1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Levantamento mostra que bactérias criam resistência a antibióticos

Tópico em 'Ciência & Tecnologia' iniciado por RSS, 17 Jun 2007.

  1. RSS

    RSS Usuário

    No combate à pneumonia, remédio funcionou só em 38% dos casos.
    Resistência seria resultado do uso excessivo de antibióticos.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

     
  2. Rise from Darkness

    Rise from Darkness NightWalker

    Também por causa da prescrição incorreta do período de tratamento e do tipo preciso de antibiótoco em uma cepa específica
     
  3. Décimo

    Décimo The Swanson Code

    Tá, vou ser um pouco mala, mas como tenho exame nacional de Biologia serve como preparação. :g:

    Bom, esse parágrafo é toda uma bela incongruência biológica:

    Acontece que as bactérias não "criam" uma resistência aos medicamentos (incluindo antibióticos), no verdadeiro sentido do termo. Elas não "reconhecem" o que as afecta e ganham do nada mecanismos que permitam defesa contra os tratamentos. O que se passa é que a população de um determinado tipo de bactéria que se pretende combater pode ter uma imensa variabilidade genética, ou seja, devido a mutações e outros processos de diferenciação que ocorrem durante a divisão celular, existem indivíduos da espécie com características diferentes; por exemplo, alguns terão resistência a um determinado tipo de factores que a maioria não tem.

    Enfim, o tratamento contra bactérias nunca é 100% eficaz porque os antibióticos são preparados para combater bactérias consoante as que são analisadas em várias amostras. No entanto, algumas espécies de bactéria têm uma grande variabilidade, havendo vários indivíduos dentro delas com alterações impossíveis de prever pelos cientistas (diferentes das analisadas) e que lhes podem conferir resistência ao antibiótico desenvolvido. Ou seja, não "criam" a resistência por adaptação ao antibiótico, mas sim porque existem indivíduos mutantes que aparecem e lhe são imunes. Caso não houvesse essas mutações e recombinações génicas, as bactérias seriam eliminadas de imediato pela aplicação de um antibiótico específico.

    Se eu tiver dito algum disparate me avisem que eu tenho exames e é preciso corrigir. :dente:
     
    Última edição: 17 Jun 2007
  4. Rise from Darkness

    Rise from Darkness NightWalker

    Concordo, mas existem muitas pesquisas avaliando a capacidade de determinados organismos desenvolverem resistência a algum tipo de agente.

    Por exemplo, em uma determinada infecção, a aplicação de um determinado antibiótico pode ser eficaz contra a maioria das cepas, mas pequenas variações genéticas entreas bactérias podem levá-las à sobrevivência de alguns exemplares. Mas mesmo assim, quando a dosagem e período de aplicação de um determinado antibiótico é alterado, QUANDO O MESMO NÃO É SUFICIENTE PARA MATAR A CEPA SENSÍVEL, existe um leve desenvolvimento de resistência do organismo à substância aplicada, o que o levaria à não ser tão afetado numa próxima exposição ao antibiótico, mesmo que não signifique que tenha se tornado resistente.

    Isso é observável na maioria das espécies do reino animal, da capacidade de adaptabilidade do organismo à substâncias extranhas e / ou nocivas.

    Mas o que o 10º Membro da Sociedade mencionou também é correto.
     

Compartilhar