1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Wilknot] [O Senhor Macabro]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Tcheco_theOld, 4 Jun 2003.

  1. Tcheco_theOld

    Tcheco_theOld Usuário

    [Wilknot] [O Senhor Macabro]

    hum.
    terminei meu segundo roteiro.
    se fosse filmado seria um curta, pois é pequeno.
    É mais ou menos um terror, não tem muita história, so o fato que ocorre.

    Quem for ler não espere ler algo do nivel dos roteiros do sr. Folco, mas... estamos na luta.


    O Senhor Macabro
    By Bruno W. Braunz



    FADE IN:

    1.
    INT. QUARTO DO WIL ANDERSON - NOITE

    O relógio marca 3:37 am. Um garoto está sentado na cama, encostado na
    parede. Tem 16 anos e uma boa aparencia, mas está apreensivo.

    Wil desce da cama e pega o telefone que está perto do seu computador.

    Começa a discar. No outro lado da linha uma garota atende, sonolenta.

    SARAH(o.s.)
    Alô...

    WIL
    Oi...

    SARAH(o.s.)
    Wil, wil, wil... Não consegue
    dormir, é?

    WIL
    É, tô meio nervoso.

    SARAH(o.s.)
    Meio?

    WIL
    Pois é, não to afim de
    reprovar a oitava série.

    SARAH(o.s.)
    Relaxa, gatão. Vai dar tudo
    certo. Depois que você pegar
    o resultado passa aqui, tá?
    Mas tenta dormir agora.

    WIL
    Vou tentar...

    SARAH(o.s.)
    Apague a luz e escute um
    reggae. É infalivel.

    WIL
    Tá bom!

    SARAH(o.s.)
    Beijinho!

    WIL
    Até amanhã, paixão.

    O garoto desliga o telefone, pega um cd do Natiruts e põe no seu discman. Ele se deita
    e procura relaxar. Finalmente pega no sono.



    2.
    INT. QUARTO DO WIL - DIA

    O relógio faz um ruido irritante. Wil desperta vagarosamente. São 7:00
    horas. Ele vai até o banheiro onde escova os dentes, volta para o seu
    quarto, muda de roupa, vai até a garagem e pega a sua bicicleta.


    3.
    EXT. RUA - DIA

    Wil está saindo da garagem, montado na bicicleta. Ele vira a esquerda e segue reto até
    a outra quadra. Na esquina dessa quadra vemos um prédio.

    O prédio é de quatro andares, de tijolo. É sujo e velho. Percebemos que a muito tempo
    ninguém mora nele. Em frente há duas pequenas lápides.

    Wil olha timidamente na direção delas e dá um suspiro.


    4.
    INT. COLÉGIO MARIA DAS DORES - DIA

    Wil caminha pelo pátio. Uma quantia razoavel de alunos está pegando os seus resulta-
    dos finais. Alguns comemoram, outros até choram.

    Os boletins estão sendo entregues no meio do pátio, há uma pequena fila. Wil vai
    até ela, impaciente.

    A fila anda rápido.

    É a vez de Wil.

    FUNCIONÁRIO
    Nome?

    WIL
    Wil Anderson.

    O funcionário procura o boletim do garoto.

    FUNCIONÁRIO
    Aqui está.

    Wil pega o envelope e vai até a sua bicicleta, no estacionamento.

    Ainda sem abrir o envelope Wil deixa as dependencias do colégio, e resolve parar na
    esquina. Ele desce da bicicleta já abrindo o envelope.

    O nervosismo vira euforia.

    WIL
    Aeee!!! Filha da puta!!!
    Passei, merda! Tô no
    terceirão!

    Wil sobe na sua bicicleta. Ele olha pro colégio e mostra o dedo do meio.

    WIL
    Até nunca, bando de padre
    filhos de mil pais.


    5.
    EXT. CASA DE SARAH - DIA

    Vemos um sobrado bem cuidado. Não nenhum movimento lá dentro. As cortinas estão
    fechadas, não há nenhum carro na garagem. Até mesmo o cachorro está dormindo.

    Wil pára na frente do interfone e olha o relógio. Oito e quarenta.

    WIL
    Um tanto cedo para uma
    manhã de sábado.

    Ele aperta o interfone.

    Não há resposta.

    Wil aperta novamente.

    SARAH(o.s.)
    Quem?

    WIL
    Sou eu. Por que demorou?

    SARAH(o.s.)
    É que estou tomando banho.
    Entra.

    O garoto entra no portão e deixa a sua bicicleta no jardim.


    6.
    INT. CASA DE SARAH - DIA

    Wil está dentro da casa. Há barulho de chuveiro vindo de cima. Ele vai até as escadas.

    WIL
    Tô subindo.

    SARAH(o.s.)
    Vem...

    Wil chega no banheiro. A porta está aberta.

    Sarah abre o box, só vemos a sua cara. Ela é morena, tem olhos verdes...

    Wil está tirando sua roupa.

    SARAH
    Ei... Você só vai entrar aqui
    com uma condição!

    WIL
    Qual?

    SARAH
    Passou?

    WIL
    Claro!

    SARAH
    Então... entra!

    Finalmente ele entra e fecha o box.


    7.
    EXT. CASA DE SARAH - DIA

    Os dois namorados estão no quintal, eles estão lado a lado encostados no muro de
    azulejo.

    WIL
    Onde estão seus pais?

    SARAH
    Viajaram...

    WIL
    É? Pra onde.

    SARAH
    Pra Ilha.

    WIL
    Uh, animal. Não vejo a hora
    de chegar Fevereiro.

    SARAH
    Eu também não...

    Sarah beija Wil.

    WIL
    Quando seus pais viajaram?

    SARAH
    Ontem.

    WIL
    E voltam quando?

    SARAH
    Quarta, eu acho.

    WIL
    Você vai ficar sozinha todo
    esse tempo?

    SARAH
    Não... o meu irmão tá por ai.

    WIL
    Ah tá...

    SARAH
    Ei, vc vai mesmo sair do
    Maria?

