1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Lei Maria da Penha reduziu violência doméstica contra mulheres, segundo Ipea

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por LuizWsp, 4 Mar 2015.

  1. LuizWsp

    LuizWsp A torch in the dark In Memoriam

    Lei Maria da Penha reduziu violência doméstica contra mulheres, segundo Ipea

    A Lei Maria da Penha teve impacto positivo na redução de assassinatos de mulheres, em decorrência de violência doméstica, apontou o estudo Avaliando a Efetividade da Lei Maria da Penha, divulgado hoje (4) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). De acordo com o instituto, a lei fez diminuir em cerca de 10% a projeção anterior de aumento da taxa de homicídios domésticos, a partir de 2006, quando entrou em vigor. “Isto implica dizer que a Lei Maria da Penha foi responsável por evitar milhares de casos de violência doméstica no país”, diz o estudo.

    Enquanto a taxa de homicídios de homens, ocorridos em casa, continuou aumentando, a de mulheres permaneceu praticamente no mesmo patamar. “Aparentemente, a Lei Maria da Penha teve papel importante para coibir a violência de gênero, uma vez que a violência generalizada na sociedade estava aumentando. Ou seja, num cenário em que não existisse a Lei Maria da Penha, possivelmente as taxas de homicídios de mulheres nas residências aumentariam”, informa o estudo.

    No Brasil, os dados do Ipea mostram que a taxa de homicídios de mulheres dentro de casa era de 1,1 para cada 100 mil habitantes, em 2006, e de 1,2 para cada 100 mil habitantes, em 2011. Já as mortes violentas de homens dentro de casa passaram de 4,5 por 100 mil habitantes, em 2006, para 4,8, em 2011. Neste caso, incluídos vários fatores, além de violência doméstica.

    “Se não tivesse havido a Lei Maria da Penha, a trajetória de homicídios de mulheres no Brasil teria crescido muito mais. Homicídios como um todo aumentaram [no país], mas, na contramão dessa direção, a Lei Maria da Penha conseguiu conter os homicídios das mulheres dentro de casa”, disse o diretor de Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia do Ipea, Daniel Cerqueira.

    Segundo o estudo, os motivos são atribuídos ao aumento da pena para o agressor, ao maior empoderamento da mulher e às condições de segurança para que a vítima denuncie e ao aperfeiçoamento do sistema de Justiça Criminal para atender de forma mais efetiva os casos de violência doméstica.

    O diretor do Ipea explicou que o aumento da violência no país se deve, principalmente, a uma diminuição do controle de armas e ao crescimento de uso de drogas ilícitas.

    Para a secretária de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, com o advento da Lei Maria da Penha as mulheres começaram a perder o medo de dennciar e de buscar ajuda e proteção. “O Estado brasileiro e todas as suas instituições estão mais engajados para que efetivamente diminua a violência contra a mulher. Mas ainda é um grande desafio para o Brasil a questão das políticas públicas para as mulheres”, ressaltou ela.

    Ontem (3), a Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei do Senado que classifica o feminicídio como crime hediondo e o inclui como homicídio qualificado. O texto modifica o Código Penal para incluir o crime - assassinato de mulher por razões de gênero - entre os tipos de homicídio qualificado. O projeto vai agora à sanção presidencial.



     
    • Gostei! Gostei! x 2
  2. Ranza

    Ranza Macaco

    Uma matéria muito boa apesar do título não falar a verdade, a violência não diminuiu, ela apenas cresceu menos, ou seja a violência contra a mulher cresceu, mas numa proporção em menor. Que nós próximos anos a violência possa realmente diminuir, não somente entre mulheres mas sim de um modos geral.
     
    • Gostei! Gostei! x 5
  3. dermeister

    dermeister Ent cara-de-pau

    Pior que entrei aqui para fazer piada com o IPEA (é o que merecem, depois do erro crasso do ano passado) e encontrei a piada pronta ou uma tentativa desesperada de dar uma boa notícia, mesmo tendo que distorcer a lógica no processo. Só não sei se a manchete veio de algum press-release do IPEA ou se deriva da
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    (
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    ), tão suspeita quanto, que parece ter servido de fonte para os outros veículos que andam papagaiando a notícia sem corrigir a interpretação.
     
    • Gostei! Gostei! x 2
  4. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Percentualmente, ir de 1.1 para 1.2 é mais do que ir de 4.5 pra 4.8.
     
  5. Grimnir

    Grimnir Usuário

    "No Brasil, os dados do Ipea mostram que a taxa de homicídios de mulheres dentro de casa era de 1,1 para cada 100 mil habitantes, em 2006, e de 1,2 para cada 100 mil habitantes, em 2011. Já as mortes violentas de homens dentro de casa passaram de 4,5 por 100 mil habitantes, em 2006, para 4,8, em 2011. Neste caso, incluídos vários fatores, além de violência doméstica.

    “Se não tivesse havido a Lei Maria da Penha, a trajetória de homicídios de mulheres no Brasil teria crescido muito mais."

    Ahn?
     
  6. Fúria da cidade

    Fúria da cidade ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ

    Esse é sempre um clichê que nunca sai de moda.
     
  7. Bel

    Bel Moderador Usuário Premium

    • LOL LOL x 1
  8. Grimnir

    Grimnir Usuário

    Se eu entendi bem, a declaração do IPEA é baseada numa suposição de quem sem a Maria da Penha as coisas estariam piores? Muito científico.
     
  9. Seiko-chan

    Seiko-chan Retardada

    IPEA sendo IPEA... :lol:

    Sério, depois daquele fiasco da pesquisa do estupro, não ponho fé em mais nada que venha de lá.
     

Compartilhar