1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Juiz proíbe Fokker e Boeing em Congonhas

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Omykron, 6 Fev 2007.

  1. Omykron

    Omykron far above

    Juiz proíbe Fokker e Boeing em Congonhas

    Para a Justiça Federal, pista de Congonhas é curta para Fokker e Boeing.
    Decisão afeta diretamente operação de companhias como a Ocean Air.


    Ardilhes Moreira Do G1, em São Paulo, com informações da Agência Estado

    O juiz Ronald de Carvalho Filho, da 22ª Vara Cível Federal, negou nesta segunda-feira (5) o pedido feito pelo Ministério Público Federal de São Paulo (MPF-SP) para interdição da pista principal do Aeroporto Internacional de Congonhas, na Zona Sul da capital paulista. Mas determinou, por motivos de segurança, que a partir de 8 de fevereiro, quinta-feira, as aeronaves Fokker 100, Boeing 737-700 e 737-800 sejam proibidas de usar o aeroporto.

    O juiz avaliou documentos e relatórios enviados pela Anac e Infraero para decidir o mérito da ação civil pública. De acordo com a assessoria de imprensa da Justiça Federal (JF), a íntegra da decisão deve ser divulgada na terça-feira . Apesar de não ter determinado o fechamento, o juiz determinou que sejam tomadas algumas providências em relação às operações no aeroporto.
    e acordo com a presidente substituta da Agência Nacional de Aviação (Anac), Denise Abreu, o juiz negou o fechamento, mas deferiu outros pedidos da ação movida pelo MPF. As operações devem continuar sendo interrompidas em caso de chuva forte e moderada. Além disso, as aeronaves não poderão pousar ou decolar em Congonhas. Nas próximas 72 horas, será divulgada a decisão sobre a operação do Boeing 737-400. "A decisão merece recurso para que possamos entender os critérios técnicos adotados por ele", afirma a presidente substituta da Anac.

    A presidente substituta da Anac conta que no despacho o juiz determina que os três modelos de aeronaves (Fokker 100, Boeing 737-700 e 737-800) serão proibidas de operar no aeroporto a partir de 8 de fevereiro, pois, de acordo com o magistrado, essas aeronaves precisam de mais 20% de pista. "Vamos recorrer para salvaguardar o interesse dos passageiros, pois a decisão diminuiria muito a oferta em Congonhas e já existem passagens vendidas", afirma a presidente substituta.


    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Afetadas


    Denise informou que a OceanAir será uma das companhias mais afetadas com a decisão porque a empresa só opera com Fokker-100 e a maior parte de seus vôos está concentrada no aeroporto de Congonhas.

    O presidente da Ocean Air, Carlos Ebner, disse estar “surpreso” com a decisão. Ele afirmou que a empresa não irá se pronunciar oficialmente até ver o conteúdo da decisão judicial e que espera que ela tenha fundamentos técnicos.

    A Gol também deve ter impactos sérios, pois sua frota é formada principalmente por Boeings 737-700 e 800, incluídos na restrição, além de alguns 737-300. Cerca de 30% dos vôos da companhia passam por Congonhas, conforme declaração dada pelo seu presidente, Constantino de Oliveira Junior, em teleconferência em 30 de janeiro.

    Na ocasião, o executivo cogitou transferir alguns vôos de Congonhas para Guarulhos por causa das obras programadas para o final de fevereiro, quando a pista auxiliar de Congonhas sofrerá algumas melhorias. A pista principal, que apresenta os problemas de derrapagens em dias de chuva, só deverá ser reformada a partir de junho, segundo o cronograma atual da Infraero, que administra o aeroporto.

    A medida da Justiça deverá ter menor impacto sobre TAM e Varig, que possuem poucas unidades de Fokker-100 (TAM) e Boeing 737-700 e 800 em suas frotas. A TAM opera principalmente modelos A-320 da Airbus, e a Varig, Boeing 737-300 e 400.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    Problemas


    A preocupação com as condições para pousos e decolagens no aeroporto aumentou em janeiro após incidentes envolvendo aviões em dias de chuva. Na segunda-feira (22), um em cada três vôos atrasou. Um dia antes, domingo (21),o aeroporto já teve que operar até às 2h por conta da água na pista. Na quinta-feira (18), na sexta-feira (19) e no sábado (20) a pista também teve que ser fechada em função da chuva.



    Na terça-feira (17) um Boeing 737 da Varig derrapou e provocou a interdição da pista principal do aeroporto.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)



    Alguns dados sobre os Boeings 737-700 e 800

    O Boeing 737-700 é limitado em 58.059 quilos (seu peso máximo de pouso), com F40* , RWY WET*.

    Dada as mesmas condições climáticas anteriores e com um peso de pouso de 57.000 quilos, Autobrake MAX AUTO , F40 e sem reverso : 1475 metros.

    O Boeing 737-800 é limitado em 57.500 Kilos F40 e pista WET. Pousando com 57.000 quilos ( muito próximo ao limite) e SEM REVERSO , a distância é de 1452 metros.

    Não possuo dados do Fokker-100 para pouso.

    o 737-700 possui uma envergadura de 34.31m e 33.63m de comprimento.
    o 737-800 possui a mesma envergadura do 737-700 e 39,47m de comprimento.

    o Fokker-100 possui uma envergadura de 28.08m e 35.53m de comprimento.