    WIL
    Mas é claro, já me matriculei
    no Vibração.

    SARAH
    Vai me abandonar?

    WIL
    Não aguento mais aqueles
    padres me enchendo. Você
    sabe.

    SARAH
    Sei. Mas vamos falar de outra
    coisa. Vamos sair hoje?

    WIL
    Balada?

    SARAH
    Não... eu tava pensando em
    ir no cinema.

    WIL
    Beleza! Eu te pego aqui.
    (hesita um pouco)
    De carro.

    SARAH
    Ah é? Do seu pai?

    WIL
    Sim... Ele não vai se importar.
    (pausa)
    Lá pelas sete eu passo
    aqui. Tem jogo a tarde.

    SARAH
    Tá bem... Já tá indo?

    WIL
    Preciso dormir um pouco. E
    minha mãe deve tar um pouco
    nervosa.

    Wil vai se levantando. Sarah se levanta também. Eles vão juntos até o portão.
    A garota pega a chave no bolso e o abre.

    Wil pega sua bicicleta e vai saindo. Ele da um beijo em Sarah e vai embora.


    8. INT. CASA DO WIL - DIA

    Wil abre a porta da cozinha, sua mãe está sentada na mesa, lhe esperando. Ela
    está fumando.

    WIL
    Oi...

    MÃE DO WIL
    E aí, o que deu lá?

    WIL
    Passei!

    MÃE DO WIL
    Graças a Deus.

    WIL
    Graças a mim.

    MÃE DO WIL
    Eu rezei pra você passar

    WIL
    Você sabe que eu não
    acredito nessas coisas.
    Alem do mais, não quero
    discutir, no momento só
    quero a minha cama e uma
    musica pra relaxar.

    MÃE DE WIL
    Tá bem, pode ir.

    Wil abre a porta que dá para o resto da casa, mas ele para e dá meia-volta.

    WIL
    Esqueci de uma coisa.

    MÃE DE WIL
    Que foi?

    WIL
    Eu queria sair com a Sarah
    hoje... No cinema.

    MÂE DE WIL
    Quanto vai precisar?

    WIL
    Trinta tá bom.

    Ela abre a sua bolsa que está em cima da mesa da cozinha e pega três notas de
    dez reais.

    WIL
    Não vai fazer falta né?

    MÃE DE WIL
    Trinta reais? Tá certo que
    agente não tem tanto
    dinheiro como na época em
    que seu pais estava vivo.
    (pausa)
    Mas trinta não é problema.

    Ela entrega as notas para o seu filho.

    WIL
    Valeu, mãe.

    MÃE DE WIL
    Você vai no jogo?

    WIL
    Vou.

    MÃE DE WIL
    Contra quem?

    WIL
    Santos.

    Ele sai e fecha a porta. Dá alguns passos e abre outra porta, é a do seu quarto. Wil
    tira os tênis, a camiseta, liga o rádio e se joga na cama.


    9.
    INT. QUARTO DO WIL - DIA

    Wil acorda com um grito. Ele está suado e nervoso.

    WIL
    Puta que pariu.

    Ele olha no relógio.

    17:30

    WIL
    Ugh, merda. Perdi a porra do
    jogo.

    Ele se levanta da cama e usa camiseta pra se secar. Continua meio amendrotado,
    teve um pesadelo. Resolve pegar o telefone.

    SARAH(o.s.)
    Alô?

    WIL
    Oi, Sarah.

    SARAH (o.s.)
    Wil? O que aconteceu?
    Tua voz ta diferente.

    WIL
    Nada, só um pesadelo.

    SARAH
    Como foi?

    WIL
    Foi meio estranho.
    (pausa)
    Eu só me lembro que vi três
    cabeças, elas estavam no
    chão, sem corpo.
    Não deu pra reconhecer
    porque eu só podia ver
    a parte de trás.
    Ai eu acordei com uma
    risada.
    (pausa)
    Uma risada macabra.

    SARAH
    Credo, que pesadelo, hein?

    WIL
    Até perdi a hora do jogo.

    SARAH
    É...

    WIL
    Alias, você sabe quanto tá?

    SARAH
    Três a um pro coxa.

    WIL
    Ae, legal. Bom, eu liguei
    porque precisava falar com
    alguém. Com você, na
    verdade.
    (dá uma pequena risada)

    SARAH
    Tá melhor agora?

    WIL
    Sim, sim... Bom, sete horas
    tô ai, tá bom minha linda?

    SARAH
    Tá bom gatinho. Beijinho.

    WIL
    Beijo.


    10.
    EXT. CASA DE SARAH - NOITE

    Wil está dentro do carro, é um Golf preto. Ele pàra na frente da casa de Sarah e buzina.

    Podemos ver a garota olhando pela janela, logo após isso ela sai pela porta da frente e
    abre o portão.

    Wil destranca a porta, a garota entra no carro.

    Wil dá um beijo rápido em Sarah.

    WIL
    Vamos.


    11.
    INT. SHOPPING/FILA DO CINEMA - NOITE

    Eles estão na fila do filme Na Mão do Diabo, a fila é razoavelmente grande, mas ela está
    andando rápido.

    SARAH
    Será que é bom esse filme?

    WIL
    Dizem que é. Além do mais
    é melhor ver esse do que
    ver Xuxa Requebra, não
    concorda?

    Os dois riem.

    Eles entram.


    12.
    INT. SHOPPING - NOITE

    Todos estão saindo de dentro da sala do cinema, que estava lotada.

    WIL
    E ai, gostou?

    SARAH
    Bem legal. Dá medo!

    WIL
    É. Gostei também.
    Alias, esse é um belo
    exemplo de como é
    porca tradução dos titulos
    de filmes...

    SARAH
    Como assim?

    WIL
    O que Mão do Diabo tem ver
    com o filme? O certo seria
    Mão de Deus, mas pare e
    pense. Qual dos dois é mais
    chamativo?

    SARAH
    Uau.
    (ironica)
    Você sabe das coisas, hein?

