1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L][Gaara][Dark Rote]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Malaman, 25 Abr 2007.

  1. Malaman

    Malaman Passion, what else?

    Capitulo 0
    A rua encontrava-se deserta, todos dormiam em Ravelion Citie todos menos os moradores do apartamento por cima do talho “Douros”. No oitavo andar o Sr.Raph falava com um sujeito misterioso.
    -Como correu a operaçao?- com as sombras o Sr.Raph nao conseguiu distinguir a cara do emissor da pergunta limitou-se apenas a responder.
    -Nao correu bem, a policia apareceu e eu nao consegui concluir... mas... se voçe me der mais tempo eu posso controlar as coisas e nao falharei para a proxima vez

    Há uma semana atrás Raph tinha sido contratado para se averiguar que umas pequenas entregas chegariam ao seu local, Raph pensou que era droga, mas quando a policia chegou ao local a unica coisa que havia naquele local era um cristal com as inicias K.L

    Mesmo nas sombras Raph conseguiu distinguir a fúria do sujeito que se encontrava á sua frente, quando menos esperava uma espada cortou-o de cima a baixo espalhando o sangue por todo lado, a noite seguia com silêncio, sendo apenas ela a unica testemunha do crime.

    -O mestre nao suporta erros...
    Ao dizer isto o estranho sujeito seguiu pela fente, pois as mortes ainda nao tinham acabado...

    O cristal que estava agora em posse da policia poderia ser a salvaçao do mundo, mas também a sua destruiçao... A lenda fala de um heroi que terá de escolher entre o bem e o mal, mas onde estará esse herói?
    -----------------------------------------------------------------------
    Pessoal apenas uma pequena introduçao de uma história que setou criando em portugues, e esta vai até ao fim...
    Espero que gostem...
    Aceito criticas e ideias para a história...
    *yams*
     
  2. Malaman

    Malaman Passion, what else?

    Capitulo 1
    No outro lado da cidade um rapaz de 15 anos nao conseguia dormir. Este rapaz era Danel.
    Ele estudava na escola de Benlapur que nao tinha a grande fama de ser amigavel, era o seu primeiro ano lá e Danel já nao suportava a escola, era sempre agredido por dois tipos que nunca chegou a saber o nome, pelo simples facto de ser caloiro. Nem o director aceitava as queixas dizendo que servia para ele aprender a ser homem.
    O certo é que Danel viu seus pais a serem assassinados a sangue frio por um bando de assassinos que so falavam numas notas, este facto aconteceu no ano passado quando estavam em férias de verão e até hoje a policia nao sabia quem teria feito uma coisa deste tipo, nao encontravam motivos para tal facto, e sem motivos não havia suspeitos.
    Desde então ele viveu com seus avos maternos(a unica familia), aos quais nao se atrevia dizer nada sobre a escola nao apenas por serem pessoas de idade, mas tambem sofriam de coraçao, além do mais danel ja estava preparado psicológicamente para a sua surra diária.
    Neste noite de 6ª feira Danel estava acordado, mas nao por medo de ir para a escola no dia seguinte, mas sentia uma estranha sensação no silêncio da noite. Sonhou com demónios e mortes, mortes cruéis e cheias de sangue. Acordou quando lhe pareceu ouvir o grito de um homem a pedir por socorro.
    Danel estava a olhar pela janela, a noite estava fria e nem a chuva que caía parecia fazer ruído, um estranho ambiente encontrava-se no ar naquela noite.
    “Que se passa comigo? Será que a visao de nunca sairá da minha mente?”
    Derrepente Danel ouviu um som vindo da cozinha e seu coraçao parecia expludir de tanta dor, era como se o mandasse ir a cozinha. Sentiu uma força que nao podia ser explicada.
    “Será que a avó veio buscar um copo de agua?”
    Ao encaminhar-se para a cozinha sentiu uma forte sensação de medo e dor misturada. Preparou-se para acender a luz, mas o seu corpo nao parecia estar a responder ás suas orden.
    O que encontraria na sua cozinha? Porque estava tudo tao silencioso agora?
    Quando ganhou coragem acendeu a luz e por incrivel que pareça nao viu nada de anormal na cozinha estava tudo como sempre estivera, tinha uns pratos por lavar encima da banca, o frigorifico era a unica coisa que cortava o silêncio total.
    Voltou a apagar a luz criticando-se a ele próprio por ter medo e por estar a alimentar mentiras na sua mente. Apesar de todos este pensamentos quando chegou á porta do quarto sentiu novamente a dor no peito, mas desta vez com muita maior intencidade.
    Estendido no chao a contorcer-se pelas dores Danel queria gritar, mas nao tinha forças para isso, viu todos os 15 anos da sua vida numa espécie de flash como se vê nos filmes. Pensou sobre a morte dos pais e agora... sobre a sua própria morte.
    Quando pensava que era o seu fim, a dor parou...
    Com muita dificuldade ele se indereitou e conseguiu finalmente voltar a respirar normalmente. O que era esta dor? O que estaria a provocala? Eram perguntas que Danel fazia a ele próprio, mas nao conseguindo respostas por mais voltas que desse á sua cabeça. Olhou para o relógio e viu que marcava 4 horas da manha.
    “Vou dormir e amanha penso no que vou fazer sobre isto”
    Entrou no quarto e desta vez seu coraçao parecia mesmo expludir, nao de dor... mas de medo...
    Á sua frente estava uma sombra... nao era uma smbra de uma pessoa... parecia uma sombra do outro mundo...
    Quando se preparava para gritar a sombra começou a dirijir-se para ele...


