1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Dismiss Notice
Visitante, junte-se ao Grupo de Discussão da Valinor no Telegram! Basta clicar AQUI. No WhatsApp é AQUI. Estes grupos tem como objetivo principal discutir, conversar e tirar dúvidas sobre as obras de J. R. R. Tolkien (sejam os livros ou obras derivadas como os filmes)
  1. Artigos Valinor

    Artigos Valinor Usuário

    História

    Assim como os Elfos surgiram junto ao Surgimento das Estrelas, os Homens vieram com o Nascer do Sol. Na terra que os Elfos chamavam de Hildórien, "terra dos seguidores", que ficava no extremo leste da Terra-média, os Homens pela primeira vez abriram os olhos para a nova luz. Ao contrário dos Elfos, Homens eram mortais e, mesmo pela medida dos Anões, de vida curta. Em força de corpo ou nobreza de espírito os Homens eram pobremente comparados ao povo Élfico. Era uma raça mais fraca que sucumbia rapidamente a pestilências e outros elementos rudes do Mundo. Por essas razões os Elfos os chamaram de Engwar, "os doentios". Mas os Homens eram teimosos como raça, e aumentavam de número mais rápido que qualquer outro povo exceto os orcs, e apesar do grande número que perecia eles se multiplicaram novamente e finalmente obtiveram sucesso nas terras a leste, e então foram chamados de Usurpadores.

    Morgoth encontrou seu caminho naquela terra e nos Homens, pois naquela região encontrou um povo que poderia facilmente sobrepujar à sua vontade.

    Alguns fugiram de seu mal e espalharam-se para o Oeste e para o Norte. Eventualmente eles alcançaram Beleriand, e os Reinos dos Elfos Noldorin. Os Noldor aceitaram a lealdade desses homens e os chamaram de Atani, "os segundo a nascer", mais trade, como grande parte do povo de Beleriand parava a língua dos Elfos-cinzentos, eles eram mais comumente chamados de Edain, os "segundos".

    Os Edain estavam divididos em três grupos: a Primeira Casa de Bëor, a Segunda Casa dos Haladin, e a Terceira Casa dos Hador. Os feitos das Três Casas de Amigos-dos-Elfos são famosos. Um dos contos dos Homens da Primeira Era é o "Narn i Hîn Húrin", que fala de Húrin, o Matador de Trolls; de Túrin, que matou Glaurung, o pai dos Dragões; de Beren, que retirou uma Silmaril da Coroa de Ferro de Morgoth; e de Eärendil o Marinheiro que navegou o "Vingilot" e carrega a Estrela Matutina nos Ceús.

    Na Primeira Era havia mais da raça dos Homens no Leste. Ele eram um povo diferente a quem os Elfos chamaram de Homens Escuros ou Orientais. Em tempos de guerra, a maioria destes Homens se mostrou infiel e, apesar de fingir amizade com os Elfos, eles os traíram a Morgoth. o Inimigo Escuro.

    Quando a Primeira Era do Sol acabou e Morgoth foi atirado ao Vazio, a terra de Beleriand foi invadidade pelo Mar Ocidental. Todos os inimigos que habitavam Beleriand foram mortos, bem como a maioria dos Elfos e Edain. Mesmo os Edain que sobreviveram àquela Era tornaram-se divididos. Alguns fugiram ao afundamento de Beleriand e foram para o Leste. Eles viveram nos Vales do Anduin com outros de sua raça que nunca entraram em Beleriand; eles eram conhecidos como os Homens do Norte de Rhovanion. Outros Edain foram para o Sul com os Elfos. A estes Homens foi dada uma terra que ficava no Oceano Ocidental. Foram chamados Dúnedain, os Edain do Oeste, e sua terra era chamada de Númenor. Na Segunda Era eram mais comumente chamados de Numenorianos e tornaram um grande poder marítimo. A eles tambem foi dada vida mais longa e sabedoria e força maiores. Sua história na Segunda Era é gloriosa, mas, corrompidos por Sauron, entraram em guerra com os Valar e foram destruídos. Númenor foi jogada em um grande abismo, o Oceano Ocidental o cobriu e ela deixou de existir.

    A maioria dos Numenorianos morreu, mas existiram aqueles que foram salvos do desastre, incluindo alguns conhecidos como Numenorianos Negros. Este povo vivua na terra de Umbar no Sul da Terra-média.

    Entretanto, os mais nobres dos Numenorianos retornaram para a Terra-média em nove navios; seu senhor era Elendil o Alto e com ele estavam seus dois filhos, Isildur e Anárion. Esses Elendili, os "fiéis", que eram da verdadeira linhagem dos Dunedain, construíram dois poderosos reinos na Terra-média: o Reino do Norte de Arnor e o Reino do Sul de Gondor.

    Contudo, o poder de Saurou cresceu novamente, e então foi feita a Última Aliança de Elfos e Homens, que combinaram os exércitos dos Dunedain e dos Elfos. Os Homens eram comandados por Elendil e os Elfos-cinzentos por Gil-galad, o último Alto Rei. Muitos Homens chamados Haradrim, das terras do sul, lutaram contra eles, assim como outros de Rhûn, que era orientais e alguns que vieram do Reino de Umbar - os Numenorianos Negros.

