1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Gandalf - the white] [O dia D]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Gandalf - the white, 28 Jun 2003.

  1. [Gandalf - the white] [O dia D]

    ae galera, num to tendo muito tempo pra postar meus textos aki naum, mas ai vai um q eu escrevi faz pouco tempo!

    Hoje choro pelo fato que antes ria; tento colher alguns poucos frutos podres que a árvore do passado me deixou.
    Lembro-me que quando garoto, meus amigos e eu brincávamos de guerra. E eu sempre queria defender o exército americano, pois pensava que eles seriam superiores a nós. Na adolescência, eu treinava todos os dias, correndo, fazendo exercícios, para entrar no exército e servir.
    Bem, realizei meu sonho. Aos 18 anos, entrei para o exército, e logo, pelo meu bom desenvolvimento consegui partir para a América e fazer o teste para o exército norte-americano. Muitas foram minhas dificuldades, mas a maior foi o preconceito para com um soldado brasileiro.

    Mesmo enfrentando o preconceito, passei e ingressei para o exército.
    1942, auge da guerra que marcou para sempre a história do mundo. Hitler tenta dominar as nações, invadindo e provocando o maior holocausto de todos os tempos. Pearl Harbor é atacada pelos japoneses, e a base americana cai. O exército é solicitado, finalmente vamos a guerra, defendendo os aliados. Então Inglaterra, EUA e Canadá decidem juntar-se em um ataque ao litoral francês, que Hitler havia tomado.
    Fui chamado, sim, era meu nome que haviam falado na lista dos que iriam no primeiro ataque. Treinara a vida toda para aquele momento, e esta era a chance de mostrar do que era capaz. Iríamos ser lançados pelo avião norte-americano. Fizemos um treinamento especial com paraquedas, e enfim chegou o dia. No avião em q eu me encontrava, haviam 15 tripulantes, sendo que 13 saltariam para o ataque.

    Fomos lançados e deixados. Enquanto eu caia, já portando minha arma, pude ver os ingleses que atacavam pelo mar. Muitos morriam antes mesmo de saírem dos barcos, e eu sabia que aquele podia ser o meu destino.
    Quando pisei naquela areia, senti ódio nela, e já corri e desengatei o paraquedas e cai no chão, para não ser atingido.
    Arrastei-me até um tronco podre de árvore, e ali enconstei, e quando olhei para trás, um de meus colegas havia ficado preso nas cordas de seu equipamento e gritava por ajuda. Não tive tempo de ir até ele, quando ele olhou para mim, um tiro veio e acertou-lhe a testa. Nunca vou esquecer seu olhar antes de ele cair no chão. Seus olhos hoje para mim, representam o medo e o desespero que todos sentíamos na guerra, mesmo sem saber.
    Tínhamos que chegar até uma pequena cabana de soldados alemães, para toma-la e darmos cobertura aos outros. Levantei e corri como nunca minhas pernas haviam feito, e por incrível que pareça não fui atingido. Mas outros dois colegas foram, e um nem teve tempo de gritar, pois vários tiros atingiram-lhe o peito. O outro foi ferido na perna, e caíra ao chão gritando de dor e desespero. Não pude deixar aquilo acontecer, voltei e o ajudei a levantar-se; então andamos até uma rocha e o encostei lá.

    - Obrigado, nunca esquecerei! Agora vá, que eu lhe dou cobertura.
    Não tive tempo de recusar, pois ele agarrou sua arma e não parou de atirar. Ali ele morreu, seu corpo foi perfurado por vários tiros. Somente eu e mais dois dos que haviam sido lançados, conseguimos chegar a uma tenda montada pelos alemães, e apenas três de nós, conseguimos tomar a tenda. Mas pouca era minha alegria. Cinco tiros acertaram meu peito.
    Ouvi gritos dos meus companheiros, gritos de dor e desespero. Eles também caíram. Soldados alemães tinham nos pegado de surpresa. Os gritos estavam ficando mais longe, parecia que meu corpo estava anestesiado. Não conseguia sentir as pernas, e meus braços estavam dormentes.

    Minha visão aos poucos se escureceu, e ali perdi todos os outros sonhos da minha vida.
    E também percebi, que o maior sonho, não passava de uma ilusão. Não era realmente o que eu queria, e agora era tarde demais para voltar atrás e arrepender-me....
     
  2. Sméagol

    Sméagol Usuário

    Hum...

    O texto evolui bem rapidamente, da infância para a morte...gostei da descrição da batalha, mas acho que você poderia ter se prendido um pouco mais na narrativa do combate.

    De uma forma geral, o texto ficou legal...
     
  3. ae valeu....e pq tipo, se eu começar a enrolar demais eu naum consigo parar....hehehe........ai eu tentei colocar um limite entendeu...tipo queria fazer um texto pequeno....acho q e por isso q evoluiu muito rapido! valeu!
     
  4. Sméagol

    Sméagol Usuário

    Bom, se sua intenção realmente era a rápida evolução, ela foi bem conduzida...
     
  5. pode cre...hehe! essa foi a minha intençao aki nessa historia.....!

    so fiquei mei com medo dela correr demais,...mas acho q num fico confuso naum neh!
     

Compartilhar