1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Ka Bral o Negro][Terra Mystica AC - A Guerra Imortal]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Ka Bral o Negro, 28 Set 2002.

  1. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    [Ka Bral o Negro][Terra Mystica AC - A Guerra Imortal]

    Terra Mystica

    Os Anos Antigos, ou os Anos Antes da Catástrofe (AC)

    Boa leitura
     
  2. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    O FIM DE UMA ERA FRACASSADA

    No Início nada havia
    Além de Trevas
    E desolação
    Imersa na escuridão
    Estava a Terra
    Pois conta-se que fora dominada
    Durante muitos anos
    Por uma raça de seres
    Detentores de imensa tecnologia
    Muito acima do imaginável
    Dos sábios Elfos da Luz de hoje

    Infelizmente porém
    Tão inteligentes e criativos
    Esses seres de tecnologia tão avançada
    Responsáveis foram
    Por sua própria ruína

    Dominados pelo ódio
    Seduzidos pelo mal
    Cegos pela ganância
    Estúpidos em sua intolerância
    Não poderia ser diferente
    Terríveis conflitos ocorreram
    E três Grandes Guerras explodiram

    A Última das Três Grandes Guerras porém
    Determinou o Fim de uma Era Fracassada
    A Era da Razão
    Quando o Poder Mystico não existia ainda
    Nem as belas criaturas que hoje conhecemos

    Terminara assim portanto
    A Era da Razão
    E nenhum ser dela sobrevivera
    Exceto um

    Exceto um....

    *extraído dos Registros de Zaldorza o Sábio*
     
  3. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    *Que a Grande Mãe Terra compreenda
    Que tão rude poema
    É indigno de Sua glória
    Sua beleza acima da compreensão
    Grande Mãe Terra
    Ancestral dos Sidhes
    Pois criados fomos nós
    À Sua imagem e semelhança*

    A GRANDE MÃE

    "O Início ninguém sabe
    Mas conta-se que antes havia porém
    A malfadada Era da Razão
    Cuja a existência ainda uma incógnita é
    Nada mais pode ser sobre esse assunto porém
    Além daquilo que anteriormente relatado foi

    O Início ninguém sabe
    Mas é dito em registros antigos
    Que o Verdadeiro Início
    O Início daquilo que chamamos
    De Era Mystica
    Começou quando Ela
    A Grande Mãe
    Aquela Que Tudo Criou
    Manifestara-se neste Plano de Existência

    A Grande Mãe
    Maior de Todos os Seres
    Cujo o Poder é inimaginável
    Possui potencial ilimitado
    Capaz de alterar os alicerces da própria realidade
    Com assustadora facilidade

    Maior de Todos os Seres
    Aquela Que Tudo Criou
    Nomes e mais nomes
    Atribuídos são à Grande Mãe
    Mas na língua dos Sidhes
    De Myst'khan é chamada
    "Mãe de Todos"
    Na língua dos Homens
    Significado seu esse é

    Grande Myst'khan
    Senhora da Luz Suprema
    A Grande Mãe Terra
    Manifestara-se portanto
    Neste Plano de Existência
    Tamanhos são o esplendor e beleza
    E o ilimitado Poder que transborda
    De cada poro de seu corpo
    Que a Terra Devastada
    Anteriormente imersa em Trevas
    Preenchida fora pela Luz
    O Poder Mystico
    A Radiação de Myst'khan
    Que de cada poro de seu corpo transborda
    A energia fantástica e fabulosa
    Que lhe confere a igualmente fabulosa e fantástica
    Capacidade de manipular o tecido existencial da Terra
    Como bem entender

    O Poder Mystico
    A maior dádiva da Grande Mãe
    O Poder incrível e glorioso
    Por Ela liberado fora
    E pelo Poder toda a Terra preenchida fora