    *Flap Superficie de hipersustentação no fim da asa, que é extendido durante pouso e decolagem. F40= Flap 40º
    RWY WET: Pista com mais de 1,5mm de água na sua superficie. Também chamada de pista contaminada.
     
  2. Então, parece que eles vetaram, né?

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    O problema é que Congonhas se torna de fato um aeroporto perigoso quando chove. Aliás, eu acho sem noção aquele aeroporto daquele tamanho enfiado no meio da maior cidade do Brasil receber a quantidade de vôos que ele recebe...

    Você só fez citar a manchete...qual a sua opinião a respeito, Omykrom?
     
  3. Omykron

    Omykron far above

    aparentemente sim. mas ainda vai ter muita água passando pela pista antes de algo pior acontecer. até lá "reformam"
    com toda sinceridade?
    ainda não sei como não trouxeram abaixo o aeroporto de congonhas.
    ele foi feito na decada de 40/50, naquela época avião a jato era sonho. Eram aeronaves com motor convencional (motor a pistão + hélice), e depois dos motores a jato, vieram os turbo-hélice.
    IMHO, Congonhas deveria manter vôos de carreiras sendo:
    regionais em aeronaves com capacidade média > 100 pessoas e distancias inferiores a 300nm (555km)
    Aeronaves efetuando vôo da ponte aérea
    Vôos não regulares de taxi-aéreo
    desvia fluxo para o aeroporto do galeão e confins, ambos sub-utilizados.
    você vai reduzir o fluxo de quase 11 milhões de passageiros ao ano (meta da infraero) para algo em torno de 4 a 5 milhões. Além de é claro, utilizar as instalações existentes nos demais aeroportos.
    minha visão é um chute no meio da holanda de muitos paulistanos bairristas que, acreditam que o brasil truncado em são paulo é o melhor. Se fosse verdade, trafego dos EUA seria focado só em NY ou outra cidade do tipo. enquanto, na verdade, o aeroporto com maior movimento do mundo é em Atlanta, e as principais companhias tem 3 a 4 grandes centros de distribuição de passageiros.
    no Brasil, tanto gol e tam (que movimentam mais de 80% de todos os passageiros do brasil) operam APENAS com Congonhas como centro de distribuição.

    E o governo vai investir milhões na currutela que é congonhas.
    "AVANÇA BRASIL" :tsc:
     
  4. Tonho Hammond

    Tonho Hammond Molusco

    não seria mais fácil só fazer a ponte aérea sp/rj lá, como fizeram com o Santos Dummont aqui, e transferir todo o resto para o modernoso 'novo' aeroporto?
     
  5. Omykron

    Omykron far above

    não.
    querendo ou não, congonhas é o aeroporto mais próximo do centro de são paulo.
    é totalmente possivel criar uma segunda ponte aérea ligando os aeroportos de congonhas e galeão para atender a demanda de passageiros de são paulo.
    são mai sde 7 milhões de passageiros/ano passando SÓ por Congonhas.
     
  6. Drizzet

    Drizzet On vacation forever

    Vao desviar o fluxo de Congonhas para confins? como isso ?
     
  7. Tonho Hammond

    Tonho Hammond Molusco


    Justamente por ser mais próximo ao centro da cidade - e toda a coisa de mais antigo, projetado para menores aeronaves - que deveria ter o trânsito diminuído.
    Com certeza entendo muito menos disso que vc, mas não é praxe a contrução de novos e sofisticados aeroportos nos arredores das grandes cidades, em detrimento da inviável reforma dos antigos?
    O internacional de ctba é em uma cidade vizinha, o novo do rio é nos confins da ilha do governador...
    ao menos, como leigo, essa impressão que tenho.
     
  8. Omykron

    Omykron far above

    não o transito. as empresas devem ser forçadas pelas agencias reguladoras (ANAC e Infraero) a NÃO usarem congonhas como aeroporto de conexão. isso é tão comum na operação GOL - TAM.

    A construção de um novo aeroporto, o processo de homologar ele para procedimentos IFR (vôos por instrumentos), assim como construir vias de acesso que sejam eficientes é muito caro e demorado, o que seria quase que impossivel no Brasil, já que dependemos e muito da boa vontade dos políticos desse país.
    Peguemos o caso do aeroporto de Confins como exemplo, que até a transferência de 90% dos vôos do aeroporto da Pampulha (que é uma currutela encrustada na cidade), era um verdadeiro elefante branco.
    faz mais de ano que a transferencia ocorreu, e o governo (de minas) ainda não conseguiu completar a duplicação da rodovia que liga Belo Horizonte ao aeroporto de Confins.
    sim, são paulo já tem o aeroporto de guarulhos, já saturado. Você tem um problema na estrutura das empresas atuais no brasil que força uma operação irracional em um aeroporto carente de infraestrutura (Congonhas) e a opção de um aeroporto saturado (Guarulhos). Não é viavel mandar meia São Paulo ir atrás do aeroporto de campinas, pelo simples fato de estar a mais de 1hora do centro de são paulo.
    hoje, é quase impossivel você pegar um vôo de BH para CTBA, sem ter de, obrigatóriamente, fazer conexão em São Paulo Congonhas.
    é mais um problema de logistica da Infraero por falta de comunicação e incentivo a utilização de aeroportos que não estejam em são paulo para oferecer conexões.

    não. vão mandar para guarulhos e campinas quando a pista principal de congonhas for fechada para reforma.
     
    Última edição: 10 Fev 2007

Compartilhar