonathan Swift
    "A maioria das pessoas não gosta de levar um manual de referência histórica para o cinema."

    15. Finnicius Revém, James Joyce
    "Simplesmente não dá."
     
  8. Clara

    Clara O^O Usuário Premium

    Gostei das razões desses dois:

    Simples e diretas.
    :rofl:
     
  9. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    [align=justify]Também gostei das justificativas. Sou só eu ou quando vocês vêem vários livros que vocês não leram assim, listados e sendo comentados, dá uma angústia danada e uma culpa de estar no computador ao invés de estar lendo? :rofl:[/align]
     
  10. Gigio

    Gigio Usuário

    Essa do Umberto Eco parece até a abertura de um "Umberto Eco Facts". Tipo:
    "O alfabeto de Umberto Eco possui 52 letras";
    "Uma vez na escola a professora de latim tentou corrigir Umberto Eco. Ele discordou. Assim surgiram as línguas modernas."

    Com certeza!! :rofl: Algumas das razões são até bem atrativas, como a do Nabokov, do Beckett e do Celine...
     
  11. Haleth

    Haleth There's no such a thing as a mere mortal

    Somos muitos, Lucas. E o pior é quando vc se dá conta que essa angústia é inútil, pq mesmo q vc não durma nunca mais na vida, vc jamais conseguirá ler tudo o que vc gostaria... :taco:
     
  12. Lucas_Deschain

    Lucas_Deschain Biblionauta

    Eu procuro afastar esses pensamentos da minha cabeca....
     
  13. Clara

    Clara O^O Usuário Premium

    Você assistiu o filme, Pescaldo?

    E os brasileiros?
    Quais livros vocês acreditam ser "infilmáveis"? E por quê?

    Eu logo pensei em "A Paixão Segundo G.H." de Clarice Lispector, que quando li me passou a ideia de pensamentos e lembranças, encadeados.
    Acho difícil poder filmar isso de maneira a fazer sentido.
     
  14. nanamft

    nanamft Usuário

    Poxa, uma animação de Maus realmente seria legal, né???
     
  15. Pescaldo

    Pescaldo Penso, logo hesito.

    Eu assisti sim o filme Vidas Secas, é antigo que dói.

    Não que eles não tenham conseguido filmar, eles filmaram com uma fidelidade extrema. Tão extrema que, como o livro é praticamente todo fluxo de pensamento da rapeize, não tinha quase nenhuma fala (assim como o livro).

    Pra quem não leu ou não conhece, aconteceu algo parecido com o filme do Homem-Aranha: Peter Parker é praticamente fluxo de pensamento durante as batalhas e lá que tá a grande sagacidade do personagem. Quando filmado isso sumiu, aí acabou.
     
  16. Excluído046

    Excluído046 Banned

    Vou falar só sobre os "Quadrinhos":

    Lost Girls - Discordo. É leitura obrigatória para quem curte quadrinhos (eróticos, pelo menos). Eu e todo mundo que conheço que leu , adorou, até mesmo quem não é muito fã de quadrinhos eróticos, mas é fã do trabalho do Moore (Céus! Quem não é?). Os fãs de quadrinhos eróticos são público alvo, ué. Fãs de Manara, fãs de Crepax (oi!) fãs de Serpieri, etc. são, sim, público alvo.

    Maus - Nem que seja pela hype, tem público alvo, sim. Aposto que o povo vai surtar "nossa, preciso ver. Maus. Prêmio Pulitzer. NAZISTAS. MALDITOS NAZISTAS. *enxuga uma lágrima*" E ainda temos, vejamos, os fãs de quadrinhos, que vão nem que seja para criticar.

    Gênesis - Claro que tem público alvo! É uma (livre) adaptação de um livro que está no GRANDE livro, o livro mais vendido em todo o mundo, oras. Mesmo que este público alvo seja composto por religiosos que irão conferir o filme para dizerem aos demais "não vejam! É uma heresia!" etc. Aí as pessoas vão conferir, para saber se é heresia, mesmo. :rofl: E ainda temos, vejamos, os fãs de quadrinhos, que vão nem que seja para criticar. [2]
     
  17. aces4r

    aces4r Usuário

    Gostei de Meninas Crescidas. Alan Moore é muito bom.
     
  18. Luciano R. M.

    Luciano R. M. vira-latas

    Discordo de todos. Pode ser difícil, mas todos esses podem ser filmados. Assim como existe experimentação na literatura, existe no cinema. O Necrorrealismo Russo é mais do que prova disso.

    Um livro que eu acho infilmável é o 'Meridiano de Sangue', do McCarthy. O livro é tão violento que qualquer filmagem ia diminuir o tom da coisa. Obviamente, já está sendo filmado.
     

Compartilhar