1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Juiz chileno indicia coronéis por morte do pai de ex-presidente

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Morfindel Werwulf Rúnarmo, 17 Jul 2012.

  1. Morfindel Werwulf Rúnarmo

    Morfindel Werwulf Rúnarmo Geofísico entende de terremoto

    Dois coronéis reformados da Força Aérea do Chile foram detidos e indiciados nesta terça-feira por torturar e matar o general Alberto Bachelet, pai da ex-presidente do país Michelle Bachelet, durante a ditadura de Augusto Pinochet.

    indica a decisão emitida nesta terça-feira pelo juiz Mario Carroza, que investiga as causas da morte do general da Força Aérea, Alberto Bachelet, desde agosto de 2011.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    Foto de arquivo mostra uma jovem Michelle Bachelet ao lado de seu pai, general Alberto Bachelet​

    Os dois coronéis, Ramón Cáceres e Edgar Ceballos, enfrentarão acusação de tortura com resultado de morte. O indiciamento, assinado pelo juiz especial Mario Carroza, foi emitido depois do Serviço Médico Legal divulgar, em 21 de junho, o resultado de uma série de perícias que estabeleceram que Bachelet morreu por causa das torturas que sofreu após ser detido e acusado de traição, em 1974, em plena ditadura de Augusto Pinochet.

    Bachelet foi um dos integrantes das Forças Aéreas que não se uniram a Pinochet em seu golpe militar que derrubou o governo de Salvador Allende. Depois de sua detenção, ele foi levado a uma prisão de Santiago e transferido quase diariamente para a Academia de Guerra Aérea, onde era submetido a tortura, como os demais militares que não se uniram ao ditador.

    A última viagem do general foi em 11 de março de 1974, quando retornou em um estado crítico à prisão. No dia seguinte, morreu vítima de uma dilatação cardíaca aguda, sem receber os cuidados necessários.

    A investigação da morte de Bachelet foi declarada prescrita pela Corte Suprema do Chile, mas foi reaberto diante de um pedido apresentado em 2011 por familiares de vítimas da ditadura junta a mais de 700 casos de violações de direitos humanos que nunca foram investigados.

    Segundo o juiz Carroza, todos os interrogatórios a que foi submetido o general Bachelet agravaram seu estado de saúde e provavelmente foram a causa de sua morte.

    A ex-presidente Michelle Bachelet, na época estudante de medicina, e sua mãe, Ángela Jeria, também foram presas e levadas a um centro de torturas da Dina, a polícia secreta de Pinochet.

    Durante a ditadura (1973-1990), cerca de 3.200 chilenos morreram nas mãos de agentes do Estado, enquanto outros 1.192 permanecem como desaparecidos e cerca de 32 mil relatam terem sido torturados e encarcerados por causas políticas.

    Os coronéis Ceballos e Cáceres já enfrentaram outras acusações em casos de violações de direitos humanos.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     

Compartilhar