    Dessa forma de extrema glória portanto
    Criada a vida fora neste Mundo
    Pois a Radiação de Myst'kahn
    Dentro de todos nós está
    O Fogo Mystico
    Que arde em todos os seres
    Que possuem vida

    Preenchida pelo Poder
    Fora a Terra Devastada
    Imersa em Trevas anteriormente
    Não mais agora
    Impregnada pela Radiação
    Assim como os seres todos
    Que criados foram nesta
    E em épocas futuras
    A partir de Sua vontade
    Pois assim ela desejara que fosse
    Maior nível de Poder Mystico da Terra
    Potencial infinito ilimitado
    De seu corpo transborda
    Chamas indomáveis de energia
    Energia Mystica
    A razão de nossa existência
    Do Poder Mystico viemos
    E a ele retornaremos"

    *Retirado de antiquíssimos registros Sidhes
    Traduzidos por Zaldorza o Sábio*
     
  4. *Lossthrain*

    *Lossthrain* Vem que eu faço direito!!!

    Hehhehe!!!!!! Gostei desse tópico, tem poemas muito legais.. Adorei, vou vir aqui sempre p/ ver as novidades!!!!!!!!!!!!!!
     
  5. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Lady Lossthrain, pode vir todos os dias, sempre à noite terá um poema meu postado aqui, como prometi

    Visitem tb Os Relatos de Dor e Ódio

    :P
     
  6. Amiguinha Wood

    Amiguinha Wood Usuário

    O amanhã é inesperado por mais q esperemos algo q desejamos ,eu ñ sei pq mas qdo fui lendo fui refletindo sobre atualmente ,a razão ,tecnologia ,´´Grande mãe´´ ,acho q é pq hj usa-se mais a razão q a fé ,o coração ,há tecnologia ,e a Grande Mãe q tudo criou não sei se está sendo criada por nós ,conservada ou sendo destruída....(acho q tõ viajando na filosofia ,....risos.....)
    Sério ,adorei e sempre vou dar as conferidas e ver a continuação!
     
  7. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    :P

    Gostei muito do que escreveu, senhorita Wood!

    Se os poemas meus a estão fazendo filosofar desta maneira...

    ...sobre a tecnologia, a Razão, a fé que está-se indo... a Grande Mãe dentro de nós todos...

    ...a nossa capacidade criativa vai-se indo...

    Hmmm...

    Vou escrever mais!

    Vamos a próxima parte desta história!
     
  8. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    OS PODEROSOS DA TERRA

    OS PODEROSOS DA TERRA

    E levantaram-se então os primeiros seres
    Abençoados pelo Fogo Mystico
    Que queima no coração de todos nós
    O Fogo Mystico que distingue os vivos
    Daqueles que não possuem vida mortal

    E maiores entre esses seres
    São os Imortais
    Os Poderosos da Terra
    Um dia seres mortais
    Mas um nível de poder imenso alcançaram
    Destacando-se demais de seus semelhantes

    De todos os seres os maiores
    Tornando-se os Poderosos da Terra
    E tamanho o Poder que têm em mãos
    Que os alicerces da própria realidade
    São eles capazes de abalar
    Tal como a Grande Mãe
    Nenhum porém
    Jamais conseguiu ou conseguirá
    O nível d'Ela alcançar
    (Pelo menos assim por muitos anos se acreditará)

    Na Terra eles nasceram
    E à Terra eles pertencem
    Mas não moram mais porém
    No tecido existencial terrestre
    Pois outras moradias estabeleceram
    Em remotos Planos de Existência
    E os maiores entre os Poderosos
    Criaram eles próprios
    Os Planos de realidade onde moram
    E os Planos Elementais
    As forças básicas constituintes da Terra
    Pelos Quatro Supremos foram criados
    Que mais adiante serão relatados

    Uma hierarquia de Poder existem
    Entre os Poderosos da Terra

    Imortais Menores
    Os que recentemente ascenderam
    Poderosos entre seus semelhantes mortais
    Mas considerados crianças pequenas
    Entre seus novos irmãos

