1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Skylink] [Adenota de passagem, epitáfio intelectual]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Skylink, 16 Jun 2005.

  1. Skylink

    Skylink Squirrle!

    [L] [Skylink] [Anedota de passagem, epitáfio intelectual]

    Ando pelos olhos do tempo; tempo parado, tempo cansado. Enxergo uma névoa branca, fina, um pesar de consumição a enfastiar o mundo inteiro e a mim mesmo nas gotas que se condensam. Oceano, lágrima que brota do frio sopro das saudades; habito ainda o tempo que se arrasta, que se prende e se arrepende.

    Porém já é tarde, e os relógios já não tocam, pois não há relógios. O caminho que trilho é um baralho de cartas veladas, sem coringas ou grandes charadas. Caminho intelectual, diriam aqueles que me assistem do passado. Peça de enfoque digital, diriam os do futuro; e rir-se-iam, talvez, se ainda lhes houvesse os dentes.

    Mas a maré não me atinge aqui; o dia me é estacionário, assim como as estações, as paixões, as decepções. Tudo um belíssimo arranjo mofado de velhas memórias, dois brincos, uma pérola! Jóia maior não há, visto que os ébrios enfeites da melancolia são apenas decoração neste mundo, parado, esquecido, vazio...

    Mas torno a empinar um charuto de caramelo, caramelo amarelo, veja bem; e com ele já se vai meu grande chamariz, meu próprio e único nariz... Ah, narizes, narigüidade! Meio tarde para outra volta em tua cidade. Mas observa então, a astúcia e a prolixidade dos formadores da república, dos proclamadores da independência emocional. Sim, olha-os bem, remira-os empinados e satisfeitos por um momento, antes que os volteios da vida curvem-nos sobre os próprios egos e o mundo desabe.

    Mas então, por fim, veja-me a dizer-me a mim mesmo, enquanto caio:

    - Sim, és belo!
     
    Última edição: 2 Jul 2005
  2. :ahn?:
    Uia, não sei se é porque é duas e pouco da manhã e eu estou acordada, ou se é pq minha concentração não é a mesma, mas esse texto me fez dar uma boa viajada, adorei! ^^
    Unh.... enquanto eu lia esse texto me lembrei de clocks, e ela ficou tocando na minha cabeça, ams nem sei pq....

    Vai ter continuação?
     
  3. Skylink

    Skylink Squirrle!

    A princípio, não... Fiz ele meio de impulso; tinha acabado de ler o "memórias póstumas de Brás Cubas" no outro dia (tanto que até usei um pouco a forma de narrar do Machado, como o Goba no Ergo sum), e a idéia me surgiu no meio do ônibus.

    Tenho que terminar a fábula ainda, para poder continuar ou desenvolver outras cositas.
     
  4. Idril

    Idril Usuário

    Texto bom, típico mesmo de quem acaba de ler Memórias Póstumas de Brás Cubas.

    Porém , o texto mais me lembrou aqueles poemas e letras de músicas de quem está querendo encontrar algo mas não consegue, como a sí mesmo, por exemplo.

    Um texto bom, agradável leitura. Poderia ter continuação! :clap:
     
  5. Lord Hugo

    Lord Hugo Usuário

    Bonito texto. Bastante Poético.

    Gostei como tu foi emendando uma palavra na outra. Bem interessante.

    Meus Parabéns.

    Como bem disse a Idr¡l, merece uma continuação.
     
  6. Lord Seth

    Lord Seth Banned

    O que você queria dizer com isso?
     
  7. Skylink

    Skylink Squirrle!

    Se eu disser que a Idril captou a minha intenção, e que eu fiquei em dúvida se foi mais a percepção dela ou a mais minha própria expressão que motivou isso... ahn... respondo tua pergunta?

    Não, né? Mas bem, como eu sei que vc non quer um detalhismo do tipo: eu delineei meus sentimentos através de uma viagem surreal por sobre um rosto contextualizado, notei só agora algumas coincidências que provacariam interpretações mais enamoradas/secas/irritadíssas, etc, etc... :roll:

    Posso quebrar um pouco a magia do texto e dizer:

    Muita coisa :P Para chegar então na conclusão de que o mundo é um lugar que permite criar borboletas na barriga, ser feliz, etc, mesm quando isso parece absurdo ^^


    Ugh, mas sem divagações... O final é uma análise de ângulos, deus egípcio. É o que forma a vida, num contexto de percepção, análise e classificação; é oq nos permite entende-la, de certas formas, de um certo ponto...

    Se você perceber, por sinal, isto acaba sendo um solilóquio extremadamente profundo, já que eu não cito mais que vertentes da minha personagem durante o texto inteiro.
     
  8. str1ker

    str1ker Usuário

    Bloody good, old boy.

    Continue escrevendo nesse estilo e eu, com certeza, continuarei acompanhando seus textos.
     

Compartilhar