    Wil faz cara de brabo.

    SARAH
    (rindo)
    É brincadeira!

    Sarah abraça Wil.

    WIL
    Olha que eu não te levo
    pra casa...

    SARAH
    Você não faria isso!

    WIL
    É, talvez não.
    (rindo)
    Bem, vamos indo.


    13.
    EXT. RUA - NOITE

    Wil está sozinho no carro, ele já deixou Sarah na casa dela. Ele esta passando pelo
    prédio abandonado, que fica na quadra vizinha da sua. Wil para o carro e olha para
    o prédio.

    Está viajando nos pensamentos.

    [Flashback]
    Vemos Wil a um ano atrás, ele está no seu quarto. Alguém bate na porta, é o seu
    pai. Ele é alto, moreno, e é um padre. É um cara carismatico, magnetico, parece
    impossivel não gostar dele.

    PAI DE WIL
    Wil, sabe o prédio da quadra
    vizinha? Aquele abandonado?

    WIL
    Sei, o que tem?

    PAI DE WIL
    Quando eu estava voltando
    do trabalho eu tenho certeza
    que vi alguma coisa lá dentro
    parecia um homem com um
    chapeu.

    WIL
    Mas o que tem demais nisso?
    Devia ser um bebado.

    PAI DE WIL
    Não sei, parecia um vulto.

    WIL
    Já é noite, os olhos as vezes
    podem pregar peças.

    PAI DE WIL
    Eu vou lá dar uma olhada.

    WIL
    Por que?

    PAI DE WIL
    Eu não sei, algo me disse
    que eu tenho que ir lá. Foi
    como um chamado divino.

    WIL
    Tá certo, mas o que eu
    tenho com isso, afinal?

    PAI DE WIL
    Eu quero que você vá
    junto.

    WIL
    Sem chance.

    O Padre fica desapontado e vai saindo do quarto.

    Wil percebe que foi grosso e tenta concertar o erro.

    WIL
    Pai!

    O Padre ja tinha-se ido.
    [Fim do Flashblack]

    Wil abre a porta do seu carro e vai se aproximando das lápides. Está muito escuro
    e a visão do predio abandonado, caindo aos pedaços é realmente assustadora.

    Ele olha para a lápide da esquerda, está escrito: "Thiago Nunes, 2000 - 2001"
    Um bebe.

    Wil olha pra lápide da direita, ele está visivelmente abatido. Vemos o nome: "Lars
    Anderson-Aqui Lars pos fim a sua vida"
    É o pai de Wil.
    Wil está chorando agora, e novamente retoma seus pensamentos.

    [Flashback]
    Wil está quase dormindo quando sua mãe entra no quarto, ela está CHORANDO.

    WIL
    O que? O que foi?

    MÃE DE WIL
    O seu pai. Ele se matou.

    WIL
    O que? Para com isso.

    Eles se abraçam, Wil não se conforma.

    WIL
    Onde?

    MÃE DE WIL
    Naquele prédio da esquina.

    Wil se levanta da cama, correndo, e sai da sua casa.
    Ele vai correndo até o prédio da esquina. Há carros de policia e uma Ecco-Salva.

    Ela entra no carro da Ecco, seu pai está dentro. Morto. Com um corte no pescoço.

    Wil resolve andar, ele não para de chorar. Se sente culpado.
    [Fim do Flashback]

    Wil ouve uma risada macabra e acorda pra realidade. Ele tem a impressão de já ter
    ouvido aquela risada em algum lugar antes. Mas não dá importancia pra isso.

    Ele volta para o carro, e dá a partida.


    14.
    INT. QUARTO DO WIL - DIA

    Wil acorda suado. É cedo. É domingo. Não há barulho algum vindo de fora. O céu
    está azul, mas não faz calor. Wil resolve se levantar.

    Ele vai até a janela e fica olhando para a rua.

    Wil vê uma luz estranha na esquina da outra quadra. A luz está iluminando o prédio
    abandonado.

    Wil troca de roupa, sai do seu apartamento,


    15.
    EXT. PRÉDIO ABANDONADO - DIA

    Ele está na rua agora e vai andando até o prédio. A luz continua lá, parece um sinal.

    Em uma das poucas janelas que estão inteira é possivel ver o vulto de algum ser
    humano. Parece que está sentado em uma cadeira, olhando para o lado de fora.

    Wil está indeciso, não sabe se deve entrar ou não. Ele caminha em direção ao que
    antes era o portão de entrada, mas, desiste e dá meia volta.


    16.
    INT. QUARTO DO WIL - DIA

    Wil pega o telefone e começa a discar.


    17.
    INT. CASA DE ZED - DIA

    Vemos um quarto grande com muitos eletrodomesticos. Uma TV Widescreen, um som,
    e etc. O quarto é bem arrumado e é claro, devido a luz do sol. Na cama estão duas
    pessoas, um rapaz, Zed e sua namorada.
    Zed está sem camisa. Ele é moreno e alto, uns 1.90 de altura.

    O relógio marca 10 horas, e ambos estão num sono profundo, dormem como pedra.

    O telefona toca. Ninguém acorda. Toca mais uma vez e Zed começa a se mexer na
    cama. Na terceira vez ele finalmente acorda.

    ZED
    Mas que inferno, quem será
    agora?

    A sua namorada também acorda, furiosa.

    MAGNOLIA
    Quem é o filho da puta que
    liga a uma hora dessas num
    domingo?

    ZED
    Não sei, mas vou descobrir.

    Zed finalmente atende.

    ZED
    Alô?

    WIL
    Zed?

    ZED
    Wil?

    WIL
    E ai Zed, beleza? Como tá?

    ZED
    Tudo certo, alias, estava
    tudo certo até você me
    acordar. Aconteceu alguma
    coisa?

    WIL
    Foi mal. Bem, respondendo
    a sua pergunta... Ainda não
    mas vai acontecer.

    ZED
    Tá precisando de ajuda?

    WIL
    Sim.

    ZED
    O que é?

