1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Ka Bral o Negro][Elfo das Trevas - Relatos de Dor e Ódio]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Ka Bral o Negro, 28 Set 2002.

  1. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    [Ka Bral o Negro][Elfo das Trevas - Relatos de Dor e Ódio]

    Relatos de um Elfo das Trevas, dominado pela loucura e enlouquecido pelo ódio

    E seu caminho sem volta até as Trevas Ancestrais

    Leiam e deixem suas opiniões a respeito

    É importante

    Boa leitura
     
  2. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    O VENTO NEGRO SOPRA

    Imerso em dor e ódio
    Expulso de meu lar
    Afastado de minha cultura

    Por inveja
    Por medo
    Por ódio

    Pois possuo um imenso Poder
    Além de meus semelhantes
    Inteligência e determinação
    Além daquele que nunca chamarei de pai
    Na noite escura do Mundo Subterrâneo
    O Vento Negro sopra

    Imerso em dor e ódio
    Entregue ao Poder Negativo
    Que me fortalece
    Que me consome
    O Poder está em mim
    Faz parte de mim
    Faz parte do meu ser
    O Vento Negro sopra...

    Vingar-me-ei daqueles que
    Me humilharam
    Que riram de mim
    Destruirei aquele que
    Nem em meus pesadelos
    Mais sombrios, mais sinistros
    Chamarei de pai
    *olhos brilham, vermelhos*
    O Vento Negro sopra....

    Imerso em dor e ódio
    Domino o Poder das Trevas
    E sou dominado por ele
    Assim como meus ancestrais
    Anteriormente Sidhes
    Amantes da floresta
    Hoje Elfos das Trevas
    Amargurados, depressivos
    Imersos em dor e ódio
    O Vento Negro sopra....

    Liderarei minha raça
    Para erradicar da face
    Desta Terra maldita
    A odiosa raça
    Que nos trouxe a Razão
    Devem pagar com seu sangue
    A odiosa raça
    Que surgiram para a todos dominar
    A odiosa raça
    A raça dos Homens
    Na noite escura do Mundo Subterrâneo
    O Vento Negro sopra...

    Não há volta
    Não há saída
    Dominado pelo Poder das Trevas
    Que me fortalece
    Que me controla
    Que me consome
    Arde em meu peito
    Uma terrível chama de vingança
    Aquele que jamais
    Chamarei de pai
    Aqueles que me humilharam
    Aqueles que trouxeram
    A essa maldita Terra
    O terror abominável da Razão
    Todos eles, sem exceção
    Pagarão com seu sangue
    Minha Lâmina Profana
    Com sede de seu sangue
    *desaparece*
    . . . . . . . . . .
    *reaparece na superfície; noite estrelada*
    Pagarão com seu sangue
    *olha para o Céu*
    O Vento Negro sopra.....

    Príncipe Tel'Arin, Elfo das Trevas
     
  3. Amiguinha Wood

    Amiguinha Wood Usuário

    Kabral o Negro eu achei interessante pq eu sempre gostei de Elfos e sempre quis saber o pq d alguns terem ido p/ um lado negro ,é dificil de entender ,e tomara q vc escreva muito p/ eu entender.E eu entendo q vc queira 1 tópico só seu pq como vc disse são uma sequencia e no tópico ´´poesia sempre´´ são vários poetas e não escrevem em sequência ,são variados....e tomara q ñm fechem esse tópico ,acvho q ñ até pq temo da Sarah Wood q é só dla.....mas ñ deixe de postar no ´´poesia sempre´´ outros poemas tá?
     
  4. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    ...

    Bem que Mestre V me avisou que algum "nerd-mané-magrelo iria reclamar e falar para eu escrever no poesias sempre"...

    ESTOU BRINCANDO, Mestre Drakon! :P

    Não se preocupe, está udo certo

    Eu preciso de um tópico único para dar sequ6encia aos poemas meus, é uma história, e no poesias sempre esta triste história se perderá

    Visitem tb meu outro tópico, "Relatos do Inesperaod Amanhã", lá tb tem uma história

    Lady Lossthrain, seu poema é muito bom e ... triste

    Mas deixe que apenas eu poste poemas aqui, ok? :P

    Amiguinha Wood, então deseja saber como os Elfos meus caíram na Escuridào?

    Leia o próximo poema e começará a ter uma idéia...

    Obriado pela vista de vcs e voltem sempre!

    Vamos ao próximo poema...
     
