1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L][Cervus][Eterno & Infinito]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Edu, 4 Ago 2006.

  1. Edu

    Edu Draper Inc.

    [L][Cervus][Donatella]

    Donatella é um pequeno conto curto que eu comecei a fazer com a intenção de ser o primeiro capítulo de um livro sobre a máfia. Don Corleone faz e suas influências... :mrgreen:


    Donatella
    Primeira perte


    Enrico Copaghini alisou seus cabelos sebosos na tentativa de obter uma aparência melhor. À luz do Théatre D’France ele não passava de um velho gordo que desejava mais do que tudo a robustez que há muito havia perdido. Velhos assim eram uma das engrenagens que faziam a sociedade continuar viva e em pleno estado de funcionamento, alimentando-a com dinheiro e boas oportunidades comerciais, e Enrico sabia bem disso.

    Despidos de todo o encanto da juventude, os senis milionários desses tempos antigos revestiam-se de um dos únicos atrativos que ainda lhes restava: o dinheiro. Com essa mais que encantadora capa lhes anulando todos os empecilhos e contratempos da velhice, os renovados senhores ricos da meia e terceira-idade saíam à caça de jovens moças e oportunidades todas as noites, infestando as casas de jogos e bordéis das cidades onde moravam. Absolutamente, Enrico Copaghini não fugia dessas regras – era o tipo de avô que dedicava mais do que tempo e carinho fraterno a suas jovens netas.

    Naquela noite vaporosa e fatídica de maio, enquanto esperava sua mais nova paixão em frente ao teatro onde ela se apresentava, o qual de tanto ostentar luxo e grandeza havia sido reduzido a um sujo cabaré suburbano, graças às voltas que o mundo dá, Enrico pensava solitariamente no que a vida havia lhe preparado para o dia seguinte.

    Para após as costumeiras reuniões de negócios, incrivelmente tediosas e desgastantes, Enrico havia marcado um encontro informal e estranhamente curioso para um homem na sua posição. Às sete horas da noite, quando todos os seus companheiros de escritório fossem embora e ele pudesse ter à sua inteira disposição o andar da diretoria de sua fábrica, Enrico receberia ali um homem dúbio: Paolo Lauricella, notório fora-da-lei de New Union City, o qual, mesmo sendo reconhecido publicamente como “um famigerado bandido”, como diziam os jornais, nunca fora preso.
     
    Última edição: 4 Ago 2006

Compartilhar