    WIL
    Preciso que você venha aqui
    hoje a noite, lá por umas nove
    horas. Eu vou explicar tudo.
    Vou chamar o Howte e o
    Joe também. Você pode vim?

    ZED
    Sim, sem problemas.

    WIL
    Outra coisa.

    ZED
    O que?

    WIL
    Venha sozinho.

    ZED
    Tá bom, tranquilo

    WIL
    Até mais.

    ZED
    Até.

    Zed desliga o telefone.

    MAGNOLIA
    O que foi?

    ZED
    Era o Wil, ele tá precisando
    de ajuda.

    MAGNOLIA
    Você ainda fala com esse
    cara?

    ZED
    Ás vezes, ele era o meu
    melhor amigo.

    MAGNOLIA
    Ele não vale nada.

    ZED
    Não cuspa no prato que
    comeu.

    MAGNOLIA
    Cala a boca vai. Me deixa
    dormir.

    ZED
    Ok. Vou nadar um pouco.

    Zed sai da cama.


    18.
    INT. QUARTO DE WIL - DIA

    Wil continua no telefone. Está um tanto nervoso. Começa a discar novamente.

    JOE
    Alô?

    WIL
    E ai Joe, é o Wil.

    JOE
    Fala cara, o que manda?

    WIL
    Tô precisando da sua ajuda.
    E do seu irmão também.

    JOE
    É dinheiro?

    WIL
    Porra, não. É uma coisa mais
    importante que isso.

    JOE
    O que é então?

    WIL
    Vocês podem vir pra cá a
    noite? Lá pelas nove.

    JOE
    Acho que sim, mas porque?

    WIL
    Você vai saber, se vier.

    JOE
    Tá tudo bem cara?

    WIL
    Não, mas podemos mudar
    isso, ok?

    JOE
    Certo. Nove horas.

    WIL
    Isso. Até logo.

    JOE
    Falo.

    Wil desliga o telefone, está um pouco mais tranquilo agora. Ele liga o som e deita na
    cama, procurando relaxar um pouco. O dia será longo.


    19.
    EXT. PRÉDIO DO WIL - NOITE

    Não há movimento na rua. Tudo parece um tanto sombrio.

    Um carro dobra a esquina e pára na frente do portão. Dele dessem dois jovens de
    18 anos. O mais alto deles é Howte, ele é magrelo e tem 1.90 de altura. O outro
    tem mais ou menos 1.80, mas ao contrário do irmão é forte.

    Os dois vão até o interfone, Joe está na frente dele, mas não aperta nenhum número.

    JOE
    Você lembra o número do AP
    dele?

    HOWTE
    Pior que não.

    JOE
    Você trouxe o seu celular?

    HOWTE
    Pior que não.

    JOE
    Você so sabe falar isso?

    HOWTE
    Pior que não

    Joe fica um pouco nervoso, mas antes dele fazer qualquer coisa uma moto chega no local.
    É Zed.

    Zed desce da moto e tira o seu capacete.

    ZED
    E ai pessoal.

    JOE
    Fala Zed.

    ZED
    Chegaram agora?

    JOE
    Sim agora. Mas não
    lembramos do número do Wil.

    Zed vai até o interfone e aperta o número 83.

    Rapidadamente alguem responde, é o Wil.

    WIL(o.s.)
    Bem na hora.

    Ele abre o portão. Os rapazes estão pra dentro do portão agora.

    JOE
    O que será que o Wil quer?

    ZED
    Não sei, mas eu senti uma
    preocupação na voz dele.

    JOE
    É, eu também.


    20.
    INT. AP DO WIL - NOITE

    Wil abre a porta, ele cumprimenta os três rapazes.

    WIL
    Que bom que vieram.

    JOE
    O que tá rolando?

    WIL
    Vamos sentar.

    Eles vão até a sacada. Há uma mesa branca com quadro cadeiras em volta. Cada um
    ocupa um lugar.

    WIL
    Bem. Primeiro, o que eu
    falar daqui pra frente não
    sai daqui. De acordo?

    ZED
    Tá certo.

    JOE
    Sem problemas.

    Howte não fala nada. Na verdade, ele não parece muito interessado na conversa.

    Joe pisa no seu pé.

    HOWTE
    Sim, sim...

    WIL
    Certo. Vocês sabem que eu
    me sinto um tanto culpado
    pela morte do meu pai.
    (pausa)
    Mas eu não engulo o fato
    dele ter se suicidado. Alguma
    coisa aconteceu na porra
    daquele prédio maluco.
    Naquela noite meu pai me
    disse que tinha visto algo lá
    dentro e foi investigar. Ele
    precisava ver o que era.
    Agora isso aconteceu comigo.
    Alguém quer que eu entre lá
    e veja com meus próprios
    olhos o que há lá dentro. E
    uma vez lá dentro vou
    finalmente descobrir o que
    realmente aconteceu com
    meu pai.

    JOE
    Mas você da fama que o
    lugar tem. Ainda mais depois,
    depois...
    (pausa)
    Depois do que aconteceu com
    seu pai.

    WIL
    Sei. Por isso que vocês estão
    aqui, pra eu não ir sozinho.
    Não estou preparado pra isso.
    Mas não iremos sozinhos.

    Wil se levanta da cadeira e vai até o báu que está no canto da sacada. Ele o abra e tira
    um machado, um taco de beisebol, uma espada e um porrete.

    HOWTE
    (surpreso)
    Aonde você conseguiu tudo
    isso?

    WIL
    Eu achei por aí. Nós vamos
    precisar. Primeiro por que
    eu vi movimento lá dentro.
    Pode ser alguém, mas mesmo
    se não for, precisaremos de
    coisas como essas pois essa
    sala é de dificil acesso. Vamos
    ter que quebrar paredes.

    ZED
    Puta merda Wil. Eu me cago
    todo só de ver aquele prédio.
    Ainda mais com as...
    (pausa)
    Lápides.