    *yams*
     
  3. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Muito bom, já começou no meio da ação! Só acrescentaria uma introdução das personagens e do ambiente com mais detalhes. E como sei que você mestra RPG, não posso perdoar essa falha crítica :lol:

    Enfim, acho que o maior desafio de se escrever num fórum é esse: colocar o máximo de informação num texto sem acabar com a diversão. E não é nada fácil! Boa sorte Gaara e não desanime com a baixa audiência do Clube :cerva:
     
  4. Malaman

    Malaman Passion, what else?

    No proximo capitulo vou tentar fazer um maior numero de descriçao...
    Obrigado pela dica...
    *yams*
     
  5. Malaman

    Malaman Passion, what else?

    Capitulo 2

    A sombra movia-se rapidamente e num abrir e fechar de olhos atingiu um murro com uma força magnifica no estomago de Danel. Este sentiu o seu corpo a cair e a perder todas as forças, mas antes de desmaiar ainda conseguiu ver um olho vermelho como sangue. A fce do estranho nao era muito visivel, mas uma grande cicatriz notava-se bastante de cima a baixo da cara.
    “Mãe”. Foi a unica coisa que Danel pronunciou antes de cair sem sentidos no chão.

    -Danel! Despacha-te querido ja estamos atrasados para ir ter com a tua tia.
    Danel levantou-se parecendo ter recuperado os seus sentidos. Olhou á sua volta e viu uma casa branca com um jardim grande que por alguma razao lhe parecia familiar. A rua que separava o lado onde Danel estava e a outra margem era um caminho de paralelos que parecia estar em mau estado. Olhou para a entrada e viu que estava uma mulher muito bonita, loia com um sorriso meigo na cara. Ao lado da mulher encontrava-se uma criança que tinha chegado á pouco tempo, esta parecia muito feliz, vestia uma camisola azul e umas jardineiras pretas com um simbolo numa das pernas. A criança segurava uma saca verde de plástico e na outra mao um gelado que parecia ser de chocolate. Danel achou este cenário muito familiar, como se alguma vez no passado ja estivesse lá, mas nao se lembrava de nada, talvez da pancada do estranho individuo.
    Lembrou-se do sucedido no seu quarto e com medo procurou a sombra por todos os lados, mas nao havia sinal de nada. Sentiu-se mais aliviado e deitou-se na relva a olhar para o céu. Estava um lindo dia de sol sem nenhuma nuvem no céu, parecia tudo tao tranquilo, mas de certa forma esquecito. Nao via a casa da avó em lado nenhum e nao sabia onde estava ou como tinha lá parado. Derrepente viu o miudo a correr em direcção a ele... Instintivamente levantou-se e fez sinal para este parar... O miudo nao deve ter visto o sinal e foi mesmo contra Danel.
    Danel nao acreditava no que via... O kiudo foi contra ele mas nao sentiu nada, o miudo simplesmente tinha passado por ele como se ele fosse um fantasma. O seu medo ainda aumentou quando olhou para o miudo... Olhos verdes e cabelo preto pintado de azul, tal e qual como Danel...
