• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

[L] [Alcarinollo] [Poemas sobre os Anões]

Alcarinollo

Usuário
Aí vão dois para os anões e seus admiradores:

Aos Filhos de Aulë

A arte na mão
calejada;
a bigorna batendo
sem cessar;

O formão lascando
pedra
dura, fria,
hostil
e revelando

A forma sensual
e pura
do ornato, a escultura
inabalável ao tempo
clara e radiante
rocha nua.

Teu amor, tua dor
e mais que a dor,
loucura;
do brilho que, perdido,
foi para sempre incutido
em metal, gema, ou na escura
luz de uma caverna.

Lá dentro o pai hiberna
em sonhos de usura...
anão, teu sonho/encanto
moldou a pedra dura
o escudo, a armadura
a espada e o machado...

Mas no fim, levou-te de fato
á terra onde dormias!


******* ******* 07/11/06



Canto aos Anões


No fundo da terra encantada,
da rocha e o calor, onde nada,
agora Aulë, o Vala,
do magma, um ser moldava;

São fortes os braços,
a barba
espessa, chegando ao chão;

As pernas são curtas,
de ferro
é sua determinação.

De rocha seus ossos, seu canto,
levando ao interior da montanha,
onde os sete, em sono perfeito
aguardam suas façanhas.

Com trabalho e paciência,
e a mais sensível inteligência,
metal, pedra, rio, gema,
foram sua arte plena.

No Nauglamír, vi engastada,
a mais linda e almejada,
Silmarill, alma de Arda,
brilho de uma luz sagrada.

Porém seu amor/destino
foi também sua perdição
pois que a gema e o metal
tomaram seu coração.

E assim foram, montanha adentro,
mais e mais profundo indo,
cada vez mais esquecidos,
os seus feitos fenecendo.

Até que um dia hão tornados,
ao primo magma moldado ...
pedra e sangue tendo sido
rocha outra vez se irmanando.

******* ******* 09/11/06

Bom feriado a todos:cerva:
 
Aí vão dois para os anões e seus admiradores:

Aos Filhos de Aulë

A arte na mão
calejada;
a bigorna batendo
sem cessar;

O formão lascando
pedra
dura, fria,
hostil
e revelando

A forma sensual
e pura
do ornato, a escultura
inabalável ao tempo
clara e radiante
rocha nua.

Teu amor, tua dor
e mais que a dor,
loucura;
do brilho que, perdido,
foi para sempre incutido
em metal, gema, ou na escura
luz de uma caverna.

Lá dentro o pai hiberna
em sonhos de usura...
anão, teu sonho/encanto
moldou a pedra dura
o escudo, a armadura
a espada e o machado...

Mas no fim, levou-te de fato
á terra onde dormias!


******* ******* 07/11/06



Canto aos Anões


No fundo da terra encantada,
da rocha e o calor, onde nada,
agora Aulë, o Vala,
do magma, um ser moldava;

São fortes os braços,
a barba
espessa, chegando ao chão;

As pernas são curtas,
de ferro
é sua determinação.

De rocha seus ossos, seu canto,
levando ao interior da montanha,
onde os sete, em sono perfeito
aguardam suas façanhas.

Com trabalho e paciência,
e a mais sensível inteligência,
metal, pedra, rio, gema,
foram sua arte plena.

No Nauglamír, vi engastada,
a mais linda e almejada,
Silmarill, alma de Arda,
brilho de uma luz sagrada.

Porém seu amor/destino
foi também sua perdição
pois que a gema e o metal
tomaram seu coração.

E assim foram, montanha adentro,
mais e mais profundo indo,
cada vez mais esquecidos,
os seus feitos fenecendo.

Até que um dia hão tornados,
ao primo magma moldado ...
pedra e sangue tendo sido
rocha outra vez se irmanando.

******* ******* 09/11/06

Bom feriado a todos:cerva:


Olha o anãozinho:

Um menino disse à mãe: " Vi um anão no jardim".
A mãe respondeu: "Isso é a tua imaginação! Traz-me um ramo de alecrim."
Saíu o menino de casa, para ir buscar o alecrim,
Quando, a mexer uns arbustos próximos,
Saiu um anão,
Perseguido pos um cão!

Isto tá horroroso...

Cavaleira Negra
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.920,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo