1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Jovens espanhóis lendo mais que os pais

Tópico em 'Comunicados, Tutoriais e Demais Valinorices' iniciado por Pandatur, 4 Mai 2005.

  1. Pandatur

    Pandatur Usuário

    O jornal espanhol
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    publicou uma notícia online mostrando que os jovens da Espanha têm lido mais que seus pais.

    "Tolkien e Rowling tem conseguido o 'impossível': criar o hábito da leitura entre os mais jovens. Pela primeira vez em décadas as crianças espanholas são mais leitoras que seus pais."

    Segundo o jornal, no ano passado foram vendidos 40 milhões de livros classificados como "literatura infanto-juvenil" na Espanha, o que levou a um faturamento 11% maior com as vendas dessas obras, enquanto que as obras classificadas como "literatura adulta" tiveram uma queda de 8%.

    Apesar do próprio Tolkien ter dito que ao contrário de "O Hobbit", "O Senhor dos Anéis" não ser um livro voltado ao público infantil, a Federación de Gremios de Editores de España coloca SdA no grupo de livros infanto-juvenis.

    57,2% dos espanhóis dizem ler ao menos uma vez por trimestre. Desses, 22% lêem todos ou quase todos os dias.
    Em contrapartida, 42,8% não lêem ao menos uma vez no trimestre, sendo que 28% não pega um livro jamais.

    Tema da obra, indicação dos amigos e o autor são os três fatores decisivos na hora de um espanhol comprar um livro.


    E aqui no Brasil? Será que tem ocorrido o mesmo?


    Fonte:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
     
  2. Hellequin

    Hellequin Usuário

    Acho que, se uma pesquisa dessas fosse feita por aqui, iam ver que a quantidade de gente que "não pega um livro jamais" iria aumentar bastante. Aqui não reconhecem o valor de um bom livro, como os de Tolkien. São muito poucos os que reconhecem, se forem comparados ao total da população. Vergonhoso para o Brasil...
     
  3. Rudy the grey

    Rudy the grey Usuário

    :D sinal de que a nova geração está tendo uma visão mais apurada que os seus pais, enquanto isso, no Brasil....
     
  4. Smaug

    Smaug Cacho

    Eu acredito que é pelo fato de livros infanto-juvenis estarem de uns anos para cá sendo mais publicados, divulgados. Existe mais variedade atualmente do que 10 anos atrás, por exemplo. O hábito de ler está crescendo, pois nos últimos tempos o jovem foi descobrindo que o livro é realmente bom.

    E é preciso citar os filmes aqui: graças a este meio, ele passou a conhecer a literatura. Isso que é o bacana. Claro que muitas vezes um filme não consegue atrair tanto publico para sua fonte, a sua inspiração, que é o livro literário. Entretanto está acontecendo essa adaptação de livros mais do que nunca.

    E os livros de Tolkien ou da Rowling despertaram o interesse do jovem, por tratarem de valores morais, coisa que o jovem gosta de ver. Existem monstros, seres, tradições, mágica, e isso faz os olhos de cada um brilhar. É por isso que eles procuram o livro.
     
  5. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    Ahá! :aham:

    Olha só que achado interessante, sobre leitura no Brasil.

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    era uma sensação

    Chamo atenção sobre o detento que por ler sobre Carlos Magno ficou violento quando saiu da prisão :mrgreen:

     
  6. Pandatur

    Pandatur Usuário

    Pô, interessante o texto, Primula. Será então que o Brasil do século XIX lia mais que o atual? Caraca...
     
  7. Primula

    Primula Moda, mediana, média...

    O título deste poderia ser algo assim "filhos hoje leem mais que pais, que leram menos que os avós" :mrgreen: (se bobear, acho que os netos ainda leem menos que avós)

    Talvez o ditado só tenha caducado... esse ditado deve ter valido na minha época (idade média dos pais 70 anos, e minha 30 anos)

    Acho que dois fatores influenciam nisso (preço não: já disse que é perfeitamente possível comprar livros mais em conta e até de boa qualidade, contanto que não seja "da moda").

    1) falta de alternativas de passatempo. Televisão é uma delas, mas hoje em dia a gente pode viajar, ir a parques de diversões, dá para ir pra praia e nadar (no começo do século isso era contra a moral e bons costumes), sair para dançar. Ler é apenas uma opção.

    2) moda, como eu disse. As pessoas não querem ler algo que elas param na livraria/sebo folheiam, gostam e compram, mas normalmente compram os best-sellers. Em parte é para ter o que falar com outras pessoas (não ser excluido da sociedade), e em parte é para ter certeza que vai gostar. Aí o preço fica lá em cima aqui no Brasil porque normalmente não se vende livros. (os best-sellers lá fora ficam em conta para o pessoal comprar. Isso porque não é necessário arrochar o preço do que vende mais porque normalmente há vendas estáveis em livros.)

    De resto, espero que não seja o fogo de palha que eu tive na juventude que queria esgotar tudo da M.B. Zimmer, por exemplo (e hoje seria HPotter) e não lia as alternativas. Hoje eu quero vender tudo dela isso sim e me arrependo de não ter conhecido Camus e Calvino antes! :lol:
     
  8. WaneArwen

    WaneArwen Usuário

    Muito bom... pelo menos houve uma evolução: de quadrinhos a Tolkien!
     
  9. Karnillë

    Karnillë Geologista

    Ler

    Correto!
    Mas aqui no Brasil depende muito do tema do livro, sem falar que as tradutoras dão cada mancada...
     

Compartilhar