    Foi entao que danel percebeu, aquela era a casa onde vivera em tempos com os seus pais antes da tragédia que ocorrera. A mulher bonita que se encontrava agora a regar a relva era sua mãe Madalena e o miudo... o miudo era Danel á um ano atrás.
    “Que se passa? Onde estou? Será isto um sonho?” Danel sentiu novamente a dor que sentira no peito e caiu de joelhos na relva, desta vez a dor parecia puchalo para todos os lados e quando voltou a abrir os olhos a relva tinha dessaparecido dando lugar a uma pequena praia.
    Ainda mais confuso danel voltou-se a levantar e reconheceu automáticamente aquele local. A praia onde passara as ultimas férias com a familia. Olhou a volta e viu o pai(um homem rubusto com cabelo negros e de óculos) com um ar assustado a falar para um homem com um uniforme todo preto com um capuz a tapar completamente a sua cara.
    -Que voçes querem?- ouviu seu pai a dizer
    O homem riu-se e limitou-se a dizer:
    -Quero saber a localizçao do cristal e da profecia que voçe fala no seu livro... Digamos que preciso de ambos para um negócio pessoal.
    O estranho falava com uma voz fria que Danel nunca mais poderia esquecer.
    -Não sei onde se encontra nem o cristal nem a profecia, eu apenas escrevi sobre eles porque o meu editor me pediu um artigo sobre eles-respondeu Sheal- ao procurar noticias para o artigo achei material muito interessante e me apaixonei pela história. Fala de um cristal que pode salva toda a humanidade de um perigo que pode atacar a qualquer altura, ou poderá acabar com o mesmo mundo que nós conhecemos. Ao ler isto pensei que seria do interesse público saber mais sobre esta lenda. Foi daqui que veio a ideia de escrever o livro onde escrevi tudo que sabia a respeito do assunto.
    O estranho padeceu um pouco no longo silêncio, parecia surpreendido pela resposta de Sheal e tambem enraivecido. Danel chorava ao olhar para aquele panorama, ja sabia o que aconteceria depois. Sentiu-se fraco por estar ali sem puder fazer nada para ajudar o pai que tanto amava.
    -Se ja dize tudo no seu estupido livro sr.Sheal acho qu nao tem qualquer papel na minha vida... Nem voçe nem a sua familia miserável- respondeu o estranho sacando de imediato uma katana enorme...
    Sem o minimo de receio o assassino jazinou a familia inteira deixando apenas Danel. Olho para este que se encontrava a chorar á sua frente, mas nao tinha tentado fugir.
    -Tu ainda me serás util, vamos ver de que és capaz meu rapaz
    Danel nao se recordava destas palavras que tinham sido dirigidas a ele no ano anterior, cada vez mais mais confuso dirigiu-se a um pequeno muro que se encontrava perto da cabana da sua familia. O muro encontrava-se igual, cheio de musgo e com um ar de que está prestes a desmorunar.
    Ao olhar para lá danel viu uma sombra encostada parecendo estar á sua espera. Danel reconheceu os olhos vermelhos como sangue e a cicatriz. Aquele era o mesmo individuo que o tinha atacado no seu quarto.
    Na escuridao Danel viu que ele se ria, um sorriso arrepiante como Danel nunca tinha visto. Foi entao que o individou começou a caminhar na sua direcçao... Com uma espada na sua mao esquerda...