    WIL
    Preciso descobrir o que houve
    com meu pai. E também saber
    quem era aquela criança. Eu
    chamei vocês porque são
    meus amigos. E realmente não
    consigo ir sozinho. Mas quem
    vai tomar a decisão são vocês.
    Se não quiserem ir eu entendo.
    Isso tudo parece absurdo. Eu
    mesmo não sei direito o que to
    fazendo. Mas sei que algo diz
    que eu tenho que fazer.

    Joe e Zed se olham.

    HOWTE
    Eu vou, mas só se eu for com
    a espada.

    WIL
    (rindo)
    Tudo bem, ela é sua.

    JOE
    Ok, Wil. Eu vou.

    ZED
    Eu também.

    WIL
    Valeu pessoal.

    ZED
    Quando vamos?

    WIL
    Agora mesmo.

    Wil pega o machado e entrega a espada para Howte. Joe fica com o taco de beisebol e
    Zed com o porrete.

    Eles estão deixando o AP quando o vizinho da frente, um homem de 40 anos abre a porta e
    ve os jovens com as armas.

    Eles não sabem o que fazer. Até que wil levanta o seu machado e finge que vai acerta-lo.
    O homem entra correndo no seu apartamento e traca a porte.

    Os rapazes riem.

    WIL
    Vamos sair fora antes que ele
    chame a polícia.


    21.
    EXT. PRÉDIO DA ESQUINA - NOITE

    A imagem do prédio parece mais assustadora do que nunca. Há um vento forte e esse som
    faz com que ele pareça mais horripilante.

    Os quatro garotos estão na frente dele. Eles o encaram. Wil e Zed estão imóveis, imponentes.
    Por outro lado os irmãos Joe e Howte estão nervosos. Ninguem diz uma palavra.

    Wil segura o seu chamado e vai pra frente das lápides, Zed vai atras.

    ZED
    Sinto pelo seu pai, mas algo
    me perturba. Quem será que
    é essa criança?

    WIL
    Não sei, mas isso é outra
    coisa que iremos descobrir.

    Wil faz sinal para os outros os acompanharem, mesmo inseguros eles o fazem.

    Os quatro estão na porta de entrada. Está lacrada.

    WIL
    Se afastem.

    Os outros três recuam e Wil faz uma posição de ataque com o machado e desfere um golpe
    na porta de madeira. Ela fura.
    Ele repete isso cinco vezes e dá um chute, que faz com que ela se abra.

    WIL
    Bem, vamos lá.

    Lá dentro está escuro, não da pra se ver nada, mas mesmo assim eles entram.


    22.
    INT. PRÉDIO - NOITE

    Está muito escuro. Howte está tão nervoso que sua demais nas mãos, fazendo a espada
    escorregar. O barulho do impacto foi grande.

    HOWTE
    Mal, mal.

    WIL
    Não acredito que esqueci de
    pegar uma lanterna.

    JOE
    Eu trouxe.

    WIL
    Você é o nosso salvador.

    Joe pega a lanterna no bolso da sua jaqueta. Não é muito potente. No momento em que ele
    a acende podemos ver um vulto entrando numa porta que fica no fim do corredor, os rapazes
    não o viram.

    ZED
    Bem melhor.

    Howte pega a sua espada.

    JOE
    Vê se toma cuidado. Não
    vamos assustar os mortos.

    WIL
    Não brinque com isso.

    Eles estão no ínicio do corredor, até o fim dele existem 6 portas, uma em cada lada. Tudo está
    bagunçado, queimado, sujo e escuro, a lanterna serve apenas pra enxergar uns 2, 3 metros na
    frente, não dando uma boa perspectiva do que está a volta deles.

    Mesmo assim eles seguem em frente, em fila indiana. Wil é o primeiro.

    Uma pequena luz brilha na última porta a esquerda, Wil a vê.

    WIL
    Vocês viram?

    ZED
    O que?

    WIL
    A luz, no final do corredor?

    ZED
    Você tá bobo?

    WIL
    To falando. Vamos prá lá.

    ZED
    Você quem sabe.

    Eles vão em direção a porta, vagarosamente, medindo todos os passos. Howte está mais nervoso
    que nunca, agora seu nervosismo já virou pânico. Ele cai no chão e tem uma convulsão.

    Os outros três vão ajuda-lo.

    ZED
    Puxa a lingua dele!

    Joe o faz.

    WIL
    Ele está bem?

    JOE
    Howte! Howte!

    Howte abre os olhos.

    HOWTE
    Tô vivo.

    JOE
    Que susto que vc me deu.
    Não posso perder você cara.
    Você é a minha única familia.

    HOWTE
    Calma, eu tô aqui.

    Os irmãos se abraçam. Nesse exato momento a luz torna aparecer na mesma porta. Dessa vez todos
    a enxergam.

    WIL
    Howte, vai prosseguir?

    HOWTE
    Sim.

    WIL
    Então vamos.

    Joe e Wil ajudam Howte a se levantar. Ele parece estar recuperado.

    WIL
    Vamos.

    Cada um está segurando a sua arma. Eles finalmente entram na porta. No exato momento em que todos
    estão lá dentro ela se fecha. A lanterna não está funcionando. Está muito escuro.
    Wil mexe no seus bolsos, ele tira um isqueiro. Ele o acende. Nada pode ser visto. Wil olha o lugar e vê
    um monte de papel dentro de algo que parece ser uma larareira, de fato foi uma lareira, um dia. Ele põe
    fogo nos papeis.

    Agora dá pra ter uma ideia do que tem na sala.
    Ela é pequena. Tem uma janela que dá pra rua. Na verdade é nessa janela onde Wil viu o vulto. É muito
    escura, e fede. Fede muito. Os rapazes estão trancando os narizes.

    Derepente o fogo da lareira se apaga. E no canto oposto uma luz muito fraca se acende, parece um lampião.
    Na frente dele o vulto aparece.

    É um homem, de uns 40 e poucos anos. Ele está de preto. Usa um chapeu, daqueles antigos e luvas brancas.
    Os rapazes param.

    O homem dá um passo pra frente.

    Wil faz posição de ataque, assim como os outros.

