1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

JETHRO TULL!

Tópico em 'Música' iniciado por Thico, 11 Abr 2003.

  1. Thico

    Thico The Passenger

    8O
    Nao encontrei um topicozinho sobre essa banda maravilhosa, apesar de nao ser um profundo conhecedor dela, afinal, tenho apenas o Aqualung, que por sinal eh um classico que eh um dos cds que nao tem uma musica quiser chata(como eh de praxe do Rock Prog., nao ter musica ruins em seus cds 8-) )... Eu sei que o Aqualung nao eh um cd totalmente progressivo em relacao aos outros da banda, certo? Mas mesmo assim eh lindo... muito mesmo! Bom... queria mais informacoes sobre...
     
  2. Leosgf

    Leosgf Usuário

    Retornando das profundezas cá estou eu, um fiel fã desse estilo de (vida) música chamado Rock Progressivo. E eu não poderia passar indiferente ao chamado de meu cumpadre Gandalf.
    Ainda por cima quando o assunto é Jethro Tull! Aí então que me sinto em casa!!


    No more bulshit'!

    Eu vou abrir esse tópico dizendo (pegando o gancho da mensagem origem do mesmo) que Aqualung é talvez o pior dos melhores cds do Tull(Analisando as letras ele é talvez um dos melhores senao o melhor!)!

    Pois a fase da década de 1970 é recheada de clássicos do progressivo mundial..
    Mas uma das coisas que mais me atrai no estilo é que seus clássicos são bem diferentes, aliás qualquer conhecedor do Progressivo que se preze sabe que este prega, entre outras coisas, pela originalidade e experimentalidade na música..

    O direcionamento da arte que Ian Anderson empregou no Tull o levou para uma música cheia de camadas, sons e ambientações! Partes narradas ! Tudo exagerado, uma hiperbole ! Porem nada que ficasse irritante.

    O fato é que a banda lançou 2 Lp's de uma música apenas!! E mais! A duração ultrapassava a marca dos 40 minutos!

    Muitos nao engoliram essa e Ian Anderson ficou taxado como louco megalomaníaco ambicioso ! EU acredito que ele acertou a mão nesses 2 discos em particular(Passion Play e Thick As a Brick) porém tem gente que nao acha o mesmo e por isso o Jethro Tull tem uma legião de fãs muito heterogênea visto que Anderson bebeu de várias fontes para se inspirar nos mais variados temas(sejam estes intrumentais ou os assuntos abordados em letras) usados nas composiçoes dos discos dessa decada..

    Minstrel in the Gallery segue a linha dos 2 discos mais progressivos da banda porém sendo mais dividido(alias dividido de alguma forma ja que os outros eram uma unica musica hehehe).
    E Songs from the Wood tem bastante arranjos de teclado e lindos arranjos de flauta, tornando o som do disco bem sofisticado e elegante.
    O Tull sempre colocou ¨peso¨ em suas musicas porem na medida certa. NAda que pudesse ser taxado de Hard Rock a nao ser o cd Too Old for Rock N' Roll e certas passagens de Aqualung. O quais eu nao admiro tanto quanto os 4 citados anteriormente...

    POw ta bom neh ???
    hahahaha
     
  3. Faram¡r

    Faram¡r Dr. Benway

    Gandalf, pode comprar qualquer coisa ate o Heavy Horses que é excelente. Não se engane, a banda é excelente mesmo depois disso, mas ate esse álbum é garantido.

    O primeiro deles, This Was, não agrada muitas pessoas por ser voltado para o Blues. É diferente do que eles passaram a fazer no Stand Up, e principalmente no Benefit e Aqualung. São albuns que misturam folk, rock progressivo e hard rock, no caso do Aqualung. Depois desses álbuns, eles fizeram o Thick as a Brick. O álbum inteiro é apenas uma música, totalmente inspirado. É um trabalho desafiador e recompensador. Em seguida temos o Living in the Past, atualmente o meu álbum preferido do Tull. Ele contem músicas dos álbuns anteriores, coisas ineditas, músicas ao vivo. É bem folk e tem os melhores arranjos da carreira da banda. O Passion Play, de 73, foi duramente críticado, por ser mais uma vez um álbum com apenas uma música, dividida em vários atos. Na verdade são várias músicas que eles agruparam em uma só, e vale a pena escutar. Apesar de não ser tão bom quanto o Thick as a Brick é de alta qualidade. Em 74 eles lançaram o Warchild, que é um álbum excelente, que mescla as caracteristicas já exploradas no Aqualung, e pode se perceber um acrescimo de peso na banda. O Minstrel in the Gallery é considerado por muitos o melhor álbum do Tull, e também é o mais pesado, pelo menos dos anos 70. Mistura de peso, rock progressivo é folk atingiu o ápice aqui, em músicas como Minstrel in the Gallery e Baker Street Muse, indispensavel para quem quer conhecer a banda. O Too Old to Rock'n Roll, Too Young to Die não é tão pesado é bom quanto o anterior, mas contém ótimas músicas mais puxadas para o folk. Em seguida veio o Songs From the Wood, que muitas pessoas também consideram o melhor álbum do Tull. É o mais folclórico, é depois do Living in the Past o que tem melhores arranjos, na minha opinião, e o que a voz do Ian Anderson esta melhor. É totalmente indispensavel para quem quet conhecer o conjunto.