    A Aliança derrotou as legiões de Sauron. Contudo, Gil-galad, Elendil e Anárion foram mortos naquela guerra, e dos governantes dos Dunedain apenas Isildur restou. Foi ele quem cortou o Anel da mão de Sauron e enviou seu espírito para vagar sem forma nas terras perdidas da Terra-média. Então começou a Terceira Era. Após tomar o Um Anel da mão de Sauron iSildur não o destruiu e nos primeiros anos da Era a tragédia se abateu sobre ele. Os Orcs o golpearam com flechas negras nos Campos de Gladden e por um longo tempo o Anel esteve perdido.

    Dos Dunedain que sobreviveram e eram filhos de Isildur, governaram o Reino do Norte de Arnor, e aquels que eram filhos de Anárion governaram o Reino do Sul de Gondor. Existiam também outras raças de homens que surgiram ao Leste e ao Sul, e muitos agora apareciam. Os Balchoth, Wainriders outros Ocidentais saíram de Rhûn novamente contra os Dunedain de Gondor enquanto que do Sul, os haradrim e Varigas avançavam com os Numenorianos Negros. Entretanto, os Homens de Gondor era fortes e derrotaram todos os inimigos.

    No Norte outro poder crescia nas terras de Angmar. Um Rei-bruxo reinava naquela terra, e ele atraiu um exército de Orcs e criaturas malignas, bem com os Hillman of the Ettenmoors e Orientais para fazer guerra a Arnor, que desejavam devastar. Quando Angmar finalmente foi destruída pelos Dunedain de Gondor, o Reindo do Norte de Arnor estava terminado, e apenas um pequeno número de seu povo vagava nas terras vazias e foram chamados de Guardiões do Norte.

    Do Sul e do Leste vinha uma constante onde de Homens bárbaros, corrompidos muito antes pelo poder de Sauron. Os Dunlendings avançaram, preparados para a guerra, assim como os Haradrim e os Orientais. Neste tempo Gondor ganhou um aliado, pois os cavaleiros conhecidos como Rohirrim vieram em seu auxílio. Estes eram os Homens do Norte de Rhovanion e eram como os Wodmen e os Beornings de Mirkwood, ou como os Homemdo Lago de Esgaroth e os Bardings of Dale, fpois perpetuamente lutavam contra o mal feito por Sauron, o Inimigo Escuro.

    Ao final da Terceira Era, a Guerra do Anek foi ravada e todos os povos da Terra-média se aliaram ou com Sauron ou com os Dunedain. O exército de Sauron foi derrotado. O Um Anel foi encontrado e destruído e o Rei veio aos Dunedain. Este era o Guardião Chefe Aragorn, filho de Arathorn, que foi nomeado Rei Elessar, o verdadeiro herdeiro de Isildur.

    Elessar provou ser um governante forte e sábio. Pois embora tenha vencido muitos inimigos na guerra, e não temesse ninguém em batalha, ele fez paz com os orientais e Haradrim, e na Quarta Era do Sol que foi chamada a Era do Domínio dos Homens, houve paz nas terras ocidentais e também muito tempo após, devido ã sabedoria de Elessar e seus filhos.



    As Três Casas

    Primeira Casa do Edain - Casa de Bëor

    A linhagem de Bëor, o primeiro grupo de Edain a entrar em Beleriand. Eles residiram por um tempo em Ossiriand e depois em Estolad, mas finalmente aliaram-se à Casa de Finarfin e fixaram-se em Dorthonion, especialmente em Ladros. Alguns, contudo, liderados por Bereg, recusaram-se a participar das Guerras e mudaram-se para o sul, para fora de Beleriand.

    A Primeira Casa foi fragmentada durante a Dagor Bragolach e seu pós-batalha. A maioria dos poucos sobreviventes do primeiro ataque e da defesa de Barahir a Finrod fugiram para Hithlum, onde foram absorvidos pela Terceira Casa. Uns poucos guerreiros, liderados por Barahir, tornaram-se foras-da-lei em Dorthonion; Beren foi o único guerreiro da Primeira Casa a sobreviver ali. Um remanescente das mulheres e crianças da Casa, liderados por Emeldir, fugiram de Dorthonion e foram absorvidos pelas outras Casas.

    O povo da Primeira Casa tinha cabelos escuros e olhos cinzentos. Em espírito eram como os Noldor, hábeis com as mãos e ávidos por conhecimentos. Também chamada Casa de Bëor.



    Segunda Casa dos Edain - Haladin

    Os Haladin. Entrando em Beleriand cerca de um ano após Finrod ter encontrado a Primeira Casa, os Haladin se fixaram primeiramente em Thargelion, onde foram ignorados pelos Noldor de Caranthir. Em Thargelion os Haladin viveram em propriedades isoladas até que foram atacados pelos Orcs. Os sobreviventes, liderados por Haldad, recuaram para o ângulo de terra entre Ascar e Gelion, onde construíram uma paliçada e foram cercados, até que finalmente foram resgatados por Caranthir.