    Imortais Maiores
    Alguma fama e prestígio
    Conseguiram após algumas centenas de anos
    De sua existência Imortal
    Muitos seguidores eles possuem
    Entre os mortais da Terra
    Mas inferiores em Poder ainda são
    Se comparados forem com os Verdadeiros Poderes

    E são chamados
    De Imortais Superiores
    A maiores forças deste Plano de Existência
    Estão entre os mais antigos
    Seres que existem na Terra
    Poder imenso e inimaginável
    Estão além dos tolos assuntos dos mortais

    Existem porém
    Aqueles que superam esse nível de Poder
    Pois possuem eles mesmo
    Uma força inimaginável até para os Superiores
    Mais antigos que a própria Antiguidade
    Estão infinitamente além da compreensão
    Até mesmo dos outros Imortais
    Pois são eles os Grandes Ancestrais
    Das raças mais poderosas da Terra
    Foram eles os criadores deste Plano
    E capazes de destruí-lo eles
    Apenas com um pensamento

    E são apenas Seis
    Que gozam desse nível monstruoso de Poder
    Os Seis Supremos
    Entre os quais encontra-se a Grande Mãe
    Os Seis Imortais Supremos
    Dos quais os mortais devem sua reverência
    Sua vida, seu respeito
    E seu temor

    registros antigos dos Sidhes traduzidos por Zaldorza o Sábio
     
  9. Amiguinha Wood

    Amiguinha Wood Usuário

    Agora fikei curiosa em saber quem são Os Seis Imortais supremos.....
     
  10. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Sacie agora então tua curiosidade :P

    OS SEIS SUPREMOS

    No Início
    Havia a Grande Mãe
    A quem chamamos de Myst'khan
    Grande Ancestral de nossa raça ela é
    De Outra Dimensão conta-se que Ela veio
    Maior Poder Mystico da Terra Ela possui
    Pois Criadora de nossa realidade Ela é

    Depois veio Iamandara
    Rainha dos Mares
    Mais bela de todas as criaturas que nasceram na Terra
    Do Poder Mystico ela se originou
    Quanto este atingira as águas do Mar
    Senhora Ancestral dos Tritões e Sereias
    O belo Povo do Mar
    Mãe de toda a vida marinha ela é

    E da própria Terra
    Teria então se originado um estranho ser
    A partir da Matéria fora criado
    E criador de toda a Matéria ele é
    Senhor do Mundo Subterrâneo
    Pai de todos os seres
    Que vivem em cavernas profundas
    Imersas em trevas sinistras
    Pois sinistro e misterioso ele próprio é
    E fortaleza impenetrável é a sua mente
    Chamado ele é
    De Goor’Ak em nossa língua

    Ora
    Não apenas a Grande Mãe
    Se originou em Outra Dimensão
    Outros poderosos visitantes
    Por aqui se estabeleceram

    E nas altas montanhas mais da Terra
    Se estabelecera-se aquele
    Que diz chamar-se Titânius
    Maior de todos os Gigantes
    E Pai Ancestral de toda essa raça
    Grossa pele violeta
    E violeta são seus longos cabelos e barba
    Que esvoaçam à forte ventania
    Que reagem com à eletricidade
    Que percorre todo seu corpo
    Senhor dos das Tempestades
    Sua chegada a nossa dimensão anunciada fora
    Com trovões e ventos poderosos
    No Céu explodiram com fúria

    Outro estrangeiro poderoso
    Na verdade maior de todos os Supremos Imortais
    Por milênios ele fora considerado
    Inferior apenas a Myst'khan
    Apenas como O Magnífico era conhecido
    Pai Ancestral de todos os Dragões
    Maior dessa raça ele era
    E orgulho imenso ele nutria
    E vaidade maior que a sua não havia

