1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L][Jango][O lago dos cisnes]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Jango, 24 Fev 2007.

  1. Jango

    Jango Branca! Branca! Branca!

    Autor: L.S. Alves
    Gênero: Ficção
    Título: O lago dos cisnes


    Os passos do cavalo misturavam-se aos diversos sons que enchiam a floresta. Poucos eram os raios de luar que conseguiam atravessar a espessa cobertura que a copa das árvores formava. Mesmo assim o caminho estava bem iluminado. O puro sangue, branco como o leite, destacava-se em meio àquela escuridão. Estava cansado e implorava por água e descanso. O príncipe fizera-o correr por toda a noite. Estavam profundamente embrenhados dentro da floresta. Em breve seria dia e eles acampariam para descansar.
    - Ohha! – disse o jovem cavaleiro. Puxando levemente as rédeas, fazendo com que a montaria parasse imediatamente. Uma suave voz. Vinda de algum lugar à frente. Preenchia a noite com uma doce canção. O príncipe desceu do cavalo em silêncio e caminhou em direção a voz. Por trás de arbustos e árvores avistou uma cena maravilhosa.
    Na extremidade de um lago. Sentada sobre uma enorme rocha. Uma jovem repousava sentada. Em seu colo mantinha um cisne. Sobre as águas do lago estendia-se longa audiência formada de cisnes, gansos, patos e alguns outros tipos de aves. Havia algo de mágico no ar. Ele podia sentir. Mil reflexos brilhavam na superfície do lago. E a beleza da jovem era imensa. Os cabelos negros e compridos até a cintura. A alvura da pele. Os traços delicados do rosto. E a voz. Que voz mais maravilhosa. Jamais em seus vinte e um anos de vida o príncipe ouvira uma voz mais bela ou mesmo mais pura do que aquela. Sentiu que seu coração batia acelerado e um nervosismo tomava conta de suas mãos.
    Ia avançar e declarar seu amor àquela Vênus do lago quando surgiu o primeiro raio de sol e transformou aquela linda mulher num cisne branco com penas pretas na cabeça.
    Sua procura finalmente chegara ao fim. A profecia se cumpriria e poderia retornar à casa de seus pais. Um sorriso formou-se em seus lábios ao pensar na profecia. “Ao completar vinte e um anos o príncipe Sigfried deve partir em busca de uma jovem encantada que ele deve libertar de um terrível feitiço. Essa jovem será a mulher que acompanhará o príncipe pelo resto de sua vida. Ela ficará ao lado do príncipe Sigfried até que a morte venha buscá-lo.” Então aquela seria sua esposa para o resto de sua vida. Com toda aquela beleza ela seria uma companhia perfeita para um jovem príncipe que em breve se tornaria um jovem rei.
    Se ele tinha que fazer algo iria fazer agora. Voltou ao cavalo. Pegou sua refulgente espada e uma corda. Partiu em direção à pedra a fim de capturar sua futura rainha. Enquanto avançava por entre os matos e arbustos, preparava um laço para passar em volta do pescoço de sua amada. Prendendo-a até de noite quando sob a luz do luar ela se revelaria, ele pediria sua mão em casamento e partiriam juntos na viagem de retorno ao castelo de seu pai.
    Com todo cuidado e cautela pulou de rocha em rocha até chegar a mais alta de todas. Onde repousava sua amada. Ela agora estava sentada sobre o ninho e tinha ao seu lado o cisne que durante a noite ficara aconchegado em seus braços. Com um movimento rápido Sigfried passou o laço em torno de sua desejada. O outro cisne sentiu-se afrontado e avançou em direção ao príncipe. Batendo asas e grasnando a plenos pulmões. O jovem simplesmente chutou-o para o lago. Onde caiu morto. Com alguns nós a encantada estava imobilizada. Preparavam-se pra descer quando centenas de vozes romperam à quietude do lago. E o som da batida de milhares de asas se fez ouvir. O campeão ergueu sua espada e virou-se em direção aos sons. Levantaram vôo e vinham em seu encalço. Patos, cisnes, gansos e marrecos. Não havia dúvidas. Era um ataque. Soltou o cisne no chão e começou a brandir sua lâmina. A cada golpe, sangue, suor e penas eram derramados. Atacavam por todos os lados. Incessantes e infatigáveis. O chão ia tornando-se uma massa de corpos mutilados e sem vida. O sangue escorria pela pedra e maculava as águas do lago. Bicos e patas atingiam o corpo do nobre cavaleiro, mas ele continuava a lutar com toda a bravura e coragem possíveis. Mesmo assim teve que recuar. Nesse movimento pisou o ninho e esmagou os ovos que ali estavam guardados. Seus músculos ardiam e a respiração estava começando a ofegar. Os inimigos eram muitos e estavam dispostos a doar a vida para proteger a bela cantora. O sangue e o suor cobriam o corpo de Siegfried. Seus olhos ardiam com as impurezas que escorriam para dentro de suas órbitas. Mesmo assim ele não parou de brandir sua espada até que o último dos inimigos estivesse deitado ao chão com o corpo devidamente mutilado e inerte.
    Vencida a batalha. O lago tinto de sangue. O príncipe transformado em uma massa sangrenta e exausta agarrou sua mulher cisne e retornou até o ponto onde deixara seu cavalo. Ali desmaiou em sono profundo até de noite.
    Quando a lua cheia ia alta no céu Siegfried deu sinais de acordar. Ao seu lado a bela jovem aguardava ansiosa pelo momento em que ele acordaria. Trazia firme em suas mãos a espada do jovem guerreiro.
    Ele abriu os olhos e viu a sua dama ao seu lado. Com voz fraca e vacilante disse:
    - Eu sabia que você seria minha desde o primeiro momento que a vi.
    Ela ficou muda. Em pé. Segurando a espada.
    - Uma feiticeira profetizou que eu deveria salvar uma jovem que fora encantada. E que essa jovem ficaria comigo até o fim da minha vida. Procurei por muitos países e enfim achei você. Agora que estás livre daqueles pássaros podemos ir ao castelo de meu pai onde nos casaremos e seremos felizes. – ele permaneceu deitado. Ainda estava muito cansado por causa do violento combate.
    Ela apertou o cabo da espada em suas mãos.
    - Diga algo, por favor. Deixe-me ouvir sua voz.
    Ela ergueu a espada e feriu-o no abdômen. O rosto do jovem tornou-se uma máscara de espanto e terror. O sangue vertia quente e viscoso nas mãos de Siegfried.
    - Queres ouvir a minha voz? Então ouça a minha história. Eu nasci princesa de um reino distante. Conheci a corte e a sua podridão e falsidade. Por ser uma pessoa honesta e pura fui amaldiçoada a tornar-me um cisne pelo resto da eternidade até que um príncipe viesse me libertar jurando-me amor eterno numa noite de lua cheia. O que ninguém sabe é que entre as aves encontrei a felicidade o amor e a paz que não achei entre os humanos. E hoje você matou meu marido, meus filhos e todos aqueles a quem eu amava. Destruiu meu amor minha paz e minha felicidade. Por isso não o perdôo e agora tomarei sua vida em minhas mãos.
    Ergueu a espada novamente e com um golpe ligeiro partiu a cabeça de Siegfried em dois pedaços.
    Quando a vida abandonou totalmente o corpo dele ela largou a espada. Olhou uma última vez pro lago. Montou no cavalo e partiu em busca de um novo recanto onde pudesse reconstruir sua vida. Quando o sol nascesse abandonaria o cavalo e seguiria viajem voando em direção a um novo começo. Um lugar onde pudesse curar seu coração partido.

