1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Kementari] Paixões esquecidas.

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Kementari, 20 Dez 2003.

  1. Kementari

    Kementari É só marca do fogão!

    [Kementari] Paixões esquecidas.

    Paixões esquecidas.

    O negro rio de cabeças parara de correr por sob a minha janela. Talvez fosse o ar que não o deixasse escorrer. Denso e cheiroso, havia envolvido criaturas antigas que habitaram o Mundo de outrora. Despertava uma negra Nostalgia perdida no coração dos apaixonados.
    E a isso os ventos cantavam. Ventos que por sua plenitude não agitavam os cabelos. Apaixonantes ventos que traziam amores. Densos ventos com aroma de cravos e jasmins. Cerrados por entre os troncos velhos e esgueirados, paciente público de mínimas maravilhas inacreditáveis. Agentes sinestésicos que carregavam em sua essência a mais primitiva felicidade.
    Amor. O amor que os ventos cantavam que eu tanto conheci. Amor que em outros tempos passava por aquele mesmo ar que eu respirava, e aos poucos estava voltando, das entranhas daquela terra intocada para invadir o coração e a mente dos homens e das criaturas. Formidáveis criaturas que habitavam igualmente os vales e as montanhas, e que agora se engrandeciam.
    Aos poucos a fonte se encheu. E derramou, extravasando seu conteúdo pelo vento.
    Nostalgia. Amores perdidos que eu sentia pulsar em meu coração. Amores que eu sempre amei. Sombras da minha própria existência. Sulcos da minha pele, cuja beleza se esvaía com o Sol.
    O Sol. Sol que manchou de sangue aquela paisagem, e o ar se coloriu. O amor reteve o vermelho daquela morte - engrandecendo a minha beleza, que foi antiga como aquela luz magnífica. Mas que em minha prisão de raízes e seixos, e garranchos de solidão, jamais pôde ser contemplada. - E não o libertou sequer com a chegada de grandioso crepúsculo céu de opala, que trouxe à minha solidão a definha que lhe fez jus.
    Vermelha definha. Que afetou os olhos mas não o coração. Coração manchado de vermelho, que pulsaria na alvorada, e se embeberia do ópio daqueles ares nevoentos. Névoas vermelhas, pequenos milagres que tocavam a pele, e ali se consumiam em segredo, dissolvendo a sua alma em êxtase.
    Solidão. Solidão disforme que fazia ver pés encobertos pela névoa e sangrados pelo chão. Vermelha trilha conflitante com a névoa que havia esvaído. Escorria pela pedra negra para cair em rio desconhecido, de turvas águas claras que nunca corriam para longe, e se fechavam nos limites do ar.
    Troncos. Castanheiras que viram o tempo passar. E o conseguiam contemplar como os seres que encerravam.
    E a vastidão dos campos era solitária para os troncos velhos e viciados. E solitários. Solitários como os seres que não viam os campos e caíam com seus odores. Para o crepúsculo eram no fim, seres enraizados, profundos em seu próprio abismo, que amavam enquanto contemplavam a densidade dos olhos de elefantes. Que nunca esqueceram.
    Vale escuro de seixos e ventos dourados. Mantas sedutoras e junco confortante. Um universo grandioso em sua pequenitude. Seu céu multicolor, e com uma densidade carregada de detalhes, uma vida em eterno rem, com as pupilas dilatando e se contorcendo, que enxergam aonde os ventos vermelhos as levam. Uma densidade irreal, que arrasta cada momento, e torna a Nostalgia perdida.
    Amores envolvidos em seixos no coração nostálgico de sonhadores de almas vermelhas, perdidas em vales profundos de obscura solidão.
    Apaixonante sonho meridional de tempos esquecidos.

     
  2. Forfirith

    Forfirith Usuário

    Sem palavras mais uma vez nega...
    quando eu crescer quero ser quenem você

    :clap:
    :amem:
     
  3. Kementari

    Kementari É só marca do fogão!