    Aquele conhecido como O Magnífico
    Não existe mais porém
    No tecido existencial da Terra
    Destruído ele foi
    Por aquela que agora
    É a maior manifestação de Poder Mystico
    Que esta Terra infeliz já conhecera

    Talvez mais Poder ela possua
    Que a Grande Mãe
    A Sua Mãe
    Pois durante milênios
    A Rainha Zandar'eene
    Maior dos Quatro Filhos de Myst'khan
    Conhecida fora como Senhora da Luz
    Mais poderosa dos Elfos Luz
    E Rainha Suprema das Fadas
    Enganada ela foi
    Por aquele que nunca deveria existir
    E nas Trevas ela caiu
    Para todo o sempre

    dos registros de Tal'Aroon Elfo da Luz
     
  11. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    OOPS!

    Houve um erro na sequência, mwhehehehe

    Considere que este relato vem logo depois do "FIM DE UMA ERA FRACASSADA"

    O SOBREVIVENTE

    Devastada e arruinada
    Imersa em perenes trevas
    Estava então a Terra
    Pois aqueles que a habitavam
    Sua própria destruição causaram

    Imensa tecnologia possuíam
    Tudo destruído e arruinado
    Ninguém sobrevivera
    Exceto um

    Um dos principais responsáveis
    Pela Terceira Grande Guerra
    Criatura mesquinha e infame
    Apenas poder lhe satisfaz
    Controle absoluto
    E tirania exclusiva de sua vontade
    Desejava ele então
    Mas o que fará agora
    Sobre uma Terra Devastada?

    Em sua máquina sinistra
    A maior manifestação de tecnologia
    Que já existira neste tecido existencial
    Assim ele sobreviveu
    Destruição sem limites ajudara a causar
    Miséria e morte se esforçara em criar
    E apesar de tudo
    Sobrevivera

    Protegido por sua máquina sinistra
    A Monstruosidade de Aço
    Imensa e terrível
    Indestrutível
    Dotada de poder ilimitado de destruição
    O Maldito sobreviveu
    Seu nome ele próprio esquecera
    Único Sobrevivente de uma Era Fracassada
    Que ele próprio ajudara arruinar
    Mais antigo dos seres de nossa Era
    Mais cruel e pérfido
    Como será relatado mais adiante
    O Sobrevivente

    registros esquecidos de autor desconhecido
    traduzidos por Zaldorza o Sábio
     
  12. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    A PRIMEIRA BATALHA

    Em sua máquina assassina
    Estava então o único Sobrevivente
    De uma Era Fracassada
    Poderosa e indestrutível
    Maior manifestação tecnológica existente
    Ilimitado poder de destruição
    Não havia ninguém capaz de desafiá-la
    A Monstruosidade de Aço

    Mas alguma coisa aconteceu...

    Nas Trevas da Terra Devastada
    Brilhou de repente
    Um fortíssima Luz
    Como nunca havia-se visto antes
    Um clarão de chamas de energia
    Anunciavam a chegada
    Da mais poderosa dos seres
    Que já existiram nesta Terra

    Envolta por chamas de energia
    Que transbordam de cara poro de seu corpo
    Bela e poderosa guerreira
    Talvez seja de Outra Dimensão
    Não se sabe ao certo

    A Terra arruinada Ela contemplou
    E o principal responsável Ela reconheceu
    Pois ele
    Ser infame e pérfido
    Protegido por sua máquina assassina
    Não hesitou em atacá-la

    E assim ocorrera
    A Primeira Batalha
    Da qual não houve testemunhas
    A Monstruosidade de Aço
    Contra a Guerreira Misteriosa
    Terrível combate
    Não relatado aqui
    Jamais saber-se-ia como fora
    Revela-se apenas
    O vencedor

    Ou melhor
    A Vitoriosa
    Maior de Todos os Seres
    Bela e Poderosa Guerreira
    Envolta por chamas de energia
    Destruíra a Monstruosidade
    Banindo-a desta realidade

    Mas ocorrera infelizmente
    Que alguém sobrevivera novamente....

