1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

[L] [Akinendel][ESTARE UAREZ EP.1/4 A VINGANÇA DO SEU CREYSSON]

Tópico em 'Clube dos Bardos' iniciado por Akinendel_theOld, 21 Ago 2002.

  1. Akinendel_theOld

    Akinendel_theOld Usuário

    [Akinendel][ESTARE UAREZ EP.1/4 A VINGANÇA DO SEU CREYSSON]

    ESTARE UAREZ
    EPISÓDIO 1/4 – A VINGANÇA DO SEU CREYSON


    É período de guerra civil. Ninguém imagina que a figura simpática de Seu Creysson, quando ele chegou com sua empresa, o GRUPO CAPIVARA PRUDUTOS GALACTICOS, se tornasse o temível e tenebroso Imperador Seu Creysson. O caso foi que logo sua empresa se tornou líder mundial, sempre com Seu Creysson á frente de tudo. Todos o adoravam. Tanto que um tempo depois, ele foi eleito Presidente da Galáxia. Não durou muito para a carapuça dele caísse. Logo, fechou o Senado intergalático e instituiu uma ditadura, se autoproclamando Imperador Seu Creysson, e com ajuda de seu braço-direito o Lorde Negro dos Sith Darth Vaider, destruiu o que restava da última ameaça contra ele, os Cavaleiros de Gedai, digo, Jedi. Pouco á pouco mais sistemas caíam pelo terror e medo do terrível imperador, e cada vez mais a língua passou a ser falada mais porcamente.
    Mas ainda havia quem desafiava o grandioso Imperador. Um grupo de rebeldes, liderados incialmente por professores de gramática, começaram uma rebelião contra a falta de respeito do imperador contra as normas da língua. Mas eles eram muito pequenos em relação ao império, que para esmagar de vez a Aliança Rebelde, construiu a ISTRELIA DIA MORTIS, uma incrível estação bélica capaz de destruir um único planeta com apenas um tiro. A única esperança da Aliança Rebelde está nas mãos da Princesa Fedéia, que conseguiu uma amostra com os pontos fracos da estação. Mas sua nave é perseguida incessamente pelo império, enquanto ela tenta escapar até a base rebelde...

    Parte 1 – A prisão de Fedéia

    O cruzador imperial atirava na nave da Princesa Fedéia incessamente. Mas ela, numa atitude ousada entra em um campo de asteróides, tentando fugir de seus perseguidores.
    Dentro do cruzador imperial, um oficial andou até a cabine de Darth Vaider, que estava retocando a maquiagem. Quando ele percebeu a presença do outro imediatamente botou seu elmo negro metálico (que lembrava á um pato) ligou um botão apertando no nariz e disse, com uma incrivelmente grossa:
    -O que deseja, Oficial Cara-de-rato?
    O oficial percebeu que ele estava sem um de seus braços.
    -A nave da Princesa adentrou pra dentro de um campo de astiróides, Lorde Vaider. Temo que continuá a tentá pegá ela?
    -Mande caças atrás dela. Vá pessoalmente, não admito falhas.
    Então porque não vai você mesmo, seu cara-de-pato? Pensou cara-de-rato, que tinha mesmo uma cara de rato.
    -Não se esqueça que posso ler seus pensamentos, idiota. Mas não vou te estrangular pelo poder da mente agora porque tenho que terminar de fazer esse braço mecânico novo aqui.
    Um outro oficial entrou e deu um bilhete para Cara-de-Rato, que leu e imediatamente disse a Vaider:
    -Lorde Vaider, o imperador deseja falar com você, imediatamente.
    -Se afaste dessa merda de campo de asteróides agora, para conseguir uma boa transmissão.
    -Sim, Lorde Vaider. –Cara-de-rato estava aliviado. Talvez aquele bunda-mole se esquecesse de matá-lo.
    -Eu ouvi isso! – Disse Vaider.
    Vaider botou seu braço mecânico novo, vestiu sua melhor capa negra, e ligou seu transmissor. Apareceu então a imagem holoográfica do imperador. Ele era baixo e tinha uma grande barriga. Um capuz cinza cobria toda a seu cara exceto a boca que quando mexia permitia-se perceber que todos os dentes do imperador estavam podres. Na verdade, Vaider podia sentir o bafo de pinga mesmo o imperador estando á anos-luz de distância dali.
    -Lordi Vaidrer, eu sintiu um distrubo na frorca.
    -Também sinto isso, Mestre.
    -Tiemos um novo inimigo: é Luko Skyrowalku. A frorça é frorte nele.
    -Sim, mestre.
    -Achi ele. E pimba nele! Ele num pode si torná Gedai di jeitio ninhum. Obu Wano tá quiredo insiná ele.
    -Se ele for convertido, será uma grande aquisição.
    -Qui idiéia mais mió di boa! Podi fazê issu?
    -Sim, mestre.
    -E lordi Vaidrer, trini mió sua langua. Tá dríficil intiendi o que ocê fala.
    -Com prazer, mestre.
    -E pari di dizê miestre no finial di todia as frasia! Mi fiaz ficá niuvoso!
    -Desculpe, Mestre. Tentarei, Mestre.


