1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Juízes usam site de tribunal para divulgar CDs e livros próprios

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 13 Jun 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    O corregedor-geral do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), Atapoã da Costa Feliz, 67, usa desde 2008 o site do tribunal para divulgar seu trabalho como músico clássico. A Folha encontrou quatro publicações.

    Em dezembro de 2011 e nesta segunda-feira (11), notícias produzidas pela assessoria de imprensa do TJ-MS promoviam o trabalho artístico do magistrado.

    Em fevereiro de 2008, o site divulgou concerto em que faixas de dois dos sete CDs de Costa Feliz seriam apresentadas.

    O texto mais recente, de autoria atribuída à Secretaria de Comunicação Social do tribunal, havia sido acessado 1.513 vezes até o início da noite de ontem.

    A reportagem repleta de elogios é sobre o recém-lançado disco de boleros "Fascínio de Mulher".

    O texto leva ao site particular do magistrado pelo qual é possível ouvir faixas e encomendar os discos. O valor dos CDs não foi divulgado.

    O uso de páginas públicas para divulgar trabalhos alheios ao exercício da magistratura não é exclusividade do TJ-MS.

    O tribunal informou que acatará eventual regulamentação de uso do site, mas que segue "padrão" adotado por tribunais superiores.

    Em janeiro, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) publicou nota assinada pela Coordenadoria de Editoria e Imprensa divulgando a 9ª edição do livro "Receitas Especiais", da ministra Eliana Calmon, corregedora do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

    O texto diz que a publicação poderia ser comprada no gabinete da ministra por R$ 30, e que o valor arrecadado seria destinado a uma creche.

    Procurado, o CNJ não se pronunciou até a publicação da notícia.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar