1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Irenicus] [Saga de Windar]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Vinci, 14 Dez 2002.

  1. Vinci

    Vinci Usuário

    [Irenicus] [Saga de Windar]

    Um grande mago

    Enquanto algumas pessoas caminhavam na praça de Quadrat, o grande Skura Kodvar apenas ficava sentado. Seus cabelos longos e um pouco espetados, o faziam ter uma aparência respeitável, de modo que suas feições ferinas pudessem ser vistas de duas formas.
    Olhou para sua mão. Viu a luva Silberne. Lembrou-se imediatamente de que tinha um encontro com os amigos.
    Seus amigos, eram os colegas do grupo de aventureiros que viajou com ele na primeira e em todas as seguintes aventuras.
    Eram 4, com Skura.
    Guincel, era o reptante feiticeiro. Foi acolhido pelo grupo logo ao entrar na guilda de aventureiros. Marx, Gatuno-Psi (como gosta de ser chamado), sentiu nele o poder da magia e um poder psi enorme.
    Tallia, a druida, foi resgatada por Gatuno quando fora atacada por um lobo. Ela consegue se transformar na Korvius, a águia gigante, uma habilidade incrível.
    Levantou-se. Colocou-se junto a multidão, caminhando com um leve sorriso na face de traços magros e ferinos.
    Deixou escapar de sua boca, um pequeno cantrip, que aprendera quando era um iniciante e ainda assim sabia, com alguns erros.
    - A coruja espreita sombria na noite
    O parque de quatro faces na noite sombria
    O outono das folhas cortantes
    O inverno de noites longas e frias
    A primavera em meio a tantas faces, bela
    O verão,
    De dias longos
    Na noite sombria


    Retirou-se da multidão. Andou pelas belas e arborizadas ruas que se estendiam até o parque. Foi para casa e começou a ler.
    Toc...Toc...Toc
    Skura levantou e foi ver quem era.
     
  2. Vinci

    Vinci Usuário

    Windar: a ponte

    Era um dos grandes magos da guilda de aventureiros. Garnius era seu nome.
    - Skura! Há quanto tempo!
    - Há, oi! Realmente, faz muito tempo que não nos vemos... Que notícia trazes? – perguntou Skura
    - Meu caro, meu caro! Indern, o grande mago chefe da guilda, descobriu que existe a ponte Windar. Esta ponte, liga nosso mundo a um outro!
    - Mas... mas... Isto é fantástico!
    - Realmente, meu caro, realmente...
    Garnius fora embora e em pouco tempo sumira no horizonte.
    Skura fora a seu quarto dormir
    ***
    Um leprechaun tocava uma música em seu piano. A pouco, fora avisado sobre Windar. Seu avô já lhe dissera algo sobre isso. Nas terras que podiam ser pisadas através da Windar, havia uma tecnologia incrível.
    Preparou-se. Pensou em se mudar para as Novas Terras em breve.
    ***
    Vê a ponte? Atrás de Windar, está um novo mundo, com tecnologia a vapor incrível e um grande inimigo. Os povos vão se juntar, eles para aprenderem a magia e nós a tecnologia...
    Skura acordou do sonho. “Uma narrativa como sonho... estranho...” pensou.
     
  3. Alex deLarge

    Alex deLarge Usuário

    Bem não consegui muito bem entender o que aconteceu aí, acho que você poderia ser bem mais claro.
    Embora se você tem 10 anos mesmo como está aí o texto é realmente muito bom, pelo menos eu me lembro do que eu escrevia aos 10 anos e... :oops:
     
  4. Vinci

    Vinci Usuário

    Um mago, descobriu Windar, a ponte que leva a um mundo interligado a este. O leprechaun faz parte de outra história que em breve se ligará a essa.
    Skura Kodvar é tipo meu avatar, que inspirou o personagem.
     
  5. Vinci

    Vinci Usuário

    A visão

    Skura depois de ter dormido um pouco, viu novamente a luva Silberne e lembrou-se de seus amigos. Preparou um pouco a bagunçada casa, fez comida (Skura detesta fazer comida) e pôs-se a tocar piano.
    Sentiu-se levitar. Viu uma enorme torre relógio. Viu como seria sua morte. Mas seus dedos continuavam tocando.
    ***
    Skura estava em um sonho, andava pelas Novas Terras, viu então uma comunidade aprendendo magia, enquanto a sua aprendia a tecnologia. Notou que em cima de uma gigantesca torre-relógio, estava um velho mago.
    Seus dedos continuavam a tocar.
    Sentiu vontade de acordar, os olhos daquele velho e ambicioso mago estavam olhando para Skura, de modo que ele sentia medo.
    Seus dedos continuavam a tocar.
    ***
    Skura acordou do sonho. Seus dedos continuavam tocando, mesmo depois daquela visão fascinante.
    Um dedo tocara em seu ombro.
    - Ah?!? – disse Skura assustado, virando-se.
    - Corres perigo jovem, tu corres muito perigo! – disse um espírito
    - Quem és tu? De que estás falando? – perguntou Skura
    - Sou teu avô. Acanius Kodvar. – disse Acanius
    - Claro, avô! Mas de que estás falando? – perguntou Skura
    - Ah, jovem Skura... Eu como espírito já sabia da Windar e passei a viver nas terras que só se chegam por lá... Lá, apenas meu aprendiz sabia magia. É o mago que viste em cima da torre Halaraë. Hoje, ele quer se tornar um lich, e para tal tem de matar duas pessoas com forte magnetismo sobrenatural.
    - Realmente. Eu corro perigo e...
    - Guincel também. Ele quer pegar dois coelhos na mesma puxada. Até mais, jovem Skura!
    - Até mais, vô!
     

Compartilhar