    Autor Desconhecido

    Traduzido por Zaldorza o Sábio
     
  13. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    GLÓRIA SUPREMA

    Guerreira Misteriosa
    Envolta por chamas de energia
    Nas Trevas perenes da Terra
    Brilha uma Luz pura e cintilante
    Envolta por chamas de energia
    Maior de todos os seres Ela é

    Contempla uma vez mais então
    A ruína da Terra Devastada
    Destruição irreparável
    Causada pelos próprios nativos
    Cegos pela ganância e ódio
    Encontraram um fim horrível

    E de tudo isso
    Ela sabe
    Sabe muito bem
    E se entristece
    Imensamente
    Reflete por alguns segundos
    E toma então uma decisão
    Que mudaria para sempre
    O Destino da Terra

    Talvez jamais se saiba
    Seus reais motivos
    O fato é
    Que a milhares de anos atrás
    Numa época remota
    Além da compreensão dos Homens
    Ergueu-se a Guerreira Misteriosa
    Envolta por chamas de energia
    Brilhando nos céus da Terra
    Liberta todo o Poder contido dentro de si

    E então Ela preenche as Trevas da Terra
    Com todo o esplendor de suas chamas de energia
    Poder fantástico e misterioso
    Momento de Glória Suprema
    Contemplado por ninguém desta Terra
    Infelizmente
    Pois nada vivo existia
    Até aquele momento

    Exceto aquele que sobreviveu....

    estudos sobre A Criação, por Zaldorza o Sábio
     
  14. Washu_Hakubi

    Washu_Hakubi Usuário

    ADOREI! :grinlove:
    A história dos 6 me comoveu mesmo...esperarei ansiosa pelos próximos capítulos, principalmente pelos detalhes da decadência da Rainha das Fadas! :wink:
     
  15. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    PERDÃO

    Com textos de ensaio eu me confundi

    A ordem correta de leitura destes Relatos:

    O FIM DE UMA ERA FRACASSADA

    O SOBREVIVENTE

    A PRIMEIRA BATALHA

    GLÓRIA SUPREMOA


    É o que até agora temos

    E A GRANDE MÃE, OS PODEROSOS DA TERRA e OS SEIS SUPREMOS?

    Desconsiderados não devem ser

    Mas no devido tempo aparecerão

    Por outros poemas substituídos

    Agora

    Ao curso normal da história continuemos

    As opiniões dos leitores importante é

    Incentivo para escrever isso me dá

    Opiniões de vcs escritas aqui devem ser

    O Autor agradece :grinlove:
     
  16. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    A CRIAÇÃO

    Misteriosa Guerreira
    Poderoso brilho de energia
    Emana do corpo Dela
    Espalhou-se então
    Sobre a Terra Devastada
    Imersa em perenes Trevas
    Chamas de energia
    Pura energia
    Grande Luz
    De indescritível glória
    Nenhuma testemunha
    Exceto Aquele Que Sobreviveu

    Grande Luz
    De indescritível glória
    Banha a Terra Devastada
    Poder da Vida
    Das Trevas do fracasso
    Renasce a maior dádiva
    Poder Supremo de Glória
    Emana da Misteriosa Guerreira

    Assim criados foram
    No tecido existencial da Terra
    Os seres vivos
    Extintos em uma Era de fracassos
    Que à muito se fora
    Outra Era se inicia

    Misteriosa Guerreira
    Que concebeu a Vida
    Aquela Que Tudo Criou portanto
    Grande Mãe de Todos
    Myst'khan Ela é
    No idioma das Fadas
    Poder Supremo de Glória
    Chamas de energia divina
    Que conceberam a vida
    Bela Terra verdejante
    Anteriormente imersa em Trevas