  4. Skylink

    Skylink Squirrle!

    bem, palavras? Hum, ok: Você
    Nesse momento, eu, experiementando. Um sonho acordado enovoado pelo sono verdadeiro que percorre. Pensamentos vagos, talvez sem sentido. A diferença está em falar. Eu senti, e isso é mais que suficiente. Estou sentindo. Isso é o necessário. Isso é o motivo. É vida, somente. Uma complexidade simples que lhe trás o sentimento. Do tamanho do universo, pq não? Maior que ele até. Eu não preciso pensar em desejar, talvez eu mesmo o faça sem ver. Amor, no fim?
     
  5. Melkor- o inimigo da luz

    Melkor- o inimigo da luz Senhor de todas as coisas

    (porque os comentários so Link são sempre complexos? ^^)

    Keké, quando eu vi que o texto era seu eu corri para ler porque tenho ótimas lembranças... Lembro de uma manicure que não saiu da minha cabeça por dias e mais dias... E aconteceu de novo. É incrível. Jura pra mim que você existe! Todas pausas, as palavras, o jeito com que você conta tudo... É tudo lindo. Sério, tão to brincando, eu gostei um exagero deste texo.

    Parabéns! Meu sonho é escrever como você, imitando a Forfy... ^^
     
  6. Thrain...

    Thrain... Usuário

    Gostei muito!! Ainda mais agora q eu to voltando praperto da poesia (é o amor :grinlove: )... O texto ficou bem denso, super poético, profundo, provocante....

    Parabéns!! :clap:
     
  7. Kementari

    Kementari É só marca do fogão!

    Gente, valeu pelos elogios :D
    Não sei, acabei de reler o texto e entendi uma coisa diferente do que o que eu estava sentindo quando escrevi o texto... Ficou algo meio mutante :eek:
    Enfim, Melkor, fofo! Você exagera :oops: Eu adoro o seu jeito de escrever. Se quer mudar melhore o que você já é. Não fale oque vc falou nem brincando, que é feio. :obiggraz:
    O Sky eu nem sei se considero um elogio.. Vai que ele me chingou :mrgreen:
    E thrain.. é o Amor :grinlove:
     
  8. Skylink

    Skylink Squirrle!

    Pq o Sky é um bobo.^^

    :? :lol:
     
  9. Forfirith

    Forfirith Usuário

    Quem não tem paixões esquecidas? :cry:
     
  10. Evestar

    Evestar Usuário

    super 10 adorei, principalmente com esse tema,

    parabens :clap:
     
  11. Gwiddion Walsh

    Gwiddion Walsh Usuário

    Mon Dieu! 8O

    Eu achava que sabia escrever... Muito obrigado pela grande lição! vc escreve muito bem :wink:
    Qual o segredo de escrever assim sendo tão jovem?
    A partir de agora vc tem um fã :mrgreen:
     
  12. Kementari

    Kementari É só marca do fogão!

    :oops:

    Obrigada!

    Eu, jovem? Depende do ponto de vista :think:

    Um fã!! 8-)
     
  13. Saranel Ishtar

    Saranel Ishtar Usuário

    Alguém quer ser fã da Saranel?

    Tou aceitando propostas tbém 8-)
     
  14. Gwiddion Walsh

    Gwiddion Walsh Usuário

    Do ponto de vista cronológico, kementari. Não que isso signifique muita coisa, mas não deixa de ser impressionante. A Maioria das pessoa de sua idade que eu conheci mal sabiam escrever o próprio nome... :wink:
     
  15. Vela- o Rousoku

    Vela- o Rousoku Sirius Black

    Hm... sinceramente...

    ok, escreve bem. Inegável. No entanto, os elogios te sobram, logo limitar-me-ei a uma crítica: prolixo. E, permita-me dizer, achei desconexo. Em outras palavras... parece ter muito mais gramática e vocabulário do que realmente idéias. Não estou dizendo que não há idéias. Há, e deveras interessantes. Não obstante, tem "vocabulário alternativo" demais.

    Um meta-exemplo pertinente do meu argumento:

    "Dá pra passar bem uma idéia escrevendo de um jeito simples".
     
  16. Gwiddion Walsh

    Gwiddion Walsh Usuário

    É verdade, mas o texto dá a impressão de que ela está em um estado de espírito confuso. è como se ela escrevesse sob a influência de um sentimento poderoso. Isso acaba fazendo com que escrevamos coisas confusas. Mas pode ser que eu esteja errado tb...
     

Compartilhar