    Muitos dos sobreviventes, liderados por Haleth, mudaram-se para Estolad e então, tomando a perigosa estrada que costeava Nan Dungostheb, para Talath Dirnen e Brethil. Haleth teve permissão de Thingol de Doriath para permanecer em brethil com a condição de defender os Cruzamentos de Taeglin; por muitos anos os homens da floresta de Brethil protegeram o flanco norte de Nargothrond, seu número aumentado pelo refugiados de seu próprio povo e (após a perda de Dorthonion) da Primeira Casa.

    Após a queda de Tol Sirion (457 Primeira Era)exitiam frequentes ataques de Orcs nos Cruzamentos e na Floresta de brethil, mas os Haladin mantiveram sua força até a Nirnaeth Arnoediad, quando sofreram pesadas baixas em Aufauglith enquanto cobriam a fuga de Fingon. Em 496, os Haladin foram derrotados em Brethil, então abrindo a passagem para o saque a Nargothrond. Após este desastre os Haladin permaneceram nas florestas, emboscando orcs nos Cruzamentos como pudessem. Por uns poucos anos eles andaram sob a liderança de Túrin, que usou entre eles os nomes de Selvagem das Florestas e Turambar, mas em geral eles definharam e sumiram da história.

    Os Haladin diferiam dos outros Edain de várias formas. Sua linguagem aparentemente não era relacionada, e eles eram menores e menos interessados em aprender e em linguagens, amando a solidão da floresta. Usavam machados quando em batalha.

    Também chamados de Povo de Haleth.



    Terceira Casa - Os Marachs

    A última das linhagens dos Edain a entrar em Beleriand, provavelmente a mais numerosa. Liderados por Marach, a Terceira Casa fixou-se primeiramente em Estolad, próximo a seus parentes da Primeira Casa. Mais tarde eles agruparam-se emDor-lómin sob a liderança de Hador; ali eles aproveitaram maior esplendo do que quaisquer outros Edain, e eram comumente chamados de Casa de Hador.

    A Terceira Casa é a mais renomada nas Guerras de Beleriand, na qual lutaram ao lado da Casa de Fingolfin. Após a queda de Dorthonion a Casa absorveu muitas das mulheres da Primeira Casa. Mesmo com a morte de Hador na Dagor Bragollach, os guerreiros da Terceira Casa mantiveram Eithel Sirion contra Morgoth até a Nirnaeth Arnoediad, quando a Casa foi dizimada em Anfauglith. Os remanescentes, liderados por Húrin e Huor, cobriu a retirada de Turgon e dos Gondolindrim. Então, nos mais renomados feitos de guerra dos Edain, os guerreiros da Terceira Casa recusaram-se a deixar o norte; eles montaram sua linhas atrás de Rivil e, após matarem centenas de Orcs e Trolls, todos foram mortos, exceto Húrin, que foi tomado como prisioneiro.

    Em Dor-lómin muitoas das crianças e mulheres sobreviventes da Terceira Casa foram escravizados pelos Orientais ou mortos tentando fugir. Mas uns poucos sobreviveram em Hithlum e nos Portos do Sirion, e entre os heróis da Casa estão Túrin e Tuor, Eärendil e talvez Elros.

    O povo da Terceira Casa era alto e pronto para a batalha, forte e rápido de corpo e mente. Apenas eles entre os Edain possuiam cabelos dourados. Em Dor-lómin eles falavam tanto Sindarin e a língua Humana que formou a base do Adunaico.

    Também chamado povo de Hador.



    Aparência

    Os Homens ou "Hildor", eram também conhecidos como "os Segundo a surgir". Eram uma raça mortal dividida em inúmeros grupos. Culturalmente, eles rapidamente se dividiram em Lintado e Aravado. Familiares apenas com os Lintado do Oeste, os Eldar os classificavam de acordo com diferentes critérios. Distinguiam os "Altos Homens" (os Amigos-dos-Elfos) dos mais rúticos "Homens Comuns".

    Os Altos Homens, ou "Edain", tendem a ser mesmo mais altos que os Elfos. Homens atingem de 1,80 m a 2,10 m de altura. Também possuem ossos mais fortes e são fisicamente mais fortes, embora menos ágeis, que os Primogênitos. Seus cabelos são marrom-escuro ou preto-carvão, e seus olhos azuis, cinzentos ou negros. Dunedain tendem a ter boa-aparência e quase sempre estão bem barbeados.

    Homens Comuns são menores. Homens atingem de 1,65 m a 1,90 m, mulheres de 1,50 m a 1,70 m. Seus cabelos e olhos possuem todas as possíveis variações (embora os cabelos negros-caravão como o dos Altos Homens seja raro). Possuem uma aprência menos nobre que os Altos Homens, e os homens geralmente possuem barba ou bigode.

    A duração de vida dos Edain é longa, até 250-300 anos naqueles de ascêndia pura. São grandes guerreiros e construtores de impérios, pois sua iniciativa é da estatutra de seu porte físico. Apesar de tudo, a maioria dosEdain de Endorian gradualmente perder a própria identidade. Na Terceira Era, o unico grupo de Edain de alguma importancia eram os Dunedain, ou "Edain do Oeste".