    Agora viva novamente
    Graças a Ela

    Graças ao Poder Mystico

    Antigo Poema Sidhe traduzido por Zaldorza o Sábio
     
  17. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    OS SUPREMOS PODERES

    E durante a Criação
    Que incontáveis séculos durara
    É dito que teriam então surgido
    Seres de Poder Extremo
    Criaturas além de qualquer compreensão
    Nascidas em meio ao Poder
    E imersas em Poder elas estão

    Nas profundezas do Mar
    Misturaram-se com a água salgada
    Brilhantes chamas de energia
    E dessa reação conta-se
    Teria então surgido
    Aquela que é chamada Iamandara
    Mais bela de todos os que nasceram na Terra
    Coroada Rainha dos Mares ela fora
    Pois Mãe Ancestral ela é
    De toda a vida marinha
    De todos os animais
    E do belo Povo do Mar
    As Sereias e os Tritões
    A amam acima de todas as coisas
    Pois maior gentileza e bondade
    Possuem Iamandara Rainha dos Mares

    Ser misterioso e sinistro
    Pois sinistras seriam então
    As criaturas que criara mais tarde
    Não se sabe o que ele é
    A própria Terra dizem
    Pois da Matéria ele se originou
    E criador de toda a Matéria ele é
    Senhor do Mundo Subterrâneo
    E de todas as criaturas que lá vivem
    Nunca revela a ninguém o que pensa
    Se é que capaz de pensar seria ele
    Pois uma primitiva
    E extremamente poderosa
    Força da Natureza ele mais aparenta ser
    O próprio Mundo Subterrâneo dizem que ele é
    E de Ghoor'Akk
    É chamado na língua dos Sidhes

    De Outra Dimensão
    Conta-se que veio este
    Enorme em tamanho
    E enormes são seus fortes músculos
    Mais poderoso de todos os Gigantes
    E Pai Ancestral dessa raça ele é
    Titânius ele diz chamar-se
    Rei dos Céus
    E Senhor das Tempestades
    Longos são sua barba e cabelo
    Que violentamente reagem
    À eletricidade que em todo seu enorme corpo percorre
    A chegada sua a este Plano de Existência
    Anunciada fora por poderosas explosões
    De furiosos trovões e relâmpagos

    E por último
    (E não menos importante porém)
    Surgira então na Terra
    Aquele que Mais Poderoso dos Imortais
    Considerado por muitos séculos fora
    Violentas Chamas de Energia
    Se erguem para saudá-lo
    Maior de todos os que nasceram na Terra
    Apenas à Grande Mãe ele é inferior
    Incalculável é seu Extremo Poder
    E também incalculável é seu orgulho
    Aparência monstruosa e assustadora
    Ao mesmo tempo bela e nobre
    Repitílico e alado
    Sustentado por cinco pares
    De gigantescas e membranosas asas
    Pelo menos assim dizem seus Filhos
    Os poderosos Dragões
    Do qual aquele que
    Apenas conhecido é
    Como O Magnífico
    Maior de todos os Imortais
    Mais poderoso dos seres da Terra
    É o Pai Ancestral

    E esses quatro seres
    Detentores de Extremo Poder
    E que surgiram antes que tudo mais
    Fosse criado
    Antes que todos os outros
    Seres da Terra nascessem
    São chamados de
    Imortais Supremos
    Os Quatro Poderes Supremos da Terra
    Cujo o nível de Poder
    Além da imaginação e compreensão está
    De qualquer um que tenha
    Nascido neste Mundo

    antigo registro élfico traduzido por Zaldorza o Sábio
     
  18. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    O MAL QUE A TUDO SOBREVIVE

    Assim surgiram
    Os maiores dos Imortais
    Conta-se porém
    Que um não-incluído surgira
    Antes de todos os outros

    E novamente ele
    O Mal Eterno
    Desde a fracassada Era da Razão
    A qual com imenso prazer destruíra
    E sobre as ruínas teria governado
    Para todo o sempre

