1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Vinci] [OUIJA]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Vinci, 13 Ago 2004.

  1. Vinci

    Vinci Usuário

    [Vinci] [OUIJA]

    Autor: Vinci
    Gênero: Terror
    Título: OUIJA

    Esse é um conto ligeiro dividido em três partes sobre uma sessão de Ouija.

    OUIJA - Parte 1

    Jorge olhou para o tabuleiro, sentindo uma aflição enorme. Perguntou-se o motivo pelo qual havia entrado naquela "brincadeira", e lembrou-se de que fora convidado pelos amigos e aceitara para... bem, para não ser medroso. Se Jorge não gostava de alguma coisa era de parecer medroso perante aos colegas. Mas agora, achou que parecia mais amedrontado do que um cara que compra uma casa e descobre que todos os demônios do inferno vieram dar um pulinho ali, uma visita de boas vindas macabra.

    - E então, podemos começar? - perguntou Ana. Ela que havia comprado a droga do tabuleiro OUIJA, e desde então, parecia fascinada com aquele negócio. Fascinada demais.

    Ele tentou responder um "não" bastante sonoro, mas não conseguia. Seu velho orgulho besta não permitia. Não queria ser chamado de fruta no colégio, não queria.

    - Acho que sim - respondeu Fernando, olhando para seu videogame com uma cara de "tomara que isso demore pouco" - E você, Jorge, está preparado?

    - Sim - ele disse. As palavras saíram rápidas de sua boca, como se por instinto.

    Ana indicou para todos botarem o dedo no ponteiro, e Jorge fez isso, ligeiro. Seu pensamento um pouco relutante, é claro, mas ligeiro. Jorge viu Ana pegar uma revistinha-espírita-barata que estava do lado da mesinha de fazer dever de casa do quarto de Fernando e leu algumas coisinhas, recitando alguns versos que pareciam orações sinistras.
     

Compartilhar