1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Melkor, o inimigo da luz] [Felipe & Henrique]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Melkor- o inimigo da luz, 27 Set 2003.

  1. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    [Melkor, o inimigo da luz] [Felipe & Henrique]

    Isso na verdade é um "desabafo". Juro, sentei agora no computador e escrevi este "conto" em uns 13 minutos, não parei um minuto e não corrigi nada, simplesmente saiu de mim porque tava entalado.

    Não tentem entender nem esperem um grande texto... É previsível, já vou avisando... Se você quiser ler, não vou também dizer que está horrível, escrevi com uma linguagem diferente da que eu geralmente uso e isso, pra quem já leu algumas coisas minhas aqui, já é no mínimo interessante de se ver.

    Obrigado pelo interesse, não tem nem uma página inteira de texto, vai ser rapidinho! ^^


    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    Felipe lutou durante toda uma vida contra Henrique, mas eis que um dia um mensageiro do seu reino lhe trouxe uma notícia que aparentemente seria motivo para a celebração de uma grande festa: Henrique estava para morrer.


    Horrorizado com a mensagem e com a conduta do mensageiro, que sugeria uma grande festa que já estava sendo organizada, trancou-se em seu quarto e só desceu para a última ceia da noite.

    Sua família e os nobres que estavam hospedados no castelo o viram triste como nunca pensaram que ele ficaria em hipótese alguma e indagaram se ele não estava doente ou algo que o valesse.

    A verdade é que ele havia passado toda a tarde em seu quarto recordando-se de Henrique e viu que perderia um inimigo e um amigo, sendo as proporções para estes títulos iguais. Lembrou-se de quando o conheceu, um dia foram apresentados e ele maravilhou-se de modo extremo com a graciosidade de seu novo amigo. A todos lugares que ia gostaria da companhia dele, usou de todos seus artifícios para aproximar-se dele e enfim conseguiu atingir seu objetivo.

    Mais tarde houve uma Mariana ou uma Joaquina, que possuía o coração de ambos mas deu o seu próprio somente a um, e não foi para Felipe. Com ciúmes de sua amada, desejou com todas suas forças que eles rompessem mas talvez seu desejo não tenha tido força suficiente, pois nada parecia quebrar a linha que os unia.

    E a cada noite que Henrique vinha ao pé da cama de Felipe chorar e pedir ajuda, ele inventava um ardil e ao invés de uni-los, separava-os. E a cada dia que Henrique tentava entregar uma flor escolhida por Felipe à ela, por incrível coincidência ela não estava em casa, havia saído para ir à igreja com outra pessoa.

    Toda a corte comentava que Henrique e sua noiva nunca haviam tido qualquer espécie de contato físico, mas isso só alegrava Felipe em seu ridículo jogo, afinal, fora ele quem instruiu ambos à castidade e ao laconismo.

    Quando veio a separação, não chorou de alegria nem deveras de tristeza. Sentou-se em seu piano e tocou, levemente, a Sonata ao Luar de Beethoven enquanto ria desesperado. Seu objetivo havia sido concluído, não havia? Porque não sentir-se bem? Pois saiba que naquele momento ele viu que não tinha certeza de seus próprios sentimentos em relação à dama que por tanto tempo desejou ter em seus braços.

    Henrique por não poucas vezes tentou reaproximar-se dela, mas Felipe havia furtado seu coração sem autorização prévia e levava a diante seu plano de conquista. Se ele vinha com palavras doces, elas eram transformadas em vinagre quando passavam por ele antes de chegar aos ouvidos dela. Pobre Henrique!

    Então vieram as desavenças, exatamente na época que Henrique de fato começou a reaproximar-se da moça e Felipe sentiu-se sozinho novamente. Nenhuma de suas visitas, ilustres pensadores e ricos senhores feudais, era capaz de lhe livrar do marasmo. Achou tantos motivos para brigar com ele quanto há borboletas voando pelas pétalas das flores e por fim tornou-se inimigo dele, mesmo que não fosse consciente de sua decisão.

