• Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Interpretação de Varg Vikernes

Séreforyon

Usuário
Não achei nenhum tópico sobre isso na busca, então resolvi postar o texto.

Queria pedir que o tópico não se desvirtuasse devido as controvérsias que cercam o autor.

The One Ring

How can a fictional story by J.R.R. Tolkien about the One Ring influence so many people so much, and what has this got to do with Paganism? Tolkien was a professor in Anglo-Saxon linguistics, and although he was a Catholic, he was an ethnic European heavily influenced by Pagan ideas through his linguistic studies, but even though he used some Christian ideas in his books - like the concept of "good" versus "evil" - his books contain a lot of Pagan ideas.

The central issue in "The Lord Of The Rings" is the One Ring. On the ring itself Sauron, when crafting it, had written the last verse of a poem:


"One ring to rule them all,
one ring to find them,
one ring to bring them all,
and in the darkness bind them."


This is a riddle, and when we try to solve this riddle it becomes clear that one ring that rules, brings into darkness and binds all life is time. We are all ruled by time, found by time, brought into obvious darkness by time and bound by time - it is just a matter of time before we all die and forget, and none of us can escape it. Time has no beginning or end, like a ring. It goes on forever, and Sauron needs this corruption of time to cover the world in his darkness. The only person in the book that doesn't seem to be much affected by neither death nor time is Gandalf the Grey. He actually died when fighting the Balrog, but simply returned as Gandalf the White.

I say that, because Gandalf is a name we know well from the Scandinavian mythology, Gandálfr, and it translates as "animated elf", or "magic elf". Elf itself is a word that derives from Proto-Norse alpt ("swan", "eternal"). He is the personified "eternal magic of our souls". Balrog too is a name deriving from Proto-Norse. It is not a name from the Scandinavian mythology, but it translates as "fire-power" or "fire-god" (like Norse bálrok). The greed of the subhuman dwarves caused this fire-power to be unleashed from the depths of Earth.

According to the mythology mankind lost its immortality because we failed to live like we were supposed to or because we weren't yet perfect. Mankind was forced to live on Earth because we did not yet deserve to live amongst the gods. Therefore WōðanaR (Óðinn) sent HaimaþellaR (Heimdallr) from AnsgarðaR (Ásgarðr) to create a better man from the blood of the gods. He did, and the final and best result was Jarl's kin. Unlike the giants (known to us as Cyclops, Trolls, Titans et cetera), that made up the first proto-humans, the new human races were not undying creatures. Even Jarl's kin was not pure enough to live eternally, but when man dies the holy fire (the Sun) vaporizes the hugr ("mind") and brings it back to the divine realm of the Sun (AnsgarðaR). Then we are reborn again, when we have been purified by this fire-power (bálrok). For every life we live we learn something new and become better. We keep what is good and the fire removes the rest; we are purified by the Sun. Eventually Jarl's kin will become worthy of life amongst the gods in AnsgarðaR.

So Gandalf the Grey becomes Gandalf the White when he returns after being killed by the Balrog. He is better after being purified by the fire-power that came as a result of the subhuman mankind's greed. Although we die and are not immortal creatures (elves) yet, our minds (our "magic") are eternal - like Gandalf ("magic elf", "eternal magic"), and they will always return to life when we die, in a new body.

The One Ring is known to corrupt life, just like time corrupts us all. Nothing wrong we do in life can be undone. If I make a mistake I have to live with it for the rest of my life. Although the Sun (the Balrog) purifies our minds when we die it is harder to become purer and more innocent in life. If we have become filthy, most often we can only stop getting even filthier. Just like it becomes harder and harder to carry the burden of our mistakes the older we get, the harder it is for Frodo ("wise") to carry the One Ring the closer he gets to Mount Doom (old age).

