1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Vinci] [Luquinhas e o Sonho]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Vinci, 8 Nov 2003.

  1. Vinci

    Vinci Usuário

    [Vinci] [Luquinhas e o Sonho]

    Luquinhas e o Sonho

    Um casarão imenso erguia-se imponente bem na frente de Lucas. Embora não quisesse nem um pouco entrar nele – tinha visto um filme do Stephen King com um casarão bem amaldiçoado e estava traumatizado com eles desde então -, sentiu-se compelido a fazê-lo.
    Sua mente relutava, mas seu corpo não obedecia. Após alguns minutos, já encontrava-se nos Jardins, próximo a porta, bem perto de entrar.
    Os jardins eram extensos e com certeza serviam de morada para muitos fantasmas, pois as casinhas de jardinagem estavam abandonadas a muito tempo, assim como o próprio local.

    ”Não,” pensou ele “ não preciso ter medo dessas [email protected] aí. Se os fantasmas moram nessas joças aí é porque são peixe pequeno.”

    Coitado do Luquinhas. Já sentia a necessidade de pensar em frases encorajadoras. O Luquinhas na verdade nunca foi muito corajoso... O rapaz ficava paranóico por três meses depois de ver um filme de terrror, e, a noite, sempre ouvia muita coisa. Mas o Luquinhas estava lá e não tinha como escapar.
    Depois de pensar naquela frase, as casinhas explodiram, todas. Deviam ser quatro, mais ou menos. O som de passos. Lucas corre até a porta, que ficava no meio de dois pilares brancos, de mármore, e entra.
    O saguão era grande. Grande demais. Um lustre muito bonito, que com certeza valia uma nota, como todas as coisas mofadas que ali estavam, tinha que iluminar a sala com velas, mas não iluminava. Um amontoado de parafina de cada lado ao invés de velas.
    Som de uma porta sendo trancada. Pânico. Lucas ouve socos na janela. Quatro zumbis batiam incessamente no vidro duro, um deles espremendo o rosto contra o mesmo, uma visão horrível.
    Caralh0, não era pro Lucas ter aquele pesadelo. Ele sabia disso. Não devia ter visto o filme com a Patrícia. Aliás, ele viu mais a Patrícia do que o filme, não devia estar tão incomodado assim.
    Como em todo pesadelo que se preze, o coração do Luquinhas batia tanto que ele tinha chances altíssimas de ter um ataque cardíaco ali, naquele momento.
    Os zumbis continuavam, de modo que ele se sentisse em um pânico profundo. Subiu as escadas. Ele sabia que ia dar mais bosta ainda, mas novamente, sua mente não conteu seu corpo. Porra! Aquele pesadelo parecia mais um filme do que um pesadelo mesmo. Nos pesadelos mais convencionais pelo menos ele tinha livre arbítrio, nesse, ele não apitava nada.
    Vidro quebrando. Ouvindo isso, toda a adrenalina possível tomara conta do Lucas, e ele correu para cima, em disparada. Uma escada em caracol, com degraus grandes, de modo que ele não fosse tropeçar ali muito fácil.
    Subiu. O som de passos correndo atrás dele era sua motivação, e a adrenalina o tornava mais rápido do que uma moto.
    Subindo os últimos degraus, Lucas dá de cara com uma sala ampla, coberta por uma cúpula transparente. Ele não tinha visto aquela sala lá de fora. Era como a mansão do filme: a casa tava viva e começava a criar quartos do nada. Logo, o saguão sumiria e ele teria de pular alguma janela para sair de lá.
    No centro da sala, que parecia uma sala de chá inglesa, com móveis mofados com detalhes bem frescurentos, havia um gancho na cúpula. Nesse gancho, estava pendurada uma corda, e um homem, que com certeza tinha se suicidado, jazia lá, completamente podre, com um cheiro que fazia qualquer gambá parecer expelir perfume.
    ***
    Ele acorda. Aleluia, era só mais um pesadelo. Ele olha pro lado. Era seu amigo, o Fred, que conseguia mudar os sonhos dos outros.
    Aquele puto! Estava caindo de rir! Ele iria pagar, o puto.

    - Fred.
    - Hahahahahaha.... Que ?

    SILÊNCIO.
    O som de uma cabeça rolando.
    Silêncio. O piar de uma coruja. Luquinhas volta a dormir.
     
  2. Thrain...

    Thrain... Usuário

    Uhhuhu!! MTO show o final!! O sonho podia ter sido um pokinho melhor, parecia filme vagabundo d terror....ms o final......
     
  3. Vinci

    Vinci Usuário

    Ahuahuahuahauhauahuahuahau. Q bom q gostou. Mas o sonho é tipo filme de terror vabagundo (erro proposital, entendam) mesmo...!
     

Compartilhar