    O homem ri. Wil sabe que já ouviu aquela risada. Em seus sonhos e na própria rua.

    WIL
    Quem é você?

    O homem não responde, ao inves disso ele permanece parado.

    WIL
    Quem diabos é você?

    HOMEM
    Diabo? Interessante. Agora
    cale a boca. Eu faço as
    perguntas. Quem dé vocês
    é Wil Knott?

    Wil pisca os olhos várias vezes.

    HOMEM
    Eu já imaginava. Seu pai me
    falou de você.

    WIL
    O que você sabe sobre ele?

    HOMEM
    Eu disse que eu faço as
    perguntas.

    Howte pega sua espada e ataca o Homem. A espada simplesmente não o atinge.

    HOMEM
    Vocês acham que estou
    blefando? Me digam o
    que querem aqui?

    Howte está desesperado.

    HOWTE
    Ele, o Wil. Ele nos pagou
    pra vir aqui. Não queriamos
    vir. Desculpe, desculpe.

    HOMEM
    Eu não gosto quando
    pessoas entram aqui e me
    perturbam. Vocês o fizeram.

    JOE
    Não era a nossa intenção.
    É culpa dele.

    Joe aponta pra Wil.

    O homem se dirige a Zed.

    HOMEM
    Você, me responda. É
    verdade isso tudo?

    Zed olha pra Wil.

    ZED
    Sim.

    HOMEM
    Interessante. Bem, acho que
    vocês estão livre. Vão
    embora, antes que eu mude
    de ideia.

    Os quatro iam saindo. Mas o Homem chamou Wil de volta, e este simplesmente parou
    e deu meia volta.

    HOMEM
    É só você que eu quero.

    WIL
    O que você fez com o
    meu pai?

    HOMEM
    Você acredita em Deus?

    WIL
    Não.

    HOMEM
    Então, não acredita em
    diabo, satanas, lucifer,
    etc?

    WIL
    Não.

    HOMEM
    Se eu lhe disser que sou um
    escravo de Lúcifer, você
    acreditaria?

    WIL
    Jamais.

    HOMEM
    Sabe porque o seu pai veio
    aqui? Ele disse recebeu um
    sinal. Pra vir aqui. Uma vez aqui
    ele percebeu que a sua suposta
    missão era...
    (rindo)
    Me expulsar desse corpo ou
    melhor, dessa alma.
    Acho que ele falhou.

    WIL
    Não acredito nisso.

    HOMEM
    Sabe de quem é a lapide lá
    na frente? Thiago Nunens?
    É o filho desse homem. Você
    acha que um pai mataria seu
    filho, ainda bebe? Lúcifer estava
    afim de se divertir e me enviou.
    Aconteceu de eu vir parar aqui,
    nesse corpo, nessa alma. Alma
    que vai ser atormentada
    eternamente. Deus enviou
    alguém pra mudar isso. Seu pai.
    Nunca que ele teria sucesso.
    Pois ele era fraco, apesar de ter
    fé nesse... Deus.

    WIL
    O que aconteceu com ele?

    HOMEM
    Digamos que eu usei de um
    artificio, e fiz com ele se
    matasse. Ele estava conseguindo
    me expulsar, então tive que
    usar... hmm... 10% da minha
    força. Antes de eu finalmente
    controla-lo ele disse que um
    dia o seu filho viria aqui e
    terminaria o serviço. Bem olhando
    pra você creio que seu pai estava
    delirando. Rapaz, seu pai passou
    a vida inteira se dedicando pra
    algo que não vale a pena
    (berrando)
    DEUS É UM MISERAVEL.

    O Homem se acalma e se vira. Ele pega um papel que esta em cima de uma cadeira.

    HOMEM
    Seu pai lhe deixou isso.

    WIL
    Meu pai?

    HOMEM
    É.

    É uma carta, o Homem entrega para Wil. Wil a lê em voz baixa.

    WIL
    Você pode terminar oq eu comecei.
    Aquela alma não merece esse
    sofrimento. Você tem que expulsa-lo
    de lá. O nome desse demonio é Cádiz.
    Infelizmente ele é um demonio. Mas
    você pode com ele. Há muito poder
    em você. Basta ter fé. Tenha
    fé. Acredite. Você consegue.
    Não o escute, ele so fala besteira,
    vai tentar te iludir com palavras.

    Wil chora e parece aceitar a missão.

    WIL
    Pai!

    O homem ri.

    HOMEM
    Eu já li essa carta. Realmente me
    chamo Cádiz. Mas o que seu pai
    falou é sem sentido. Você não
    pode comigo.

    WIL
    Agora sei o que tenho que
    fazer.

    HOMEM
    Pare com essa besteira. Se
    Deus se importasse com você
    ou com sua familia pq ele não
    desce aqui e faz esse serviço?
    Ele não é o Todo-Poderoso?
    O que você me diz disso? Sabe
    oq eu acho? Acho q ele está
    rindo disso tudo. Rindo de seu pai
    e com certeza ele vai rir de você.

    WIL
    Cale a boca!

    Wil pega o machado e tenta acerta-lo, sem sucesso.

    HOMEM
    Que inutil. Rapaz, eu posso
    acabar com você a hora que
    eu quiser.

    O homem encosta no ombro de Wil, este não aguenta de dor, ele está no chão berrando,
    agora está sussurando, parece que vai partir.
    O homem o solta.

    HOMEM
    Mas eu gosto da sua coragem,
    ou seria burrice? O fato é que
    alem de mim ninguem gosta de
    você! Nem Deus, nem seus amigos.
    Viu o que eles fizeram? Na primeira
    oportunidade te entregaram.
    Assinaram a sua sentença de
    morte. Se eu não lhe admirasse
    você já estaria morto.

    Wil está chorando.

    HOMEM
    Sim, chore. Não tenha
    vergonha. Você é a vitima
    aqui. Todos te odeiam.
    Menos eu.

    Wil fica firme.

    WIL
    Cadiz, saia desse corpo!

    O homem começa a rir, histericamente.

