1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Lord Meneltar][Manifesto]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Lord Meneltar, 13 Jul 2004.

  1. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    [Lord Meneltar][Manifesto]

    Há pessoas para as quais não deviam existir limites.Limites de tempo, de espaço, de costumes.Limite de vida.Simplesmente deveriam ser imortais, e em sua imortalidade exercer a sua arte.Não ter o tempo como uma coisa a se preocupar.Não ter que pensar no dia a dia.Não ter que pensar em que não merece.Só pensar na Arte.Só no que é bom.O eternamente Belo o eternamente Bom e o eternamente Puro. Seriam eternos, anjos, que vagariam pela terra, espalhando pelo mundo a beleza, a arte.Seriam arautos do paraíso, pois que transformariam a própria terra em um. Seu Gênio não seria limitado pelas amarras terrenas. Seriam espíritos, espectros. Sombras de luz em meio à grande treva iluminada.

    A grande treva iluminada, sim, esse mundo de luxúria e desgraça em que todos vivemos, que é maquiado constantemente.Massificação_Ora, que coisa idiota. Achar que todos são iguais.Igualdade é algo que deixou de existir assim que existiu um segundo ser humano.

    Mas, nesse momento glorioso, passou a existir a sociedade. Um ser humano passou a esperar atitudes, comportamentos, pensamentos.Padrões.Um ser humano passo a tentar prever o outro.Mas até aí, era mini.Quando transferiu-se isso a uma escala macro, mudou de forma.Um ser humano não tinha como lutar contra isso.Não era mais uma exigência humana, personificada, mutável. Era uma exigência impessoal, fria, padronizada, padronizadora.Ou se encaixa no padrão, ou para a pilha dos rejeitos. É exatamente aí que reside o erro.

    A pilha de rejeitos. O que repousa no túmulo-geral da humanidade banida do convívio social, onde os indigentes da vida gozam de sua morte anônima? O que teriam a dizer aqueles que a sociedade calou antes que pudessem balbuciar algo? E o seu padrão próprio.A sua psiquê. Como seria? Seria superior ao sistema vigente? Os padrões os sufocam. Os rejeitados pela escolhedeira social. Se simplesmente, todos se calassem e ouvissem o que cada um tem a dizer, a que veio, de onde veio e para onde vai.

    Se as pessoas procurassem entender umas as outras, ao invés de rotulá-las, classificá-las e guardá-las no grande arquivo da humanidade. Ah, teríamos simplesmente bilhões de mentes livres. Mentes livres de todas as barreias, os paradigmas malditos que assolam a humanidade. Mentes livres para criar, evoluir. A humanidade livre para criar e evoluir. Acontece que a evolução é uma ameaça. Ameaça para a dinastia acéfala que detém o poder na sociedade humana. Nenhuma forma de poder é inteligente. Apenas a ausência de poder o é. A igualdade desigual, onde todos os seres humanos poderiam crescer e se desenvolver, limitados apenas por si próprios, apenas por seu intelecto. Limitados pela falta de limites. Limitados pela sua evolução. Não teriam limites simplesmente porque seus limites não seriam constantes. Seria capaz de chegar até um ponto hoje e mil anos luz à frente amanhã. Evoluiria em franca expansão. Seria pleno, perfeito.

    Homens não matariam homens, simplesmente porque todos seriam irmãos. Incapazes de fazer mal a seus irmãos.Um criador perfeito é capaz apenas de criar uma obra perfeita. O Homem é perfeito. Basta apenas descobrir em si a perfeição e agir coerentemente com sua condição. ]

    Seríamos todos artistas da arte da vida.

    Eternos.

    Perfeitos.
     
  2. Ana Lovejoy

    Ana Lovejoy Administrador

    Pedro, o texto flui com mais facilidade se você fizer sentenças mais curtas (bem como parágrafos).

    :think:

    Só um pitaco. :oops:
     
  3. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    Na verdade, eu pouco pensei no que escrevi. Isso é obra puramente dos meus dedos, não tenho nada a ver com isso. :lol:

    Sério, foi uma inspiração-relâmpago, estava lendo sobre a vida de Liszt, e me bateu esse texto, prontinho na cabeça. Depois vou dar uma olhada no que posso reformular( :eh: duvido), mas por hora vou deixar quieto.


    Brigadim pelo comentário! :kiss:
     
  4. Meriadok Malkav

    Meriadok Malkav Pssst...You're gonna die soon

    se for o mesmo texto que você me enviou, digo novamente, concordo em partes.

    E discordo em várias partes.

    Mas sei lá.


    8-)
     
  5. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    Eu gosto do seu amor pela arte, Lorde...

    O texto tá bem legal, eu gostei... Eu só olharia as vírgulas, mas se você disse que escreveu sem prestar atenção e que depois vai dar uma olhada, tudo bem... =)

    É horrível esse sentimento de que algumas pessoas não deviam ter morrido, né? Eu me sinto assim em relação à Chiquinha Gonzaga...
     
  6. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    Eu me sinto asim com relação a Chopin, Liszt, Mozart, Berlioz, (uma cacetada de gente).
    Se bem que pelas lendas, a Chiquinha era um intérprete (além de compositora, sure) fodíssima.

    Mas outra coisa que me deixa p*** da vida também é o que eu chamei de "pilha de rejeitos" da humanidade. Imagine quantas pessoas (p.ex.: César Franck), que foram rejeitadas por não seguirem os padrões, eram gênios únicos.Aliás, o próprio Liszt sofreu preconceito quando propôs agumas reformas na música (ok, ele fundou a Zukunftmusik, mas isso é outro papo) sofreu muito preconceito e piadinhas como "Afastai de mim esse Caliszt!" (isso é verdade, tem na biografia dele, foi feita por um músico romano cujo nome estou com preguiça de procurar).


    Mas eu prestei atenção às vírgulas, eu tenho usado a forma certa das vírgulas até no MSN. Vou reler esse texto, devo ter me omitido. :eek:

    Brigadim pelos comentários :grinlove:

    (a assinatura fez efeito :lol: )
     
  7. Forfirith

    Forfirith Usuário

    Menel, achei o texto bem escrito, tem coerência, etc
    Só achei estranho você começar falando que algumas pessoas não deveriam morrer e terminar citando anarquismo

    Parece que você se inclui no grupo da "pilha de rejeitos"...e, bem, pelo que li conforme terminou o parágrafo não parece querer se incluir nessa pilha...

    Fora isso, muito bem escrito, parabéns!
     
  8. Lord Hugo

    Lord Hugo Usuário

    Muito doido, Meneltar.

    Muitas vezes aquilo que nasce do nada e vem em profusão é muito mais interessante que um texto muito bem pensado.
     
  9. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    Mas eu concordo plenamente com você. Eu achei isso esquisitíssimo. Mas eu achei legal (é doido, é a minha cara) :P
    Na verdade esse é um erro da nossa língua. O pronome oblíquo da terceira pessoa do plural nessa posição é identico ao da primeira pessoa do plural. Mas foi muito bem inferido, vou reformular.

    Valeu, Forfi :cheers:

    Hugo, é exatamente isso mesmo. Acho que temos é que dar vazão aos nossos acessos de loucura. Se não, que seria de nós? :lol:
     
  10. Forfirith

    Forfirith Usuário

    Assim, mesmo marcando um estilo seu, isso tira um pouco da coerência do texto, a meu ver. Mas bem, é só minha opinião...
     
  11. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    Eu concordo com ela. Mas mudar iso implicaria em mudar todo o texto.
     
  12. Deza

    Deza Blink

    Belo texto :clap:
    Acho que a idéia da arrumação em parágrafos mais organizados melhoraria a leitura, está realmente um texto bastante corrido, se bem que isso deu uma sensação de paixào exarcebada à ele também, de urgência para dizer algo, até interessante :think: ( para mim como miope textos coridos e bem juntinhos é o fim) :roll:
     
  13. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    A Deza comentou meu texto! :grinlove:

    Eu nunca vi a deza no CDE!
    Dê, te amo :kiss:
     
  14. Deza

    Deza Blink

    Realmente, não ando muito por aqui, num dia em que os tópicos não tavam agradando, vim fazer uma visita aqui :roll:
    Mas não se acostume.
     
  15. Lord Meneltar

    Lord Meneltar Argerich

    Na verdade eu só entendi isso totalmetne agora: a morte e a sociedade são limites nocivos A certas pessoas.
     

Compartilhar