1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Largo Cavafundo][O homem que punha o dedo no umbigo]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Largo Cavafundo, 17 Abr 2002.

  1. Largo Cavafundo

    Largo Cavafundo Usuário

    [Largo Cavafundo][O homem que punha o dedo no umbigo]

    Aqui esta um pequeno conto que escrevi... infelizmente, perdi o original (creio que esteja com um colega, mas no Brasil) e terei que colocar aqui esta versao menor e com qualidade BEM mais baixa, mas se conseguir o original de volta coloco aqui tambem! Bom, gostaria que comentassem ele, depois coloco mais!

    "

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Era um homem comum, normal como todos os outros. Nenhum vicio ou mania, exceto uma: por qualquer motivo, ele colocava seu dedo no umbigo.
    Mindinho, indicador. Médio, anular, ou até o dedão. Dependendo do dia, até dois ou três. Sua maior façanha, que contava orgulhosamente para todos, havia sido colocar a mão inteira, até o pulso, dentro do buraco na barriga. Nos dias em que sentia-se mais inseguro, costumava usar os dedos do pé.
    As pessoas costumavam a olhar desconfiadas para ele, quando levantava a camisa no meio da rua, colocava o polegar lá e o massageava. Às vezes era mais discreto, colocava a mão por baixo da roupa sem deixar ninguém perceber.
    Mas com o passar do tempo, ele começou a ficar mais distante do mundo. Não mais trabalhava direito, e nem conversava com as pessoas, gastando todo o seu tempo para satisfazer o umbigo, que exigia o olhar do dono somente para ele.
    Foi num dia desses que, enquanto ele tomava banho, sentiu uma coceira esquisita na barriga. E lá foi o mindinho pra dentro do buraco. Mas quando ele aproximou o umbigo, sentiu como se este sugasse a mão em sua direção. Não pensando duas vezes, colocou o dedo lá, enquanto continuou a lavar-se. Quando ele olhou para baixo, a mão inteira havia sido engolida pelo buraquinho, que continuava a devorar tudo o que encontrava. E foi pulso, braço, cotovelo, ombro, até que ele desapareceu completamente dentro do próprio umbigo.

    "
     
  2. Knolex

    Knolex Well-Known Member In Memoriam

    Largo, poderia ser melhor, mas o esquema meio surrealista tornou esse texto interessante...
     
  3. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Não queria postar direto... mas...

    Muito legal, original. Adorei os significados ocultos (que minha mente pervertida imaginou para o conto).

    Preferia que você falasse mais sobre ele.... ficou muito curto a meu ver. Não deu tempo de simpatizar ou odiar o homem.
     
  4. Largo Cavafundo

    Largo Cavafundo Usuário

    Basicamente a ideia eh ser BEM curto... o homem... nao quero que ninguem saiba sobre ele, simpatize ou odeie, se apaixone (???), etc... eh para ele ser um homem. Um homem comum, todos os homens (e mulheres tambem! Pq nao?)
     
  5. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Já leu o homem nú? :wink:
     
  6. Largo Cavafundo

    Largo Cavafundo Usuário

    o homem nu... vi o filme, serve?

    Mas me baseei nos contos de Nao Sei o Que de Nao Sei Onde, do livro "O Homem do furo na mao"
     
  7. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Quanto ao homem eu não sei... mas acho que minha mão é furada... ou tem manteiga nela!

    Não vi o filme, desculpe... Mas li o conto. E basicamente é um homem comum, retratado aos poucos.

    No caso o autor queria passar a angústia da situação. Então o fato dele ser comum vem das coisas que ele foi fazendo enquanto tava angustiado. A gente vê o cara e não imagina que ele é grande coisa. Mas vai simpatizando com ele. O vai ficando com raiva da burrice dele também... essas coisas.

    Mas deixa o conto como está porque está interessante, OK?
     
  8. Largo Cavafundo

    Largo Cavafundo Usuário

    Pretendo deixar sim, mas ainda vou pedir a versao original, esta melhor...
     
  9. Rosie Cotton

    Rosie Cotton Usuário

    Largo: eu adorei!