  5. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    <b>MERGULHADOS NA ESCURIDÃO (POR AMOR À SENHORA)</b>

    Nas Trevas do subterrâneo
    Respiramos horror e ódio
    Por amor à Senhora
    Mergulhamos na Escuridão

    Num passado longínquo
    Além da memória dos Homens
    Além da Catástrofe
    Por amor à Senhora
    Mergulhamos na Escuridão

    Poderosos Sidhes
    Orgulhosos de sua majestade
    Governantes da Floresta
    Agora caídos na Escuridão
    Por amor à Senhora

    A Rainha das Fadas
    Maior de todos os Imortais
    Mais poderosa de todos os seres
    Sem perceber deixou-se
    Dominar pela arrogância e soberba
    Acima de tudo porém
    Ela nos ama e nos amará
    Até o Fim dos Tempos
    Por amor à Senhora
    Mergulhamos na Escuridão

    Diante de sua impotência
    Explodiu de dor e ódio
    Libertara o Poder Negativo
    E fora aprisionada por ele
    Libertara o Poder Negativo
    Que nos controla
    Que nos consome
    Abraçamos o Poder das Trevas
    Por amor à Senhora

    Por amor à Senhora
    Caímos nas Trevas
    Por amor à Senhora
    Seremos eternamente carcomidos
    Pelo Poder nefasto
    Eternamente dominados
    Pelo ódio e pela dor

    Nas Trevas do subterrâneo
    Fomentamos guerras e conflitos
    Sangue será derramado
    Não sangue inocente porque
    A inocência não existe
    Nunca existiu

    Nem quando abraçamos
    A Escuridão e nos condenando
    A uma existência tortuosa
    A uma imortalidade condenada
    A sina de odiar e matar
    E de morrer e ser odiado

    Mas nada disso importa
    Porque por amor à Senhora
    Mergulhamos na Escuridão
    E de lá nunca mais sairemos

    <i>Tel'Arin, o Elfo das Trevas</i>
     
  6. *Lossthrain*

    *Lossthrain* Vem que eu faço direito!!!

    Nossa!!!!!!!! Nunca vi poemas tão bons assim, vc merece ter um livro publicado, meu caro Ka Bral... Amei todos!!!!!!!!!
     
  7. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Oi Kabral! Que bom você por aqui (se for quem eu penso, hehe)

    Muito legal sua iniciativa de construir poemas em forma de estória (ou vice versa)... me lembra um antigo poema de escravos negros, não sei por que... (e não lembro onde li!)
     
  8. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Senhorita Prímula, apenas um Ka Bral o Negro existe neste Plano de existência, o Grande Negro do Extremo Harad, que presente esteve no Grande Encontro Nerd... digo, Grande Encontro Valinor!

    Escrevos negros... negros...

    A nossa família grande contribuição dará ao mundo literário, e não apenas na área de esportes

    Agredeço aos elogios seus

    Lady Lossthrain, agreço sua visita e elogio sincero

    Estou fazendo o possível para publicar esses poemas em um único livro (estão todos registrados)

    Há dificuldades porém, sendo eu ainda um "ninguém" no meio...

    De colocarei mais um poema, pois como prometi todo dia terá um poema meu postado aqui, assim como no outro tópico que criei, os Relatos do Inesperado Amanhã

    Visitem tb esse meu outro tópico :P
     
  9. Lukaz Drakon

    Lukaz Drakon Souls. I Eets Them.

    Pow Ka Bral! Ta mto bom! Tb gostei da ideia de contar a historia em forma de poesia, ta ficando mto legal.

    E eu não sou seu mestre coisa nenhuma. Estou longe de ser um grande escritor aqui no CdE :)
     
  10. V

    V Saloon Keeper

    Lucaz, vc não precisa, ou melhor vc não deve postar pra dizer o que vc acha q os mods vão fazer num tópico. Eu sei qual é a minha função, principalmente aqui no CdE, onde eu criei a maioria das regras. O Ka Bral, inclusive, havia lido as regras antes de criar os tópicos (coisa que nem todos fazem), e já havia me mandado uma mp explicando o porquê da criação dos tópicos. Eu liberei, pois é exatamente isso que deveria ser feito nesse caso, visto que as poesias dele tem uma seqüência lógia, formando uma história, e ele estará postando diariamente.

    Não estou te dando um puxão de orelha, pois acho q vc fez isso por inocência, mas leia lá no "Avisos Importantes" o tópico "Vão trancar...", vc vai entender o que eu estou dizendo. :wink:

    E *Lossthrain*, sua poesia eu movi pro "Poesia sempre", já que esse tópico é só pras poesias do Ka Bral.

