1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)

Irreversível (Irréversible), 2002

Tópico em 'Cinema' iniciado por G., 28 Mai 2015.

?

Qual a sua nota para o filme?

  1. 10

    0 voto(s)
    0,0%
  2. 9

    0 voto(s)
    0,0%
  3. 8

    100,0%
  4. 7

    0 voto(s)
    0,0%
  5. 6

    0 voto(s)
    0,0%
  6. 5

    0 voto(s)
    0,0%
  7. 4

    0 voto(s)
    0,0%
  8. 3

    0 voto(s)
    0,0%
  9. 2

    0 voto(s)
    0,0%
  10. 1

    0 voto(s)
    0,0%
  1. G.

    G. Ai, que preguiça!

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    Diretor: Gaspar Noé

    Elenco: Monica Bellucci, Vincent Cassel, Albert Duponte.

    Trailer:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)

    ___________________

    Talvez tenha sido eu que não prestei atenção às críticas, mas, assim, como não lembraram desse Irreversível na época de Birdman? O filme faz a mesma coisa que o do Iñarritu, filmar dando a impressão de manter um plano sequência ininterrupto, mas com o plus a mais da câmera ficar
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    (a imitar o interior dos personagens caindo num abismo vertiginoso) e ser tudo mostrado de trás pra frente: assim, a gente começa a assistir pelos créditos (XD) e depois vemos a última cena, depois a penúltima - e assim por diante - da história, cronologicamente falando (e é bacana como o diretor vai revelando os detalhes aos poucos, e é perturbador porque as situações são TEMÇAS, daí vc ficar na beira do assento para saber mais um pouquinho do que está acontecendo ali, ao mesmo tempo em que vc tem um instinto de desviar o rosto da tela). A trilha, barulhenta (do melhor tipo :D! ) também ajuda a causar desconforto. Espere aquela tragédia - ao nível Trier de mal-estar. O final não poderia ser mais melancólico, porque, bem, não é muito confortador vc enxergar, no ínicio (ou no fim?) uma destruição completa em várias vidas, para depois ver que tudo começou esperançoso...

    Enfim, vejam, mas não comam nada pesado antes, hehe (ah, e já deixo o alerta de que a última cena, the very last one, não é recomendada para quem tem tendências a epilepsia, então se vc se enquadra aqui, feche os olhos de boa =P)

    (não botei a sinopse porque é mais bacana embarcar sem saber de nada da trama)
     

Compartilhar