    Divisões

    Dúnedain

    As histórias do dos Dunedain, começam no início da Segunda Era do Sol, pois os Dunedain eram os remanescentes dos Edain da Primeira Era. Este povo foi honrado pelos Valar com uma terra que situava-se no Oceano Ocidental entre a Terra-média e as Terras Imortais. Este local foi chamado de Númenórë, Westernesse na língua comum dos Homens. A história dos Dunedain naquela época no "Akallabêth" e no conto dos Númenóreanos, pois os Dúnedain de Númenórë eram conhecidos por este nome. Este povo era poderoso e sua queda foi terrível quando sua terra foi precipitada sob o mar na interior do Mundo e se perdeu para sempre. Neste holocausto todos os Numenorianos se perderam, exceto os Numenorianos Negros, que anteriormente haviam ido para o porto setentrional de Umbar, e aqueles conhecidos como Elendili, que construíram os reindos de Arnor e Gondor. Então, quando a história fala dos Dunedain geralmente significa os Elendili, cujo nome significa "os fiéis".

    As histórias da Terra-média contam como, no ano 3319 da Segunda Era do Sol, nove navios vieram sobre uma grande onda no Mar Ocidental. Estes eram os navios de Elendil o Alto que, com seus filhos, trouxeram os Dunedain sobreviventes fiéis para Terra-média. Elendil então fez Arnor, o Reino Norte dos Dunedain, e construiu Annúminas como sua primeira cidade perto das terras Élficas de Lindon; enquanto Anárion e Isildur foram para o Sul e fizeram Gondor, o Reindo Sul dos Dunedain, e construíram Osgiliath como sua primeira cidade. Em Arnor existiam as extensas províncias de Rhudaur, Cardolan e Arthedain; enquanto que em Gondor existiam os feudos e territórios de Anórien, Ithilien, Lebennin, Lossarnach, Lamedon, Anfalas, Tolfalas, Belfalas e Calenardhon.

    Os Dúnedain prosperaram em paz por um século daquela Era enquanto fortaleciam seus reinos, mas outro poder também estava crescendo. De fora de Mordor vieram Sauron e os Nâzgul, e Orcs e Homens de muitas raças que eram seus servos. Então houve guera novamente, mas um pacto foi feito, mais tarde nomeado de Aliança de Elfos e Homens. Gil-galad, o último Alto Rei dos Elfos na Terra-média, conduziu os Elfos de Lindon, e Elendil comandou os Dunedain. Os servos de Sauron caíram antes suas forças e Sauron foi forçado a entrar pessoalmente em batalha ao final. E embora Elendil, Anárion e Gil-galad tenham sido mortos, também o poder dos Espectros do Anel e de Sauron terminou. Isildur cortou o Anel da mão de Sauron e Sauron, os Espectros do Anel e todos os seus servos foram para as sombras.

    Esta foi a guerra que encerrou a Segunda Era do Sol. Com Sauron destruído, um tempo de paz foi previsto, porém a Terceira Era talmbém estava fadada a terminar em uma guerra sangrenta, pois Isildur não destruiu o Anel de Sauron e com o Anel um terrível poder continuava. No segundo ano da Terceira Era, Isildur foi emboscado em Gladden Fields, morto pelas flechas negras dos orcs, e o Anel foi perdido no Rio Anduin. Então, como contam o "Livro Vermelho do Marco Ocidental" e os "Anais dos Reis e Governantes", embora tenha havido paz por algum tempo, o conflito estava condenado a retornar para a Terra-média. Os Dunedain foram atacados de todos os lados: Balchoth e Carroceiros de Rhûn; Numenorianos Negros e Haradrim do Sul; Variags de Khand; Orcs e Terrapardenses das Montanhas Sombrias; Hillmen and Trolls de Ettenmoors; e os Espectros do Anel surgiram novamente em Mordor, Angmar, Morgul e Dol Guldur. Assim passou a Terceira Era, com os Dunedain combatendo com aqueles que era dirigidos por uma única força que tinha novamente ganhado forma e residia na poderosa torre de Barad-dûr em Mordor: Sauron o Senhor do Anel.

    Algumas vezes os Dunedain cresceram em poder e suas terras de estendiam até Rhûn e Harad. Mas através dos séculos eles eram como penhascos à beira-mar, sempre corroídos pela maré: Arnor, como reino foi dividido e em 1975 a última cidade de Arnor caiu. Apesar de um herdeiro ao trono permanecer escondido nas vastidões da terra, este reino Dunedain foi completamente perdido. Após este tempo, no Norte, aqueles que eram reis dos Dunedain por direito se tornaram apenas líderes. No Sul, embora frequentemente assediado e ameaçado, a maior parte do reino Dunedain de Gondor permaneceu intacto e forte, embora a linha real tenha se partido e o reino tenha sido governado por Regentes.

    Através da Terceira Era o poder de Sauron aumentou, até que finalmente ele veio abertamente à guerra, determinado a expulsar os Dunedain e os Elfos do Mundo e tornar a Terra-média seu domínio para sempre. Esta foi a Guerra do Anel, que encerrou a Terceira Era; e sua história é contada na magistral obra "O Livro Vermelho do Marco Ocidental".

    Naquela guerra, entre os Dunedain do Norte ergueu-se Aragorn, filho de Arathorn, o único verdadeiro herdeiro de Isildur e rei por direito de todos os Dunedain da Terra-media. Seu cavaleiros eram os Guardiões do Norte: cavaleiros armados com espadas e lanças cobertos com capas verde-floresta e grandes botas de couro. Aragorn também viajava vestido desse mesmo modo, com couro, embora forte, bravo e com visão aguçada.

    A este tempo ele era chamado Passolargo, mas nas muitas aventuras de sua vida ele teve outros nomes: ele era Estel entre os Elfos de Valfenda na sua juventude, e Thorongil como o capitão de Gondor que foi para o Sul e destruiu a esquadra de Umbar. Durante a Guerra do Anel ele lotou no Forte da Trombeta, Pelargir, Campos de Pelennor e ante o Portão Negro de Mordor.

    Ele provou ser um verdadeiro líder dos Homens e, como herdeiro de Isildur, foi coroado Rei Elessar Telcontar, regente de todos os Dunedain dos reinos gêmeos de Gondor e Arnor, após a Guerra do Anel.

    Em sua sucessão Aragorn foi totalmente transformado de um rude Guardião em um rei, feroz e imponente, embora alegre, sábio e com olhos de Elfo. Ele foi entronado e coroado ante as três bandeiras, verde, azul e branca: Rohan, Dol Amroth e Gondor. Ele usou a Coroa Branca dos Dunedain, o alto elmo de mithril com asas de gaivota em prata e pérolas. Um anel com sete diamantes foi colocado ao seu redor e uma única gema Elfica na coroa brilhava com uma clara e resplandecente luz. Aragorn doi comparado com os mais nobres Numenorianos de antigamente e mesmo com os Senhores Élficos. E realmente ele tomou a Princesa Élfica Arwen Undómiel como sua rainha, e eles reinaram sabiamento sobre as terras ocidentas muito tempo na Quarta Era e trouxeram paz para todos os povos da Terra-média.



    Terrapardenses

    Na Segunda Era do Sol, antes dos Dunedain virem para a Terra-média e constrírem seus reinos de Gondor e Arnor, lá viveu um povo alto e de cabelos negros nos vales férteis abaixo das Montanhas Brancas. Por muitos séculos. é dito que eles deselvoveram uma civilização à parte dos outros povos e construíram muitas fortalezas de pedra. Nenhuma história conta o destino desses homens nas Montanhas Brancas, embora tenham desaparecido e apenas seus descendentes, conhecidos como Terrapardenses permaneceram em suas terras.

    Muito antes dos Dunedain construírem os reinos de Gondor e Arnor, o poder dos Terrapardenses foi diminuído. O povo tornou-se dividido. Aqueles que permaneceram em Dunharrow tornaram-se aliados dos Homens de Gondor; outros foram para o Norte e se fixaram pacificamente na terra de Bree. Mas a maioria dos Terrapardenses foi para as colinas e planícies de Dunland e se tornou um povo tribal. Embora mantivessem sua língua e permanecessem poderosos guerreiros, tornaram-se um povo bárbaro.

    No século 26 da Terceira Era, os Homens de Gondor deram aos Rohirrim a província chamada de Calenardhon, que os Terrapardenses consideravam sua por direito. Então o ódio cresceu entre esses dois povos e no ano de 2758 um Terrapardense chamado Wulf liderou uma grande invasão de seu povo contra os Rohirrim e foi vitorioso. Mas foi a um grande custo, e no próximo ano os Rohirrim ergueram-se e expulsaram os Terrapardenses de volta para a colina e Wulf foi morto.

    Então por cerca de três séculos os Terrapardenses permaneceram nas colinas e deixaram os férteis vales dos Rohirrim. Mas não esqueceram a injúria, e os Homens altos de Dunland fizeram um pacto maligno com o Mago rebelde Saruman, que trouxe grande número de Grandes Orcs (chamados Uruk-hai) para Isengard. E é lembrado que por algum ato de magia maligna os Terrapardenses mesclados com os Uruk-hai, e a maligna prole dos Meio-Orcs é o resultado desta união. Meio-Orcs eram negros, Homens com olhos de lince e maligna características dos Orcs; combinando os Terrapardenses e os Grandes Orcs, os Meio-Orcs constituíram um imenso exército de terrível poder.

    Quando poder de Gondor e Rohan parecia acabar, este exército reuniu-se em Isengard sob a bandeira da Mão Branca de Saruman, para lutar contra os Rohirrim. O "Livro Vermelho do Marco Ocidental" conta como os ferozes Terrapardenses em altos elmos e escudos de peles de animais avançaram para a batalha do Forte da Trombeta no Absimo de Helm com os Uruk-hai e os Meio-Orcs.

    Mas a batalha do Forte da Trombeta foi um grande desastre para os Terrapardenses; eles foram subjugados e os cruéis Uruk-hai e Meio-Orcs foram aniquilados. Aqueles que não foram mortos poderiam apenas suplicar por paz, prometendo nunca mais se levantar contra seus conquistadores Rohirrim.