    Bom, fica aqui então o aviso... quando vcs virem algo que vcs acham que está errado, simplesmente ignorem, o então, se ficarem na dúvida, mandem uma mp pra mim. Mas não postem no tópico pra dizer "acho que o seu tópico será movido... :roll: "

    Ok? :wink:
     
  11. Amiguinha Wood

    Amiguinha Wood Usuário

    Ka Bral vc diz q os outros poemas do ´´poesia sempre´´ são tristes ,mas os seus tb são!mas ao mesmo tempo são interessantes e tem uma beleza(inexplicável) ,são tristes belos ,e não tristes de deprê ,nossa ,se o amor e por amor faz mergulhar na escuridão então eu tô no inferno(risos......)!Aqui no CdE vc já arrassa ,vc tem potêncial e sei q pode ir tão longe qto imagina!

    obs; só uma pergunta Kabral ,vc está na escuridão ou no caminho p/ a escuridão?(curiosidade)
     
  12. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Obrigado pelo apoio, Mestre V :P

    Agradeço imensamente o elogio, Senhorita Wood :P

    Beleza inexplicável? Tristes e belos?

    Ohohohohohohoh...

    "Somente a Escuridão é digna de adoração"

    Vamos ao próximo poema!
     
  13. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Interlúdio Sinistro

    O medo, o ódio, o rancor....

    Poder Negativo que eu controlo
    E que me controla
    Condenado o odiar e matar
    Enquanto durar minha amaldiçoada imortalidade

    Enquanto houverem sentimentos negativos
    Persistirá o Poder das Trevas sobre esta Terra
    E enquanto persistir o Poder Negativo
    O Ódio dos Sidhes Sombrios haverá
    De alimentar suas almas atormentadas

    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    Imerso em dor e ódio
    Entregue ao Poder Negativo
    Que me fortalece
    Que me consome
    O Vento Negro sopra...

    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    Em algum lugar do Mundo Subterrâneo
    Está Tel'Arin
    Príncipe dos Sidhes Sombrios
    Imerso em dor e ódio

    Em algum outro ponto
    Bem, bem distante
    Está outra alma amargurada
    Imersa em dor
    E enlouquecida pelo ódio
     
  14. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    TREVAS CONSOMEM MINHA ALMA

    TREVAS CONSOMEM MINHA ALMA

    Uma torre envelhecida
    Caindo aos pedaços
    Tal como meu coração
    Trevas consomem minha alma
    Ou o que restou dela

    Estabeleci nova moradia
    Contra minha vontade
    Deixei minha vila
    Contra minha vontade
    Deixei meu amor
    Contra minha vontade
    Trevas consomem minha alma
    Ou o que restou dela

    Odiado por aqueles
    Que até então
    Me eram caros e que
    Eu considerava como amigos
    Como irmãos
    Por medo daquilo que
    Não compreendem
    Porque não querem compreender
    Por causa do meu sangue
    Cuja a mistura pertence
    A dois povos antes aliados

    Antes aliados
    Antes...

    E porque eu tenho
    De pagar pela desconfiança
    Tenho o melhor de duas raças
    E sofro por ambas
    Em minha torre envelhecida
    Trevas consomem minha alma

    Abandonado eu fui
    Despedaçado foi
    O meu frágil coração
    Meus sentimentos não foram

    Respeitados
    Considerados

    Ora então porque
    Eu deveria considerar
    Respeitar

    Ela me amava
    (ou fingia me amar)
    Ela me confortava
    (ou apenas satisfazia seus desejos)
    Ela foi tudo para mim
    (e eu fui apenas mais um para ela)
    Um urro inumano
    De dor, frustração
    Anunciam que
    As Trevas consomem minha alma

    Então ele aparece
    Viajante extrapalanar
    Deseja minha ajuda para
    Voltar a este Plano de Existência
    Em sua verdadeira forma

    Meu único amigo
    Único que me compreende
    Mas tolerante que meu antigo Mestre
    Que me abandonou
    Assim como todos os outros
    Assim como ela

    A um novo Poder
    Sou apresentado
    O maior Poder desta Terra
    Canalizado através
    De meu ódio, de minha frustração
    Poder que eu controlo
    E que me controla
    Mas nada mais importa
    Ajudarei meu amigo
    Que me ajudou
    Que me fortaleceu

    Um sacrifício em sangue
    Será necessário
    Sangue de uma jovem
    De uma jovem que me abandonou

    Trovões explodem no Céu
    E as Trevas consomem minha alma

    lamentos de Zankara, Feiticeiro da Torre Sombria
     
  15. Amiguinha Wood

    Amiguinha Wood Usuário

    Lendo o q escreveu aprendi q as trevas podem consumir tudo até a alma(ou o q sobrou dela)! consome tanto q parece q ñ sobra + nada e até a esperança morreu há muito tempo.....(consumida pelas trevas ) ,as trevas parecem uma maldição em q vc a tem e nunca + consegue se livrar dela!
     