    Primula: por acaso "O Homem Nu" não conta a história de um homem q fica "preso" fora de casa, totalmente pelado, só com um saco de pão na mão (ou um jornal, não lembro)?

    É q eu lia muitos contos qd era novinha, e me lembro de um assim. E acho q o nome era "O Homem Nu". Queria ter a confirmação.
     
  10. Frøðø Baggins

    Frøðø Baggins Tricampeão mundial

    Vc fez naquele conto da Salete, q tinha q ter uma critica e ser bizarro, ne?! imitando akele q o ouvido crescia, ne?!
     
  11. natytaia

    natytaia Usuário

    uau!
    mt bonzinhu! os significados ocultos saum massas!
     
  12. Largo Cavafundo

    Largo Cavafundo Usuário

    Ouvido crescia? Nao lembro desse, mas foi inspirado no livro "O homem com um furo na mao" sim... ela ate leu pra classe como exemplo do que eles teriam que fazer (e eu nao pq tava indo pro Canada :D )
     
  13. Strider

    Strider Usuário

    AHAHAHHAHAH! Fucou legalzinha Largo, mas... falta alguma coisa q nao consigo descrever...
     
  14. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Eu queria saber onde foi parar a Rosie Cotton, e se ela vai ler esta resposta.

    Ele tá só com um saquinho de pão, Rosie... e o desespero vai crescendo à medida que o prédio vai acordando...
     
  15. Largo Cavafundo

    Largo Cavafundo Usuário

    Primula, voce que achou o texto curto vai ver agora:

    chegou a versao original, aquela de qual eu falei, a que eu gosto mais! Aqui vai!

    "
    O Homem que Punha o Dedo no Umbigo
    por Largo Cavafundo

    Era um homem comum, sem vícios, problemas de saúde ou manias, exceto uma: a de colocar o dedo no umbigo. Às vezes sem motivo algum, às vezes com explicações complexas – não importava. Só era importante para ele dar prazer ao umbigo. O recheava com qualquer dedo, fosse mínimo, anular, médio, indicador, polegar ou, quem sabe, todos de uma vez. Sua maior proeza até então fora por o dedão do pé inteiro lá dentro. Eis que, com o tempo, deixou de cumprir tarefas ou fazer favores, por causa do umbigo que tinha necessidade do olhar do dono somente para ele. Um dia aconteceu que, repentinamente, começou a sentir uma sensação estranha, uma pontinha de dor na barriga. Colocou o mindinho no umbigo, que o sugou avidamente, parecido com um pequeno aspirador de pó. E o umbigo sugava, e ele deixava o buraquinho ter tudo: mão, punho, braço; até desaparecer dentro do próprio umbigo.

    "
     
  16. Washu_Hakubi

    Washu_Hakubi Usuário

    eu gostei mais da primeira q foi postada, acredite ou nao^^
    pow, um umbigo Ungoliant!!!! 8O
    muito massa
    *indo ler de novo*
     
  17. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Nossa, esqueci que havia pedido outro texto pra vc, Largo. Tive de cavucar!

    Engraçado que este ficou melhor na minha opinião... talvez como "O homem bicentenário", as vezes escrever demais pode atrapalhar. (iria se tornar uma série, e ficou como conto).

    No seu caso, ao extender o conto, eu acabei achando pouca informação comparado com o número de palavras... com o conto menor, eu sabia que teria pouca coisa, mas o número de palavras era condizente com quanto eu conheceria o homem...

    Muito bom, Largo.
     
  18. Fëohtar

    Fëohtar Usuário

    Que mistérios será que existem dentro do umbigo?! 8O
     
  19. Alex deLarge

    Alex deLarge Usuário

    li só o segundo que vc colocou... devo ler o primeiro? o segundo tá muito bom
     
  20. Clarice Starling

    Clarice Starling Usuário

    Eu também gostei mais do primeiro.
    Talvez vc não tenha pensado nisso quando escreveu o conto, mas a interpretação que eu fiz foi a seguinte:
    O homem era tão cheio de si que o mundo era seu umbigo e um dia ele foi engolido pelo seu próprio mundinho... :lol:

    Viagem... :mrgreen:

    Gostei :P
     

Compartilhar