    Drúedain (Woses)

    Woses chamam a si mesmo "Drughu". Elfos os chama de "Druedain", que significa "Homens Selvagens".Também chamados "Drûgs" ou "Homens Selvagens da Floresta", são mestres na arte da orientação na floresta. Este antigo povo ocupa a floresta Druadan de Anórien e as áreas selvagens de Andrast na Terceira Era. Seu território original era bastante extenso, mas eles eram bastante únicos e não assimilavam ou coabitavem com outros Homens. Eram inimog tanto dos Terrapardenses como dos Homens do Norte (os Rohirrim podem tê-los caçado por esporte).

    Baixos, troncudos, bastante feios e com pouco pêlo corporal, os Woses era inteiramente estranhos tanto aos Homens do Norte quanto so Dunedain. Utilizavam uma língua que era um desdobramente das "línguas do litoral sul" do noroeste da Terra-média. É próxima da língua Dunael dos Terrapardenses.

    Os Woses empregam certos poderes de encantamento, formas únicas de magia nascidas da fé na natureza e em seus próprios espíritos ancestrais. Os Drûgs guardam seus locais sagrados com bizarras figuras esculpidas deles mesmos. Estas esculturas-Pûkel possuíam "poderes associados com a vida", como visão e mobilidade.



    Orientais

    Na Primeira Era do Sol, todos os Homens surgiram primeiramente nas terras orientais da Terra-média. Alguns foram para o oeste, mas aqueles que permaneceram no Leste viveram sob a sombra escura de Melkor o Inimigo e foram para o caminho do mal. Este povo era chamado de Orientais e sua terra era chamada de Rhûn.

    Após um tempo, alguns desses Homens deixaram o Leste e foram para as Terras Élficas de Beleriand. Estes Orientais não eram um povo alto, mas largo, forte de membros, de pele escura com olhos e cabelos negros. Em sua maioria não se mostraram confiáveis e na guerra traíram seus aliados Elfos a Morgoth. Poucos nomes desses Homem foram colocados nas histórias, mas Ulfang o Negro e seus filhos Ulfast, Ulworth e Uldor, ganharam fama em virtude de terem cometido a maior traição. Pois na Batalha da Lágrimas Incontáveis, Ulfang e seu povo voltaram-se contra seus aliados Elfos no meio da batalha e os atacaram na retaguarda; por este ato a maré da batalha se inverteu e os Elfos foram derrotados. Entretanto, nem todos os Orientais não eram confiáveis e um chamado Bór, e seus filhos Borlad, Borlach e Borthand, lutaram nobremente até a morte ao lado dos Elfos, naquela Era.

    Mas, mesmo mais tarde, os Orientais mantiveram sua aliança com Morgoth ou seu poderoso servo Sauron, e sempre entraram em guerra contra os nobres descendentes dos Edain. Através das Eras do Sol os orientais tornaram-se uma confederação de muitos reinos e raças. Na Terceira Era muitos Orientais saíram de Rhûn. Entre eles estavam os ferozes Balchoth e os guerreiros de carroça chamados Carroceiros.

    Ao comando de Sauron os Orientais enviaram guerreiros para a Guerra do Anel. Nos Campos de Pelennor inúmeráveis companhias de Orientais, barbados como Anões e armados com grandes Machados de Duas-mãos, batalharam ferozmente e morreram. Outros também encontraram seu fim quando o Portão Negro foi quebrado e o reindo de Sauron em Mordor foi destruído.

    A Guerra do Anel quebrou o domínio do Poder Negro sobre os Orientais para sempre. Então quando o Rei Elessar foi coroado em Gondor, e na Quarta Era foi até Rhûn, os Orientais suplicaram por paz. Esta Elessar garantiu, e por muitos anos depois deste tratado houve paz nas terras Ocidentais e nas terras de Harad e Rhûn.



    Haradrim

    Nas histórias que foram escritas nos dias da Guerra do Anel, muito é dito dos Homens de pele morena do sul, que eram chamados de Haradrim, e como vieram ferozmente à guerra. Alguns Haradrim apareceram sobre cavalos, outro a pé, e aqueles chamados de Corsários vieram em suas esquadras de medo com seus navios negros chamados dromunds. Mas os mais famosos foram aqueles Haradrim que foram para a guerra nas torres colocadas no dorso dos grandes Mûmakil. Estes exércitos Haradrim causaram terrível destruição, porque os cavalos não chegavam perto dos Mûmakil. De suas torres os Haradrim atiravam flechas e jogavam pedras e lanças. Com as presas,a tromba e o grande para esmagadora os Mûmakil podiam quebrar as defesas dos inimigos e sobrepujar poderosos exércitos a cavalo ou a pé.

    Na Batalha dos Campos de Pelennor, os Haradrim eram os mais numerosos dentre os servos do Rei-Bruxo de Morgul. Eles eram ferozes e se reuniam sob uma bandeira vermelha marcada com uma serpente negra. Estes guerreiros vestiam mantos escarlate e usavem argolas douradas na orelha e colares dourados e grande escudos redondos, amarelos e negros ornados com pregos de aço. Todos tinham olhos negros e longos cabelos negros em tranças guarnecidas com ouro, e alguns também tinham pinturas como sangue em suas faces. Seus elmos e corseletes eram de bronze. Eram armados variadamente, com arcos, lanças e pregos de ponta vermelha, adagas curvas e cimitarras. É dito que eram cruéis como Orcs e em batalha não tinham nem esperavam misericórdia.

