• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

[L] [Tírion][Livro Azul - Parte 1 - O Mundo das Rochas]

Sauron_Body

Usuário
[Tírion][Livro Azul - Parte 1 - O Mundo das Rochas]

O Livro Azul do Começo



E a lenda começou quando um sonho se formou nas mentes de todos.
Antes que o sonho se tornasse pesadelo, ele se tornou realidade.



E todos acordaram. Como se uma força de pensamento os liderasse, eles sabiam o que fazer. Em uma escada etérea escalaram o céu. E observaram a beleza da terra nua lá embaixo.

-- O mundo será nosso. E nele deverão viver as Criaturas dos Sonhos. - disse Um, que seria depois batizado de Thërein pelos Outros, e de Tírion pelos mortais.

E o trabalho começou. Todos Eles se batizaram, e com toda força, ergueram as rochas e começaram a moldar a terra. Montanhas eram feitas, mares e oceanos eram escavados. Florestas eram semeadas e logo a terra estaria pronta, e seria chamada para sempre de Gëwa, o mundo das Rochas. E um guardião de cada um d’Eles foi atribuído para uma parte deste mundo.

Rewëin, Senhor das Rochas; Argë, Donzela das Águas; Ingwële, Senhor dos Gelos; Hargä, Senhor das Montanhas; Tírion, Senhor dos Ventos e muitos outros, como eram chamados na língua dos mortais.

Em uma congregação, decidiu-se que Esthë, Senhor da Luz, seria o rei dos Deuses, e no meio do oceano, um castelo de mármore foi construído. Perthilië era seu nome, e nenhum palácio conseguiu ser mais belo ou mais alto que este, pois neste os deuses moravam. Do alto da torre mais alta, Esthë olhava o mundo.

O mundo era escuro. Nenhuma luz irradiava além do próprio coração de Esthë. Os primeiros habitantes de Gëwa foram criados na solidão dele e dos outros. Eram altos e esguios, inteligentes, mas não eram habilidosos com as mãos e sim com sua fala. No norte nasceram e lá ficaram. Chamaram-se de Yhellion, o povo da mente. Exploravam o mundo escuro a sua volta, tateando-o. Para o auxílio deles, Rewëin criou a Lua, a única rocha a voar, e a terra fora iluminada, mesmo que fracamente.

Esthë teve uma visão, uma visão do Fim, e ele se encheu de tristeza, e sua luz diminuiu, assim como a da lua. No seu lamento, ele criou mais um povo. Para que sua solidão fosse esquecida, criou um povo alegre, um povo que aproveitava a vida. Um povo feliz e cantante. Eles nasceram no sul. Chamaram-se de Thargullion. Cantando se aqueciam. E Esthë os ensinava algumas melodias e eles cantavam junto a ele.

Depois de muitos anos, Ingwële chegou ao ápice de sua inveja. Por que ele, um deus tão superior teria que ser o Senhor dos Gelos? Por que ele não poderia ser o Senhor do mundo? Ele invejava Esthë e o odiava. Tinha o desejo de matá-lo. E por ódio, ele criou seu próprio povo. Criou um povo que seria destinado a odiar os outros povos. Guerreiros eles eram. Eram vaidosos e orgulhosos. Eram habilidosos na arte de construir e destruir. Chamaram-se de Thereluin. Quando Esthë descobriu, colocou uma maldição sobre aquele povo. E por enquanto, ele iria salvar o povo, retirando parte do ódio que foi concebido a eles. Mas o ódio de seu criador era maior e este fugiu de Perthilië. Procurou um lugar distante, onde a luz da lua não alcançava. E lá começou a fazer seus próprios povos, cheio de ódio. E lá ele começou seu Império. O Império da Escuridão, pois agora ele se nomeou como o Senhor da Penumbra, o Líder das Sombras e o ódio dele iria escapar. Esthë previa. E logo ele receberia um outro nome: Urgaliath, Aquele que Odeia a Tudo.

E o ódio de Urgaliath não foi esquecido pelos Thereluin. Esthë previu que grandes guerras aconteceriam pela causa deles. Para completar um ciclo, Esthë criou o último dos povos. Um povo robusto, com conhecimento profundo nas artes de coisas feitas pela mão. Eram mestres em forja. Eram os discípulos de Olgolion, O Senhor do Ferro.

Os povos viveram em paz e foram iluminados mais tarde pelo coração irradiante de Esthë, que iluminava o mundo, só não chegando aos profundos corredores de Urgaliath. E logo, o fogo do ódio e a guerra começaria, numa história perturbada e triste, do mundo das Rochas.
 
Tirion, eu achei muito legal, e espero a continuacao. Voce escolheu suas palavras muito bem, os acontecimentos tem sentido, esta belo de ler, compreendivel... e da para perceber que voce realmente se esforcou! Parabens!
 
Eu li antes mas me faltou palavras...
Então...vai agora mesmo...
Tá bom,muito bom...
Mas(sempre tem um mas...)...tá lembrando o Silmarillion...
Mas...com o tempo assume uma personalidade própria e perde esse ar...um ar de..."Já vi isso antes!"...
Mas tá bom,muito bom!
 
bom num sei o q postar, foi o Tirion q pediu pra historia dele num cair no esquesimento!
Hmmm...Sou um pessimo escritor num sei o q dizer e estou com sono, mas vou dizer,Gostei é legal espero q venha a segunda parte(Para num parecer chato:ADOREI!!!!!!!!!!!!!!!!! :D :D :D
 

KADU

Estão vendo esta caneta?
Como o pessoal disse vc soube lidar muito bem com as palavras, o texto flui muito bem. Mas percebe-se a semelhaça com a história de Arda e dos Valar...talvez por isso na minha visao o texto tenha perdido um pouco de originalidade. Mas ficou muito bem escrito.
 

Valinor 2021

Total arrecadado
R$200,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo