1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Litzhel] Eu? Ana?

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Litzhel, 24 Mar 2003.

  1. Litzhel

    Litzhel Delirium

    [Litzhel] Eu? Ana?

    Aviso: Se você não leu os textos - Morte Egoísta e Estrada Errante, não terá sentido você ler esse aqui. ;)



    Eu? Ana?

    Denovo com um cigarro na mão, eu exalo o cheiro da dor. Eu, sim, Ana. Não mais outra pessoa, você ou ele. Ana, eu, eu sou Ana. A Ana das minhas próprias estórias, que na verdade são mais histórias, porque não as invento, eu as adapto.

    Eu posso ouvir os ecos na minha cabeça... Ecos de uma gota, que em um beco sujo, suicida-se do céu e cai sobre um poço escuro e gélido. Mais uma. São várias. É a chuva.
    E os ecos não param...

    Todos dizem que a Ana de meus escritos, apenas estão lá pra morrer. Não. Elas vivem. A essência delas é a vida, por mais que elas ainda procurem a estrada que dará a esta.
    Ah sim... Não é "elas", é "eu". Ana... eu. Preciso me acustumar.. preciso admitir...

    Os ecos ainda não pararam. Eles não querem parar. Eu tampo meus ouvidos, mas o som parece aumentar...

    Ah! Minhas unhas hoje não estão descascadas... mas elas teimam em sujar este papel de cor vinho..


    Começo a correr, correr. Correr pela minha vida, em pró a minha vida. Corre Ana, pare! Busque Ana, ache!


    Ahhhhhhhh!!!!
    Minha vida! Onde? Onde eu joguei ela fora? Vida. Eu quero-a de volta. Vida.. apenas uma.
    Sorrir será tão difícil assm? Sempre?

    Meus olhos estão borrados de preto. As lágrimas tem esse tom mórbido, maquiadas com a dor de meu coração.


    Ah.. e o doce beijo daquela mulher! Me aquesse agora.
    Lembranças? Mas aquele olhar... tão lindo, tão triste... não menos triste que o meu...

    Loucura!! Estou louca! É tudo tão confuso...
    Eu quero uma faca! Rápido!!

    Não... eu ainda tenho que tentar, a minha vida não pode estar muito longe. Eu não posso parar de procurá-la.
    Meus olhos se afogando em lágrimas fictícias, não tampam minha visão! Não! Eu quero ver!!!!!

    Meu passo diminui. Eu ousso o arrastar dos meus cuturnos pelo chão aspero. Sinto o hálito quente que a noite cospe.

    Eu posso ver. Eu não quero!
    Ela agarrou meus pulsos. Elas corta-os com prazer, deslizando suas unhas longas por eles. Ela é a dama da noite. Vampiros dos becos imundos... Ela é uma deles.
    Tão fria, ela bebe meu sangue.
    Eu a beijo. Eu sinto sua língua na minha. Sinto seus dedos por meus seios. Eu desejo-a.

    Sonhos. Apenas sonhos.
    Minha loucura...

    Deus? Que hipócrita acredita que deus existe? Talvez exista. Mas pra eles, não pra mim. Ele nunca me ajudou, não será agora que irá.
    Mas se eu nego deus, é porque acredito que ele existe. Como posso negar que exista, algo que acho que não existe?


    Tão confusa...
    Minhas frases não tem mais um sentido poético.
    Falar de mim é mais difícil do que falar de Ana. Por mais que eu e ela, sejamos uma. Um mesmo todo.Um todo, que não é nada.
     
  2. Thrain...

    Thrain... Usuário

    Acho q entendi...( :oops: )


    (vo ter q ler di novo :oops: )

    Editando:

    Li, reli, e reli dinovo.
    Não sei, mas o texto me soô como um desabafo, alguma coisa que precisava ser posta no papel só pra não ficar mais "incomodando o pensamento"; pra dexar menos confusa a cabeça. mas pode ser só uma impressão.
    Em todo o caso, o jeito que vc coloco isso fico interessante, e facil de entender (pra mim só depois da tercera veiz mas...).
     
  3. Clarice Starling

    Clarice Starling Usuário

    Profundo e alucinogeno. :eek:
     
  4. .Gabil-Nala.

    .Gabil-Nala. Bloody member

    nossa...demais o texto. Sério.

    frenético, mórbido, melancolico. Um misto de sensações. Fazia tempo que eu nao lia algo tão sinestésico como isso.
     
  5. NeoDeSampa

    NeoDeSampa Usuário

    Só posso parabenizar. Um dos textos que mais me involveram....
    Um misto de morbidez com a vntade pela vida.....
     
  6. Omykron

    Omykron far above

    barbara, soh um comentário:

    ótimo, naum... sublime o texto! 10 para ele
     
  7. Litzhel

    Litzhel Delirium

    Poxa, valeu pelos elogios, pessoas ;)
     
  8. Largo Cavafundo

    Largo Cavafundo Usuário

    Garota, se a cada texto seu que eu leio, mais eu penso, a cada texto seu que eu leio, menos palavras eu tenho para descrever meus pensamentos.

    O modo como você juntou as Anas de Morte Egoísta e Estrada Errante num personagem tão real e humano é genial. Genial e verdadeiro. Sua história possui uma verdade que talvez eu jamais entenda por completo. Talvez ninguém o entenda inteiramente. Mas se eu consigo entender um décimo do que você disse neste texto, eu me sinto satisfeito. Porque nele eu vi mais que um personagem. Eu vi uma pessoa.
     
  9. Fox

    Fox Visitante

    Uhum. :eek:

    O melhor dosseus textos. Você conseguiu sair do caráter de personagem e ao memos tempo alcançar uma abstração da realidade ainda maior que nosseus últimos dois contos, Ba.

    :clap:
     
  10. Eru- o Ilúvatar

    Eru- o Ilúvatar Usuário

    Isso seria uma reflexão introspectiva, uma quase auto-análise? :o?:
     

Compartilhar