    Embora a maioria dos Haradrim no exército que foi a Mordor seja de pela morena, as terras dos Haradrim eram vastas, e parte do exército veio do Harad Distante, onde os homens das tribos nas terra do Sol eram negros. Eram poderosos guerreiros, comparados com os Trolls em força e tamanho.

    De todos esse povos, a força com que cresceram tinha sua fonte de poder na vinda do Senhor Escuro Sauron. Seu Rei dos Reis sempre foi Sauron durante toda a Segunda e Terceira Era, e a lealdade a Mordor a aos emissários do Senhor Escuro - os Espectros do Anel - era a lei.

    Na Segunda Era Sauron foi entre os Haradrim e deu-lhes muitos presentes de poder. A ele eles fizeram sacríficios e o adoraram. Depois de um tempo o poder dos Haradrim cresceu e eles se aventuraram no norte contra os reis de Gondor. Entre ele vieram outros emissários do Senhor Escuro Sauron incluindo alguns dos Numenorianos que tinham se voltado com os Poderes de Arda. Na Segunda Era dois desses Numenorianos Negros tornaram-se grandes senhores entre os Haradrim e estes eram Herumor e Fuinur.

    O "Livro dos Reis" conta como o poder dos Haradrim no Norte foi destruído na Segunda Era. Como eles se reuniam sob o poder de Sauron em Mordor, a Última Aliança de Elfos e Homens foi formada e houve uma grande batalha ante o Portão Negro. O Portão foi quebrado, e os Haradrim, Orientais e hordas orc foram esmagadas e Mordor caiu. E finalmente, após um cerco de sete anos, Sauron e os Espectros do Anel foram derrotados e lançados nas sombras.

    Este não foi o fim dos Haradrim, pois o Um Anel não foi destruído. Sauron e os Espectros do Anel eventualmente retornaram na Terceira Era e novamente chamaram os Haradrim às armas, prometendo-lhes grande riqueza e fazendo ameaças malignas. Entãoos Haradrim foram a Mordor mais uma vez.

    No "Livro dos Reis" é dito que quando os Homens de Gondor navegaram para Umbar e acabaram com o poder dos Numenorianos Negros, os Haradrim apareceram no ano de 1015 da Terceira Era e fizeram guerra a Gondor. Na batalha mataram Ciryandil, terceiro da linha dos Rei-navegantes de Gondor, mas os Haradrim não conseguiram vencer Gondor nos portos naquele tempo. O próximo rei de Gondor destruiu seus exércitos em 1050 e os Haradrim não tinham mais poder para ir contra os Homens de Gondor por mais de quatro séculos, quando houve uma rebelião interna em Gondor. Uma grande esquadra de rebeldes - filhos do chamado Castamir o Usurpador - foram para Umbar e fizeram uma aliança com os Haradrim contra os Homens de Gondor. Então por todos os séculos da Terceira Era, com os rebeldes que foram chamados de Corsários de Umbar e com alguns dos Numenorianos Negros, os Haradrim fizeram incursões e perturbaram as terras fronteiriças e os litorais do reino de Gondor.

    No ano de 1944, as histórias de Gondor novamente falam dos exércitos terrestres de Haradrim. Àquele tempo os Haradrim e os Variags de Khand fizeram um pacto com os bárbaros Orientais chamados Carroceiros. O propósito desta aliança era realizar um ataque simultâneo a Gondor, por dois lados, do Leste e do Sul. Então as forças de Gondor foram divididas, e os Carroceiros tiveram sucesso e venceram o exército de Gondor leste e mataram o rei, mas não contaram com o valoroso general Eärnil do exército sul de Gondor. Eärnil, tendo subjugado os Haradrim e Variags nos campos na Batalha do Val do Poros, e então marchou para o leste e derrotou os despreparados Carroceiros na Batalha do Acampamento.

    No ano em que a Guerra do Anel foi declarada muitas legiões ods Homens de Harad foram para Mordor: Homens morenos em vermelho do Harad Próximo, a cavalo, a pé e cavalgando os grande Mûmakil em torres de guerra; e os terríveis homens das tribos do Harad Distante. Com eles vieram os Corsários de Umbar, os ferozes Variags de Khand e os Orientais de perto e de longe: homens barbados com machados, cavaleiros e soldados a pé. E finalmente também as legiões de Orcs, Uruk-hai, Olog-hai e Trolls. Nenhum exército tão grande tinha sido reunido na Terra-média. Mas é dito no "Livro Vermelho do Marco Ocidental" seu destino foi selado por um poder além da força de braços, e, embora valentes em batalha, foram exterminados e destruídos na Batalha dos Campos de Pelennor e no Portão Negro de Mordor. Sauron foi sobrepujado para sempre e com ele seus servos. E é dito que um novo rei que era forte e misericordioso veio a Gondor e fez uma paz com os Haradrim que durou por muito tempo na Quarta Era.



    Lossoth

    No gélido Cabo de Forochel ao norte das terras ocidentais viveu um povo chamado Lossoth, na Terceira Era do Sol. Eles eram um povo recluso e pacífico desconfiado de todos os guerreiros da Terra-média. Na língua comum dos Homens eles eram chamados de Homens da Neve de Forochel, e é dito que descendiam dos Forodwaith dos Vazios do Norte.