Frodo and the other hobbits are innocent beings, but Frodo is wise too, as suggested by his name - and indeed wiser and more curious than the other hobbits. The only one who accompanies him on this quest is Sam, who is also known as "Sam the Wise". Only the innocent and wise can even dream of going to Mount Doom to destroy the One Ring. Less innocent creatures, like humans and dwarves, will not stand a chance and will instead be corrupted by the ring in no time. The elves (including Gandalf) on the other hand have already overcome death. They are already "white" so why should they want to even touch this ring of corruption, and by doing so become corrupted again? Instead they do as we will have to do one day, and in the end of the book they leave our world, to live in AnsgarðaR "beyond the sea (space)".

The hobbits are pictures of the innocent, they not yet corrupted men and women of our race. The dwarves are the people corrupted by greed and the humans are the ones corrupted by power. The elves represent the superhuman that is not corrupted by the One Ring. They are offered the ring several times, by Frodo, but they want nothing to do with it. They won't even touch it out of fear they might lose their immortality. Arwen, an elfish maiden, has to give up her immortality if she decides to marry Aragon, because she "contaminates" herself, by uniting with an impure creature like Aragon, a mere human. When she does, she will no longer be eternal (an elf). The whole Middle-Earth is becoming an increasingly corrupt place, so the elves have decided to leave it, cross the great sea in the west (the sunset) and move to another continent. However, only the elves can make this journey - only the elves and Frodo that is, because when he destroys the One Ring in Mount Doom he overcomes the corruption of life too and becomes immortal. In effect he has become an elf himself!

To be able to enter the hall of WōðanaR, the realm of the Sun, we need to be innocent. Everything impure we bring into death will be burned to ashes and not be let into AnsgarðaR. Only the good part will remain of us, only the part that is "white". A completely corrupted individual will in other words cease to exist, as there is nothing left of him or her after the Sun has removed all that was impure, while an almost completely "white" individual will start his or her next life with a lot of luggage and experience, so to speak, because he or she was able to bring this to AnsgarðaR when he or she died in his or her previous life. When we die we keep only the pure parts, and lose the rest, and when we are reborn we still have the pure parts from previous lives with us, stored in the unconsciousness - and we will be greater human beings.

The dead travel across the sea in ships (that is: they travel across the space between the Earth and the Sun), and we see pictures of such ships in rock carvings from the Stone and Bronze Age all over Scandinavia. Even the graves of our forefathers were often shaped like ships. These were the ships that should bring the eternal magic of our minds - the elves - to the realm of the Sun when our forefathers died.

This is the Pagan goal; to become better, whiter and brighter, to become more and more like the perfect gods. To conserve what is pure and remove the rest. This also explains why our forefathers could place their "deficient" children in the woods to be eaten by the wolves, and it didn't really matter: their souls were not corrupted and would be reborn anyhow. In effect nothing was lost.

"Saruman the White" is an example of how it ends of we fail to follow these biological laws. In the book he crosses hill men with orcs and creates an army of half-orcs, that can travel during the Day as well as the Night. Because of this grave mistake he becomes "Saruman of Many Colours" - and is no longer "white" (pure and honourable).

The order of the Vala, that Saruman was the head of, is the same as the Pagan cult of the initiates. In fact, Vala is a Norse name that was used on the Pagan initiates. We know the name from a son of WōðanaR, called (in Norse) Váli or Völi ("chosen"), living in Valaskjálf ("ritual site of the chosen"). In the plural form his name is actually Vala. Saruman was "the White", but became the "of Many Colours", and Gandalf was "the Grey" and became "the White". They were a part of a cult, that had the aim to become "white", like their leader Saruman originally was, before he made his mistake. Saruman mixed races and because of that fell from grace, while Gandalf was purified by the Balrog and because of that became whiter. The grey was removed, and all that was left was the white.

Another example of Pagan ideology in "The Lord Of The Rings" is the fact that Aragon was living in exile for so long, because his forefather - Isildur - made such a terrible mistake and not destroy the ring when he had the chance. Aragon is troubled by the fact that this weakness is in his blood. Like our forefathers sometime forced criminals to go into exile, Aragon has done this voluntary, because he didn't want to influence the world with his weakness.