    Os caças imperiais saíram do cruzador imperial e partiram em perseguição á Princesa Fedéia. Eram 8 no total, e cara-de-rato estava em um deles.
    A princesa Fedéia, em sua nave, tratava de gravar uma mensagem dentro do dróde R2d2. Os pilotos da nave lutavam pra não serem atingidos por algum asteróide, o que era cada vez mais impossível.
    -Princesa Fedéia, não dá mais! Temos que sair desse campo de asteróides.
    -Tudo bem eu já bolei um plano! Gravei ás informações sobre a ISTRELA DIA MORTIS naquele dróide, R2D2. Vamos lança-lo naquele planeta, logo ali na frente, Tatúine. Quando o império nos pegar, não poderá nos prender pois não carregamos nada de mais além daquilo. Depois, voltamos para pegar o dróide. Saia do campo de asteróides.
    Assim foi feito. Fedéia conduziu o pequeno Dróide R2d2 até uma nave de fuga, e lhe deu as instruções necessárias. Depois, foi até a cabine do piloto rezando para que tudo desse certo. R2d2 ia entrando na nave quando apareceu um outro dróide, todo dourado e bem parecido com um humano, chamado C3PO:
    -Espere R2D2, onde você vai? Já arrumou confusão demais para um milênio inteiro, agora vamos até a sala de controle rezar para que a Princesa Fedéia não nos desintegre!
    -Fuin fuion fuuuuin fiu. –Respondeu R2D2.
    -Como? Entrar nessa nave minúscula? Do que está falando R2?
    -Firium Fion fuin foun du ru ti tu.
    -O que? A princesa Fedéia está aí dentro? Aonde? –C3PO entrou na apertada nave, mas para sua surpresa R2D2 entrou também e fechou a porta
    -O que? Você me enganou seu ferro-velho sujo! O que está pensando? Que vai pilotar essa nave? Eu quero sair daqui! Ei, o que está fazendo?
    -Fon fiun. –Isso significava mais ou menos “Cale a Boca” na língua mecânica de R2.
    “Afinal, eu preciso de um intérprete” –Pensou R2, que não estava gostando muito da idéia de aguentar aquele dróide boiola e mala, que tinha uma estranha obsessão por ele pelo resto da viagem.
    Na cabine do piloto, Fedéia recebeu uma mensagem da nave de fuga. E disse para o piloto:
    -Lance a nave de fuga até Tatúine.
    -Tem certeza que é uma boa idéia? Afinal, Tatúine, é liderado por mafiosos vis e perversos.
    -Assim como o resto da galáxia.
    Os caças imperiais se aproximaram da nave e mandaram uma mensagem para a nave de Fedéia:
    -Preparem para abordagem. Estamos interceptando sua nave.
    -Que tipo de piratas vocês são? Estamos em missão diplomática! –Disse Fedéia.
    -Então explique isso a Lorde Vaider. Esta nave, está confiscada, até Segunda ordem, em nome do Imperador Seu Creysson.