    Os Lossoth eram um povo pobre com pouco conhecimento do mundo, mas eram sábios nos modos das terras geladas. Construíam suas casas de neve e, em carrinhos deslizantes ou patins de osso, cruzavam as terras geladas e caçavam os animais de pelo grosso dos quais fabricavam suas roupas. É dito que os Lossoth podiam prever o clima pelo cheiro do vento. A cultura dos Lossoth era baseada na caça e pesca, então eles viviam e viajavam em pequenos grupos. Alguns trabalhavam cobre ou pedra, mas a maioria fazia ferramentas de ossos, pelos e tripas. Seus contatos com os Elfos e outros Homens é limitado, pois usualmente comerciavam entre eles mesmo.



    Homens do Norte

    Na Terceira Era do Sol, muitos Homens que descendiam dos Edain da Primeira Era habitaram os vales norte do Anduin. Estes Homens eram de muitas tribos e reinos e eram chamados de Homens do Norte de Rhovanion. Embora não fossem governados apenas por um homem, eram inimigos constantes de Sauron e de seus servos. Através de todo o Rhovanion estes Homens orgulhosos frequentemente lutaram contra os Orcs, Orientais e Lobos do Senhor Escuro, e algumas vezes ousaram entrar em batalha com os grandes e antigos Dragões que vieram das vastidões do Norte.

    Estes Homens do Norte permaneceram em Rhovanion por muitos séculos e não sucumbiram ao poder maligno de Sauron. Nas histórias que tratam dos últimos séculos da Terceira Era do Sol, os nomes de algumas dessas pessoas fortes e nobres estão gravados: os Beornings e os Homens da Floresta de Mirkwood; os Homens do Lago de Esgaroth; os Bardings de Valle; e, talvez os mais conhecidos e afamados, os Éothéod, de quem os Rohirrim, os Cavaleiros do Marco, eram descendentes. Eram todos homens fortes e nobres, e, na Guerra do Anel, os Homens do Norte se provaram verdadeiros aliados dos Dunedain, atacando servidores de Sauron no campo de batalha, na floresta ou nas passagens das montanhas.

    No décimo primeiro século da Terceira Era os Homens do North se aliaram aos Homens de Gondor contra os invasores Orientais. Muitos entraram para o exército de Gondor e sua sina a partir daquele momento passou a acompanhar o destino dos reis de Gondor.



    Variags

    Os varigs eram um povo de pele escura que ocupava a terra de Khand, um planalto semi-árido localizado no sudeste de Mordor e noroeste de Harad. Khand é uma área de planalto situa-se na rota principal de comércio entrando no Grande Deserto do Leste. Uma vez que é elavada e situa-se perto da base de dois maciços montanhosos, é bastante habitável. Os pequenos rios e as temperaturas moderadas de Khand acomodavam uma grande concentração populacional, pelos padrões de seus vizinhos locais.

    Os Variags eram o grupo dominante naquela região. Eles eram esquentados, muitas vezes brutais, e excepcionalmente prontos para a guerra. A diplomacia dos Variag era simples, envolvendo conspiração, traição e guerra. Sendo ou não um desenvolvimento recente, derivado do contato próximo e prolongado com Mordor, os varigas mereciam sua reputação de serem a mais cruel raça de Homens de toda Endor.

    Variags eram ótimos cavaleiros e pastores. também lidavam com asnos e camelos. Apesar de tudo a maior parte de sua força de batalha era composta de soldados a pé. Varigas comuns mantinham rebanhos de cabras, ovelhas e cavalos. Plantavam cevada e, como grupos parecidos mais ao sul, produziam algodão, embora os Varigs preferissem comerciar, pastorers e invadir o que eles consideravam o passatempo mundano de cultivar.

    Eles também eram aliados dos malignos Orientais e Haradrim e eram servos do Senhor Escuro Sauron. As Histórias do Oeste contam como duas vezes os Variags vieram sob as ordens de Sauron contra Gondor. No ano de 1944, com os homens do Harad Próximo, os Variags lutaram contra os exércitos de Eärnil de Gondor e foram derrotados no Val de Poros. Mais de mil anos depois os Variags, com os Haradrim e Orientais, vieram ajudar os exércitos de Sauron de Morgul e Mordor na Guerra do Anel. Mas esta foi a última vez que lutaram contra Gondor, pois um fim veio para o poder de Sauron e os Varigs fizeram paz com os Dunedain e deram-se por satisfeitos com sua própria terra de Khand.
     
    • Gostei! Gostei! x 1
  2. Fharallwad

    Fharallwad Usuário

    Achei o artigo muito legal.
     
  3. Veänis

    Veänis Lempe ou Sleestak?

    Nossa!

    Estava procurando uma matéria assim. Exatamente assim: detalhada, sobre os homens da TM. Me ajudou muito num texto que estou escrevendo!

    Muito obrigada!
     
  4. Elrond

    Elrond "OFF" it will last two months

    Muito bom artigo, bem detalhado.

    Agora, por que ele está nesta sala? Não é para estar na sala do Tolkien?
     

Compartilhar