    Henrique provavelmente, nem minutos antes de morrer, soube que Felipe nutria ódio por ele desde que o viu e o invejou. Felipe morreu na mesma noite tomando um cálice de cicuta e, provavelmente, nunca soube se realmente amou a mulher com quem casou-se, a mesma mulher que o fez odiar o pobre mancebo que estava perdidamente apaixonado e nunca soube reagir ao inimigo, posto que este era invisível.


    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
     
  2. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    8O
    Melky, se mata.Vc axa isso ruim?!
    Eu acabo de repensar sobre colocar ou não um texto aki.Depois desse.

    Como,seu maníaco, você pode dizer que está péssimo?

    Está ótimo, eu nem tenho palavras para descrevê-lo.Puta cara, muuuuito bom,

    sabe o que eu osto nos seus textos e mais gente deve gostar tb?

    É a forma com a qual você levanta questionamentos existenciais/filosóficos em textos simplíssimos.

    Caralho carta, óoooooooooottimo! Parabéns.




    *5 copos de Chopp,1 taça de Vinho Branco,3 taças de Champagne, 1 dose de Whisky,bêbado? sim, mas mesmo assim, sóbrio o suficiente para reconhecer o grande autor que temos aqui*


    edit________________________________

    Edita o título, tá no formato errado :wink:
     
  3. muito bom o texto mesmo......escrito de forma clara e simples, e fácil de ler,
    e uma historia boa.....

    vc ta mei loko se acha q ta ruim!

    concordo com o Lord...muito bom!
     
  4. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Já editei, é que fiz correndo e fui viajar... Hehehehe

    Obrigado Gandalf e Lordy... Fico muito agradecido por terem gostado, lembrando que esta história é a história dos meus últimos meses, é claro, retratada de outro modo.

    Coloca sim seu texto, Lordy! ^^
     
  5. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    E vc editou errado :disgusti:

    *zoombie, trabalhando dura às 2 da manhã*
    :kiss:
     
  6. Vinci

    Vinci Usuário

    Esse aí foi o maior questionamento seu que eu já li. Fiquei na dúvida se o Felipe queria conquistar a dama por inveja ou por sentimentos, mesmo.
    Até quando você deseja que a pessoa se dê mal quando fala "vá se foder", e se ela morrer no mesmo dia?
    Parabéns :clap: !
     
  7. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Pois é... É o mais complicado porque ele é mais ou menos real. Até agora não sei o que eu senti (ocorreu mais ou menos comigo, é claro, que mudei uma ou duas coisas)... O mais estranho é que não sei de quem senti ciúmes e do que senti inveja... :/

    Obrigado
     
  8. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    Esse texto é igualzinho a "William Wilson" de Edgar Allan Poe :D
     
  9. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Sério? Juro que nunca li, anyway! ^^

    Alias, do tio Poe só li mesmo O Relato de A. Gordon Pym... Mto bom, por sinal...

    Qual é a história desse conto? Vc tá falando sério? (eu tenho trauma, quando pequeno inventei um herói que chamava "Mistic", ele podia se transformar em qualquer coisa... Dá pra entender porque fiquei com trauma... Depois escrevi um livro chamado "A Cidadela do Caos" e mais tarde vi um livro com esse nome... Tipo, é tanta perseguição que fico até meio assim assim...)

    ^^
     
  10. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    Tem no "Histórias Extraordinárias"
    Mas,eu prefiro você ao Edgar Allan Poe. :roll:
     
  11. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Não diga heresias, Lordy! Por mais que isso inflame meu ego, não ouso me comparar ao tio Poe... Ainda tenho muito caminho pela frente, anyway... Quem sabe UM DIA não chego lá.
     
  12. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    Bom,eu não sou herege.O Poe é enfadonho.Depois do sexto conto,você lê o começo e prevê o resto da história,sem falar nos temas,sempre iguais...
     

Compartilhar