1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [inho][sem título]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Inho, 7 Nov 2002.

  1. Inho

    Inho Usuário

    [inho][sem título]

    Balançava as pernas, a 50 m do chão, inocentemente. Os que o conheciam sabiam que ele era um garoto esperto. Os outros, passaram a vida inteira chamando-lhe louco.
    Havia passado boa parte da vida observando. Só abriu a boca para falar em público na 8ª série, e ainda era meio tímido. Também com as mulheres.
    Ele ainda olhava lá pra baixo, onde sua mãe se desesperava e se perguntava o tempo todo o que lhe faltara.
    Vivia só, e não se importava com isso. O espelho do banheiro o entendia perfeitamente bem. Imitava Deus, reis, heróis, atores, colegas ou professores. E ria sozinho, como todo mundo.
    Seu olhar permanecia frio, impassível. No entanto, relaxado e estranhamente calmo.
    Adorava desafios. Isso lhe atraiu na matemática, primeira grande paixão. Mas também era perceptível em todas as suas atitudes, de tarefas rotineiras a importantes decisões.
    Seus amigos, ou seja, os que o conheciam um pouco melhor haviam chegado há pouco tempo. Mas também não sabiam o que fazer. Estavam somente surpresos, perplexos.
    Tinha um humor delicado. Era grosso, às vezes, mas nunca explicitamente, amante das metáforas e eufemismos. Conseguia fazer outras pessoas se sentirem bem, se assim ele estivesse.
    As autoridades se apressavam em salvar uma vida há muito já perdida. Nesse instante, viver era um dever cívico que ele estava prestes a descumprir.
    De fato, o mundo lhe preocupava bastante. Problemas sociais, econômicos ou ecológicos, ele adorava discutir. Sabia então das durezas do mundo e de como tudo seria difícil dali em diante.
    Contiuava olhando. Lá embaixo, um futuro de lágrimas. Sua família seria hostilizada pelos parentes. Ninguém o entenderia e para todos seria apenas mais louco. Definitivamente louco, talvez. Não era tanta glória. Qual seria o trunfo que ele estamparia no sorriso no caixão? Ainda haviam muitos problemas lhe aguardando até que ele descobrisse que a vida é bela.
     
  2. Hal

    Hal Usuário

    É, o texto tá até reflexivo mas eu acho que tá faltando um pouco mais de ação, emoção, sei lá. Parece que vc quis descrever algum tipo de pessoa ou até mesmo como vc acha que é.
    Qual q era seu objetivo? Responde embaixo.
    Mas tá legalzinho.
    Falow.
     
  3. Inho

    Inho Usuário

    Bem, a ideia é ir dando um paralelo de descrever a personalidade do garoto prestes a se suicidar enquanto eu descrevo a ação das pessoas tentando salvá-lo e o ponto de vista delas, que naum entendiam o que estava acontecendo por causa das caracterisiticas do garoto que eu cito paralelamente. Veja que é um parágrafo descritivo, seguido por um de ação, sendo que no final já fica meio misturado, e tudo se funde. Eu deixei no ar a pergunta: ele pulou ou não? preferi naum responder...
     
  4. M.

    M. Usuário

    Nossa, adorei... Pra mim tá completo... Mas a unica coisa que eu queria saber era se ele pulou ou não. por um lado parece que ele vai desistir, pq quer ter alguma glória para ser estampada no seu rosto no dia de sua morte. Mas por outro lado pode ser que ele tenha pulado, poi faltavapouco para descobrir q a vida é bela, e isso dá um sentido de a vida após a morte...

    Acho q viajei, mas foi isso que deu a entender...
     
  5. Clarice Starling

    Clarice Starling Usuário

    Agora só falta um título :mrgreen:
     
  6. Thrain...

    Thrain... Usuário

    ta bem compacto e bem feito; combinação boa de ler...
    a ultima frase (pra mim né...) dexa claro que ele num pula....mas....
     

Compartilhar