  16. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Exatamente

    Todos os que sucumbem ao ódio e à loucura

    Apenas abrem as portas que libertam

    As Trevas de sua alma

    E todos os que dominados pelas Trevas foram

    Jamais serão os mesmos

    Jamais...

    Maldição, eterna maldição

    Leia os próximos poemas e saiba o motivo

    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    Sozinho na Escuridão
    Ruminando meu ódio
    E minha mágoa
    Desejos sinistros me consomem
    Sou tomado pela angústia

    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    UM DIA NÓS FOMOS

    Lordes Sidhes
    Senhores das Florestas
    Um dia nós fomos

    Lordes Sidhes
    De olhos cor das águas
    Pele tal como as árvores
    E cabelos de folhas
    Uma dia nós fomos

    Lordes Sidhes
    Poderosos entre os seres da Terra
    Mais belos de todas as criaturas
    Mais nobres que os Dragões
    Um dia nós fomos

    Mas esse dia à muito
    Se passara, muitos anos
    Anos sem conta
    Muitas gerações de Homens

    Agora estamos imersos
    No ódio e na loucura
    Corrompidos pelo Poder
    O Poder Negativo
    Que controlamos
    E que nos controla

    por Tel'Arin o Elfo das Trevas

    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    Entregue ao Ódio
    Que me alimenta
    E que me consome

    Entregue ao Poder Negativo
    Que controlo
    E que me controla
     
  17. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    Nas profundezas do Mundo Subterrâneo
    Sentado em seu trono na Cidade das Estrelas
    No fundo de seu coração sombrio
    Tel'Azzor rumina sinistro
    Tramando com paciência e frieza
    Sua vingança contra a raça dos Homens

    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    A QUEDA DOS SIDHES

    Lordes Sidhes
    Mais nobres e poderosos
    Entre aqueles que pertencem
    À raça das Fadas

    Lordes Sidhes
    Reis e Rainhas das Fadas
    Mais belos dos seres da Terra
    Orgulhosos de sua majestade
    E de seu Poder

    Lordes Sidhes
    Acima da mediocridade dos Homens
    Tão belos e perfeitos
    Tão poderosos e nobres

    Tão suscetíveis ao Poder Negativo

    Pois quando sua Senhora
    Mais poderosa de todos os Sidhes
    Caíra nas Trevas
    Não foram poucos os que
    A acompanharam

    Depressivos e sombrios
    Sentem prazer apenas
    Quando matam e odeiam
    Quando destroem e corrompem

    Nas profundezas do Mundo Subterrâneo
    Respiram ódio e dor
    Elaboram planos sinistros
    Para erradicar a raça
    Dos Homens da face desta Terra

    E são esses os antepassados
    Daqueles que foram chamados
    De Sidhes Sombrios
    No entanto, são mais conhecidos
    Como Elfos das Trevas


    Tel'Arin, Príncipe dos Elfos das Trevas,
    ruminando tristemente sobre a Queda dos Sidhes
     
  18. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    CORAÇÃO SOMBRIO

    Nas profundezas do Mundo Subterrâneo
    Em seu trono na Cidade das Estrelas
    Lorde Tel'Azzor
    Senhor das Elfos das Trevas
    Em um momento de fraqueza
    Pensa em seu filho Tel'Arin

    Nas profundezas do Mundo Subterrâneo
    Lorde Tel'Azzor se lembra
    De como expulsara Tel'Arin
    Debaixo de humilhações
    E palavras arrogantes

    Nas profundezas do Mundo Subterrâneo
    Lorde Tel'Azzor também se lembra
    Do ódio que nutre
    Pelo próprio filho

    Pois de acordo
    Com sua distorcida concepção
    Tel'Arin que perdera
    A mãe durante o parto
    Fora responsável
    Pela morte da única criatura
    Que o coração amargo e sombrio
    De Lorde Tel'Azzor
    Fora capaz de amar

    O Vento Negro sopra....

    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    Nas recantos mais profundos
    De minha alma amargurada
    Há apenas vazio
    Um vazio escuro e sinistro
     
  19. Finwen

    Finwen Usuário

    Ka bral suas poesias estão lindas, eu sou apaixonada pelos elfos e vc esta mostrando um lado interessante sombrio e é claro o fato de vc escrever todos os dias faz ficar ainda melhor pois esta como uma "novela" todo dia eu leio um capitulo!!!

    beijos
     
  20. Ka Bral o Negro

    Ka Bral o Negro Tchokwe Pós-Moderno

    O lado sombrio dos Elfos

    Pois somente a Escuridão é digna de adoração!

    E continue então acompanhando os relatos de Tel'Arin em seu desastroso caminho sem volta

    Até as Trevas
     

Compartilhar