    HOMEM
    Certo, cansei.

    O homem olha fixamente pros olhos de Wil, por 30 segundos. Wil parece estar hipinotizado.

    HOMEM
    Agora vá. Faça o que
    tem que fazer.

    Wil está deixando a sala. Com o machado na mão.


    22.
    EXT. PRÉDIO - NOITE

    Os três garotos saem correndo. Eles estão fora do prédio e atravessam a rua.

    ZED
    Temos que chamar ajuda
    e voltar lá.

    JOE
    Quem vai acreditar em nós?
    E na verdade, Wil já está
    morto.

    ZED
    E o que faremos então?

    JOE
    Bosta nenhuma, você vai
    pra sua casa. Eu vou pra
    minhacom meu irmão e não
    tocamos nesse assunto.
    Nunca.


    23.
    EXT. PRÉDIO - NOITE

    Há um vento muito forte. Wil sai do prédio com o machado na mão. Ele está assustador.
    Já passa de uma da manha.

    Ele continua andando.


    24.
    INT. CASA DE ZED - NOITE

    Zed e Magnolia estão no sofá da sala. Zed parece preocupado.

    MAGNOLIA
    Se isso for verdade, deixa
    ele lá.

    ZED
    Por que você tem tanta
    raiva do Wil assim?

    MAGNOLIA
    Eu nunca te contei?

    ZED
    Não.

    MAGNOLIA
    Nós eramos namorados...

    ZED
    Tá, isso eu sei, mas e ai?

    MAGNOLIA
    Você não vai querer ouvir
    isso.

    ZED
    Agora conta.

    MAGNOLIA
    Eu era virgem quando
    estavamos namorando. Eu
    disse que só daria pra um
    cara que gostasse mesmo
    de mim. E ele fingiu ser esse
    cara. Não preciso terminar
    né? Dois dias de termos
    feito... você sabe, ele me
    chutou.

    ZED
    Que babaca! Mas ele deu um
    motivo?

    MAGNOLIA
    Ele disse que tinha achado
    a garota da vida dele. Uma
    tal de Sarah.

    ZED
    A quanto tempo foi isso?

    MAGNOLIA
    A uns três anos.

    ZED
    O Wil ainda tá com essa
    garota.

    MAGNOLIA
    Talvez ele goste mesmo
    dessa garota então. Mas
    eu fiquei um bom tempo pra
    baixo. Mas não tem nada
    não.

    Magnolia começa a chorar.

    ZED
    Meu deus, você gosta dele
    ainda.

    MAGNOLIA
    Não, é de você que eu gosto.

    Ela vai beijar Zed mas este desvia o rosto.

    Zed se levanta e abre a porta da rua. Na porta está Wil com o machado.

    ZED
    Wil? Você conseguiu escapar?

    Wil está diferente, com um cara estranha. Com os olhos estranhos.

    ZED
    Você está bem?

    Exatamente depois de Zed falar "BEM" Wil levanta o seu machado e desfere um golpe
    que corta o pescoço do Garoto. A cabeça cai no chão.

    Magnolia perdeu a fala. Wil a vê, ela se encolhe toda.

    MAGNOLIA
    (gritando)
    O que você fez? Seu...
    Sai daqui, vou chamar a
    polícia.

    WIL
    Eu estou sendo obrigado a
    fazer isso.

    Wil vê uma bolsa do lado da porta, ele a pega, e põe a cabeça de Zed dentro dela.
    Ele se vira de costas e deixa a casa.


    25.
    INT. QUARTO DE HOWTE E JOE - NOITE

    Os dois irmãos dormem em um beliche.

    A luz se acende, é o pai deles.

    PAI
    O Wil tá la na frente, ele
    parece estranho.

    O pai se retira.

    Os irmãos se olham e sem falar uma palavra decidem ir ver o que estava acontecendo.


    26.
    EXT. CASA DE HOWTE E JOE - NOITE

    Wil está parado em frente ao portao, com a bolsa ao seu lado e com o machado
    escondido nas suas costas.

    Os garotos estão assustados.

    HOWTE
    Wil, você está bem?

    Wil não responde.

    Joe abre o portão. Wil mostra o machado e corta a sua cabeça. Howte tenta sair
    correndo mas Wil joga a sua arma e entra nas suas costas. Howte cai no chão.
    Wil vai até ele, arranca o machado das costas e dá um golpe no pescoço, cortando
    a cabeça.

    Wil pega as duas cabeças e coloca dentro da bolsa.

    Vai deixando o local, mas esquece o machado.


    27.
    INT. QUARTO DO WIL - NOITE

    Wil entra no seu quarto sem falar com sua mãe, ele continua estranho. Joga a bolsa
    num canto e Quando vê a sua cama a primeira coisa que faz é se jogar nela.


    28.
    INT. QUARTO DO WIL - DIA

    Wil dorme. Sarah entra no seu quarto e o acorda. Elá está precupado

    Wil está normal agora.

    WIL
    O que foi amor?

    SARAH
    Onde estão seus amigos?

    WIL
    Quais?

    SARAH
    O Joe, Howte e Zed.

    WIL
    Como eu vou saber?

    SARAH
    Eles não vieram aqui ontem?

    WIL
    Sim, mas devem ter ido pra
    suas casas depois.

    SARAH
    Tem certeza?

    Wil pensa um pouco.

    WIL
    Nós fomos pra rua, depois
    entramos em um prédio lá.
    Não lembro de mais nada.
    Mas por que você tá me
    perguntando isso?

    SARAH
    Porque eles foram
    (pausa)
    Assassinados.

    WIL
    Que?! Onde? Quando?

    SARAH
    Na casa deles, hoje de
    madrugada. Deu noticia
    no jornal.

    WIL
    Meu deus.

    Wil se levanta e vai saindo.

    SARAH
    Aonde você vai?

    WIL
    Preciso ficar sozinho. Vou
    pra sacada.