    *yams*
     
  6. Malaman

    Malaman Passion, what else?

    Capitulo 3

    O estranho caminhava devagar parecendo apreciar todo este momento em que Danel ficava paralizado pelo medo. A cara do estranho era humana conseguiu ver Danel, tinha uma cicatriz talvez feita por um corte de uma espada ou alguma coisa bem afiada, seus olhos eram vermelhos, dando-lhe um ar medonho e que parecia saido de um filme de terror. O estranho parou mesmo em frente a Danel vestia uma roupa preta,menos uma luva que tinha um cristal azul como simbolo. Na sua mao esquerda usava uma katana de samurai tambem com um cristal azul marcado na sua pega.
    Danel tinha quase a certeza que conhecia a sua cara de algum lado. Seu peito quase explodiu de dor, mas nao teve tempo para pensar nisso porque o estranho ja estava com a espada levantada. Danel sentiu sua vida por um fio e fechou os olhos e esperou... esperou... mas nao aconteceu nada o estranho nao o queria matar estava a dar-lhe a espada.
    -Ela pertence-lhe mestre!- foi a unica frase dada pelo estranho antes de se ajoelhar perante danel.
    “Mas o que se passa aqui?” Danel estava confuso com tudo o que lhe acomtecera, a visao em que ainda estava envolvido e agora estre estranho a chamar-lhe de mestre.
    -Camo-me Sallan- começou por fim- como deves ter apercebido o nosso mundo esta a passar por um momento em que muito sangue vai correr e os teus pais foram apenas o inicio, tudo isto por causa de um cristal... cristal este que... te pertence. Ha uma lenda que fala de um cristal que pode acabar com o mundo ou salva-lo, esse cristal so ouvirá a voz de dois mestres. O de Thuron e o teu. Thuron significa caos e desgraça, tu... bem esta nas tuas maos decidir o futuro que queres para o teu mundo, eu sou apenas o mensageiro.
    Agora Danel estava cada vez mais confuso, como se aquilo fosse nada mais do que um sonho?
    -Voçe esta a gozar comigo so pode! Eu nao tenho cristal nenhum e com certeza nao sou esse rapaz de que fala a profecia. Ele deve ser forte capaz de derrotar esse thuron, mas eu sou fraco e nao tenho qualquer tipo de superpoderes.
    Sallan riu-se pela 1ª vez e virando as costas começou a falar:
    -Tu es fraco porque queres, porque tens medo de soltar o verdadeiro poder dentro de ti. Eu tenho-te observado todos os dias desde a morte dos teus pais e continuamente á espera do melho momento para te falar e isso foi hoje. Quanto á afirmaçao sobre o cristal... o cristal es tu que o tens e o seguras neste moemnto com medo de mim. Sim eu leio-te os pensamentos... O cristal é uma expressao usada para esconder a verdadeira identidade da... espada! Essa espada nao e nada mais do que o cristal.
    Os momentos que se seguiram foram de um silêncio brusco, Danel tentou pensar em nada para que Sallon nao lesse o que ele estava pensando. O silêncio foi cortado com a voz aguda de Sallon:
    -Acabou o tempo. A tua resposta? Se responderes sim terei todo o prazer em guiarte na tua viagem, se responderes nao... bem terei que te matar.
    Ao dizer isto Sallon pegou na sua espada...


    *yams*
     
  7. Elring

    Elring Depending on what you said, I might kick your ass!

    Muito bom! As personagens já estão ganhando forma e Danel já está sérios problemas sem saber o por quê. A revelação do Cristal também ficou interessante e espero novas surpresas ao longo da história.

    Não sei qual será o papel de Sallan no "desenvolvimento" das habilidades de Danel, mas seria interessante incluir uma personagem antagônica para equilibrar e realçar as reaçoes, medos e angúsitas do protagonista. :joinha:
     
  8. Malaman

    Malaman Passion, what else?