These are just examples of just how Pagan "The Lord Of The Rings" is, but there is a lot more Pagan symbolism and Pagan ideology in this book. Tolkien was possibly more influenced by European Paganism and his European blood than he appreciated himself, as a Catholic, but in any case I think this book is an interesting example of how Pagan ideas, names and symbols can stimulate the Pagan instincts of so many people today, and attract them to something that is so deeply rooted in our genes. We also know that Tolkien wanted this book to become the mythology of Britain, and from my point of view that is not such a bad idea. It is no less Pagan and valuable than for instance the myths about King Arthur and the Ring of the Nibelungen.
(...)
Fonte: http://www.burzum.org/eng/library/paganism03.shtml
Retirei os dois parágrafos finais porque, além de gerar controvérsia, fugia do assunto.

Alguns pontos são óbvios, mas outros são mais discutíveis nessa interpretação. Tem gente que estudou a rigor a interpretação da obra de Tolkien, então achei interessante colocar o texto à apreciação dos leitores.
 

Vilya

Pai curuja, marido apaixonado
Well, it is the perfect example of someone imputing own ideas in the Tolkien's work, contradictorily the writer's ideas (so as mine).

Shit, at most.
 

Roger

HEXACAMPEÃO BRASILEIRO!!!!!!!
Esse Vilya :lol::lol::lol:

Meu ingles nem da pra ler esse artigo... :blah: Não da pra achar um traduzido? :oops:
 

Erunamo Tinuviel

Hoje eu matei um...
Meu inglês é ruim, mas minha interpretação é ainda mais pobre. Ganha minha mais sincera gratidão o primeiro a traduzir!
 

Vilya

Pai curuja, marido apaixonado
Não vou traduzir tudo porque se trata de porcaria (minha opinião). Mas só para exemplificar, algo que discutimos recentemente sobre Gandalf, o Cinzento (encarnado em um hröa) e Gandalf, o Branco (encarnado em um fána).

"So Gandalf the Grey becomes Gandalf the White when he returns after being killed by the Balrog. He is better after being purified by the fire-power that came as a result of the subhuman mankind's greed. Although we die and are not immortal creatures (elves) yet, our minds (our "magic") are eternal - like Gandalf ("magic elf", "eternal magic"), and they will always return to life when we die, in a new body."​

Então Gandalf, o Cinzeno, se torna Gandalf, o Branco, quando retorna após ser morto pelo Balrog. Ele estará melhor após ser purificado pelo poder do fogo, que veio como conseqüência da ganância da raça sub-humana (nota: é como o autor se refere a raça dos anões). Embora nós morramos e não sejamos ainda criaturas imortais (elfos), nossas mentes (nossa "mágica") são eternas - como Gandalf ("elfo mágico", "magia eterna"), e elas sempre retornarão à vida quando morrermos, em um novo corpo.​
 

Snaga

Usuário não-confiável!!!
Então Gandalf, o Cinzeno, se torna Gandalf, o Branco, quando retorna após ser morto pelo Balrog. Ele estará melhor após ser purificado pelo poder do fogo, que veio como conseqüência da ganância da raça sub-humana (nota: é como o autor se refere a raça dos anões). Embora nós morramos e não sejamos ainda criaturas imortais (elfos), nossas mentes (nossa "mágica") são eternas - como Gandalf ("elfo mágico", "magia eterna"), e elas sempre retornarão à vida quando morrermos, em um novo corpo.​
Puts, se o texto inteiro falar assim, nem vale a pena traduzir! De onde esse cara tirou tanta asneira???

Enfim... traduzam o texto completo, incluíndo os dois parágrafos finais que nosso gentil companheiro ocultou. Daí leio e posto minha opinião.
 

zorba

VAI CORINTHIANS!
é verdade, se alguém puder traduzir "TODO" o texto poderemos postar nossas opiniões também, bem como disse o amigo Snaga!!!!!
 