    Aquele Que Sobreviveu
    Mesmo vitimado pelo Poder Supremo
    A Luz Gloriosa que tudo criou
    Ele que infeliz vítima fora
    Da rara e terrível fúria
    Da mais poderosa de todas as criaturas
    Que já pisaram nesta Terra

    Aquele Que Sobreviveu
    Único a despertar a raríssima fúria
    Daquela que de Grande Mãe é chamada
    E único a experimentá-la
    Morto para todo o sempre
    Deveria estar no mínimo
    Esquecido em alguma realidade sinistra
    Deveria ele estar

    Mas não
    Não ele
    Aquele Que Sobreviveu
    Ele que destruiu sua Era de origem
    Que causou a Terceira e Última Guerra
    E sobreviveu
    Vitimado pelo maior Poder da Terra
    E sobreviver conseguira uma vez mais

    Pois infelizmente ocorrera
    Que o Poder Glorioso que sua ruína causara
    Imensa força lhe concedera
    Não é culpa d'Ela porém
    (Assim contam seus filhos Sidhes)
    Pois a Vida e não o Caos
    Do Poder Supremo é originado

    E Aquele Que Sobrevive portanto
    Mais vivo que nunca está
    Poderoso e maldito
    Impregnado pelo ódio de todos
    Os que pereceram com dor e crueldade
    Na malfadada Era da Razão
    Assim conta-se
    Encarnação do Mal
    Sinistro e terrível
    Jamais descansará
    E jamais morrerá totalmente
    Pois desde o Início ele é
    O Mal Que A Tudo Sobrevive

    Relato sinistro e sombrio
    Extraído de antiquíssimos Registros dos Sidhes
    Por Zaldorza o Sábio devidamente traduzidos
     
  19. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    OS FILHOS DA TERRA

    E viera então a ocorrer
    Que os Poderes Supremos do Mundo
    Anteriores a tudo que existe
    Filhos desejaram criar

    Ela primeiro
    Rainha dos Mares
    E mais bela de todos os que nasceram na Terra
    Legítima Filha do Mundo
    E pioneira da vida
    Poder imenso a ela concedido
    Iamandara dos Mares
    E no Mar a Vida primeiro surgiu
    Belos animais marinhos
    E o mais belo ainda Povo do Mar

    Talvez por inveja
    Embora nunca revelada
    Melhor pensando porém
    Por apreciarem a idéia
    Embora também jamais admitam
    Seja pelo extremo orgulho
    (Senhor das Tempestades
    e o Maior dos Imortais)
    Ou por não possuir simplesmente
    A simples capacidade de comunicação!
    (O Mundo Subterrâneo)

    Eles três
    Poderosos em seus domínios
    Os Quatro Aspectos da Existência
    E Existência conceberiam portanto
    Da forma que desejassem
    Os maiores em Poder Mystico na Terra
    E criaram então seus herdeiros
    No tecido existencial desse Mundo

    E aquele que é o Maior
    O Magnífico auto intitulado
    Semelhantes ao Pai
    Em orgulho e poder
    Pois maior poder possuíam
    De todos os que tem vida
    E são eles os Dragões
    Poderosos e terríveis
    Mas vítimas seriam no futuro
    De sua imensa arrogância
    A começar pelo Pai
    Relatado em outra parte
    Isso será porém

    E volta-se a eles
    Ao Senhor das Tempestades
    E ao Mundo Subterrâneo
    E aquele que nas mais altas montanhas vive
    A si mesmo nomeou Titânius
    De outra dimensão ele é, dizes
    Força imensa e insuperável
    Exceto pelos outros Senhores
    Embora não aceite
    E acha que somente O Maior lhe é rival
    E filhos rivais ele criou
    Tal como ele mesmo
    Grandes e poderosos
    De temperamento forte e explosivo
    E assim surgira na Terra
    A temível raça dos Gigantes