    A partir dai eu não falo mais para não comprometer o meu desafio no música :mrgreen:

    Ps: o texto deve estar tosco, estou com preguiça de revisa-lo :P

    álbuns indispensaveis:

    - Aqualung
    - Thick as a Brick
    - Living in the Past
    - Minstrel in the Gallery
    - Songs From the Wood

    Todos valem a pena, mas esses daí são especiais :obiggraz:
     
  4. Ithildwyn

    Ithildwyn ...

    Eu tb só conheço o Aqualung, e algumas músicas q tocam as vezes no canal de áudio da sky. As letras d Aqualung são excelentes! Até tem outros albuns aqui em casa, mas só em vinil (são da minha mãe, comprados na época d lançamento em Porto Alegre provavelmente), então não tenho como ouvir :(
     
  5. the lonely bard

    the lonely bard Usuário

    eu sou estremamente suspeito para falar do tull, e do Ian Anderson e os q me conhecem sabem bem o pq....eu amo essa banda, mas infelizmente cheguei tarde. Ja esperava o post do faramir a volta do leosg me pegou de suspresa..entao o q posso falar dessa maravilhosa banda??? Ja sei posso falar da habilidade absurda de seu lider...o cara siplesmente naum tem pulmao, o folego do cara absurdo e o ataque das notas tb e incrivel, solos como locomotive breath, my god, os varios de thick as a brick entre outros sao obras primas ..sem falar no q ele fez com bourre de Bach...como o proprio Ian diz, "uma musica classica foi tranformada em um abominavel jazz" , uma das coisas mas perfeitas dele....sem contar a habilidade com o vio;ao tb...esse cara e o maximo e essa banda e o maximo....naum devo esquecer de citar o tb excelente guitarrista Martin Barre q acompanha a banda desde a decada de 70, e autor de um dos solos mais perfeitos q eu ja ouvi, o de aqualung....gosto da formaçao atual, prinipalmente do Andy giddins, tecladista....
    naum me lembro de mais nada agora acho q consegui achar alguma coisa pra falar....
    ESSA BANDA E MUITO F******
     
  6. Waters

    Waters Usuário

    Adoro o jethro Tull!!! é uma das bandas prog que eu mais curto porque o virtuosismo deles é sempre criativo e empolgante a cada nota, não tem aquela encheção de algumas bandas progressivas. Com o Jetro, as músicas sempretem no som algo novo que se encaixa perfeitamente com a harmonia da música.

    Os dois primeiros discos do Jetro (This Was e Stand Up) não são considerados prog, mas flok rock, com muita influ~encia acústica. Somente com Benefit, Aqualung e principalmente Thick as a Brick a banda entrou de cabeça nesse ramo.

    Aqualung é o disco´dos caras. O album é perfeito. e eu consegui comprar a versão comemorativa de 25 anos que tem uma entrevista co o líder mor Ian Anderson é interessante ele dizer como foi o processo de composição do album, como se fosse a lapidação de uma jóia.

    Thick as a Brick também é sensacional o disco é apenas uma música dividida em duas partes, é prog até a medula.

    Os outros disco dele que eu escutei e recomento são A passion Play e Bursting Out - Live.

    Toda a fase setentista vale a pena ser conferida. Nos anos 80 e 90 tem coisas boas, mas o Ian levou o som para algo folclórico, estilo comédia vaudeville, com letras muito esquisitas, que só ele entendia. Desta época dizem que o disco Rock Island (1989) é o melhor.
     
  7. Leosgf

    Leosgf Usuário

    hehehe pena que eu acertei né?
    hahaha
    TO brincando!
    Mas que já você disse vou falar o que acho do ¨A¨:
    Muito estranho.. Estranho...
    Ruim na minha opinião..
    Porque é inevitavel a comparação com os discos anteriores e na minha humilde análise o ¨A¨ representa uma involução no som do Tull. :?
     