Credo...
Vilya, concordo contigo, em gênero, número e grau rs.
O artigo inteiro é uma porcaria...
Tão desanimador, que nem dá gosto de traduzir...
 

Indily

Balrog de Pantufas Fofas
Usuário Premium
Taquem no google tradutor... é uma tradução porquinha mas da pra ter uma idéia pra quem num consegue entender o inglês... de qualquer forma concordo com o Vilya, na melhor das hipóteses pra mim isso é coisa de invejoso que num tem capacidade de fazer algo próprio e fica metendo bedelho nas idéias e obras alheias pra se aproveitar do sucesso causando intrigas ou furor...
 

Lyvio

Usuário
Bem, eu fiquei curioso acerca do texto e traduzi no:google:

The One Ring

Como pode uma história fictícia por J.R.R. Tolkien influência sobre o Um Anel tantas pessoas tanto, e que isso tem a ver com o paganismo? Tolkien foi um professor de lingüística anglo-saxão, e embora fosse um católico, ele era um étnica europeia fortemente influenciado pelas idéias Pagan através de seus estudos lingüísticos, mas mesmo que ele usou algumas idéias cristãs em seus livros - como o conceito de "bom "versus" mal "- seus livros contêm uma grande quantidade de idéias pagãs.

A questão central em "The Lord Of The Rings" é o Um Anel. No próprio anel de Sauron, quando crafting, tinha escrito o último verso de um poema:


"Um anel para todos governar,
um anel para encontrá-los,
um anel para trazê-los todos,
e na escuridão aprisioná-los ".

Este é um enigma, e quando tentamos resolver esse enigma, fica claro que um anel que as regras, traz na escuridão e liga toda a vida é o tempo. Somos todos regidos pelo tempo, encontrado pelo tempo, trouxe a escuridão óbvio pelo tempo e limitado pelo tempo - é apenas uma questão de tempo até que todos morrem e esquecer, e nenhum de nós pode escapar. O tempo não tem começo nem fim, como um anel. Ele continua para sempre, e Sauron necessidades essa corrupção do tempo para cobrir o mundo em sua escuridão. A única pessoa no livro que parece não ser muito afetado pela morte nem o tempo é Gandalf, o Cinzento. Na verdade, ele morreu quando lutando contra o Balrog, mas simplesmente retornado como Gandalf, o Branco.

Digo isto, porque Gandalf é um nome bem sabemos da mitologia escandinava, Gandalfr, e que se traduz como "duende animado", ou "elf magic". Elf em si é uma palavra que deriva do proto-Alpt Norse (Swan "," eterna "). Ele é o mágico "personificada eterna de nossas almas". Balrog também é um nome que deriva do proto-nórdico. Não é um nome da mitologia escandinava, mas se traduz como "poder de fogo" ou "fogo-deus" (como bálrok Norse). A ganância dos anões subumanas causaram este poder de fogo para ser liberado das profundezas da Terra.

Segundo a mitologia da humanidade perdeu a sua imortalidade, porque deixamos de viver como nós fomos supor ou porque ainda não estavam perfeitos. A humanidade foi obrigada a viver na Terra, porque nós ainda não merecem viver entre os deuses. Portanto WōðanaR (Óðinn) enviou HaimaþellaR (Heimdallr) de AnsgarðaR (Ásgarðr) para criar um melhor homem do sangue dos deuses. Ele fez, e ao final e melhor resultado foi um parente do Jarl. Ao contrário dos gigantes (conhecidas por nós como Ciclope, Trolls, Titãs et cetera), que compunham os primeiros proto-humanos, as novas raças humanas não fosse imortal criaturas. Kin Mesmo Jarl não era puro o suficiente para viver eternamente, mas quando o homem morre o fogo sagrado (o Sol) vaporiza a hugr ( "mente") e traz de volta ao reino divino do Sol (AnsgarðaR). Então nós estamos renascer outra vez, quando fomos purificados por este poder de fogo (bálrok). Para cada vida que vivemos nós aprendemos algo novo e se tornar melhor. Nós mantemo-nos o que é bom eo fogo remove o resto, somos purificados pelo sol. Eventualmente parentes Jarl se tornará digno de vida entre os deuses em AnsgarðaR.