    Wil sai do quarto, mas Sarah fica. Ela dá uma olhada ao seu redor e ve a bolsa. A bolsa
    está suja e com manchas de sangue. A garota a abre, e toma um susto. Logo tem um
    inicio de pânico.

    Sarah pega o telefone e liga pra policia.


    29.
    EXT. SACADA - DIA

    Wil está sentado no mesmo banco da noite anterior. Agora ele está fumando.

    Ele escuta barulhos vindo de dentro do prédio, quando ele se vira pra ver o que é,
    quatro policias apontam armas de fogo pra ele.

    POLICIAL
    Wil Knott?

    WIL
    Sim?

    POLICIAL
    Você está preso.

    WIL
    O que? Por que?

    POLICIAL
    Tudo o que disser poderá
    ser usado contra você e bla
    bla bla...

    O policial bota as algemas na suas mãos e o leva pra fora do prédio.


    30.
    INT. PRISÃO - NOITE

    Wil está na cela com outros sete detentos. Eles o olham com desconfiança. E resolvem
    brincar com ele.

    DETENTO 192
    Abaixa as calças ou morre.

    Wil chora.

    DETENTO
    Que mocinha.

    O detento 192 dá um soco na cara de Wil. Os outros seis o seguram e começam a tirar a
    sua calça. O detento está desfivelando a sua calça quando um policial chega.

    POLICIAL
    Parem, vocês não vão ter
    mais tempo. Esse cara ai
    já ta morto.

    O policial pega Wil e tira da cela.

    WIL
    Como assim morto? Não vou
    ter um julgamento?

    O policial começa a rir.

    POLICIAL
    Vai sim.

    WIL
    Vou ligar pro advogado da
    familia.

    POLICIAL
    Não será necessario, nós
    arranjamos um pra você.

    WIL
    O que?

    O homem da lei pega o seu cacetete e golpeia as pernas de Wil

    POLICIAL
    Cala a boca e vem comigo.


    31.
    INT. TRIBUNAL - NOITE

    O tribual é composto por um Juiz, que na verdade é um policial e um advogado que
    está dormindo. Ele bebeu demais.

    JUIZ
    Wil Knott. Você se julga
    inocente ou culpado pela morte
    de Joe McKay, Howte McKay e
    Zed Cubeniz?

    WIL
    Inocente.

    JUIZ
    Ok. A sua sentença é
    (pausa)
    Linxação em praça publica.

    WIL
    O que?

    Quando Wil termina a frase o mesmo policial lhe golpeia novamente, dessa vez na cabeça,
    fazendo-o desmaiar.


    32.
    EXT. PRAÇA - DIA

    Wil está no meio de uma praça. Milhares de pessoas estão a sua volta. Inclusive uma
    TV ao vivo. Todos estão enraivecidos.

    Começam a atirar pedras contra ele. Uma o acerta no rosto, que começa a sangrar.

    Wil corre, mas a multidão o fecha. As pessoas começam a chuta-lo e a soca-lo. Ele
    cai no chão. Começam a cuspir na sua cara, outros mijam em cima dele. Um homem
    dá três pauladas na sua cabeça.

    Wil desmaia.

    Mas a multidão continua a bater nele. Um outro homem caga em cima do jovem.

    Wil ainda está vivo. Cinco homens o levantam e o colocam no meio da rua.
    Um carro passa por cima dele. Agora Wil está morto.

    A multidão esbraveja e bate pate palmas.


    33.
    INT. QUARTO DO WIL - DIA

    Sarah está assistindo a televisão. E não acredita no que vê.

    SARAH
    O que eu fiz? O que eu fiz?

    Sarah entra em desespero e chora muito.

    Ela escuta um barulho, é a mãe de Wil chegando. A mãe do garoto entra no quarto.

    MÃE DE WIL
    O que aconteceu?

    Sarah explica tudo, não podemos escutar, apenas vemos o desespero das duas.


    34.
    INT. PRÉDIO ABANDONADO - DIA

    O homem que iniciou tudo isso solta a mesma risada macabra. Seu trabalho está
    feito.


    35.
    EXT. PRAÇA - DIA

    Longe da multidão que acaba de matar Wil está Magnolia. A garota está com os olhos
    aguados. As lagrimas caem. Ela olha pro céu, abre sua bolsa e tira uma foto.
    É uma foto do Wil, ela a encara e chora.



    FADE TO BLACK.
     
  2. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Hmmmmmmmmmmmm.... Gostei mesmo, Wilknot.... É difícil eu ler um texto grande aqui no CdE, mas esse me prendeu e eu li ansioso até o fim. Muito envolvente e misterioso... Só não gostei da parte da linchação, acho que ficou meio... Ah, não sei... Eu acho mais interessante ele morrer linchado na prisão mesmo pelos detentos, mas você é quem sabe.
    Outra coisa, na hora que ele vê a lápide do pai você fez um comentário dizendo que era o pai dele, mas quem tá assistindo não vai saber... Isso é proposital ou foi um descuido?

    Mas tirando isto eu achei muito legal e adoraria ver esta história filmada, eu acho que as descrições curtas dão um espaço pra interpretar enorme, eu imagino perfeitamente as cenas porque elas dão espaço para isto e não restringem a sua imaginação... Não é um prédio assim e assado, é um prédio antigo macabro... Você me entende?

    Continua assim, quero ver um filme famoso inspirado num roteiro teu, combinado? ^^
     
  3. Tcheco_theOld

    Tcheco_theOld Usuário

    Opa!
    Valeu por ter lido, valeu mesmo.

    Realmente a linxação em publico é meio forçada, sua ideia ia ser melhor.

    Na verdade, dá pra saber que o nome da lapide é o nome do pai do wil, pois esta escrito Lars Anderson, e quando Wil vai pegar o seu boletim ele dá seu nome completo: Wil Anderson.
    Mas acho que talvez o pessoal não iria se lembrar, como aconteceu com vc. Poderia ser melhorado isso, concordo.

    E quanto a sua útima frase...
    precisaria de toda a sorte do mundo... mas coisas impossiveis as vezes acontecem... hehe
     

Compartilhar