1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Autor da Semana José Lins do Rêgo

Tópico em 'Generalidades Literárias' iniciado por Liv, 25 Jul 2013.

  1. Liv

    Liv Visitante

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Quem foi
    José Lins do Rego Cavalcanti nasceu em 1901, no Estado da Paraíba, e morreu em 1957 na cidade do Rio de Janeiro.

    Viveu a maior parte de sua vida em Recife, cidade onde se formou em Direito. A partir de 1936, passou a viver na cidade do Rio de Janeiro.

    O dia a dia e os costumes tanto de Pernambuco quanto do Rio de Janeiro eram evidentes em suas obras literárias.

    Ele deu início ao conhecido Ciclo da Cana-de-Açúcar com a obra: Menino de Engenho. Além deste livro, este notável escritor escreveu outros livros, como: Doidinho, Banguê, O Moleque Ricardo e Usina. Este último possui narrativa descritiva do meio de vida nos engenhos e nas plantações de cana-de-açúcar do Nordeste.

    Em sua segunda fase, José Lins do Rego escreveu romances que tinham como tema a vida rural. Deste período, fazem parte as seguintes obras: Pureza, Pedra Bonita, Riacho Doce e Agua Mãe.

    No ano de 1943 publicou o livro Fogo Morto, considerado a sua obra-prima; posteriormente escreveu Euridice, Cangaceiros, alguns ensaios, crônicas e outras obras.

    Este notável escritor foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras e teve suas obras traduzidas para diferentes idiomas, entre eles, o russo. Antes de morrer, escreveu um livro de memórias chamado: Meus Verdes Anos.

    Principais obras de José Lins do Rego
    - Menino de engenho (1932)
    - Doidinho (1933)
    - Bangüê (1934)
    - O Moleque Ricardo (1935)
    - Usina (1936)
    - Pureza (1937)
    - Pedra bonita (1938)
    - Riacho doce (1939)
    - Fogo morto (1943)
    - Eurídice (1947)
    - Cangaceiros (1953)
    - Gordos e magros (1942)
    - Poesia e vida (1945)
    - Homens, seres e coisas (1952)
    - A casa e o homem (1954)
    - Meus verdes anos (1956)
    - O vulcão e a fonte (1958)
    - Dias idos e vividos (1981)

    ______________________________________________

    Aprofundando mais as coisas. (UI! :hanhan: )

    José Lins do Rego Cavalcanti (Pilar, 3 de junho de 1901 — Rio de Janeiro, 12 de setembro de 1957) foi um escritor brasileiro que, ao lado de Graciliano Ramos, Érico Veríssimo e Jorge Amado, figura como um dos romancistas regionalistas mais prestigiosos da literatura nacional.[SUP]1[/SUP] Segundo Otto Maria Carpeaux, José Lins era "o último dos contadores de histórias."[SUP]2[/SUP] Seu romance de estreia, Menino de Engenho (1932), foi publicado com dificuldade, todavia logo foi elogiado pela crítica.[SUP]3
    [/SUP]
    José Lins escreveu cinco livros a que nomeou "Ciclo da cana-de-açúcar", numa referência ao papel que nele ocupa a decadência do engenho açucareiro nordestino, visto de modo cada vez menos nostálgico e mais realista pelo autor: Menino de Engenho, Doidinho (1933), Bangüê (1934), O Moleque Ricardo (1935), e Usina (1936). Sua obra regionalista, contudo, não encaixa-se somente na denúncia sócio-política, mas, como afirmou Manuel Cavalcanti Proença, igualmente em sua "sensibilidade à flor da pele, na sinceridade diante da vida, na autenticidade que o caracterizavam."[SUP]4
    [/SUP]
    José Lins nasceu na Paraíba; seus antepassados, que eram em grande parte senhores de engenho, legaram ao garoto a riqueza do engenho de açúcar que lhe ocupou toda a infância. Seu contato com o mundo rural do Nordeste lhe deu a oportunidade de, nostalgicamente e criticamente, relatar suas experiências através das personagens de seus primeiros romances. Lins era ativo nos meios intelectuais. Ao matricular-se em 1920 na Faculdade de Direito do Recife, ampliou seus contatos com o meio literário de Pernambuco, tornando-se amigo de José Américo de Almeida (autor de A Bagaceira).[SUP]5[/SUP] Em 1926, partiu para o Maceió, onde reunia-se com Graciliano Ramos, Rachel de Queiroz, Aurélio Buarque de Holanda e Jorge de Lima. Quando partiu para o Rio de Janeiro, em 1935, conquistou ainda mais a crítica e colaborou para a imprensa, escrevendo para os Diários Associados e O Globo.[SUP]6
    [/SUP]
    É atribuído a José Lins do Rego a invenção de um novo romance moderno brasileiro.[SUP]7[/SUP] O conjunto de sua obra é um marco histórico na literatura regionalista por representar o declínio do Nordeste canavieiro. Alguns críticos acreditam que o autor ajudou a construir uma nova forma de escrever fundada na "obtenção de um ritmo oral", que foi tornada possível pela liberdade conquistada e praticada pelos modernistas de 1922.[SUP]8[/SUP] Sua magnum opus, Fogo Morto (1943), é visto como o "romance dos grandes personagens."[SUP]9[/SUP] Massaud Moisés escreveu que esta obra-prima de José Lins "é uma das mais representativas não só da ficção dos anos 30 como de todo o Modernismo."[SUP]10

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    ____________________________________

    Ele tem um museu, olhem que bacana:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Documentário também:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Link para a adaptação do "Fogo Morto":
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Todos os vídeos que aparecem no Youtube com o nome dele:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    [/SUP]
     
    Última edição por um moderador: 25 Jul 2013
    • Ótimo Ótimo x 7
  2. G.

    G. Ai, que preguiça!

    E aí... alguém já leu algo do moço? Recomenda? Tenho curiosidade por esses tantos escritores nossos do séc. passado que ainda não li :oops:
     
  3. Liv

    Liv Visitante

    Menino de Engenho :grinlove:
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  4. Spartaco

    Spartaco James West

    Confesso que ainda não li nada desse autor. Estou devendo. :sad:
     
    Última edição: 16 Nov 2013
  5. Liv

    Liv Visitante

    Fala sério vocês dois.
     
    • LOL LOL x 2
    • Mandar Coração Mandar Coração x 1
  6. -Jorge-

    -Jorge- mississippi queen

    Li Menino de Engenho umas 2 vezes, mas faz muito tempo, para a escola, não lembro de muita coisa mais, só de que gostei.

    Achava que tinha lido mais coisas dele. Quase comprei os livros nessas novas edições bonitonas da Record (apesar de o papel da capa se desgastar facinho).
     

Compartilhar