Então Gandalf, o Cinzento se Gandalf, o Branco, quando ele retorna depois de ser morto pelo Balrog. Ele é melhor depois de ser purificado pelo fogo-de poder que veio como resultado da ganância do homem é subumana. Embora nós morrem e não são criaturas imortais (elfos), ainda assim, nossas mentes (o nosso "mágico") são eternas - como Gandalf (elf "mágica", "eterna magia"), e eles sempre retornam à vida quando morremos, na um novo corpo.

O Um Anel é conhecida a vida de corruptos, apenas o tempo corrompe, como todos nós. Nada de errado que fazemos na vida pode ser desfeita. Se eu cometer um erro Eu tenho que viver com ela para o resto da minha vida. Embora o Sol (o Balrog) purifica nossas mentes quando nós morremos, é mais difícil tornar-se mais pura e inocente da vida. Se nós nos tornamos imundos, na maioria das vezes, só podemos deixar de ficar ainda mais sujo. Assim como ele se torna mais difícil de carregar o fardo de nossos erros quanto mais velhos ficamos, mais difícil é para Frodo ( "sábio") para levar o Um Anel o mais perto que ele chegue ao Mount Doom (velhice).

Frodo e os outros hobbits são seres inocentes, mas Frodo é muito sábio, como sugerido por seu nome - e certamente mais sábio e mais curioso do que os outros hobbits. O único que o acompanha em sua busca é Sam, que também é conhecido como "Sam the Wise". Somente os inocentes e sábio pode mesmo sonho de ir à Montanha da Perdição para destruir o Um Anel. Menos de criaturas inocentes, como seres humanos e anões, não será uma chance e, ao contrário, ser corrompido pelo anel em nenhum momento. Os elfos (incluindo Gandalf), por outro lado já superar a morte. Eles já estão "brancos" então por que eles querem mesmo tocar este anel de corrupção, e ao fazê-lo corrompido de novo? Em vez disso, fazer o que terá de fazer um dia, e no final do livro, que deixam o nosso mundo, viver em AnsgarðaR "Beyond the Sea (espaço)".

Os hobbits são retratos dos inocentes, eles ainda não corrompido homens e mulheres de nossa raça. Os anões são o povo corrompido pela ganância e os humanos são os corrompidos pelo poder. Os elfos representam o sobre-humano que não é corrompido pelo Um Anel. Eles são oferecidos no anel várias vezes, por Frodo, mas não quer nada com ele. Eles nem mesmo tocá-lo por medo de que poderia perder sua imortalidade. Arwen, uma donzela traquinas, tem que desistir de sua imortalidade, se ela decide se casar com Aragão, porque ela "contamina" a si mesma, unindo com uma criatura impura como Aragão, um mero humano. Quando ela faz, ela não será eterna (um elfo). The Middle-Earth inteiro está se tornando um lugar cada vez mais corruptas, assim os elfos decidiram deixá-la, atravessar o grande mar, a oeste (pôr do sol) e ir para outro continente. No entanto, apenas os elfos podem fazer esta viagem - só os elfos e Frodo que é, porque quando ele destrói o Um Anel na Montanha da Perdição, ele supera a corrupção da vida e também torna-se imortal. Na verdade, ele tornou-se um elfo mesmo!