    Fedéia foi até o cruzador imperial. Vaider foi ao encontro dela.
    -Então, essa é a famosa líder dos Rebeldes de que tanto falam. É mais bonita do que eu pensava.
    -Vai se arrepender disso, Lorde Vaider. Enquanto continuaram a agir dessa maneira, mais e mais sistemas aderiram a Aliança Rebelde. E você não passa de um capanga esdrúxulo do Imperador. Lorde Vader, eu o desprezo. Cuspiria em você agora, mas sei que não adiantaria nada pois minha saliva acertaria apenas essa sua armadura, sob a qual você se esconde covardemente.
    -Acabou? –Falou Vaider. – Vocês, Rebeldes, pensam que são superiores só porque usam palavras complicadas como aderiram, esdrúxulo e não sei mais o quê! Mas o tempo em que o sujeito concorda com o verbo, acabou minha cara Princesa. Não se usa mais letra maiúscula para nomes muito menos no início de frases. Você é tão bonita quanto tola, princesa, pois os rebeldes serão esmagados como insetos. O poder do imperador não pode ser desafiado por um bando de professores de uma matéria que a muito tempo não é mais ensinada. E eu estou aqui enrolando, até que chegue o resultado da busca que está sendo feita em sua nave.
    Cara-de-rato apareceu correndo e disse a Vaider:
    -Lorde Vaider, terminamos a busca e não achamos nada de interessante.
    Vaider olhou para cara-de-rato ameaçadoramente (ele sempre parecia ameaçador com aquela máscara, mas por baixo dele sua cara era amendrotadora também):
    -Tem certeza?
    -Bem... encontrei uma revista de mulher pelada no banheiro da melhor qualidade, se me permite dizer. Estava meio melecada, mas tinha moças de muito respeito nelas. Mas além disso, não achei de bom, senhor.
    Vaider dispensou cara-de-rato e disse para Fedéia:
    -Não sei como, mas conseguiu escapar dessa, Fedéia. Mas temos outra utilidade para você. Guardas, prendam-na!
    -Não pode fazer isso! Não tem razões para isso, isso é tão... Antidemocrático!
    Dois guardas imperiais, estormotrupos, agarraram Fedéia e a levaram até a área das celas. A princesa tentou se desvenciliar deles, mas não conseguia. Ela protestou furiosamente para Vaider que já estava longe.
    Cara-de-Rato corria ao lado dele tentando dizer algo:
    -Senhor, vai querer que ela seje executada imediatamente?
    -Não, cara-de-rato, ela pode nos dar a informação onde fica a base rebelde. Iremos direto ao ponto e esmagaremos essa rebelião como moscas! E diga aos pilotos que estamos indo para a ISTRELA DIA MORTIS. Lá, ela aprenderá a Ter mais educação.
    Ele continuou andando com cara-de-rato ao lado dele. Vaider olhou para o oficial e pareceu lembrar de algo:
    -Ah sim! Como pude me esquecer disso?
    -Sim, Mestre?
    Um segundo depois, cara-de-rato estava no chão, morto. Um estormotrupo estava de guarda ali perto, e Vaider disse para ele sem parar de andar:
    -Limpe essa sujeira.

    Fim da primeira parte
     
  2. Saranel Ishtar

    Saranel Ishtar Usuário

    HAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!!!^^ ^^ ^^
    Engraçado pacas!^^ Além de estar bem legal!
    Po tou curiosa pra ler resto!^^curti pacas!!
     
  3. Akinendel_theOld

    Akinendel_theOld Usuário

    O que eu adianta eu fazer o resto, ng vai ler mesmo
     
  4. Washu_Hakubi

    Washu_Hakubi Usuário

    eu li
    e leria a continuação^_^
     
  5. V

    V Saloon Keeper

    Eu tinha lido e até tinha gostado. Mas às vezes é difícil ficar postando comentários, pq eu tenho muita coisa pra ver. Mas posta a continuação sim!
     
  6. Hal

    Hal Usuário

    Esse texto euma beleza, é arte pura, é praticamente uma revolução na literatura humorística . Ele possui um toque de magia e uma crítica social que pode mudar a visão que nós temos do mundo.

    huahauhahuashuauhauhauhu

    É até massa pode escrever o resto
     
  7. Hal

    Hal Usuário

    pode apagar isso moderadores
     
  8. Hal

    Hal Usuário

    pode apagar isso moderadores
     

Compartilhar