    Mas não apenas os Titãs
    Havia ele criado porém
    Pois ao Senhor dos Céus
    É também atribuída a existência
    De todas as Grandes Aves
    Majestosas e mortais
    E outros Seres Alados
    E explode o Céu em fúria
    Com tempestades dos Reis dos Ventos

    Mas no subterrâneo
    Pouco ou nada se sabe
    Pois nada ele diz
    Se é que capaz de falar ele é
    Considerado o próprio Mundo Subterrâneo
    Goor'Ak na língua dos Elfos
    Seria nada mais
    Que uma primitiva força da Natureza?
    Terceiro maior poder dizem
    Numa ordem contestada muito
    E quem afinal criou o Subterrâneo então?
    Oh sim, muito sobre isso é dito
    Obscuros e sinistros seres da escuridão
    Desde tempos imemoriais
    Vermes terríveis nos túneis se arrastam
    E devoram qualquer coisa que se mova
    Bestas perigosas sob o solo
    Luz do Sol nunca viram é o que se diz

    Mas o Sol ainda não existe
    Na jovem Terra
    Luz alguma ainda
    Mais tarde criada será porém
    Pelo Portador da Luz
    Sim ele mesmo
    O Maior de Todos
    Imerso em chamas de energia
    Pelas mais poderosas é o que se diz
    Pois ele é O Maior

    Mas pioneiro na Criação não fora
    Tão egoísta e orgulhoso
    Se morde de inveja
    Diante a idéia de Iamandara
    Ela a Rainha dos Mares
    Doadora da Vida
    Mãe da Criação
    A mais fiel de todos os Senhores
    Àquela Que Tudo Criou

    ...a Criação dos Seres....
    ..em resumida versão...
    ...nas bibliotecas da Zambárion.
     
  20. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    TERRA SELVAGEM

    Pela Terra os Filhos se multiplicam
    E se espalham
    Estabelecem moradias
    Mas não comunidades
    Não agora
    Pois primitivos são eles
    Ou orgulhosos demais para tanto

    Pela Terra se espalham
    Mas no Início
    Bestas imensas predominam então
    Ferozes e terríveis
    Que os mais fracos acautelem-se portanto
    Na jovem Terra de outrora
    Do Mais Forte é a lei única por todos reconhecida

    Bestas imensas
    E desprovidas de raciocínio
    Instinto é o que as move
    Sobreviva
    Procure alimento
    E perpetue sua espécie
    É o que se espera
    de uma Terra jovem

    Mas não é assim que ocorre
    Não, não desprovidas de raciocínio
    Pois Dragões dotados de assustadora malícia
    E inteligência cruel
    Fazem valer sua vontade
    Sobre todas as outras criaturas

    Terríveis e orgulhosos
    Como seu Pai
    E inveja imensa sentira então
    Aquele que governa nos Céus
    E Filhos seus então
    Enormes e fortes
    Chamados de Gigantes na Terra
    Rivais eram dos Dragões
    Disputa pelo domínio
    Por seus criadores fomentada
    Peões de mesquinhas maquinações suas

    Mas isso é o que se relata
    Acima do solo
    Pois abaixo dele
    Nada se sabe
    Vermes colossais e sem cérebro
    É o que se diz
    Do seio do Mundo Subterrâneo se criaram
    E lá se destroem
    Engolem uns aos outros
    No eterno frenesi pela sobrevivência

    Apenas no Mar
    Harmonia sem igual
    Pois lá reside ela
    A Doadora da Vida
    Seres belos e pacíficos
    Sem fúria e crueldade
    Em igualdade convivem
    Peixes e o Povo do Mar
    Em harmonia convivem

    Mas muito tempo isso não durará porém
    Pois na escuridão ele rumina, sinistro
    Aquele Que Sobreviveu
    Tramando com paciência e frieza
    Sua vingança contra Ela

    Estranhos relatos
    Da primitiva vida na Terra
     

Compartilhar