     
    Última edição: 27 Fev 2015
  2. Loreley

    Loreley Desecration Smile

    Jango, que conto mais lindo!
    Primeiro por toda a fantasia: príncipe, cavalo, cisne, feitiço; depois, pelos conflitos. O tema (relação ser humano e animal) não poderia ser melhor apresentado.
    Belíssimo! Encantador!
     
  3. Nessa Lúinwë

    Nessa Lúinwë Usuário

    Me emocionei, de verdade.
    Lindo demais esse conto.
    Gostei tanto que estou sem palavras para dizer o quanto...
     
  4. Jango

    Jango Branca! Branca! Branca!

    Obrigado pessoal. Pena que não apareçam mais idéias pra escrever fantasia.
    Obrigado pela atenção de vocês.
     
  5. Carol

    Carol Visitante

    Maravilhoso XD

    e vê se manda os outros, ok?
     
  6. Jango

    Jango Branca! Branca! Branca!

    Amanhã você vai receber os seus. Conforme for eu posto o resto aqui.
     
  7. Laurelin

    Laurelin Voltei a ser um

    Encantador e triste ao mesmo tempo. Achei que eles ficariam juntos, mas seria previsível demais.
    Maravilhoso mesmo!:grinlove:
     
  8. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Formidável! Um conto que realmente surpreende pelo final! A história muito bem delineada do início ao fim, e trágico! Gostei muito! :clap:
     
  9. Dinaen

    Dinaen Bebendo com um

    cara, vc tem talento.
    continue escrevendo no fórun, será uma gratidão para todos nós podermos ler contos tão belos como este.
    acho, q foi o melhor q li esse ano. quem sabe, até mesmo o mais sincero e, acredite, emocionante q eu já li este ano.
    não sei como não havia o encontrado antes.
    continue e, parabéns. :grinlove:
     
  10. Jango

    Jango Branca! Branca! Branca!

    Só pra dar um pump no tópico e avisar que passarei a postar com frequência no clube dos bardos.
    A gente se vê por aqui.
     

Compartilhar