  8. the lonely bard

    the lonely bard Usuário

    saiu tb o dvd living with the past, no ano passado. vale a pena ver como o ian continua com uma incrivel presença de palco....o dvd tem cenas gravadas em shows na inglaterra e nos eua, com pequenas entrevistas entre as musicas ....fora as cenas de shows tem tb o ian tocando com um quarteto de cordas as musicas wond'ring aloud e life is a long song...e tb a formaçao original tocando songs for jeffrey....tb merece destaque nos extras o ian tocando blind eye com o uriah heep...um excelente dvd deles....
     
  9. Maldito`Tuelho

    Maldito`Tuelho Usuário

    Eu não conhecia a banda até ler esse tópico, e só to escrevendo aqui pra agradecer =]
    É muito bom mesmo!
     
  10. Leosgf

    Leosgf Usuário

    E completando o que o Faramir disse sobre o disco Warchild..
    ele é um dos melhores e mais injustiçados discos do Tull.. Muitos não levaram essa obra muito a sério.. mas fazer o que né? É o disco mais bem arranjado do grupo na minha opnião.. Partes instrumentais pesadas aliadas a orquestrações! Muito bom mesmo!

    Em tempo: Vocês sabiam que o Ian Anderson tinha um projeto de fazer um filme na temática desse disco ? Porém este fato não foi consumado :( :( :( Azar nosso :(
     
  11. Waters

    Waters Usuário

    Azar mesmo, vou fazer só mais uma ressalva em relação ao Jetro:

    escutem o solo da música Aqualung! é um dos mais belos solos que eu já ouvi na minha vida, Martin Barre é fera!
     
  12. Litzhel

    Litzhel Delirium

    Não conheço muito sobre a banda, mas eu tenho quatro vinis do Jethro, herdados do meu pai. Desde bem pequena eu ouvia jethro, entao marcou muito a minha infancia com o meu pai. Eu gosto muito, é a banda de progressivo (que na minha opiniao) melhor que tem.

    E eu adoro tambem as versoes que fizeram de algumas musicas do jethro...
     
  13. Waters

    Waters Usuário

    a única que eu conheço é Cross-eyed-mary, que foi regravada pelo Maiden, ficou show de bola.
     
  14. Faram¡r

    Faram¡r Dr. Benway

    Eu adoro o Warchild, Apesar de não tanto como os que eu citei como indispensaveis, mas se trata de um álbum fenomenal, que por alguma razão passou meio em branco, ou foi esquecido, eu não sei. Você falou bem, foi o álbum em que o peso voltou à banda, seguido pelo Minstrel in the Gallery, que também é pesado.
     
  15. Litzhel

    Litzhel Delirium

    Entao procura ouvir a versao do W.A.S.P. pra Locomotive Breath, ficou muito boa, até meu pai que nao gosta de regravaçoes adorou
     
  16. the lonely bard

    the lonely bard Usuário

    eu ja ouvi uma versao dessa mesma musica pelo helloween, ficou legal mas naum tem o belissimo solo de flauta. ficou apenas uma versao metal...
     
  17. Faram¡r

    Faram¡r Dr. Benway

    Eu me lembro que você postou uma vez um site com músicas de várias bandas a disposição, inclusive a versão do W.A.S.P. para Locomotive Breath, que eu peguei la :mrgreen:
    Esse site ainda funciona?

    A versão do Iron para Cross Eyed Mary também ficou ótima, mas ... em todos esses casos, eu ainda preferi a versão original :D
     
  18. Waters

    Waters Usuário

    em 95% dos casos a versão original de qualquer canção sempre é melhor não?
     
  19. Litzhel

    Litzhel Delirium

    Não, não funciona mais.. :(


    Mas ouve a do WASP, ficou uma versao metal muito boa, mas é claro que nao tem a magnifica flauta.


    é, em 95%, mas ainda tem os outros 5.. hehe na minha opiniao por exemplo, prefiro a versao da musica Halloween, (do helloween) que o Dark Moor fez :roll:
     
  20. Faram¡r

    Faram¡r Dr. Benway

    Quase sempre eu prefiro a versão original. Mas há excessões. Geralmente quando uma banda de Rock ou Metal faz um cover para músicas de outros estilos, mesmo estilos que eu gosto como Blues, há uma boa possibilidade da música ficar melhor. Quando é uma banda de rock coverizando outra de rock, geralmente eu prefiro a original. Talvez porque a música em questão seja marcante (para ser lembrada por outra banda depois), sendo um desafio supera-la em nova versão. Diamonds and Rust da Joan Baez fica melhor com o Juda's Priest, mesmo eu adorando Joan Baez. With a Little Help From My Friends dos Beatles fica melhor com o Joe Cocker. The Green Manalish do Fletwood Mac fica melhor com o Juda's Priest.
     

Compartilhar