Para poder entrar na sala de WōðanaR, o reino do Sol, temos de ser inocente. Impuro tudo que trazemos para a morte será reduzida a cinzas e não ser deixado em AnsgarðaR. Só a parte boa permanecerá de nós, apenas a parte que é "branco". Um indivíduo completamente corrompido em outras palavras, deixam de existir, porque não há nada de ele ou ela depois do Sol foi removido tudo o que era impuro, enquanto quase um "indivíduo" branco irá iniciar a sua próxima vida com um monte de bagagem e experiência, por assim dizer, porque ele ou ela foi capaz de trazer isso para AnsgarðaR quando ele ou ela morreu em sua vida anterior. Quando morremos podemos manter apenas as partes puro, e perder o resto, e quando estamos a renascer ainda temos os elementos puros de vidas passadas com a gente, armazenados no inconsciente - e vamos ser maior de seres humanos.

A viagem de mortos em todo o mar em navios (ou seja: eles viajam através do espaço entre a Terra eo Sol), e vemos imagens de tais navios em gravuras rupestres da Pedra e Idade do Bronze toda a Escandinávia. Mesmo os túmulos dos nossos antepassados eram muitas vezes em forma de navios. Estes foram os navios que devem trazer a magia eterna da nossa mente - os elfos - ao reino do Sol, quando os nossos antepassados morreram.

Este é o objetivo Pagan; para se tornar melhor, mais brancos e brilhantes, para se tornar cada vez mais como os deuses perfeito. Para conservar o que é puro e remover o resto. Isso também explica por que os nossos antepassados poderiam colocar seus "insuficientes" as crianças na mata para ser comido pelos lobos, e isso realmente não importa: a sua alma não estava corrompido e seria renascer anyhow. Em nenhum efeito foi perdido.

"Saruman o Branco" é um exemplo de como ela acaba de nos deixar de seguir as leis biológicas. No livro, ele cruza os homens colina com orcs e cria um exército de meio-orcs, que pode viajar durante o dia, bem como a Noite. Por causa deste erro grave, ele se torna "Saruman de Muitas Cores" - e não é mais "branca" (pura e honrosa).

A ordem da Vala, que Saruman era o chefe, é o mesmo que o culto pagão dos iniciados. Na verdade, é um Vala Norse nome que foi usado no início Pagan. Nós sabemos o nome de um filho de WōðanaR, chamada (em norueguês) Váli ou Voli ( "escolhido"), vivendo em Valaskjalf (site ritual "do escolhido"). Na forma plural, seu nome é, na verdade Vala. Saruman foi o "Branco", mas tornou-se o "de Muitas Cores", e Gandalf era o "Grey" e tornou-se o "branco". Eles faziam parte de um culto, que teve o objetivo de se tornar "branco", como seu líder Saruman era originalmente, antes que ele fez o seu erro. Saruman raças misturadas e por isso caiu em desgraça, quando foi purificada por Gandalf o Balrog e por isso tornou-se mais brancos. O cinza foi removido, e tudo o que restava era o branco.

Outro exemplo de ideologia Pagan em "The Lord Of The Rings" é o facto de Aragão estava a viver no exílio por tanto tempo, porque o seu antecessor - Isildur - feito um erro tão terrível e não destruir o anel quando ele teve a chance. Aragão é incomodado pelo fato de que essa fraqueza está em seu sangue. Como nossos antepassados em algum criminosos forçados a ir para o exílio, Aragão fez esta voluntária, porque ele não queria influenciar o mundo com sua fraqueza.

Estes são apenas alguns exemplos de como pagão "The Lord Of The Rings" é, mas há muito mais simbolismo ea ideologia Pagan Pagan neste livro. Tolkien foi, possivelmente, mais influenciado pelo paganismo europeu eo seu sangue europeu do que ele apreciava-se, como católico, mas em qualquer caso, acho que este livro é um exemplo interessante de como as idéias Pagan, nomes e símbolos podem estimular os instintos pagãos de tantas pessoas hoje, e atraí-los para algo que é tão profundamente enraizado nos nossos genes. Sabemos também que Tolkien queria que esse livro se tornar a mitologia da Grã-Bretanha, e do meu ponto de vista que não é uma idéia tão ruim. Não é menos valioso do Pagan e por exemplo os mitos sobre King Arthur eo Anel dos Nibelungos.
(...)
Não corrigi nada gente, é a tradução seca, e pelo que entendi o cara diz que SDA é uma obra pagã, agora como ela seria pagã se Tolkien era religioso, ele faz uns simbolismos referente as cores, traduz os nomes do Balrog e de Gandaf, não sei se pelas obras do professor ou pelo idioma nórdico e por aí vai.