    Obrigado pelas dicas Elring...
    Mais um capitulo:


    Capitulo 4

    Danel viu o ar ameaçador de Sallon e sentiu novamente a dor no peito que o acompanhava á bastante tempo. Sem se aperceber começou a segurar a espada com toda a força que tinha. Só queria vingar a morte de seus pais, mas será que Sallon seria de confiança? Como seria de esperar Danel não sabia a resposta e não tinha outra solução senao confiar naquele estranho que o ameaçava agora com uma espada.

    “Vejo que vais aceitar, mas um pequeno teste antes de avançar-mos...” Sallon via a determinação nos olhos de Danel, e num abrir e fechar de olhos agarrou sua espada com mais força e preparou-se para o atacar.
    -Prepara-te Danel! Como eu dize o teu destino és tu que decides... Que vais decidir agora? Vida ou... morte? Não se pode tornar atrás agora...
    Danel não teve tempo de falar, pois Sallon dirijiu-se a uma rapidez fantástica para Danel. Foi aí que a dor começou a aumentar e quando ele pensava que não aguentaria mais seu corpo moveu-se e bloqueou o ataque de Sallon. Uma... duas vezes! Danel não tinha controlo no corpo e a dor aumentava a cada minuto que se passava, mas conseguia bloquear todos os ataques de sallon sem o minimo problema!
    No momento seguinte preparava-se para atacar, mas a dor acabou por vencer e Danel largou a espada. Que era aquela dor? Nunca a tinha sentido antes, mas agora cada vez se tornava mais forte e frequente. Teria alguma ligaçao com Sallon? Nao teve tempo para pensar mais, pois Sallon preparava-se para o cortar o atacar. Tentou agarrar a espada, mas a dor nao o deixava mexer um unico musculo.
    Teve a sensação de ver a cara dos pais mesmo antes de levar com um murro fortissimo no meio do estomago. Com dificuldade ainda coseguiu olhar para cima e viu Sallon com uma cara furiosa.
    -Tu tens o poder, mas não o deixas libertar-se! Mesmo quando vês que vais morrer deixas o poder que os pais nos deixaram depois de morrer? Sim... eu sou o teu irmão Rack, que voçês pensavam ter morrido á 5 anos atrás. A verdade é que eu sou o protector do “cristal” e esperava o momento para entrega-lo ao seu verdadeiro dono. Mas tu, não sabes controlar o poder por causa do teu medo...
    Danel estava cada vez mais estufacto, aquele que via á sua frente era seu irmão rack?
    -Rack?...
    -Rack morreu 5 anos... Meu nome é Sallon! Estou aqui para testar os teus poderes, e ver se podes ou não ser o dono dessa poderosa arma. E não me leves a mal se eu te matar, estou apenas a comprir o meu dever!
    As lágrimas corriam pelo rosto de Danel, como seria capaz o próprio irmão o querer matar? Seria ele assim tao cruel? Teria ele esquecido todos os momentos alegres que passaram juntos com a familia?
    Rack era mais velho que Danel 4 anos e sempre se deram bem, mas á 5 anos atrás todos o pensavam morto num acidente de automovel.
    -Danel! Prepara-te!
    Danel sentiu-se cheio de raiva e a dor que o atormentava deixou de existir e tranformou-se em adrenalina! Danel pegou nas espada e apontando-a para Sallon apenas proferiu:
    -Não vou morrer antes de vingar os nossos pais, nem que para isso eu tenha que te derrotar.
    Ao dizer isto Sallon viu o quase modificado irmão. Danel tinha um ar de ódio e seus olhos estavam vermelhos como o de Sallon! Agora é tudo ou nada! A batalha entre irmãos começara...


    *yams*
     
  9. Malaman

    Malaman Passion, what else?

    Peço desculpa de nao estar a continuara a historia, mas tenho tido algum trabalho...
    No domingo posto aqui mais um capitulo...
    Espero que estejam a gostar...
    *yams*
     

Compartilhar