1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L][Joseph Slater][E Tinha Um Lobo Parado Na Porta...]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Joseph Slater, 10 Abr 2006.

  1. Joseph Slater

    Joseph Slater Uoréver

    Autor: Thomas K. Church
    Título: E Tinha Um Lobo Parado Na Porta...

    Parte 1: Música

    Tudo começou com uma simples música e terminou com a porta se abrindo.

    Estava sentado a noite, a luz do computador me iluminava, só ela. Iluminação não condizia com a verdade. Péssima fotografia. Eu não deveria estar iluminado, deveria ser ao contrário.

    A janela, esta eu deixei aberta, o vento, este entrou por ela. Não sei bem porque, mas algo naquele vento gelado que batia em mim fazia com que eu me sentisse vivo, mas sabia que não estava. No final todo mundo sabe.

    Eu sempre soube que aquela dança seria a última, sempre soube que quando entrasse naquele lugar nunca mais voltaria, mas mesmo assim eu entrei. Eu achei que entrar era um ato de coragem. Eu aceitei e acreditei que aceitar e fazer são características de alguém corajoso. Não são. Coragem vem daquele que sabe evitar o que se deve evitar, que sabe fugir. Eu não soube. Eu sou, fui, sou, não sei, covarde.

    Droga.

    Mesmo prevendo tudo que ia acontecer eu deixei que tudo ocorresse daquele jeito. A música tocava e eu a seguia como um fantoche. Cordas presas nos meus membros me manobraram para que eu fizesse o que fiz.

    MENTIRA.

    Nada de fantoche, apenas vontade, eu fiz o que quis, eu queria fazer isso, mas sabia que era errado.

    BANG BANG!

    Lá estou eu de pé, olhando para o corpo sem vida na minha frente, um corpo que conhecia como se fosse o meu. A arma na minha mão, a morte na sala.

    "Oi, tudo bem? Como vai? Quanto tempo. Nunca acreditei que coisas assim pudessem ocorrer. Eu adoro o jeito que as coisas acontecem. Será tudo um golpe de sorte?"

    "Oi, vou bem e você? Quanto tempo mesmo. Aconteceram, agora somos felizes. Acho engraçado o seu jeito de criança com tudo que lhe é novo e estranho, como a vida. Não existe sorte na vida."

    Meu corpo caido no chão, com sangue escorrendo pelo que restou da minha cabeça. Ainda estou segurando aquela que foi a arma com a qual eu terminei tudo.

    BANG BANG!

    Acordei de manhã, escutei uma batida na porta e quando abri vi que tinha um lobo parado na porta...

    Desde então sei que caminharei apenas pelo sol, caminharei para frente e feliz, pois sei que minha vida é ótima e perfeita, nada como uma boa música para me alegrar de manhã.
     
    Última edição: 10 Abr 2006

Compartilhar