No más, é bom le-lo com atenção para entender.
 

Snaga

Usuário não-confiável!!!
Lyvio, valeu a tentativa, mas não não dá pra ler assim não. Fica confuso demais!

Quem é esse Varg Vikernes? Alguém importante? Se for algo realmente relevante, dêem um jeito de publicar na página da Valinor!
 

zorba

VAI CORINTHIANS!
pelo que eu entendi, concordo com vcs que disseram que o texto não presta!!!!!!
nada a ver com tudo que sempre tive comigo sobre as , ou a , obra de Tolkien!!!!!!

mui malz.....
 

Séreforyon

Usuário
Colocar suas ideias no trabalho literário de outrem é uma interpretação, oras.

Eu queria saber os argumentos contrários a essa interpretação. Como O Um ser uma metáfora para o tempo, e se as correlações entre algumas coisas fecham com a mitologia nórdica, algumas são obviamente forçadas, tentando adaptar à ideologia absurda do autor. Mas o tópico foi criado justamente para que seja separado o joio do trigo.
____________

Fiquei surpreso pelo pessoal não saber inglês. Bom, eu recomendo que aprendam o quanto antes. É como aprender a ler novamente, um número incrível de portas se abre.
 

Vilya

Pai curuja, marido apaixonado
Não tem trigo (minha opinião). Sério. Há muitos estudos profissionais sobre as influências de outras mitologias na obra de Tolkien, não precisamos introduzir o tema a partir da visão torpe de um mentecápito.

Quero dizer, o tema "influências de outras mitologias na obra de Tolkien" é muito interessante e importante para a compreenção plena do legendarium, mas não precisamos introduzí-lo a partir das palavras de um amador (com sérios problemas mentais) que tenta forçar uma pseudo-interpretação. Ele faz questão de ignorar muito do que explicitamente foi escrito para criar brechas aos seus devaneios.

Tudo o que foi exposto por ele está comprometido pois as obras não são a sua fonte, são apenas plano de fundo para ele dar asas às suas fantasias.
 

Sindar Princess

Que deselegante...
____________

Fiquei surpreso pelo pessoal não saber inglês. Bom, eu recomendo que aprendam o quanto antes. É como aprender a ler novamente, um número incrível de portas se abre.
Meu bem, a grande maioria entende sim, mas... e quem não entende? Ninguém é obrigado, concorda? Sem contar que a Valinor é o maior fórum ativo do mundo em língua portuguesa, do qual devemos nos orgulhar. Concordo com você que saber um idioma, especialmente o inglês, é vital para muitas coisas hoje em dia, mas aqui ele tanto faz como tanto fez. Aqui, textos em inglês, japonês, hebraico, alemão, etc. são bem vindos, contanto que venham com algum tipo de tradução para aqueles que desconhecem determinado idioma.
 
Última edição:

Snaga

Usuário não-confiável!!!
Fiquei surpreso pelo pessoal não saber inglês. Bom, eu recomendo que aprendam o quanto antes. É como aprender a ler novamente, um número incrível de portas se abre.
Não são todos que podem pagar um curso de inglês (como eu) e ninguém tem a obrigação de aprender se não quiser, por n motivos (o que é o caso de muitos que conheço).

E quem pode nos condenar por isso?

Sem contar que, como disse a Sindar, a Valinor é um site/forum brasileiro, considerado o maior forum Tolkien em lingua portuguesa do mundo. As discussões não apenas são como devem ser em português!
 

Valinor 2020

Total arrecadado
R$1.470,00
Meta
R$4.800,00
Termina em:
Topo